Atualização da Lei do Impeachment deve incluir casos Dilma e Collor

Decisão foi tomada durante reunião da comissão de juristas que trata do tema; Senado terá poder de decidir sobre afastamento

Photo by Tingey Injury Law Firm on Unsplash

A atualização da Lei do Impeachment deve passar a incluir as decisões tomadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nos julgamentos dos ex-presidentes Dilma Rousseff e Fernando Collor de Mello.

A decisão foi tomada na última sexta-feira (06/05), na reunião da comissão de juristas criada para atualizar a Lei do Impeachment (Lei 1.079, de 1950).

Uma das decisões tomadas nesse sentido foi deixar nas mãos do Senado Federal o poder de decidir a respeito do afastamento do presidente.

Além de incluir a jurisprudência aplicada nos dois processos, a nova lei terá um texto simplificado que valerá para todas as autoridades federais e estaduais. O

“Nós optamos por fazer uma organização diferente. A Lei atual descreve o impeachment do presidente da República e depois aplica aos demais cargos por analogia. Optamos por um projeto que traz uma norma geral aplicável a todos”, disse o conselheiro do CNJ e ex-secretário-geral da Mesa do Senado Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho.

“A partir desse desenho, trouxemos normas pontuais que se aplicam a um caso ou a outro. O texto já trouxe toda a jurisprudência do STF tanto no episódio de 1992 quanto no de 2016 no que se refere ao direito de defesa”, ressaltou Bandeira.

Além do presidente da República, estão sujeitos a processos de impeachment, de acordo com a Lei 1.079, que regula os crimes de responsabilidade, o procurador-geral da República, ministros de Estado, ministros do Supremo Tribunal Federal, governadores e secretários de Estado.

Presidente do colegiado, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski apontou que a proposta poderá incluir também os prefeitos.

Com informações da Agência Senado

Leia Também

Lewandowski comandará comissão para propor atualização da Lei do Impeachment

Renan Calheiros vai sugerir mudanças na Lei do Impeachment ao final da CPI

Maioria dos brasileiros querem o impeachment de Bolsonaro, aponta Datafolha

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador