Agência dos EUA pagou 4,5 milhões de dólares a delator brasileiro

A empresa delatada acabou fechando acordo de 30 milhões de dólares com a SEC e o DOJ, em 2017. Caso lembra o acordão da a Petrobras, por causa do escândalo da Lava Jato

Jornal GGN – A Securities and Exchange Commission (SEC), espécie de Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, pagou a bagatela de 4,5 milhões de dólares a um brasileiro que delatou corrupção no setor esportivo.

No ano passado, a SEC e o Departamento de Justiça (DOJ) dos Estados Unidos assinaram um acordo com a Petrobras, que obrigou a estatal a desembolsar R$ 2,5 bilhões somente no Brasil, sendo que metade deveria ir para um fundo a ser criado sob a influência dos procuradores da Lava Jato em Curitiba. O caso foi parar na Justiça.

Para fechar o acordo com a Petrobras, o DOJ teve ajuda da Lava Jato para construir uma acusação contra a petroleira. Foi para evitar que a denúncia fosse a julgamento em solo americano que a Petrobras admitiu assinar um acordo de “não-acusação”.

Não se sabe, ainda, se os delatores da Lava Jato que foram emprestados para os Estados Unidos receberam uma comissão pelo que delataram.

De acordo com a reportagem do Conjur, no caso sobre o setor esportivo, a SEC pagou os 4,5 milhões de dólares a um cirurgião brasileiro, ex-presidente da Associação Brasilia de Ortopedia Esportiva. Uma das empresas denunciadas pelo brasileiro é a Zimmer Biomet, que pagou, em 2017, 30 milhões de dólares aos EUA, em acordo com o DOJ e a SEC.

“Foi a primeira vez que a SEC premiou um delator que falou sobre as irregularidades antes para a empresa delatada e depois para a agência. A cláusula é nova, e dá ao denunciante 120 dias entre comunicar a empresa e a SEC. (…) Agora, o cirurgião, cujo nome não foi divulgado, é um whistleblower, informante das autoridades sobre ilícitos cometidos por empresas, ou associações”, anotou o Conjur.

Ainda de acordo com o site, desde 2012 a SEC adotou a política de pagar os denunciantes com prêmios que vão de 10% a 30% das multas coletadas a partir das investigações que nascem de delações. Até agora, 62 pessoas se beneficiaram dessa ação.

5 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

J.Marcelo

- 2019-05-31 15:05:46

É O CAPITALISMO JUDICIÁRIO !!!

+almeida

- 2019-05-31 11:49:21

Alcaguetes de luxo

Arthemisia

- 2019-05-31 11:24:59

https://news.cgtn.com/news/3d3d774d7a45444d35457a6333566d54/index.html?fbclid=IwAR3efqCMPJV1f_SEaMeKqie58jbs_r_DUgsmYbzxU74T0sZoeMCGyd0ABZI

Francisco Vieira

- 2019-05-31 10:48:55

Os fatos que vão sendo recolhidos nesse percurso em torno das delações que ocorreram nos últimos anos no Brasil requerem urgentemente uma investigação meticulosa e que se lhe dê publicidade. Nesse terreno, parece estar havendo fortes abalos à segurança dos cidadãos e da economia nacional.

republicano arrependido

- 2019-05-31 10:40:54

acjeo,uitointeressante esse parágrafo. Não se sabe, ainda, se os delatores da Lava Jato que foram emprestados para os Estados Unidos receberam uma comissão pelo que delataram.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador