Desemprego atinge 14 milhões de pessoas no fim de setembro

Resultado ficou estatisticamente estável ante o visto na semana anterior, diz IBGE; percentual de desocupação chega a 14,4%

Foto: Jorge Araujo/FotosPublicas

Jornal GGN – O desemprego chegou a 14 milhões de pessoas na quarta semana de setembro, resultado apontado como estatisticamente estável ante à semana anterior (13,3 milhões), segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Covid-19 divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Desta forma, a taxa de desocupação no mercado de trabalho brasileiro atingiu 14,4%, sem variação significativa frente à terceira semana de setembro (13,7%). Já a população ocupada ficou em 83 milhões, estatisticamente estável ante a terceira semana de setembro.

“Embora as informações sobre a desocupação tenham ficado estáveis na comparação semanal, elas sugerem que mais pessoas estejam pressionando o mercado em busca de trabalho, em meio à flexibilização das medidas de distanciamento social e à retomada das atividades econômicas”, diz a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira, em nota divulgada pelo instituto.

Segundo o IBGE, a flexibilização quanto ao distanciamento social seguiu em alta: o grupo de pessoas que ficou rigorosamente isolado (31,6 milhões) diminuiu em 2,2 milhões, na comparação com semana anterior.

Também houve aumento no número de pessoas que não tomou nenhuma medida para evitar a contaminação pelo coronavírus: esse contingente cresceu 937 mil em uma semana, chegando a 7,4 milhões de pessoas.

Os dados mostram que a maior parte da população (86,7 milhões) afirmou ter reduzido o contato com outras pessoas, mas continuou saindo de casa ou recebendo visitas na quarta semana de setembro, um milhão a mais na comparação com a semana anterior. Já quem ficou em casa e só saiu em caso de necessidade somou 84,6 milhões – resultado praticamente estável em relação a semana anterior.

 

Leia também:  Bolsonaro desidratou estratégias para combate ao racismo

 

Leia Também
68% querem extensão do auxílio emergencial para 2021, mostra pesquisa
Como o Brasil pode reverter o caminho da desindustrialização?
Governo Bolsonaro flexibiliza crime de evasão de divisas
Estudo aponta retomada desigual da economia no Brasil
Setor de serviços fecha agosto em alta de 2,9%, diz IBGE

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome