“Moro, você tem 27 Superintendências, eu quero apenas a do Rio”

Vacilante, Moro acrescentou que Bolsonaro jamais lhe pediu acesso a inquéritos em andamento, até porque o ex-ministro afirma não ter como ajudar nisso

Jornal GGN – No depoimento recheado de convicções e atos indeterminados contra Jair Bolsonaro, Sergio Moro apresentou uma mensagem no WhatsApp enviada pelo presidente. Ela dizia: “Moro você tem 27 Superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro.”

A mensagem, na visão do ex-juiz, ilustra as intenções de Bolsonaro em interferir politicamente em cargos estratégicos da Polícia Federal (diretoria-geral e superintendências estaduais) para possivelmente ter acesso a informações privilegiadas.

Apesar da cartada, Moro evitou incriminar expressamente o ex-patrão no depoimento concedido à PF e à Procuradoria-Geral da República. Disse que cabe às instituições competentes identificar tipos penais nos relatos de sua experiência como ministro da Justiça.

Vacilante, Moro acrescentou que Bolsonaro jamais lhe pediu acesso a inquéritos em andamento, até porque o ex-ministro afirma não ter como ajudar nisso.

Confira abaixo os trechos selecionados pelo GGN:

QUE no começo de março de 2020, estava em Washington, em missão oficial com o Dr. VALEIXO;

QUE recebeu mensagem pelo aplicativo Whatsapp do Presidente da República, solicitando, novamente, a substituição do Superintendente do Rio de Janeiro, agora CARLOS HENRIQUE;

QUE a mensagem tinha, mais ou menos o seguinte teor: “Moro você tem 27 Superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro”;

QUE esclarece que não nomeou e não era consultado sobre as escolhas dos Superintendentes; QUE essa escolha cabia, exclusivamente, à Direção Geral da Polícia Federal;

QUE nem mesmo indicou o Superintendente da Polícia Federal do Paraná;

QUE os motivos para essa solicitação entende que devem ser indagados ao Presidente da República; QUE falou sobre a solicitação de troca do Diretor VALEIXO, ainda em Washington;

QUE até aventaram a possibilidade de atender ao Presidente para evitar uma crise

QUE o Diretor VALEIXO declarou que estava cansado da pressão para a sua substituição e para a troca do SR/RJ; QUE por esse motivo e também para evitar conflito entre o Presidente e o Ministro o Diretor VALEIXO disse que concordaria em sair;

QUE nesse momento não havia nenhuma solicitação sobre interferência ou informação de inquéritos que tramitavam no Rio de Janeiro;

QUE, por esse motivo, o Declarante, apesar da resistência, cogitou aceitar as trocas, desde que o substituto do Diretor Geral fosse de sua escolha técnica e pessoa não tão próxima ao presidente

QUE, certa feita, provavelmente, no mês de março o PR passou a reclamar da indicação da Superintendente de Pernambuco;

QUE essas reclamações sobre o superintendente no Estado de Pernambuco não ocorreram anteriormente

(…)

QUE o Declarante perguntado se as trocas solicitadas estavam relacionadas à deflagração de operações policiais contra pessoas próximas ao Presidente ou ao seu grupo político disse que desconhece, mas observa que não tinha acesso às investigações enquanto ainda evoluíam;

QUE crescendo as pressões para as substituições, o Presidente lhe relatou verbalmente no Palácio do Planalto que precisava de pessoas de sua confiança, para que pudesse interagir, telefonar e obter relatórios de inteligência

Confira a íntegra do depoimento aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora