Renan convoca: “É o ‘dá ou desce’ trabalhista”, e Senado adere a críticas


Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
 
Jornal GGN – O líder da Maioria e do PMDB, Renan Calheiros (AL), não economizou críticas a mais uma das propostas do mandatário Michel Temer. Sobre a Reforma Trabalhista aprovada pela Câmara nesta quarta-feira (26) e que hoje, às vésperas da Greve Geral, foi levada ao Senado disse que “é uma chantagem explícita” que o presidente quer empurrar “goela abaixo” para a retirada dos direitos dos trabalhadores. “É o ‘dá ou desce’ trabalhista”, resumiu, em duro discurso.
 
“A próxima segunda-feira, 1o de maio, o Brasil precisa dizer alguma coisa aos seus trabalhadores”, introduziu Renan, em ironia, no Plenário do Senado. “E não é, senhores senadores e senhoras senadoras, da melhor tradição o Presidente da República não falar aos trabalhadores”, seguiu.
 
Em críticas à gestão Temer, o senador que hoje representa o partido do presidente da República no Senado disse que vivemos “um momento de angústia e crueldade”. E, nesse cenário, “não é normal que o presidente da República deixe de falar e empurre goela abaixo dos trabalhadores uma retirada de direitos”, completou.
 
Em mais um sinal de forte dissidência do parlamentar e representante no Congresso contra a governabilidade de Michel Temer, em cerca de 10 minutos, o peemedebista criticou a tentativa de que “o acordado se sobreponha ao que está na lei”, ao fazer referências aos intentos de mudanças na legislação trabalhista. 
 
https://www.youtube.com/watch?v=LWqVInIv_q8 height:394]
 
Renan disse que o texto aprovado na Câmara induz os assalariados a renunciar ao FGTS, horas extras e férias remuneradas, para se tornarem pessoa jurídicas. E demonstrando a forte crise que o mandatário precisará enfrentar na Casa Legislativa, convocou o Senado a barrar a Reforma Trabalhista, um dia antes das manifestações esperadas para esta sexta-feira (28).
 
O parlamentar lembrou que criticou duramente o projeto de terceirização irrestrita do trabalho nas empresas, ainda quando ocupava a Presidência do Senado, e a discordância da reforma na Previdência – “uma reforma feita à revelia geral, por isso as suas dificuldades”, caracterizou.
 
“Eu, sinceramente, não acredito que essa reforma [da Previdência] saia da Câmara e chegue no Senado Federal. Reforma de ouvidos poucos, sem consultar opiniões, que só interessa a Banca, ao sistema financeiro, rejeitada em peso e de cabo a rabo pela população”, lembrou. “Reforma tão mal feita que chega a coagir e constranger a base do próprio governo e que, por isso, vai e volta de recuo em recuo”, afirmou.
 
“O Brasil merece um Primeiro de Maio de luta, de respeito às conquistas históricas do seu povo. Quero ajudar o Brasil, que não aceita o retrocesso e o meu Estado de Alagoas que rejeita ser castigado com a reforma que se pretende realizar”, concluiu.
 
Também no Plenário, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) criticou o projeto que chega ao Senado e disse que a proposta vai alterar mais de cem artigos da Consolidação das Leis do Trabalho e reprovou a tentativa de sobrepor negociações com patrões à legislação.
 
https://www.youtube.com/watch?v=jTmJoMpTNjA height:394]
 
“Isso é mesma coisa que exigir uma negociação com quem está com o pescoço na forca. Em momentos de recessão da economia, em momentos de desemprego, pior ainda, porque se o trabalhador que está empregado não aceita aquela negociação, ao lado dele tem centenas e milhares de desempregados, que se sujeitam a qualquer situação para ganhar um posto no mercado de trabalho”, defendeu a parlamentar.
 
Roberto Requião (PB), também do PMDB, foi mais direto nas convocações: chamou os trabalhadores brasileiros a participarem da greve geral marcada para esta sexta-feira (28). Disse que é hora de o povo mostrar sua insatisfação a “esse absurdo que só serve ao mercado financeiro e à concentração de renda”.
 
[video:https://www.youtube.com/watch?v=Z7UnnC-WZ6g height:394
 
“Para Brasil! Para com força e de verdade a fim de dizer ‘não’ a essa política estúpida e irracional comandada pelos interesses do capital financeiro e não do povo brasileiro”, exclamou o senador. E questionou: “É de se perguntar, diante de tanta rejeição, por que o governo Temer confronta a totalidade da opinião pública brasileira ao insistir em uma reforma da Previdência absolutamente impopular, sem qualquer evidência e eficácia financeira para socorrer os combalidos cofres públicos?”.
 
Também nesta quinta, a senadora Regina Sousa (PT-PI) lembrou que hoje se comemora o Dia dos Trabalhadores Domésticos, lamentou que 92% dos trabalhadores da categoria ainda sejam mulheres negras e lamentou: “Tudo o que foi dado com uma mão está sendo tirado com a outra, nessa reforma que estão propondo aí para os trabalhadores e as trabalhadoras desse país”.
 
[video:https://www.youtube.com/watch?v=xGmgYk-ENJg height:394
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Não é só incompetência, Bolsonaro age com intenção de disseminar mais o vírus, diz jurista

13 comentários

  1. Senhores, 
    maxima venia, mas

    Senhores, 

    maxima venia, mas o senhor Renan não me engana.

    Apoiou o impedimento( golpe)  da Dilma, que  no fundo era para isso que estamos vendo hoje,  e agora dá uma defensor dos empregados. Papo furado.

    Mas, vamos lá. Vamos perdoá-lo. Para isso , o projeto precisa ser REJEITADO e ARQUIVADO no Senado.

    Nada de análise. Simplesmente ARQUIVO!

    Aí sim. 

    Caso contrário, não passa de uma “revolta” furada desses senhores, senadores, DE QUALQUER PARTIDO, inclusive, do PT.

     

  2. Temer vai transformar as
    Temer vai transformar as empregadas domésticas em empreendedoras capitalistas. Todas vão ser obrigadas pelos patrões a tirar CNPJ e serão de agora em diante empresárias do setor de higiene e limpeza domiciliar.

  3. DITADURA NORTE AMERICANA JURÍDICA MIDIÁTICA 2016

    É triste assistir leis sendo aprovadas liquidando antigas conquistas dos trabalhadores de forma tão sumária e acachapante, por um congresso com maioria formada esmagadoramente por ditadores golpistas, bandidos comprados com dinheiro pôdre da corrupção e até de traficantes de cocaína. Para piorar o quadro, ouvirmos discursos ainda em tom de democracia, proferidos soando a lamentos indignados por uma oposição insignificante frente ao grande número de ditadores que compoem a situação golpista ditatorial. Não bastasse isso, ainda temos que ver renans golpistas mórs tambem descendo o cacête nas leis sendo aprovadas por seus comparsas, só para dar uns ares de contraditório e para incentivar desejadas e bem vindas greves e manifestações com seus ares democráticos. Fechando o quadro, greves e manifestações rolando combatendo de tudo, menos o que deveria estar sendo combatido centralmente: a perversa ditadura caminhando a passos largos, desfilando livre e solta sob os olhares de um povo cego, abatido e desorientado pela total falta de informações objetivas e concretas que lhes são omitidas por uma oposição acovardada, rasgando seda não se sabe por quais motivos. Cada dia que passa sem combate efetivo e direto a essa ditadura, dignifica 100 dias de avanços dos ditadores, lépidos em suas ações para desconstruir o Brasil e seu povo. Abaixo a ditadura!

  4. DITADURA NORTE AMERICANA JURÍDICA MIDIÁTICA 2016

    É triste assistir leis sendo aprovadas liquidando antigas conquistas dos trabalhadores de forma tão sumária e acachapante, por um congresso com maioria formada esmagadoramente por ditadores golpistas, bandidos comprados com dinheiro pôdre da corrupção e até de traficantes de cocaína. Para piorar o quadro, ouvirmos discursos ainda em tom de democracia, proferidos soando a lamentos indignados por uma oposição insignificante frente ao grande número de ditadores que compoem a situação golpista ditatorial. Não bastasse isso, ainda temos que ver renans golpistas mórs tambem descendo o cacête nas leis sendo aprovadas por seus comparsas, só para dar uns ares de contraditório e para incentivar desejadas e bem vindas greves e manifestações com seus ares democráticos. Fechando o quadro, greves e manifestações rolando combatendo de tudo, menos o que deveria estar sendo combatido centralmente: a perversa ditadura caminhando a passos largos, desfilando livre e solta sob os olhares de um povo cego, abatido e desorientado pela total falta de informações objetivas e concretas que lhes são omitidas por uma oposição acovardada, rasgando seda não se sabe por quais motivos. Cada dia que passa sem combate efetivo e direto a essa ditadura, dignifica 100 dias de avanços dos ditadores, lépidos em suas ações para desconstruir o Brasil e seu povo. Abaixo a ditadura!

  5. Dá ou desce “trabalhista”?

    Como assim? Essas medidas são o contrário do que prega o trabalhismo. O Renan jamais vai deixa de pertencer à casa-grande. Ora, esse, na verdade, é o dá ou desce neoliberal!

  6. Seria cômico, se não fosse trágico !!

    Se  este congresso e  este governo tivessem sidos  eleitos democraticamente,  ( igual ao maluco do Trump nos eua ), haveria que se engolir seco tais  desvarios da maioria  implementada !!   Afinal, democracia é o que o Xorxil disse  e  não o Aristóteles !!

    Agora, uns cabras sem legitimidade ( um golpista  e  outro montado com o apelo do capital-sujo ),  não têm a  moral nem prá mudar regulamento de uso de  elevador social em condomínio no Tatuapé !!!

    Maledetos !!!

  7. Esses trogoloditas estão nos tangendo para a idade da pedra

    Amanhã é o dia de tacar o pau (economica e politicamente) paa que esse nojento e todos aqueles a quem ele está em serviço não completem essa tarefa e nós reverteremos todo o atraso. Nós somos muitos, temos força e disposição para mudar a nossa realidade prá melhor, desde que não acabem com nossos direitos trabalhistas e previdenciários, que são os únicos que nos restam para não morrermos à mingua, como um cão de rua

  8. É mermo, ò Mermão

    Em vez dos trabalhadores, depois de cansados de tanto trabalhar, ter que trabalhar ainda mais para receber cada vez menos. Enquanto nossos filhos estão desempregados, for falta de empregos, nós trabalhamos até quase na hora da morte, muitos morrendo sem sequer se aposentar, desamparado, gente humilde, que vai em frente sem não ter com quem contar

    Sem oportunidades, nossos rebentos enveredam pelas sendas dos crimes. Dado o nível de avanço tecnológico atual, isso é a maior idiotice humana.

    Eles contra-argumentam que nem todos na mesma situação agem da mesma forma. Que argumento sublime, Zentem

    Só porque nem todos sob as mesmas circunstâncias agem da mesma forma que nós lavemos a mão deste v ale de lagrimas

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome