Maria José, última rainha da Itália, por André Motta Araújo

Em 1995 deu ótima entrevista a um jornalista americano, disponível na internet, lucida, moderna, um personagem interessantíssimo do Seculo XX, parece atual

Recolhido como vitima potencial de alto risco em uma longínqua fazenda , nada me resta a não ser rever livros de Historia, series de TV e filmes antigos, que colecionava avidamente. Revi com alegria e impacto a esplendida serie da RAI TV sobre a ultima Rainha da Itália, Maria José, princesa belga que casou com o filho e herdeiro do Rei
Vitor Emanuel III,  e que após a renuncia do  sogro tornou-se Rainha da Itália por 27 dias, a monarquia foi abolida pelo plebiscito de 1946.
Maria José foi uma figura excepcional pela sua longa e tumultuada vida, morreu aos 94 anos em 2001.
Seria o que hoje se chamaria “progressista”, vigorosamente anti-fascista, sendo seu sogro o Rei da Itália fascista. Ativista politica, chegou a se juntar aos “partigiani”, guerrilheiros anti-fascistas do Norte da Itália, que lhe ofereceram inclusive o comando de uma brigada, pelo menos é o que consta do insuspeito trabalhão da RAI TV. Seu casamento com o herdeiro do trono, o Príncipe do Piemonte e depois Rei Umberto não foi bem sucedido. O marido e Príncipe herdeiro , segundo claramente é assinalado na serie da RAI TV, tinha tendencias claramente homossexuais, logo depois do fim da Monarquia se separaram, o ex-Rei foi para o exílio em Portugal e Maria Jose foi morar na Suíça. Filha do Rei Alberto da Bélgica, uma monarquia liberal, cai pelo casamento na Casa de Savoia, uma monarquia antiquada, meio grotesca, que fingia ser o poder na Itália fascista, quando todos sabiam que o poder era de Benito Mussolini, o Duce, que fingia atuar em nome do Rei como Primeiro Ministro, o poder não era o que aparentava, era invertido, estava na mãos do Chefe do Governo e não do Chefe de estado mas este ainda teve o poder final de destituir Mussolini quando as tropas americanas se aproximavam em Junho de 1943. Como era tipico da Itália pomposa, todo o cerimonial era respeitado, Mussolini pedia audiência ao Rei e se apresentava de fraque e cartola, assim exigia a Monarquia, apresentava ao Rei os decretos para assinatura e o Rei assinava mesmo não concordando.

Maria José detestava Mussolini e tinha seu proprio circulo de amigos intelectuais, todos anti-fascistas, era inteligente e esperta, gostava de politica, teve com Umberto quatro filhos.

O único homem é o atual pretendente Vittorio Emanuelle IV, cujo filho Emanuelle Filiberto é um conhecido animador de auditório na TV italiana.

Maria Jose já era nascida quando eclodiu a Primeira Guerra, passou pelo conflito quando a Bélgica foi invadida pelo Exercito alemão, portanto atravessou pessoalmente a

Primeira e a Segunda Guerra Europeia, uma extraordinária testemunha do Seculo XX. No plebiscito do pós guerra sobre permanecia ou não da Monarquia consta que votou pela Republica, o que demonstra bem seu caráter, ela achava que a Monarquia Savoia tinha falhado com a Itália ao patrocinar o Fascismo e a aliança com a Alemanha.

Após o plebiscito os Savoia masculinos foram proibidos de entrar na Itália, ela não, mas só voltou quando o banimento foi levantado em 1994 e seu filho pode reentra na Itália.

Em 1995 deu ótima entrevista a um jornalista americano, disponível na internet, lucida, moderna, um personagem interessantíssimo do Seculo XX, parece atual.

Uma cena impressionante é o jantar oferecido pelo Rei Vittorio Emanuelle ao Fuhrer Adolf Hitler em 1940 no Palácio do Quirinale, a Princesa Maria Jose foi colocada ao lado Hitler porque era a unica da família real que falava alemão, ela fuzilava Hitler com os olhos, os nazistas tinham já invadido a sua Bélgica natal e seu irmão, o Rei Leopoldo tornou-se prisioneiro pro-forma dos alemães. No magnifico jantar, com um cerimonial pomposo, Hitler comeu apenas uma barra de chocolate, era cheio de manias.

Maria Jose gostava de passear incógnita pelas ruas de Nápoles, sem segurança, o povo gostava dela, um personagem deslocado na pernóstica corte dos Savoia.

Só para registro, em Junho de 1943 o Rei demite e prende Mussolini que em Setembro é resgatado pelos alemães, que usando Mussolini como fantoche criam a Republica Social Italiana no norte da Itália a  “Republica de Saló”, o Rei faz acordo com os americanos que ocupam o sul da Itália e a guerra na Península dura ainda dois anos e só acaba em 30 de abril de 1945 quando o General SS Karl Wolff se rende aos americanos com um milhão de soldados alemães que ainda se encontravam na Itália bem armados.

A negociação dessa rendição estratégica, que evitou que a libertação fosse capitalizada pelos “partegiani” comunistas, os americanos negociando na Suíça, em Ascona diretamente com o General Wolff, através da OSS, embrião da CIA, representada então por Allen Dulles, foi por mim relatada em artigo especifico, então a Casa de Savoia já estava na lona, o ReiVittrorio Emmanuele tinha se exilado em Alexandria, no Egito, sob proteção americana, depois de abdicar para seu filho. A bem da verdade a Monarquia perdeu o plebiscito por pequeníssima margem e até hoje há na Itália controvérsias sobre a manipulação do resultado, mas Maria José é uma unanimidade, seria uma bela Rainha.

Leia também: Onde nasceu a CIA – a rendição alemã na Itália, por Andre Araujo

https://www.youtube.com/watch?v=Kr6pvbM6Hrc

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 comentários

  1. Saudades de seus textos sobre a história que não encontramos – facilmente – nos livros. Pode voltar, catalogue teus textos os releria com prazer.
    A propósito, não só cima bela rainha como uma rainha bela.

  2. Esse jogo de cena entre Mussolini e o Rei é algo semelhante ao regime militar brasileiro, pois o presidente-militar era “eleito” por um congresso, uma eleição indireta . Acho que na América do Sul foi a única ditadura a manter um verniz democrático, uma espécie de democracia pra inglês ver.

  3. “Recolhido como vitima potencial de alto risco em uma longínqua fazenda , nada me resta a não ser rever livros de Historia, series de TV e filmes antigos,”
    Meu caro xará, a epidemia é só uma boa excusa para vc fazer o que mais gosta.
    Acabou nos brindando com mais um dos seus ótimos artigos históricos.
    Também estou aproveitando o retiro forçado para assistir videos de minha modesta coleção. Vou revendo os filmes da fase inglesa , preto e branco, do Hitchcock, tomando Lady Grey Twinings e beliscando BIS Lacta. Na minha opinião o melhor do diretor.

  4. “Bélgica, uma monarquia liberal,” Mas que dureza, sob o domínio dos antepassados bem próximos destes rebentos da monarquia liberal belga foi cometido um dos maiores genocídios no ex Congo Belga.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome