Solidariedade expulsa líder de motim policial no Ceará

Decisão foi tomada em conjunto pela direção nacional e pelo diretório cearense; Sargento Ailton foi flagrado coordenando movimento que gerou confronto e baleou o senador Cid Gomes

Sargento Ailton, expulso do partido Solidariedade por ser um dos líderes do motim policial em Sobral, no Ceará. Foto: Reprodução

Jornal GGN –A direção nacional do partido Solidariedade, junto do diretório da sigla no Ceará, anunciou a expulsão do vereador Sargento Ailton do partido. A decisão é irrevogável.

Ele foi flagrado como sendo um dos líderes do motim policial na cidade de Sobral, que acabou com o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE) baleado com dois tiros.

“O Solidariedade mantem sólidas bases democráticas e não permite que seus filiados tomem frente de ações que podem prejudicar a população. É inadmissível que um membro de nosso partido participe de ações que obriguem comerciantes fecharem suas portas e que acabe em um senador da República baleado”, diz o partido, em nota oficial.

O partido ressalta que seu compromisso sempre foi com a paz e o progresso do país. “O Solidariedade não aceita esse desvio de conduta e aplicou a sanção devida, tendo como base a gravidade da infração”.

A sigla ressaltou que não trabalha com a chamada “militância do terror”, que causa “a depredação do patrimônio de pessoas e não podemos aceitar que policiais e agentes públicos, encapuzados e armados como milicianos, levem o terrorismo às ruas”.

“Hoje vemos em diversos estados essas milícias que agem como bandidos e criam suas próprias leis. A população fica perdida sem saber quem são os marginais nesta crescente onda de violência promovida por agentes públicos fora da lei”, ressalta o partido.

A nota é assinada em conjunto pelo deputado federal e presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, e o presidente estadual do partido, deputado federal Genecias Noronha.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome