Após início da eleição, Justiça de SP transforma Haddad em réu por ciclovia

Foto: Divulgação

Jornal GGN – Dada a largada das eleições de 2018, o candidato a vice-presidente na chapa de Lula, Fernando Haddad (PT), virou alvo do Judiciário. Nesta terça (21), a imprensa noticiou que o ex-prefeito de São Paulo foi transformado em réu numa ação de improdidade por causa da construação da ciclovia Ceagesp-Ibirapuera. A obra, de mais de 12 km, teria custado R$ 54 milhões e, na visão do Ministério Público de São Paulo, houve prejuízo de R$ 5,2 milhões, segundo auditoria. A Promotoria questiona a falta de licitação e suposto superfaturamento.
 
A ação é de fevereiro de 2016, assinada promotores Marcelo Milani e Nelson Sampaio. O juiz Kenichi Koyama, da 11.ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, acolheu a denúncia no dia 20 de agosto – 5 dias após Haddad ser registrado na Justiça Eleitoral como o vice de Lula.
 
“Além de Haddad, também são réus os ex-secretários Jilmar Tatto (Transportes), candidato do PT ao Senado, Ricardo Teixeira (Subprefeituras), um ex-assessor de Teixeira e a empresa Jofege Pavimentação e Construção, contratada para executar a obra”, diz o Estadão.
 
Haddad, segundo os promotores, teria “engendrado” as supostas ilegalidades em decorrência de sua “fixação” com as ciclovias. O ex-prefeito e Tatto informaram que não tiveram nenhuma relação com o contrato, celebrado pela secretaria das Subprefeituras.
 
O MP-SP ainda afirma que “cada quilômetro da ciclovia feita entre 2014 e 2015 custou R$ 4,4 milhões, valor 613% maior do que os R$ 617 mil pagos por quilômetro pela gestão do antecessor Gilberto Kassab (PSD) para fazer trecho de ciclovia na mesma região da cidade.”
 
Os promotores querem o ressarcimento dos R$ 54,7 milhões do contrato ou, ao menos, “o valor do dano material já apurado por uma auditoria do Tribunal de Contas do Município (TCM), de R$ 5,2 milhões, além de condenar os réus ao pagamento de dano moral coletivo.”
 
O advogado Luiz Tarcisio Ferreira, que defende Jilmar Tatto, naturalização o acolhimento da denúncia pelo juiz e disse que, no decorrer do processo, seu cliente deve ser removido da ação por não ter conexão com os fatos. Ele também disse que o caso só tem alguma relevância na imprensa porque se trata de candidatos do PT.
 
“A coisa mais difícil que tem é o juiz não receber uma ação. Só tem significado hoje porque ambos (Tatto e Haddad) são candidatos. Agora, se a pessoa participou ou não deve ser visto no curso da ação. A nosso ver essa ação foi proposta contra a pessoa errada e o Jilmar deve ser excluído da Lide com o andar da ação”, completou Ferreira.
 

8 comentários

  1. Os conspiradores não

    Os conspiradores não conseguem sequer ser discretos. É por essa e outras que eu recomendo que vocês deveriam enforcar os conspiradores, não é possível negociação ou reconciliação com os animais que formam a “elite” brasileira.

  2. Alguma surpresa?

    Alguém será surpreendido se esta e outras ações “correrem” a toque de caixa e lastreadas em legislação de exceção?

    Esperamos que o PT tenha carta na manga…..

    Será o Celso Amorim?

  3. Quem é Marcelo Milani, que assina denúncia contra Haddad

    Vasculhando um pouco no Google, o que se pode descobrir sobre o promotor Marcelo Milani, um dos signatários da denúncia contra Haddad:

    Um pouco do perfil do promotor no Facebook:

    https://www.facebook.com/corremilani/likes

    Atenção para os seguintes detalhes:

    Entre as curtidas do promotor estão:

    – Joice Hasselmann

    – Olavo de Carvalho

    – Fernando Capez (pasmen!), um dos investigados pelo MP de São Paulo.

    – Partido Novo

    Além de uma página chamada OSP (Organização dos Sem Partido), que apesar do nome se trata de uma página com pautas de direita e críticas a partidos e personalidades de esquerda.

    ———————————————————————————————————————-

    Para ficar mais divertido, além disso, trago abaixo um pout-pourri sobre o promotor e toda “isenção” do distinto membro do MP:

    “TJSP arquiva procedimento investigatório criminal contra promotor Marcelo Milani”:

    https://www.jota.info/justica/tjsp-arquiva-marcelo-milani-21062018

     

    Parece que o promotor atuava de maneira distinta quanto ao governo estadual (PSDB) e o municipal à época (PT):

    http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:XjPqrRk3EVMJ:g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/05/mp-apura-atuacao-de-promotor-em-acoes-sobre-verba-de-multas-em-sp.html+&cd=6&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br

     

    Aqui a matéria da Carta Capital indicando que Milani é suspeito em sua atuação quando o alvo é tucano:

    https://www.cartacapital.com.br/revista/941/o-mp-de-sao-paulo-e-do-estado-ou-do-governo

     

    Tirem suas conclusões…

  4. Cada vez mais é exibida a

    Cada vez mais é exibida a mensagem gritante de que o povo não apoia a fraude eleitoral que está em gestação nessa república da ditadura Judicial, acham que vão pacificar o país eliminando com chicanas jurídicas o adversário que não podem vencer dentro das regras democráticas? Mesmo com uma eleição legítima já será um trabalho imenso devolver o país a normalidade, sabotar o processo como procuradores, delegados e juízes tentam fazer é usar gasolina para apagar um incêndio, quando começarem a ser incinerados não adiantara chorar.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome