Punição para quem impulsionar fake news poderá ser mais severa

Exigência de documentos de identificação para cadastro em redes sociais também foi mantida; texto irá para votação no plenário na próxima semana

Jornal GGN – O texto do projeto de lei que aborda as fake news deve ser entregue ainda nesta sexta-feira (19/06) pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA).

A proposta considera uma ampliação nas punições: além de punir quem financia redes de robôs e contas falsas para cometer crimes como difamação em redes sociais, aqueles que impulsionam os conteúdos e publicidades irregulares – isto é, o pagamento a plataformas para que determinado conteúdo tenha mais visualizações – serão igualmente punidos.

O texto do relatório, que cria a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, está em negociação no Senado Federal há duas semanas. Sua votação está prevista para quarta-feira (24/06), mas existe a possibilidade de o material ser analisado pelo plenário já na terça-feira (23/06).

Um dos pontos mais polêmicos foi mantido até o momento: a exigência de documentos de identificação para cadastro em redes sociais, permitindo que delegados de polícia ou integrantes do Ministério Público os solicitem às empresas.

O relatório também projeta punição para as plataformas de redes sociais: a primeira versão do texto estabelecia que o provedor deveria reparar o erro, destacando o erro e garantindo a exposição da correção. Agora, a aplicação de multas para as plataformas também está em análise. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Bolsonaro vai cair?, por Ricardo Cappelli
Em mensagem, Queiroz admitia “contato com a cúpula de cima”
Ministra Cármen Lúcia nega habeas corpus de Sara Giromini
Do Banestado à Lava Jato: o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome