Ataque do Irã mostra que EUA não podem defender-se e nem a seus aliados

Badamchian considerou o assassinato de Soleimani uma violação do direito internacional e terrorismo de Estado cometido por Washington.

Foto AFP

Jornal GGN – O ataque do Irã às bases dos Estados Unidos no Iraque evidenciou que os Estados Unidos não são capazes de defender-se e nem mesmo defender seus aliados, disse um político persa.

‘A reputação dos EUA estropiou-se. Os ataques com mísseis do CGRI contra Ain Al-Asad, a base logística, de espionagem e operante mais importante dos EUA na região mostrou que o país não é capaz de defender-se e muito menos defender a alguns países dependentes da região’, disse, no sábado, o secretário-geral do partido Coalizão Islâmica, Asadolá Badamchian.

Na madrugada de quarta-feira, o irã atacou a base aérea norte-americana Ain Al-Asad, na província ocidental iraquiana de Al-Anbar, e também uma base em Erbil, capital da região do Kurdistão iraquiano, em represália pelo atentado, em Bagdá, que matou o general Qasem Soleimani, comandante da Força Quds do Corpo de Guardiães da Revolução Islâmica do Irã, entre outros militares.

Badamchian considerou o assassinato de Soleimani uma violação do direito internacional e terrorismo de Estado cometido por Washington.

O político também louvou a decisão do Parlamento iraniano de declarar organização terrorista o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (o Pentágono), assinalando que Teerã não terá dúvidas em tomar represálias contra os EUA em cada uma de suas agressões.

Do mesmo modo, se referiu à resolução aprovada em 5 de janeiro pelo Parlamento iraquiano sobre a expulsão de forças estrangeiras do país e disse que a presença dos EUA em território iraquiano equivale a ocupação e que o povo do Iraque se reserva o direito a responder.

Badamchian enfatizou que as cerimônias fúnebres em honra a Soleimani e do subcomandante das Unidades de Mobilização Popular do Irã, Abu Mahdi al-Muhandis – que junto com outros militares iranianos e iraquianos perderam sua vida no ataque dos EUA – tanto no Irã quanto no Iraque são sinais de ‘um levante revolucionário contra a agressão norte-americana na região e no mundo’.

Leia também:  Brasililiput, um país pequeno de novo, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Com informações da Hispan TV

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Mentirosos, vivem à base do que eles tem de melhor: Marketing.
    E otários quem os seguem.
    Hollywood é a base de suas “invenções” e “construções”. Suas melhores mentes vivem no cinema.
    Suas “naves” passeiam pelo universo e suas guerras são vencidas pela Rússia, pela França, etc.

  2. O Clã Midiático Marinho noticia que:

    “Oito foguetes de ORIGEM DESCONHECIDA atingiram a base militar de Al Balad, ferindo 4 iraquianos. Estrutura abriga tropas americanas”.

    Os radares não conseguem detectar os mísseis? Será que eles voam tão baixo a ponto de não serem detectados?

    Se eles não têm escudo para se proteger de uns mísseiszinhos fracotes, certamente eles não conseguiriam abater um Sarmat II.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome