Coronavírus: chefe de laboratório japonês pede atenção com vacina

Executivo ressalta necessidade de cooperação entre governos e laboratórios para desenvolvimento e distribuição do medicamento no longo prazo

Isao Teshirogi, CEO da farmacêutica japonesa Shionogi

Jornal GGN – O executivo-chefe da farmacêutica japonesa Shionogi alertou que as esperanças políticas por uma solução rápida contra a Covid-19 podem ser decepcionadas, e ressaltou a necessidade de se estruturar um plano internacional de longo prazo para o desenvolvimento e distribuição de vacinas.

“Os políticos podem não querer ouvir isso, mas quando tudo não vai de acordo com o roteiro existe a necessidade de planos de backup”, disse o CEO da empresa, Isao Teshirogi, segundo informações do jornal britânico Financial Times. “É preciso haver um compromisso de empresas, acadêmicos e governos para que esses esforços continuem no longo prazo.”

Atualmente, mais de 100 vacinas contra o coronavírus estão em desenvolvimento no mundo, e existe uma ansiedade entre os governos para dar esperança ao povo e reabrir suas economias, mas falta cooperação global sobre como tais medicamentos serão fabricados e oferecidos aos países emergentes quando (e se) eles estiverem disponíveis.

Também existe o pior cenário possível – o de que todas as vacinas que estão em desenvolvimento não funcionem. “Além da questão de qual vacina é segura e eficaz, precisamos considerar quanta capacidade seria assegurada onde e a que preço eles podem ser oferecidos”, disse Teshirogi.

Outro ponto considerado tabu envolve o debate sobre os frutos gerados por todo o investimento feito pelos governos e pelas farmacêuticas. “Se o vírus desaparecer em dois anos, isso é ótimo para a humanidade, mas também pode ser um inferno para nós se ninguém usar o que desenvolvemos depois de todos os investimentos que fizemos”, disse o executivo.

 

Leia Também
EUA pode voltar a ter lockdown, se contágios continuarem a subir
Bolsonaro deveria ser responsabilizado por invasão a hospital no Rio, diz jurista
Com visitas diárias de médicos a todas as casas, Cuba consegue controlar a pandemia
Relato da invasão a hospitais estimulada por Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora