Xadrez do novo período, em que Bolsonaro não mais governa, por Luis Nassif

Haverá inevitavelmente o choque final, no qual os Bolsonaro tentarão envolver bases das Polícias Militares, os caminhoneiros ligados a ele (que não são maioria) e mais aliados. Quanto menos poder institucional, maior gritaria

Os sinais de que Jair Bolsonaro não mais governa estão nítidos. É um fato que muda totalmente o jogo político.

Peça 1 – o poder militar

No dia seguinte ao pronunciamento de Bolsonaro, conclamando o fim da quarentena, o comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, falou para a tropa, recomendando a quarentena e enfatizando que respondia ao Ministro da Defesa e às autoridades da Saúde.

Ecos de Brasília, através de alguns jornalistas com fontes militares, mostraram a indignação dentro do Palácio, sustentando que não iriam participar de semelhante massacre.

Há muito chute no ar, de jornalistas que exercitam probabilidades como se fossem informações objetivas. De objetivo tem-se o descontentamento do Alto Comando com Bolsonaro.

Peça 2 – o grupo da saúde

A reação do Ministério da Saúde foi nítida. Antes de ontem, o grupo de técnicos que toca a guerra contra o coronavirus divulgou um manifesto reiterando a ordem para manter a quarentena.

Veja bem: o presidente da República decreta o fim da quarentena; e os técnicos da saúde reiteram a ordem de mantê-la.  Não foi nem a título de recomendação. Foi ordem mesmo. Foi o sinal mais nítido do fim do comando de Bolsonaro sobre o governo.

Ontem, o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta fez longa apresentação pela Internet, onde reiterou todas as recomendações iniciais, de manter a quarentena para permitir o movimento das pessoas trabalhando em atividades essenciais.

Desqualificou as declarações sobre gripezinhas e mortes de poucos mil, mostrando o efeito sobre a rede do SUS e as consequências posteriores. Condenou as carreatas visando acabar com a quarentena.

Em suma, desdisse ponto por ponto as tolices do presidente da República. No final, em um jogo claro de “engana-o-bobo”, fez um ataque desnecessário à imprensa, mas necessário para manter o louco sob controle.

Há informações fidedignas de que qualquer movimento de Bolsonaro, visando inibir os trabalhos de prevenção, será respondido com renúncia coletiva de toda a turma da saúde.

Leia também:  França corre o risco de perder o controle do coronavírus: conselho de ciência

Peça 3 – o grupo da economia

A economia nunca foi a praia de Bolsonaro e, agora, menos ainda. É curioso que Paulo Guedes, sem dimensão pública, sem noção das estratégias necessárias de combate à depressão, tem compensado a falta de ousadia com discursos de solidariedade e de apoio aos mais fracos. É um mero recurso retórico, para compensar a falta de medidas mais substantivas. Mas é curioso que seja utilizado pelo tecnocrata, enquanto o presidente se limita a gracejos, tipo o brasileiro entra em esgoto e não fica doente.

Aliás, Guedes é o mais assustado com o coronavirus, a ponto de se ausentar de todos os eventos do governo.

No meio empresarial, acabou definitivamente qualquer veleidade em relação a Bolsonaro. Sabe-se que, ficando ou saindo, não terá mais a menor influência sobre reformas, nenhuma interlocução com o Congresso, nenhum respeito do Supremo, nenhuma ascendência sobre a área econômica.

Peça 4 – a direita virtual

A aposta na minimização do coronavirus minou amplamente sua ascendência sobre grupos de direita. É um fenômeno similar ao que está ocorrendo nos Estados Unidos.

No âmbito da grande mídia, cessou a época dos influenciadores negacionistas. Esta semana, foi demitida uma das principais âncoras da Fox News – a empresa que descobriu o público de direita e explorou até o limite os fake News políticos -, devido ao fato de ter minimizado a epidemia e atribuído as estatísticas a uma conspiração para derrubar Donald Trump. Esse mesmo processo vai se dar na mídia tradicional brasileira.

Pesquisas feitas logo após os últimos pronunciamentos de Bolsonaro mostraram uma ampla queda entre eleitores de direita. Hoje em dia, o bolsonarismo está restrito a um grupo minoritário de terraplanistas, sem massa crítica para grandes manifestações. Tanto que as carreatas deste final de semana se tornaram um rotundo fracasso.

Leia também:  Sem arte, não viveremos! Por Dora Incontri

Peça 5 – o Judiciário

Até agora, majoritariamente o Judiciário e o Ministério Púbico se alinhavam com o bolsonarismo. Aparentemente, o noivado foi rompido. Houve sentenças em vários estados proibindo as carreatas. E uma sentença da Justiça Federal em Brasília proibindo a veiculação da campanha da Secom estimulando a quebra da quarentena.

Comprovando o enfraquecimento final de Bolsonaro, a Secom voltou atrás a ponto de negar que tivesse planejado a campanha.

Peça 6 – a queda de braço com os governadores

Outra derrota foi para os governadores, em sua tentativa de quebrar o isolamento para enfrentar o coronavirus. A maioria dos governos relevantes manteve sua posição de não quebrar o isolamento. E as capitais mostraram que a maioria da população acatou a ordem de não se juntar em grandes aglomerados.

Completou o ciclo a fala de Mandetta, fortalecendo a posição dos governadores, recomendando que não alterem sua estratégia.

A frente dos governadores, de enfrentamento do coronavirus, não é unânime apenas devido a alguns personagens extremamente medíocres, como Romeu Zema, governador de Minas.

Peça 7 – o papel de Rodrigo Maia

Nesse vácuo de poder, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se fortalece definitivamente como o grande interlocutor do mundo político, das empresas e dos partidos políticos em geral.

Peça 8 – próximos passos

Stricto sensu, Jair Bolsonaro tem os seguintes instrumentos de exercício do poder de Presidente:

  1. O acesso a rede nacional para pronunciamentos.
  2. A rede de fake News do gabinete do ódio.
  3. Os resmungos do general Augusto Heleno, provavelmente o mais inepto militar que já passou pela área pública.
Leia também:  Fracassamos Como Nação? Confira todas as entrevistas da série com Luis Nassif

Haverá mais dois movimentos previsíveis.

Do lado dos Bolsonaro, o inconformismo resultando em novos crimes virtuais. Do lado dos órgãos de investigação, a aceleração dos inquéritos sobre seus filhos.

Fosse um grupo minimamente racional, os Bolsonaros recolheriam as armas e tentariam se recompor para um novo confronto mais adiante. Mas são toscos demais. Acuados, tenderão a dobrar a aposta.

Haverá inevitavelmente o choque final, no qual os Bolsonaro tentarão envolver bases das Polícias Militares, os caminhoneiros ligados a ele (que não são maioria na classe) e mais grupos aliados, já esvaziados. Tem-se, agora, uma hiena desdentada.

Quanto menos poder institucional, maior gritaria.

O que irá acontecer daqui para diante tem uma certeza e uma incógnita. A certeza é do fim de seu poder como presidente. A incógnita é a maneira como será tirado do poder.

Saindo, é questão de tempo para que ele e a família sejam julgados por tribunais nacionais e cortes internacionais e se faça Justiça com algumas décadas de atraso: ele deveria ter sido preso no momento em que foi expulso do Exército.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Nassif, vc esqueceu um trunfo de Bolsonaro e acólitos: não fazer as medidas de auxílio já aprovadas e as que ainda precisam ser chegar às populações mais vulneráveis. A equipe econômica é inepta. A responsável por políticas sociais é formada por sabujos ou por 'terraplanistas". O estrago que o chefe do "Estado Maior" pode fazer ainda é enorme e assustador.

Luciano Bitencourt

63 comentários

  1. Vossa Majestade BolsoNaru é a nossa Rainha Eliza Bete de cueca. O Maia é o nosso primeiro ministro depois do coronavirus ou de uma gripe suína

    Se for descoberta uma vacina, ela protegerá o organismo da matriz e das filiais do covid-19?

    8
    1
  2. É preciso lembrar que foi a ala dos militares de extrema-direita, comandada pelo general Silvio Frota, que obrigou uma saída premiada de Bolsonaro do Exército. Foi pra reserva promovido de tenente a capitão, com aposentadoria vitalícia aos 30 anos. Fazem parte do mesmo grupo os generais Mourão e Alberto Heleno. Mourão, como Bolsonaro, tem como herói o torturador coronel Brilhante Ulstra.

    48
    2
  3. Há um componente faltante à análise: o explosivo item que caminha silencioso – até então – a fome. O artigo que nos trouxe, acho que a Folha de São Paulo, alimenta (que ironia!) os sonhos dos terraplanistas e demais catervas para uma possível tomada de poder (autogolpe). Este ‘item’ já foi “tema” de twitter’s do senador Flávio Bolsonaro onde ele já aponta saques e outros crimes em razão de a quarentena deve ser revogada.

    19
    • O que tá errado é o suposto saque, a quarentena ou a inércia criminosa do governo, que não investe recursos públicos suficientes na saúde e na economia a fim de neutralizar ou reduzir ao máximo possível os impactos negativos do coronavirus sobre a nação?

      Se há famintos, cabe ao governo alimentá-los enquanto passa a tormenta não passa, e se há ladrões e aproveitadores em ação, porque a população é que deve ser exposta ao patógeno em vez de se combater os ladrões e aproveitadores?

      Bom sequitur

      16
    • Esta é uma responsabilidade que cabe à míRdia RESSALTAR DESDE JÁ (jogar a carga em que tem que carregá-la).
      Que o problema do trabalhador (ou vulnerável) deve ser equacionado pelo (des)governo BolsoNERO (®The Economist) e não pela volta a “normalidade” (em um mundo em chamas), que só existe na cabeça mononeuronial de Bozo, seus filhotes, guru terraplanista e agregados.
      A guerra de narrativas é: rede do ódio x míRdia, em esclarecer o povo de que:
      1) Danos à vida e à economia serão inevitáveis.
      2) Os futuros danos à vida e a economia estão e estarão sendo amplificados pela INAÇÂO ideológica de Bozo.

      Os sinais são evidentes de que este (des)governo iniciou sua trajetória descendente e acelerada, como qualquer corpo que cai (®Newton e Hitchcock).
      O ex-sindicalista de quartel e terrorista de araque (mas perigosíssimo), desde que “caiu para cima”, após prisões e um processo no STM que frustrou sua adorada carreira militar, acabando por se dar muito bem com o novo “emprego” de parlamentar (graças a popularidade no sindicalismo de quartel).
      Aprendeu que ser “diferente” (já que não tem outros qualificativos positivos), era o caminho para se manter e conseguir popularidade. Não pelos resultados mas pela fama trazida pela pura bizarrice. Com isso, acreditou-se, por acreditarem, num “messias mito” (palavra que corresponde, dentre outras, à não real)
      Daí se acostumou a “dobrar suas apostas”, maravilhando os incautos, desiludidos e raivosos.
      Portanto, o único perigo que resta em sua queda acelerada é a reação dos acuados, dos que nada mais tem a perder:
      Equacionar e trabalhar a questão da saúde e da economia não são úteis para eles.
      A dupla tragédia (vida e economia )é para ele apenas mais uma oportunidade de “aparecer” em seu mundinho tosco.
      Em vez de tomar medidas óbvias de saúde E econômicas (auxílio direto aos vulneráveis), preferirá promover a revolta, o saque, o caos e a derrocadas econômica, por nada fazer além de discussão de boteco.
      Muito melhor que minimizá-las é aproveitar o empilhamento de corpos nas portas dos hospitais e o caos dos saques pelos que não serão socorridos por ele.
      E imputar a culpa deste caos aos seus opositores. Não, aos seus inimigos à abater (pelo menos uma “petralhada” de uns ~30~40 milhões de eleitores, e outros “30 mil indeterminados, ®Moro”).
      Cabe a nós impedir que BolsoNERO® chegue ao terraço do palácio para assistir ao incêndio.

      8
      1
  4. Nassif, vc esqueceu um trunfo de Bolsonaro e acólitos: não fazer as medidas de auxílio já aprovadas e as que ainda precisam ser chegar às populações mais vulneráveis. A equipe econômica é inepta. A responsável por políticas sociais é formada por sabujos ou por ‘terraplanistas”. O estrago que o chefe do “Estado Maior” pode fazer ainda é enorme e assustador.

    31
    1
  5. Diz pra Rapaziada do Agathocles baixar o volume, por favor, causo contraro o corona desperta e me localiza. E eu tô com meus purmão daquele jeito

  6. Nassif, o mandetta falou abertamente em ser contra quarentena em sua última entrevista. Disse apoiar o isolamento mas também disse que a vida deveria continuar, ainda que sem aglomerações. Ele está numa fala no meio do caminho entre o Bozo e os governadores e isso não ajuda nada pois só uma quarentena extrema pode parar o contágio. Já o Bozo ainda pode ganhar essa parada: os trabalhadores e pequenos empresários só podem ficar de quarentena se o governo garantir uma renda mínima e suspensão de dívidas por um tempo. Mas o governo está enrolando, e o que vai oferecer não vai alcançar a maioria. Sem esse amparo vindo do governo, até metade de abril, quase todo mundo vai ter sido obrigado a voltar ao trampo com corona e tudo, simplesmente para não morrer de fome. E assim, o Bozo vai conseguir o que queria…

    22
    • PAREM,PAREM DE SER CONDUZIDOS!CONDUZAM!HÁ RIOS DE DINHEIRO PAGOS AOS BANCOS NESTE MOMENTO E AINDA FAZEM “REFORMAS”Q QUEBRAM A TODOS, ESTÁ HAVENDO ESTIMULO A QUEBRADEIRA,AO CAOS PARA Q DEPOIS ELES VENHAM COM A SOLUÇÃO!(MILITAR?AUTORITÁRIA?) INCRÍVEL,TODOS CEGOS E SOMENTE EU MESMO SEM ÓCULOS É Q ENXERGO ISSO??

      10
  7. “ele deveria ter sido preso no momento em que foi expulso do Exército” essa mania de brasileiro de passar pano ao invés de punir transgressores é o que causou tudo isto. Bolsonaro escapou muitas vezes de seus crimes e chegou onde está por conta disso.

    13
  8. Ainda é preciso cautela com os militares, eles falaram também em utilizar o braço forte contra eventuais badernas e saques.

    O fim da isolamento social, pode levar ao fim do capitalismo no Brasil.

    A continuar com a atual política econômica, com ou sem isolamento haverá uma grande revolta dos mais pobres, que pode não só derrubar o governo, como o sistema capitalista.
    Ainda não está claro se os militares estão ou não com o eleito em 2018, principalmente considerando que há ” jornalistas que exercitam probabilidades como se fossem informações objetiva”.

    Sem isolamento social, sem quarentena, teremos contaminação acima de 50% da população, cerca de 140 milhões de pessoas, pelo menos com ao milhões de mortos, muitos por falta de atendimento hospitalar.

    O fim da isolamento social, pode levar ao fim do capitalismo no Brasil.

    • Algumas coisas que precisamos estar atentos:
      1) O isolamento social, contrário ao mais novo sábio da humanidade, segundo seus idiotólatras, digo idólatras, pode ser disseminado (ex.redes do “gabinete”) como “causa” de uma convulsão social (os tais saques, etc.).
      2) Isto lhe dará “razão” e apoio para romper com a institucionalidade, estados de sítio, de emergência ou mesmo autogolpe.
      3) Ele está tentando, insistentemente, mas felizmente sua queda de apoio não está lhe dado a resposta esperada às incitações que têm feto e, ao contrário, poderão levar à sua queda final.
      4) Se por outro lado, não houver ação tanto para amenizar a pandemia quanto para os vulneráveis
      5) Embora seja necessário relaxar as restrições de gastos (LRF, estado de emergência, calamidade, sítio…), precisamos estar mais atentos ainda à ONDE E COMO estes gastos serão feitos, prioritariamente orientados à mitigar os efeitos da pandemia e aos vulneráveis e agora vulnerabilizados por ela, antes que outros setores e intenções se aproveitem desta liberdade “desvigiada”, e também à decisões autoritárias, como é do gosto deste (des)governo.
      Estamos em um momento decisivo, toda atenção para evitar surpresas.
      Como a eleição de BolsoNERO.

      • Desculpem a edição do texto.
        O item 4 termina em: “vulneráveis… e vulnerabilizados, pessoas físicas e jurídicas, ele pode chegar o caos e dizer que “não tem nada com isso”. Isentar-seé a praia dele.”

  9. ——Nota-se que quase todos os países estão enfrentando a pandemia com a diminuição da circulação de pessoas nas ruas das cidades, já que a doença é altamente transmissível e invisível, permanecendo dias em uma pessoa assintomática, mas com capacidade de disseminação para outras ao seu redor.

    Ressalta-se, ainda, a necessidade das nações buscarem soluções que aliem isolamento social com a não destruição da sua economia ou que evite falta de abastecimento para a sua população.

    Todos os países que se encontram no enfrentamento do vírus estão empregando as suas Forças Armadas para ajudar na crise com vistas a realizar o controle da transmissão. No Brasil, essa assertiva não será diferente. As Forças Armadas, particularmente o Exército Brasileiro, não se furtarão, mais uma vez, em ajudar a nação neste momento de crise. A expertise em lidar com problemas inéditos e complexos demonstra a capacidade técnica-profissional da Instituição em participar do processo de combate ao vírus.—–
    O Exército Brasileiro no combate à proliferação da COVID-19(http://eblog.eb.mil.br/index.php/menu-easyblog/o-exercito-brasileiro-no-combate-a-proliferacao-da-covid-19.html)
    Sociedade Ciência e Tecnologia Geral—TC Maurício José Lopes de Oliveira—-Quarta, 25 Março 2020
    O coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. A doença, chamada de COVID-19, surgiu na China no final do ano passado e se alastrou por todo o mundo, provocando mortes e incertezas para os cientistas e profissionais de saúde de países mais desenvolvidos na área da Medicina como EUA, França, Israel, China e Alemanha.

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) caracterizou o evento como pandemia pelo fato da doença estar amplamente disseminada em todos os continentes atualmente. É uma doença sem precedentes para a qual o mundo enfrenta o desafio de encontrar um remédio ou uma vacina de forma a reduzir o isolamento social tão necessário para se evitar um grande número de pessoas doentes, o que causaria colapso do sistema de saúde de qualquer país.

    Países como Itália, Espanha e França estão no ápice da crise epidemiológica e apresentam saturação em seus sistemas de saúde, já que a Europa é o centro da pandemia nos dias atuais. Já o Brasil vem aprendendo com as lições ocorridas nos primeiros países que sofreram com a doença como China, Coréia do Sul e a própria Itália.

    Nota-se que quase todos os países estão enfrentando a pandemia com a diminuição da circulação de pessoas nas ruas das cidades, já que a doença é altamente transmissível e invisível, permanecendo dias em uma pessoa assintomática, mas com capacidade de disseminação para outras ao seu redor.

    Ressalta-se, ainda, a necessidade das nações buscarem soluções que aliem isolamento social com a não destruição da sua economia ou que evite falta de abastecimento para a sua população.

    Todos os países que se encontram no enfrentamento do vírus estão empregando as suas Forças Armadas para ajudar na crise com vistas a realizar o controle da transmissão. No Brasil, essa assertiva não será diferente. As Forças Armadas, particularmente o Exército Brasileiro, não se furtarão, mais uma vez, em ajudar a nação neste momento de crise. A expertise em lidar com problemas inéditos e complexos demonstra a capacidade técnica-profissional da Instituição em participar do processo de combate ao vírus.

    Algumas decisões no Ministério da Defesa e no Exército Brasileiro, como a emissão de Diretrizes iniciais para a prevenção à doença e normatização de protocolos de ações, já foram realizadas e estão em prática. Essas normas foram fundamentais para a proteção do militar e de seus familiares, sendo práticas em consonância com as orientações emanadas pelo Ministério da Saúde.

    A Portaria n º 334, de 20 de Março de 2020, do Comandante do Exército, designou os Comandantes dos Comandos Conjuntos da Operação COVID-19, o que facilitará o comando e controle das missões específicas a serem realizadas nas áreas de atuação preestabelecidas. Uma série de missões poderá ser solicitada por órgãos do Poder Executivo, Legislativo ou Judiciário, por intermédio do Ministério da Defesa, como a ajuda aos órgãos de segurança públicas locais; a montagem e operação de hospitais de campanha, a descontaminação de locais e materiais, o controle da circulação de pessoas nas ruas; o apoio na área médica e científica; o estudo de pesquisa conjunta com outros órgãos e a fabricação de medicamentos para um tratamento eficaz; a Garantia da Lei e da Ordem em grandes centros urbanos; a ajuda em campanhas de doação de sangue; a possível distribuição de medicamentos ou ajuda em futuras campanhas de vacinação; a garantia no abastecimento de itens básicos para a população, dentre outras.

    Percebe-se que o desafio será imenso, porém a tenacidade do Soldado de Caxias está pronta a manter a esperança da população brasileira e, com perseverança e responsabilidade, ajudará o Brasil a vencer o obstáculo que ora se apresenta. A presença de pessoal especializado e capacitado será fator de sucesso nas missões que se apresentarão. O Soldado Brasileiro será valente e incansável nesta empreitada, comunicando os valores e as tradições do nosso Exército.

    Por fim, o sucesso do País no enfrentamento da doença passará pela participação efetiva das Forças Armadas e particularmente do Exército Brasileiro nas missões que se apresentarão.

    Brasil Acima de Tudo!

    http://eblog.eb.mil.br/index.php/menu-easyblog/o-exercito-brasileiro-no-combate-a-proliferacao-da-covid-19.html

    1 Introdução

    1.1 O EBlog, criado em 14 de agosto de 2013, é o blog oficial do Exército Brasileiro, gerenciado pela Agência Verde-Oliva, setor do Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx) que tem como missão divulgar temas de interesse da Força junto à Sociedade. Considerado importante canal de relacionamento com a sociedade, o EBlog integra a rede de mídias sociais da Força, buscando contribuir para o compartilhamento e o debate de ideias, informações e conhecimentos. Além disso, valoriza a interatividade e a atuação democrática, visando ao enriquecimento dos assuntos postados.

    2 Linha Editorial

    2.1 O EBlog, primeiro site do gênero, valoriza os assuntos de Defesa e Segurança e outros temas de interesse nacional. Os artigos devem ter até mil palavras, apresentar caráter reflexivo, persuasivo, atrativo e impessoal, bem como estimular a leitura e a participação dos internautas.
    http://eblog.eb.mil.br/index.php/termos-de-uso.html

    • “Por fim, o sucesso do País no enfrentamento da doença passará pela participação efetiva das Forças Armadas e particularmente do Exército Brasileiro nas missões que se apresentarão.”

      Estamos fritos!

      Vejam o Heleno, a Hiena.

  10. Afinal, qtos crimes, fora o recente TERRORISMO BIOLÓGICO, Bozo cometeu ?
    Conte comigo:
    Falta de decoro, delitos eleitorais, sonegação fiscal, advocacia administrativa, abuso de poder, nepotismo, crime contra a saúde pública, emprego de funcionário e familiares fantasmas, rachadinha, caixa 2, lavagem de dinheiro, associação com o crime organizado (drogas, grilagem, agiotagem, jogatina, prostituição, justiçamento etc) chegando até a assassinato e agressão à LEI DE SEGURANÇA NACIONAL, 7.170, em diversos dos seus artigos (por ex, incitamento e exaltação ao golpe e a tortura, associação com Nação estrangeira prejudicando o país, estimulo ao desentendimento e a cizânia entre poderes e países amigos).
    Tá bom ou quer mais ?
    Então tá .. formação de quadrilha.
    E diante de tudo isso o NASSIF ainda fica fazendo xadrez disso e daquilo ao invés de ir ao centro do problema:
    OS VERDADEIROS BANDIDOS estão no JUDICIÁRIO BRASILEIRO que diante desse quadro, promotores e juízes, não tomam nenhuma providência.

    15
  11. Na disputa política é necessário adicionar a possibilidade de revolta popular, com fome as pessoas não terão alternativas, e muitas delas vão sair da periferia em direção aos grandes centros, primeiro de forma espontânea, depois organizados,

    O isolamento e a quarentena só é possível com o povo alimentado, e isto custa pouco, mas depende de ação do governo federal.

    cerca de 10% a 20% das pessoas infectadas pelo novo coronavírus precisam de tratamento hospitalar, muitas de delas de UTI, com 50% ou mais da população infectada teremos mais de 140 milhões de casos, quase 30 milhões de tratamentos hospitalares, mais 6 milhões de leitos de UTI, claro que não ao mesmo temo, mas em curto espaço de tempo.

    O novo coronavírus se propaga de forma extremamente veloz, e é mortal para uma parte significativa da população.

    • Vc está prevendo o dia em que o Morro descer e não for carnaval?

      Os favelados não tem nada a perder, a não ser suas algemas

  12. Olá, Nassif, já que não consigo de novo entrar em meu “blog” aqui no GGN, estou mandando este pequeno texto via comentários. Ele pode desencadear uma discussão que considero importante. Se você achar por bem publicar, está abaixo:

    MEFLOQUINA
    Disse o Sputnik há dois dias: “A Agência Federal para Assuntos Médico-Biológicos (FMBA) da Rússia anunciou em declaração que apresentou um medicamento para tratar o coronavírus – a pandemia que tem afetado quase todos os cantos do globo.” https://br.sputniknews.com/russia/2020032815387993-agencia-biomedica-federal-da-russia-apresenta-medicamento-para-tratar-covid-19/

    Esse medicamento é um parente da cloroquina. Ambos são usados para tratamento e profilaxia de malária.
    A Mefloquina, em combinação com um medicamento chamado Artesunato, pode ser usado por quem vai viajar para áreas de malária, como profilaxia, ou seja, para evitar pegar a doença.
    A cloroquina também é usada para pacientes com doenças autoimunes como a artrite reumatoide e lúpus, que são doenças em que certos tecidos do corpo são agredidos pelo sistema autoimune do próprio corpo. É sabido que a cloroquina ajuda a controlar essa agressão.
    Há pesquisadores que se dedicam (antes da pandemia) ao estudo dos efeitos da cloroquina sobre as reações teciduais causadas pelos vírus. O Professor Didier Raoult, diretor do Instituto Hospital Universitário Méditerranée Infection de Marselha é um deles.
    A China usou a cloroquina e passou dados para Moscou. Agora Moscou está afirmando que está usando a Mefloquina com sucesso. Trump soube disso, e através dele o Bozó também soube.
    O mecanismo de ação não está esclarecido mas tem uma certa lógica: Se a cloroquina tem ação de conter a autoagressão de tecidos e se a principal causa de morte do corona é uma destruição não explicada do pulmão (autoimune?), possivelmente pode, então, agir contra a destruição dos alvéolos pulmonares.
    Esses medicamentos estão sendo usados junto com o antibiótico Azitromicina, para prevenir a pneumonia secundária.
    Um infectologista de Moscou afirmou recentemente no blog The Saker, que o efeito da cloroquina só é satisfatório no início da doença, quando o pulmão ainda não está muito destruído (ou seja, quando o paciente já necessita de ventilação artificial não existe mais grande eficácia da medicação). Portanto, só vai ter eficácia SE HOUVER A POSSIBILIDADE DE FAZER O TESTE DE CORONAVÍRUS PRECOCEMENTE PARA INICIAR O TRATAMENTO PRECOCEMENTE.
    Controvérsias à parte, se a cloroquina e a mefloquina são medicamentos amplamente usados no mundo há anos, inclusive para uma simples prevenção de malária para um viajante, POR QUE OS LABORATÓRIOS DO MUNDO INTEIRO NÃO JÁ OS ESTÃO PRODUZINDO EM LARGA ESCALA, 24 HORAS POR DIA, PARA SALVAR VIDAS, NA EMERGÊNCIA EM QUE ESTAMOS? Que mimimi é esse de efeitos colaterais? Que estória é essa de que tem de “fazer testes”?
    Numa hora dessas, não convém aos deputados e senadores de esquerda e a esquerda em geral ficar de mimimi, em vez de exigirem trabalho integral na produção desses medicamentos para distribuição universal ao SUS. Vão dar de bandeja esse troféu ao Bozo, que, segundo consta, já mandou os laboratórios das forças armadas produzirem cloroquina.
    Mesmo que os medicamentos não tenham o efeito que precisamos, na hora do desespero não há como esperar. É tentar tudo que apresenta uma esperança.
    A Mefloquina no Brasil é produzida pelo Laboratório da Marinha e, acho, não tenho certeza, por Manguinhos, no Rio.

  13. Que ironia do destino:
    ” O presidente eleito para ser contra o sistema e o socialismo vai assinar as medidas mais sidtemicas e socialistas que este país já viu.”

  14. Gostaria muito de concordar, mas tenho sérias dúvidas. O país pode avançar para um caos social, com saques, violência, explosão de covid-19 em razão do não cumprimento de isolamento social motivado pelo desespero e pela fome. Aí, uma força repressiva militar, comandada pelo Presidente, pode se apresentar como solução salvadora para os direitistas, financistas e oligarcas de sempre que o apoiaram em 2018 e tiraram a presidenta Dilma.

  15. agora era a hora do saneamento bahsico. e do encampamento da Vale do Rio Doce. e do imposto sobre grandes fortunas, de autoria de f(t)hc. mas, aos dizeres de Honneth, em A ideia do Socilalismo, de Saint-Simon, Owen, Fourier, Proudohn a Marx, a normatividade proposta pelos socialistas concentrava-se muito mais na economia de que na liberdade social (a soma de dois fatores do trinomio da Marselhesa, liberdade+fraternidade), todo o foco da “imprensa” dah-se as propostas economicas.

  16. Pois é. Gostaria que ele dissesse como a vida pode continuar sem alterações em ônibus, metros, trens, praças der alimentações e mercados da fé.
    Irresponsável.

  17. Isso: https://theintercept.com/2020/03/26/coronavirus-bolsonaro-zona-norte-rio-de-janeiro/
    é um dado da realidade. Bolsonaro e seus acólitos sabem para quem estão falando. A contradição saúde x economia é falsa, mas interessa a eles, que querem se livrar da responsabilidade da maior profunda depressão que o país terá vivido. Mas isso é falso: assim como há medidas de saúde pública a serem implementadas e mantidas (isolamentos, mínimo contato social) há uma quantidade imensa de medidas para irrigar os bolsos dos assalariados e dos informais e das micro, pequenas e médias empresas, crédito com juros zero a carência maior de dois anos, estabilidade total no emprego.Cestas básicas. Economia industrial de guerra para produzir respiradores (vide projeto da POLI-USP). É hora de acionar a license to print! (leiam Lara Resende no Valor). Nada de vulto está sendo feito. A contradição não é inevitável. É saúde E economia!

  18. Não manda nada. Bolsonaro é autoritarista por insegurança, que na crise não tem pulso governante. É um “maneta” gerencial. Mandetta é mandado por um aloprado, que tem embaixo do braço, um dossiê sobre suas braçadas na vida política. Mandar neste governo, só mesmo nas cavalgadas pelas manadas digitais e pelo gado ensandecido, que estúpidos e no cabresto que estão, tornam-se cegos despreocupados pela saúde geral do país, suas e de seus familiares. A vontade é de mandá-los para longe.

  19. ‘O Golpismo que habita entre Nós….’ Não será fácil acabar com Getulismo de 90 anos de Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista. Filinto Muller manda lembranças. Estava nas trincheiras da República de Juiz de Fora, ao lado de Juscelino Kubscheck, combatendo a Revolução Paulista de 1932 que lutava pelo retorno da Democracia, Justiça e Constituição. Coincidência? Afinal Somos a Pátria das Coincidências !! Como esta mais nova coincidência das Elites Parasitárias do Estado Absolutista e seus Lacaios inflarem novamente o Golpismo. 90 anos de cabeça metamorfoseando-se em rabo. Alguns dizem nosso melhor período. Rumo ao QuintoMundismo? Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

    1
    9
  20. Existe um erro crasso de avaliação: Quando foi que ele disse que iria governar? Quem não se lembra,ainda na campanha eleitoral, que assuntos econômicos deveriam ser tratados com seu posto Ipiranga? E depois de eleito,que assuntos jurídicos deveria ser tratados com o camisa preta do Paraná?
    Isso sempre foi uma estratégia desse sujeito,de fingir-se de morto mas,sempre agindo e mandando efetivamente.
    Agora,o que está ocorrendo é um jogo onde ele só tem a ganhar. O governo seguirá as orientações da OMS,com todos os prós e contras que isso implicar e o sujeito,de forma individual,continuará a triunfar para uma manada insana . qualquer que seja o resultado ele se auto declarará vencedor,daí a importância de manter a manada unida e combativa.
    Pensar que alguém o julgará é outro erro sem tamanho. A história ensina que somente se julga os perdedores,nunca os vencedores.
    Também,quanto as carreatas não posso dizer que tenham sido um rotundo fracasso.Algumas foram extremamente grandes e barulhentas,embora,é sempre bom lembrar,que uma carreata com mil carros,por exemplo,ocuparia uma extensão de mais de 8 km,supondo que cada um mantivesse uma distância mínima de 3 metros do veículo da frente,o que nem sempre ocorre.
    Quanto aos milicos,bem,não merece comentários.Esses sanguessugas da pátria já demonstraram que estão somente lutando para o seu lado e,ao fingirem que estão contra o sujeito do palácio do planalto,tentam angariar uma simpatia que já não é mais possível ter mas que,no momento decisivo,estarão unidos como sempre contra o povo.
    Assim,é preciso muita cautela para vaticinar o fim do sujeito,isto tem funcionado de forma desmobilizadora e coloca os opositores na posição de torcedores de quando e não do como e,enquanto isso,ele continua com a manada unida.

  21. Meu lindo mundo watts (ou zap se preferirem chama-lo assim).

    Não trato do mundo das redes sociais porque, felizmente, não frequento insta, face, twiter. Mas, infelizmente me “obrigaram” a participar de alguns grupos de watts e, por isso, trato apenas dele. Mas, suspeito que todos os outros sejam muito semelhantes.

    E o que eu descobri após ler algumas das infinitas mensagens que me chegavam nesses grupos de watts?

    Vejamos.

    Caso você queira construir um prédio de dez andares, por exemplo, procure um Engenheiro e pergunte a ele quanto de ferro e concreto vai precisar se:
    1 – Votou no Bolsonaro?
    2 – Votou no Haddad?
    3 – Votou no Ciro?
    4 – Votou no Alckmin?
    5 – Votou no Cabo Daciolo?

    7 – Não votou em ninguém e tem raiva de todos?

    Quando você estiver com uma crise de pressão alta, procure um médico e pergunte a ele qual remédio e dose deve tomar se:
    1 – Votou no Bolsonaro?
    2 – Votou no Haddad?
    3 – Votou no Ciro?
    4 – Votou no Alckmin?
    5 – Votou no Cabo Daciolo?

    7 – Não votou em ninguém e tem raiva de todos?

    Quando você quiser declarar seu Imposto de Renda ou tiver um processo na Justiça, procure um Contador ou um Advogado e pergunte a ele qual regime tributário ou qual a estratégia de defesa deve adotar se:
    1 – Votou no Bolsonaro?
    2 – Votou no Haddad?
    3 – Votou no Ciro?
    4 – Votou no Alckmin?
    5 – Votou no Cabo Daciolo?

    7 – Não votou em ninguém e tem raiva de todos?

    Quando você quiser enfrentar Covid-19 pergunte as autoridades médicas e sanitárias como o vírus se comporta e qual a melhor forma de combatê-lo se:
    1 – Votou no Bolsonaro?
    2 – Votou no Haddad?
    3 – Votou no Ciro?
    4 – Votou no Alckmin?
    5 – Votou no Cabo Daciolo?

    7 – Não votou em ninguém e tem raiva de todos?

    Por isso, na hora de tomar decisões na vida é fundamental saber em quem você votou nas últimas eleições ou se não votou em ninguém e tem raiva de todos. Pois, a realidade muda conforme seu comportamento eleitoral.

    Assim, se você votou no candidato “A”, a Lei da gravidade, a pressão sanguínea, o regime tributário, o texto constitucional e o comportamento do Covid-19 serão “A”, por outro lado, se você votou em “B” toda essa realidade será “B”. E assim por diante.

    Em resumo, para aqueles que votaram no candidato “A”, o cavalo tem “03” patas, mas, para aqueles que votaram no “B”, o cavalo tem “06” patas, e para quem não votou em ninguém e tem raiva de todos o cavalo tem “1” pata.

    Afinal, é a sua orientação eleitoral que determina o universo que o cerca, seja das patas de um cavalo, do texto constitucional ou o comportamento de um vírus na sociedade e no corpo humano.

    Quanto é 1 + 1?

    Depende. Se você for a favor do candidato “A” é “três”, mas se você for contra é “um”.

    Viu como é simples viver no mundo watts (ou zap, se preferirem chama-lo assim)?

    Eu só não entendi por que a humanidade criou universidades, métodos de pesquisa, laboratórios, profissionais especializados, etc., se a realidade é o que queremos que ela seja? Basta acreditar e plim; tudo se transforma naquilo que acreditamos.

    Ah, sim. Já ia esquecendo. Sempre partindo da nossa orientação “político-partidária-religiosa”.

    Esse é o meu lindo mundo watts, ou zap se preferirem chama-lo assim, que eu descobri.
    Adoro viver nele. Calado. Pensando, em que mundo nós vivemos?

    1
    3
  22. bolsonaro é um completo idiota sendo claro que sua agenda política vem de grupos fanatizados sediados nos EUA.

    O que o imbecil ainda não entendeu é que para a elite econômica mundial o mais importante no momento é tentar salvar o capitalismo e não uma agenda que perdeu sentido pela precipitação dos fatos.

    bolsonaro que já enfrenta avançado processo de deterioração será chutado em breve, no seu lugar surgirá um nova liderança do tipo Rodrigo Maia que tem a confiança do sistema e um belo discurso salvacionista para a nova realidade.

    8
    1
  23. “Jair Bolsonaro tem os seguintes instrumentos de exercício do poder de Presidente:” Faltou mencionar os pastores dos canais evangélicos: todos atacando o isolamento, a restrição ao acesso as igrejas, que o coronavirus é menos letal que os anteriores e descendo o cacete nos políticos, no judiciário, na imprensa, que não deixam Bolsonaro governar e fazer o país produzir.

  24. Na votação do impedimento não tinha nenhum homem dentro da Câmara capaz de dar um cassete nesse boca suja?
    Paulo Pimenta?
    Marcelo Freixo?
    me perdoe mas Maria do Rosário e Jean Willis foram muito mais fortes que um bando de cagão que agora quer aparecer. Na mídia nem se fala,
    ninguém quer assumir o filho.
    Estamos caminhando para o precipício. Parabéns aos envolvidos

  25. Perfeito, quanto aos pontos levantados. Só faltou dizer e reconhecer que o Bozo é presidente, vírgula, de um golpe de estado, cujos golpistas estão no poder desde 2016. O Mandetta, na origem também deputado golpista, hoje ministro da saúde, como médico faz um bom trabalho. mas é anfíbio. Diz adotar medidas com base nas técnicas médicas recomendadas no mundo inteiro, mas não se peja em apoiar o Bozo, que se contrapõe a essas mesmas medidas de seu ministério, boicotando o plano da área médica do seu dito governo, incitando abertamente seus apoiadores à desobediência. Ou seja é um ministro de duas caras, ambas de pau. E ainda sai dizendo platitudes óbvias como a de que irá trabalhar com Paulo Guedes, que é o ministro da economia, a quem cabe prover recursos. Claro que sabe muito bem que as medidas aprovadas pelo Tchuthuca, que é rico banqueiro, no geral anunciada como benesse governamental, ao alocar o próprio dinheiro da população (arrecadação dos impostos), governo não tem dinheiro, não passa de depositário do dinheiro da sociedade, para aplicar grande parte nos próprios bancos, que emprestarão sem contrapartida e a juros, como não adotado internacionalmente (todos os países exigem contrapartidas de bancos e empresas para alocar dinheiro público). Além do mais, muitas das medidas anunciadas são mero diferimento no pagamento de despesas, já previstas no orçamento, não é dinheiro novo. Para melhor aquilatar essas medidas, que o vosso (dos golpistas de 2016) Mandetta está aliado, é dizer que a área médica que comanda prevê que a partir de abril se acentuarão as mortes no país pelo coronavírus, além claro, de começarem a repercutir na população, fome e desespero, com as consequentes reações, às muito tímidas medidas adotadas em favor do povo, pouco abrangentes, diante da dimensão do problema a enfrentar, todas de seu conhecimento. Pois bem, diante desse quadro tétrico que se avizinha,Paulo Guedes nada diz sobre o calendário do Imposto de Renda, cujas alíquotas mais uma vez foram majoradas indiretamente, mantida para 30 de abril. Todos esses cretinos não estão mesmo preocupados com a população. Há quem acuse, e não dá para descrer, manobram, como se possível e tranquilo, fechar o regime, estado de sítio por exemplo, para continuarem no poder favorecendo o mercado, a área financeira. Ainda não perceberam que essa visão mercadista, o neoliberalismo, também é vítima do coronavírus e está morrendo por sufocamento.

  26. Bom … Bolsonaro nunca governou. Então…quantas vezes o vimos voltando atrás em suas medidas? Trump mandou todo mundo ficar em casa e ele deve acatar a ordem. Quanto aos militares..já tiveram o seu quinhão nas boquinhas no governo e na aposentadoria. E são tão estupidos quanto Bolsonaro. Maia, congresso e Supremo trabalham para os mesmos patrões de Bolsonaro e são igualmente medíocres. E a sociedade civil continua morta e sem qualquer articulação sobre ajuda humanitária na tragédia que se avizinha. Sem sociedade civil teríamos as Forças Armadas se movimentando para resolver a questão da alimentação aos necessitados. Alguém viu alguma movimentação? Se Bolsonaro não governasse teríamos alguém governando. Não tem e o Mandetta recomendando as medidas de segurança trabalha para Bolsonaro que não quis se expor após a estupida campanha contra o isolamento. Bolsonaro ainda governa e, como já ficou claro, para fazer parte de sua equipe tem que ser sabujo. Agora é só esperar os saques para o golpe.

  27. As revoltas população são manifestação dos desespero das parcelas mais pobres da população.

    Diferente de passeatas e comícios de ruas, as revoltas se inicia por processos espontâneos, mas revelam antes de mais o poder coletivo dos mais pobres, com saques, barricadas e ocupações.

    Nestes momentos parcelas significativas da população tomam consciência do seu poder, e desafiam e/ou destroem o poder estabelecido.

    Cada um descobre que não está sozinho e que juntos são capazes de destruir os inimigos.

  28. O Drama familiar

    Uma parte significativas das mães,pais, avós, vão morrer, caso o isolamento seja interrompido agora, e isto trará um choque familiar imenso, que jamais será perdoado.
    Este processo já se iniciou no Brasil, principalmente em São Paulo.

  29. Uma das justificativas, muito exploradas, para a existência das forças armadas, é o socorro à população em momentos de crise.
    Alguém está vendo ações relevantes de nossas ffaa neste momento?
    Por que não estão na periferia distribuindo cestas básicas?
    Ou construindo hospitais de campanha?
    Ou mandando aviões ao exterior buscar kits de teste?
    Será que estão nos quartéis com medo do vírus?
    Ou, pior, se preparando para investir contra a população faminta?

    • Este instituição é de puro parasitismo nas costas dos que trabalham e produzem. É um peso morto pra nação com altíssimo custo. São totalmente dispensáveis, como anteviram com sabedoria a Suiça e a Costa Rica. Nesses dois países nunca teve golpe militar.

  30. Nassif, pelo amor de DEus acerta no nome do Genreal é Augusto Heleno…Augusto e não ”Alberto”!!…Todo post você comete o mesmo erro!

  31. Estamos esquecendo o papel monstruoso dos cáftens de Jesus, a canalha evangélica, os pastores degenerados e crápulas que vivem do dízimo e se não puderem continuar vivendo a tripa forra do dízimo dos miserávies então preferem ver o povo dizimado, assasinado e esfomeado. Não existe crininoso mais repugnante do que esse que vive de enganar os simples, que não sente remorso ao apanhar o dízimo de alguém que ganha o salário mínimo.
    Esse tipo de religião é uma lepra que precisa ser extirpada.

  32. Não é.

    Foi dito, e é fato: a única diferença é o “jeito de falar”. De resto, é tudo a “merma mesda”…

    O erro de avaliação “tremendo” é achar que esse pessoal quer implementar esse ou aquele projeto. Não, o que eles querem é MAN-DAR. Essa é a liçao mais elementar da Sociologia Política (que, desafortunadamente, muitos cientistas e analistas políticos esquecem). Ou seja, o que fazer ou não com o Estado, é assessório, o importante é se “o bagulho” (como a molecada diz aqui no Rio) “é nosso” ou não, se “tá dominado”, ou não.

  33. Temos uma epidemia bem grave há muitos anos no Brasil,esse vírus corroe toda a renda de Bilhões de pessoas,as mata de escassez e privação,precisamos urgentemente uma VACINA q mate essa doença pois ela acaba com países e nos últimos anos se proliferaram enormemente deixando as pessoas incapazes esse vírus é o da especulação financeira prende a muitos !

  34. Dizem que o Bolsonaro é louco. Eu discordo, pois lê nunca foi visto rasgando dinheiro. Ele é louco mas é por dinheiro. Na verdade ele é um criminoso que finge ser pouco a fim de continuar praticando crimes impunemente.

  35. Que muito apoio coisa alguma.Bolsonaro e seus bate paus se dissolvem como um Alka Seltzer num copo d’agua.Os que ficaram são uma meia dúzia de hooligans que bota milhares de frouxos para correr.Aqui no Blog o que não faltam são os constantes portadores de caganeira a deblaterarem:Cuidado Nassif,vá com calma Nassif,não é bem assim Nassif,mais prudência Nassif!!!!!.Me faça uma garapa com limão balão.Bolsonaro não governa mais porra nenhuma.Um fã meu daqui adora meus trocadilhos.Anote aí meu brother mais um:Que tal se trocarmos Brasil por Brasão.( uma difusão de Brasil com Cagão,ou quem sabe Crasil,Cagão com Brasil).Se precisar de abaixo assinado,pode se começar por aqui.

  36. Recomendo a Nassif que não deixe de ler o extraordinário texto do escritor e pensador italiano DOMENICO DI MASI,sobre a tragédia que se abate sobre a Itália.Sublime,fantástico encantador.Nassif sabe como encontrá-lo.
    No mais,aos meu adoráveis admiradores daqui dedico-lhes o que vai abaixo”
    “O Coronabolso comeu meu nome,minha identidade,meu retrato.
    O Coronabolso comeu minha certidão de idade,meu endereço.
    O Coronabolso comeu meus cartões de visita,o Coronabolso veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome”

  37. Ha um grupo de pessoas, em sua maioria empresários, que começaram o mês apoiando o Mandetta, quando Bolsonaro tentou jogar com o Ministro, eles ficaram um pouco perdidos, bombardeados pelos pronunciamentos de Bolsonaro na ultima semana, recuaram para apoiar o pseudo presidente novamente, e agora que Mandetta decidiu se manter firma na resolução do isolamento social, esses “empresários” estão completamente perdidos, sem saber a quem ouvir e respeitar, mas Bolsonaro perdeu o respeito absoluto que tinha antes. Ele sai enfraquecido até no meio dos mais lunáticos. Só restou a nada da nada da loucura para apoiar ele.

  38. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome