Intimada pelo Supremo, PGR defendeu ação contra apenas 3 perfis bolsonaristas

O documento que autorizou a busca e apreensão contra empresários e influenciadores da extrema-direita mostra que a PGR foi "devidamente intimada" a se manifestar

Jornal GGN – Apesar de a Procuradoria-Geral da República ter informado à imprensa, na tarde desta quarta (27), que não fora consultada pelo Supremo Tribunal Federal a respeito de diligências contra as milícias digitais do bolsonarismo, o documento que autorizou a busca e apreensão contra empresários e influenciadores da extrema-direita mostra o contrário.

A PGR não só foi intimada pelo STF como se manifestou, de acordo com o ministro Alexandre de Moraes, a favor de avançar contra 3 perfis bolsonaristas no Twitter. Contrária às demais diligências, a PGR pediu hoje o arquivamento do inquérito 4781.

 

Leia também:

PF faz buscas contra empresários e blogueiros bolsonaristas no inquérito das fake news

Operação fakenews mira o coração do bolsonarismo, por Luis Nassif

Donos da Havan e Smart Fit têm sigilo quebrado no inquérito das fake news

Blogueiro chama Moraes de “nazista” e Bolsonaros acusam ilegalidade do inquérito

Sara Winter chama Moraes de “arrombado” e ameaça “infernizar” vida do ministro

PGR defende arquivamento de inquérito contra “gabinete do ódio”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Plinio

- 2020-05-28 01:27:03

A quadrilha sabe que a cadeia está chegando para todos incluindo o chefe geral. É tudo pânico.

peregrino

- 2020-05-27 20:45:10

Impressionante... o ilustre nem se preocupou com a possibilidade da sociedade passar a pensar que ele tem lado já rola por aí que haverá forçação de barra para que o próximo movimento seja com outros policiais e delegados, porque os que participaram nessa não vazaram nada, todos excelentes profissionais

Lúcio Vieira

- 2020-05-27 19:52:59

Fora multas e prisões cabíveis, que esta turma fique ao menos uma década longe de redes sociais e sem poder usar aplicativos de mensagens.

Bo Sahl

- 2020-05-27 18:42:01

Aras é claramente um defensor (importantíssimo) do despresidente. Não se espere dele nada muito além disso. Quando muito abrirá processos com o objetivo maroto de inocentar o(s) acusado(s). De resto, ignorará, arquivará, engavetará e até solicitará suspensão de inquéritos fora de sua iniciativa. Já fez isso várias vezes, beirando a prevaricação. E mente ao dizer que é prerrogativa exclusiva da PGR abrir processos contra ministros. Em crimes comuns, mas não em crimes de responsabilidade, onde qualquer cidadão pode pedir. É de amplo e público consenso que Aras está agindo como aliado do despresidente. Duas AGUs? Precisa saber que, e se for o caso, pode ser "impixado" pelo Congresso. Uma tática recorrente do PGR é abrir processos no STF para bloquear ou dificultar pedidos de "impeachment" no Congresso. Abre processos no STF e "enrola até passar", com o mesmo efeito de "pedidos de vista judiciais... https://diariodopoder.com.br/opiniao/investigacao-da-pgr-impeachment

Edson J

- 2020-05-27 17:03:49

Não há dúvidas de que, sem as Fake News, Aras nem seria procurador, porque a história da eleição de 2018 seria outra. Mas nem disfarça?

Schell

- 2020-05-27 17:01:25

"Ai, meu rei! Por todos os santinhos, lá se vai a minha vaguinha por stf".

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador