STF mantém decisão que mandou Bolsonaro indenizar Maria do Rosário

Ministro Marco Aurélio Mello decidiu, ainda, aumentar o valor que Bolsonaro terá que pagar à defesa da deputada federal

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – Saiu no Diário de Justiça Eletrônico desta terça-feira (19) a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), em rejeitar o recurso do presidente Jair Bolsonaro contra a decisão que havia determinado o pagamento de R$ 10 mil de indenizações por danos morais à deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Além de manter a decisão que já tinha sido mantida pela Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em agosto de 2017, Marco Aurélio Mello aumentou o valor que Bolsonaro terá que pagar à defesa de Maria do Rosário, de 10% para 15%: “Considerada a fixação, em sentença, dos honorários advocatícios em 10% sobre o valor da condenação, majoro-os no percentual de 5%”. A defesa do presidente disse que irá recorrer à Primeira Turma da Suprema Corte. 

Em 9 de dezembro de 2014, o atual presidente da República e então deputado federal usou o plenário da Câmara para dizer que a colega não merecia ser estuprada porque ele a considerava “muito feia” e não fazia o “tipo” dele.

Uma semana depois das declarações, a Procuradoria Geral da República (PGR) denunciou Bolsonaro ao STF por incitação ao estupro e Maria do Rosário também apresentou queixa-crime contra o deputado.

Em 2015, o então parlamentar foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) a pagar R$ 10 mil à Maria do Rosário. Ele recorreu, até que, em agosto de 2017, a Terceira Turma do STJ manteve a condenação. Novamente Bolsonaro recorreu, desta vez, ao Supremo, argumentando que o princípio de imunidade parlamentar foi contrariado “considerando o antagonismo ideológico dos parlamentares implicados”.

Leia também:  "Não temos medo nenhum", diz Greenwald sobre ameaça de investigação da Polícia Federal

Por sorteio, o ministro Marco Aurélio recebeu o caso decidindo na última quinta-feira (14) manter as decisões anteriores, mas aumentando o valor que Bolsonaro deverá pagar à defesa de Maria do Rosário.

O presidente chegou a se tornar réu no Supremo pelas declarações, mas a ação foi suspensa na semana passada porque, como chefe do Executivo, Bolsonaro não pode responder por fatos anteriores ao mandato atual.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. É um grande exemplo de homenzinho, grita com mulheres e outras situações, sempre cercado pelos tipos iguais a ele, mas quando confrontado, não quer falar, é bem o perfil do “ignorante” Brasil-man!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome