PGR diz que diálogos de Moro na VazaJato “é absolutamente comum”

PGR disse não ver irregularidades nos diálogos vazados pelo The Intercept Brasil e viu "na verdade, uma especial cautela do então juiz federa Sergio Moro"

Foto: Divulgação

Jornal GGN – A Procuradoria-Geral da República rejeitou que o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, seja considerado suspeito de julgar o ex-presidente Lula no caso do triplex. Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (05), a PGR disse não ver irregularidades nos diálogos vazados pelo The Intercept Brasil e viu “na verdade, uma especial cautela do então juiz federa Sergio Moro”.

A manifestação é a posição da Procuradoria frente a um recurso ingressado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pedindo à última instância o afastamento de Moro do julgamento do triplex no Guarujá, com base, entre outras coisas, os diálogos divulgados nos últimos meses pelo The Intercept Brasil que revelaram a interferência do então magistrado na condução das provas e o objetivo de incriminar o líder petista.

Mas para a PGR, as decisões da 13ª Vara Federal de Curitiba foram “coerentes”, porque seguiram “idêntico padrão” a outras ações da Lava Jato na instância e que seriam ainda “harmônicas com os fatos, as provas e a lei”. O documento é assinado pelo subprocurador-geral da República José Adônis Callou, escolhido pelo procurador-geral Augusto Aras para comandar as posições na PGR nos processos da Lava Jato.

Para sustentar sua argumentação, Callou usou uma comparação do processo contra Lula com os demais da Lava Jato de Curitiba para concluir que a pena do ex-presidente foi “significativamente inferior” às outras, apesar de serem casos de investigações não comparáveis em matéria de direito penal.

Leia também:  Episódio 2 da série sobre influência dos EUA na Lava Jato estreia hoje (22)

“A média das penas aplicadas aos demais réus da Lava Jato, como se observa, foi de 4.526 dias, enquanto Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado pelo ex-Juiz Federal a cumprir uma pena de 3.465 dias”, anotou Callou. Acrescentando: “o que se observa é que os processos na operação Lava Jato duraram em média 312 dias, enquanto a primeira ação penal contra o paciente durou 352 dias e a segunda, 754 dias, o que esvazia a alegação do paciente de que os ritos teriam sido acelerados para excluí-lo da corrida eleitoral.”

Com base somente nestes números de dias de punições, incluindo todos os da Lava Jato de Curitiba, concluiu o subprocurador: “no caso da medida decretada em relação a Luiz Inácio Lula da Silva, o que se observou, na verdade, foi uma especial cautela do então Juiz Federal Sergio Moro, que mais uma vez demonstrou sobriedade e cuidado para preservar a dignidade e honra do paciente.”

Sobre especificamente os diálogos obtidos pelo The Intercept Brasil, apesar da explícita interferência de Moro na investigação e condução da parte acusadora contra Lula, “é absolutamente comum” que advogados e procuradores conversem com o juiz e que as trocas de mensagens mostram que Moro e a força-tarefa de Curitiba atuavam “na busca da verdade e dos valores da Justiça”, sem violar direitos.

Em seguida, entrou em contradição ao afirmar que “a hipótese de que o juiz comandava a operação ou de que havia um conluio com o Ministério Público não se coaduna com dados da realidade”. Para sustentar esse argumento, retornou à generalização dos números: “Dos 291 acusados sentenciados pelo ex-Juiz Federal Sergio Moro, 63 foram absolvidos (21%). O Ministério Público, por sua vez, discordou e recorreu de 44 das 45 sentenças proferidas.”

Leia também:  PEC alija professores do STF, as katchangas... e de tédio não se morre, por Lenio Luiz Streck

Por outro lado, a posição da PGR volta a entrar em contradição ao mencionar que “o número de casos citados nas supostas mensagens é pequeno”, tornando visível a suspeita de parcialidade ou tratamento diferenciado do processo contra Lula em comparação aos demais. ” As supostas mensagens trataram de poucos casos”, escreveu José Adônis Callou.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

35 comentários

  1. O que diriam os Beatles?

    “He’s as blind as he can be
    Just sees what he wants to see”

    Acho que vão acabar defendendo que o mensalinho do Paludão é absolutamente normal assim como lucrar com a visibilidade e networking da lava bosta.

    Por falar nesse bando de salários, acionei a Justiça porque a BV me tomou uma moto conservadíssima, já quase totalmente quitada, levou-a a leilão e, em vez de me dar uma parte do produto da arrematação que me cabia, me notificou para lhe pagar 3 mil reais e ainda por cima botou meu nome no Serasa.

    Depois de 8 anos, eu saí vitorioso: Recebi um mil reais.

    Agora me chega uma guia de Arrecadação do TJ para eu pagar R$ 179,39 a título de custas finais, a ser canalizada para o Ferj.
    Ora, seu eu saí vitorioso, porque cargas d’água eu teria que pagar custas processuais?

    As custas processuais não são de responsabilidade da parte vencida no processo?

    Será que não são Paludos querendo se apropriar indebitamente do meu suor?

    Certamente a parte vencida, por ser rica e poderosa, não vai pagar custas.

    Quem tem filho barbado é gato, seus Gatunos.

  2. Dando nome aos “boys”……….
    Então ta…….folgo em saber, tudo super normal no melhor dos mundos……Eu de minha parte acho que se toda essa esculhambação é “comum e normal”, é chegada a hora de chamar as coisas pelo seu nome de fato…..a tal da “Justiça” Br faz tempo que não existe mais, eu daria outro nome…..talvez MREM……Ministério da repressão e do encarceramento em massa, o nome me parece mais apropriado….realmente associar a palavra Justiça com essa coisa que temos aqui, é um disparate….

  3. É absolutamente comum “não melindrar um apoio importante”, no caso específico, o Sr. FHC?
    É absolutamente comum indicar ao promotor uma testemunha de acusação?
    É absolutamente comum permitir que o promotor indicie alguém sem motivo, apenas para que acuse outra pessoa?
    Me parece que a normalização da prevaricação e da perseguição está alcançando todas as instituições.

    12
  4. Resumindo: no universo paralelo em que o PGR vive qualquer pilantra como Sérgio Moro pode julgar seus inimigos e, pior, combinar sigilosamente com o procurador ações para prejudicar a defesa. Francamente… Esse tal de Aras deveria ser julgado com os mesmos padrões jurídicos que ele defende.

  5. Este tal de aras é mais sem vergonha que o “já not” e dodge “dart vader” juntos.
    O MPF não deve ter reduzido seus poderes, o MPF tem de ser extinto e todos os seus membros postos no olho da rua. Os que participaram da lava rato deveriam ser processados, presos e fuzilados.
    Virou uma milícia que persegue uns(adversários) e protege outros(amigos).

  6. Nassif: Arrras égua… Espanto se fosse diferente tal parecer. Vejamos. O dito TogaSuja negou aos Gogoboys aquilo que eles pediam mas que estaria fora do objetivo traçado pelo Juízo do caso. De outra, quando atendeu os pedidos do SapoBarbudo era porque eles “não” vinham ao caso. E até concordo ele nunca decidiu sem que não tivesse ele mesmo provocado. Por outro lado, se as penas aplicadas ao MelianteOperárioNordestino foram menores que o trivial pelo Verdugo foi porque o objetivo era melar a eleição em favor do grupo dos VerdeSauvas e das Milícias. A demora no processo era pra dar tempo aos Gogoboys traçarem as metas determinadas pelo próprio Juízo. Agora, essa de que “nunca desrespeitou” o SapoBarbudo, isso é piadinha tão “suja” que nem aquele “engavetador de processos” teria coragem de contar…

    Porém, mais espantoso é a afirmação de que o diálogo intimo e a parceria escrota entre o acusador e o Juízo “é coisa corriqueira no Judiciário sulista”. Isso, numa “Democracia”, até nas da Baioneta, seria crime. Mas, estamos sob o ReinoDoMessias…

  7. O problema dessas mensagens não é a opinião que se possa ter sobre o seu conteúdo, mas o fato de terem sido obtidas por meio ilícito e, principalmente, não poderem ter sua autenticidade confirmada.

    Não se trata aqui de gravações de voz que poderiam ser periciadas, mas de mensagens escritas que podem ter sido inventadas. Não digo que foram inventadas, até acredito que não, mas podem ter sido.

    Se a Justiça aceitar algo assim terá que aceitar coisas similares depois. E aí nada impedirá que alguém contrate um hacker para roubar mensagens, altere as que lhe interessem e as apresente como prova. É impensável que o STF abra uma porta dessas.

    2
    15
    • Que o STF não vai abrir porta concordo, mas que já abriram os ouvidos bem abertos, não tenho duvidas.
      “Não se trata aqui de gravações de voz que poderiam ser periciadas, mas de mensagens escritas que podem ter sido inventadas”…….como podem ser inventadas as delações premiadas a “moda brasileira”……

      • Se fossem os ouvidos tudo bem, porque aí seriam áudios que você periciar. Mas são mensagens de texto, que qualquer um pode escrever e editar como quiser.

        E aproveito que você está no alto da fila para agradecer as respostas. Nunca fiz tanto sucesso nos comentários, hehe.

    • A PF confirmou a autenticidade, já fez até acordo de delação com o hacker. Quanto à ilicitude, nãtem.vomo ganhar da lava jato nesse quesito. Até Janot já confessou seus pecados.
      Então, só tenho a dizer: disfarça e sai

      • Não é assim, Misia. O que está confirmado e nunca ninguém discutiu é que ele invadiu os celulares e roubou milhares de mensagens. A sua delação gira em torno de quem participou disso com ele.

        Mas essas mensagens foram editadas várias vezes. Podem ter sido apenas copiadas em outro formato sem alteração de conteúdo. Mas algumas também pode ter sido alteradas pelo primeiro hacker, pelo segundo, por alguém do Intercept, etc. Como saber? Você só poderia garantir a autenticidade delas se tivesse acesso aos celulares envolvidos, onde, segundo consta, elas foram há muito apagadas.

        Repito o principal: Se o STF aceitar mensagens nessas condições (sem comprovação) abrirá a possibilidade de qualquer um dizer que pegou mensagens de alguém e lhe atribuir as palavras que quiser.

    • Como disse o ministro Gilmar Mendes, “as transcrições jamais foram desmentidas pelos envolvidos”.
      Quem disse ao Sr. que as mensagens não podem ter sua autenticidade confirmada? Está enganado.
      Basta apreender os celulares e computadores dos envolvidos e fazer uma perícia, inclusive na nuvem de dados.

      • Amigo,
        A questão está apenas nos celulares dos procuradores, não nos computadores. E não sei se eu perdi alguma coisa, mas até onde me consta eles disseram que as mensagens haviam sido apagadas meses antes.

        Mas não precisamos discutir. Estou errado e a perícia será feita agora? Me diga quando, por favor. E espero que você concorde que sem ela é impossível assegurar a autenticidade das mensagens.

        Quanto aos desmentidos, eu já cansei de vê-los. Se o Gilmar não viu é porque não leu o jornal naquele dia. E, de qualquer modo, um ministro do Supremo não pode se pautar pela mídia. Se ele quiser levar isso em frente deve perguntar formalmente aos envolvidos se eles confirmam ou não.

        • “Mas não precisamos discutir. Estou errado e a perícia será feita agora? Me diga quando, por favor.”

          Mas eu não disse que a perícia vai ser feita agora! Eu disse que BASTA FAZER uma perícia, inclusive na nuvem do servidor. (Instagran)
          Se vão prevaricar ou não, não dá pra saber.
          O fato é que SE QUISEREM, provam facilmente a autenticidade das mensagens.
          Ademais, por que até agora NENHUM deles afirma que determinada frase nunca foi escrita por ele?
          Ao contrário, varias informações ali contidas foram confirmadas: Moro chegou a pedir desculpas ao MBL por tê-los chamado de tontos.
          O Faustão também confirmou sua conversa com Moro, fazendo recomendações para os meninos do MP usarem linguagem mais popular e menos técnica.
          A procuradora que se divertiu com a morte de parentes do Lula, também pediu desculpas.

          Moro e os procuradores não se defendem afirmando que são falsas. Eles se defendem afirmando que são ILEGAIS.
          E como eu disse acima, provas ilegais podem não prejudicá-los, mas pode anular os processos contra o Lula.
          Prova colhida ilegalmente não serve contra alguém, mas serve a favor.
          Ali se prova que Lula não teve um julgamento justo como manda a Constituição.

          2
          1
        • “A questão está apenas nos celulares dos procuradores, não nos computadores.”

          O programa pode ser emulado no computador.
          Para saber se isso foi feito BASTA UMA PERÍCIA nos HDs dos computadores.

          Se vão prevaricar, fazendo cara de paisagem, cara de pau, ou sei lá o que, e promover a injustiça e a vergonha no Judiciário, eu não sei.

        • “Quanto aos desmentidos, eu já cansei de vê-los.”

          Acho que você está vendo “coisas”…
          Eu não vi SEQUER UM desmentido.
          Eu só sei que ILEGALIDADES só são admitidas contra o Lula.
          E se vc achar isso certo, então fim de papo, não vou debater com fascistas.
          Ou respeita a lei ou não respeita: não tem meio termo.
          Não tem uma lei só para o Lula. Desculpe desapontá-lo.

        • “de qualquer modo, um ministro do Supremo não pode se pautar pela mídia. Se ele quiser levar isso em frente deve perguntar formalmente aos envolvidos se eles confirmam ou não.”

          Juiz não pode “agir de ofício”, deve ser provocado a se manifestar.
          E no caso do STF, isso deve ser pedido ao tribunal ou à PGR e não diretamente a este ou aquele juiz.
          Já há ações pedindo isso, mas tem uma fila a ser respeitada.
          Quem determina a urgência ou não, é o presidente do STF.

        • “de qualquer modo, um ministro do Supremo não pode se pautar pela mídia”

          Lula foi julgado, tendo como uma das “provas” contra ele, matéria publicada pela Rede Globo.
          Isso está EXPRESSO no processo, foi gravado pelo tribunal, o Moro pedindo explicações ao Lula sobre a matéria.
          Ora, o que é uma matéria publicada pela globo? CADÊ AS PROVAS?

          “Como uma reportagem do Globo de 2010 sofreu releituras sucessivas até se transformar em “prova” para condenar Lula.”
          https://jornalggn.com.br/artigos/triplex-164-a-o-jornalismo-declaratorio-e-a-prova-da-inocencia-de-lula/

    • A prova colhida ilicitamente não serve para acusar alguém, MAS SERVE PARA INOCENTAR.
      No caso, o “nosso” (não sei de sua parte) querido ex-presidente Lula.

    • Todos os diálogos foram checados, e a autenticidade comprovada. Vários inclusive foram confirmados pelos fascistas de Curitiba. Para seu conhecimento não só o áudio pode ser periciado, textos também.

  8. Ora, ora ….depende de onde se está falando…..
    Aliás, uma turma que vê como normal um embaixador se reunir com juízes para se inteirar de processo que lhe é estranho………. gostaria de saber onde está escrito na lomam que juízes podem falar pelos cotovelos sobre processo de sua responsabilidade,……

  9. Comum não quer dizer que é legal.
    A corrupção é super comum,mas não é legal.
    Essa gente precisa parar de comer capim com agrotóxicos que está interferindo na burrice deles.

  10. O Juiz que virou Ministro no Governo que ajudou a eleger. Toda a celeridade desta Justiça que representa, simplesmente desapareceu, depois da vitória do seu time. Somos a Pátria da Aberração. Aberração construída e doutrinada em 9 décadas de Estado Ditatorial Absolutista Caudilhista. A Justiça Brasileira representada em seu mais novo Caudilho. Não é surreal?!! Surreal não é esta farsante Redemocracia de farsante Constituição Cidadã que permitem que o Estado seja usado conforme interesses pessoais? Pobre país rico. Era esta a promessa de 1979? De 1988? Mas de muito fácil explicação.

  11. Se é absolutamente normal, então a PGR concorda com a veracidade do teor das mensagens vazadas, nada obstante o $érgio Moro tenha afirmado que que elas podem ter sido manipuladas ou descontextualizadas, além de ter dito que:

    “Querem que eu lembre de mensagens que mandei há dois anos”.

    Além disso, o Marreco de Curitiba afirmou também:

    “Não tem nada de revelação de imparcialidade ou conteúdo impróprio. É absolutamente corriqueiro e normal, principalmente no contexto de uma grande investigação”.

    O Moro é a panela e a PGR é a tampa.

    • Não teria nada de ilegal se não fosse uma clara violação da equidistância do Magistrado entre as partes… se Moro sugeriu testemunhas à PGR, instruiu os acusadores quanto ao que fazer, o que pode haver de normal e corriqueiro nisso? Não prejudica a isonomia que o Magistrado deve respeitar entre as Partes? Não beneficia a Acusação em detrimento da Defesa? E a pergunta que não quer calar: por que Moro se arriscaria num projeto tão ousado e andaria “na corda bamba de sombrinha”, se não contasse com o respaldo da ambiguidade da Narrativa construída por Del Portagnol? E assim vão se passando os dias e Moro tenta emparedar o STF forçando um novo julgamento para rever o “Decisum” do Pleno do STF… se ele tiver sucesso nessa empreitada abjeta, é de se celebrar a Morte da Justiça e a Vitória da Milícia, quer queiramos quer não…

    • Moro buscou politizar sua atuação. Não há outra conclusão possível a não ser que se use um óculos de Soldador!

  12. Manifestação para negar irregularidades na maior deformação da justiça brasileira traz mais efeitos nocivos do que a própria deformação, porque não leva em consideração o ato de julgar, apenas o ego e os números julgador

    Moro já deve estar ficando podre de mimado. Também, pudera! Coitado! entrou e saiu da política judiciária sem aprender nada, talvez por causa de manifestações como esta vindo de toda parte

  13. A desfaçatez do procurador, que sem a menor vergonha sai em defesa de Moro e outros procuradores apenas demonstra que a guerra no interior do judiciário está longe de terminar. Uma vez preocupadíssimos com a opinião pública, agora estão se lixando para o que se passa na mídia. Agora é uma questão de poder, e procuradores e juizes de instancia inferior vão provocar o supremo tentando emparedá-lo. Moro sequer teme ser enquadrado como um defensor da bárbarie e crueldade e depois de um tempo silencioso e escondido atrás de Bolsonaro, agora vai à câmara dos deputados pedir aval para a barbárie. Com estes passos ele efetivamente voltou à briga eleitoral.

  14. https://www.brasil247.com/blog/tenebrosas-transacoes?amp
    https://www.brasil247.com/blog/moro-o-vendilhao-desmascarado?amp
    “”””Por Eric Nepomuceno, para o Jornalistas Pela Democracia – É verdade que nenhum deles – estou falando de quem cerca Jair Bolsonaro – vale grande coisa. E isso, na melhor das hipóteses: a imensa maioria não vale é nada.
    Ninguém que tenha sido chamado para integrar esse governo merece nem verniz de respeito. Isso vale, é claro, para os militares empijamados.””””””
    “”””””Ele ainda não contou um milésimo do que sabe. Mas uma das coisas que contou confirma o que muitos de nós sabíamos: pelo menos entre o primeiro e o segundo turno, o então juiz Sérgio Moro foi convidado e aceitou largar a toga para virar ministro de Justiça do candidato altamente beneficiado por ele e a turma da Lava Jato.
    Quando Moro soltou um trecho da delação premiada de Antônio Palocci faltando pouquíssimo para o segundo turno, ficou mais do que claro que se tratava de uma jogada cujo único e exclusivo objetivo era ajudar Bolsonaro na reta final da campanha.”””””(FALANDO DE BEBIANO, NOTA MINHA)
    …..”””””Em compensação, vossas excelências que integram o Supremo Tribunal Federal passam a ter um motivo a mais – o centésimo – para julgar a conduta do então juiz Sergio Moro. Uma conduta imoral, indecente, abjeta.
    E, além de motivo, têm uma nova oportunidade para mostrar que não se trata de um tribunal omisso, cúmplice, poltrão. Oxalá não a desperdicem como desperdiçaram todas as anteriores.””””””……

  15. Acreditar na opinião da Procuradoria Geral da República sobre Sérgio Moro e a Vaza-Jato é o mesmo que acreditar em que a raposa iria cuidar do galinheiro.

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome