Contra Lula, Financial Times aconselha Bolsonaro a emplacar reformas de Guedes

Segundo jornal britânico, o atual governo precisa aproveitar a janela de oportunidades para passar o programa que atende aos interesses dos "investidores estrangeiros"

Jornal GGN – Tão logo deixou a prisão, o ex-presidente Lula colocou-se como opositor ferrenho de Jair Bolsonaro, sobretudo por causa de seu programa neoliberal para a economia, que despreza os investimentos sociais, retira direitos e contingencia o orçamento, na promessa de atrair investidores estrangeiros.

Com as críticas, o governo teria pensado em recuar de algumas medidas, principalmente por temer que a oposição seja capaz de organizar um levante popular como se vê no Chile. Mas o jornal Financial Times sugere em editorial desta segunda (25) que Bolsonaro faça justamente o oposto.

Para o jornal britânico, o governo precisa emplacar o “controverso” pacote de Guedes e manter o “ritmo de reformas”, antes que essa janela de oportunidade seja fechada.

“Há muito em jogo para o Brasil arriscar afundar suas reformas econômicas nas rochas do populismo. O gigante latino-americano já esperou tempo demais para colocar as finanças do governo numa base sustentável e tornar o país um lugar mais atraente para fazer negócios. Se perder a oportunidade agora, a janela para mudanças será fechada, talvez por anos, e os investidores internacionais se voltarão para outro lugar.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 comentários

  1. Pior é que Bolsonaro não sabe o que é desaceleração global…
    bem capaz de começar a defender que foi mesmo a libertação do Lula que afastou os investidores internacionais

    não demora ele deve passar a dizer que povo é a mercadoria mais complicada que existe e que o Brasil tem obrigação de proteger os investidores estrangeiros, como já foi dito do Chile e na Bolívia

  2. A pergunta é… como o país vai crescer em economia se isolando comercialmente com nações empobrecidas ou fragmentadas como da África (governadas por tiranos cúmplices do tráfico de armas) e evitando o mercado externo da Europa, EUA e Ásia? Enriquece o país que vive doando suas riquezas para construir portos em uma “ilhazinha” atrasada, mantendo caricaturas como o Maduro e inflando o papel de um Estado paternalista?

    • SR. CREISON,
      CRESCE O PAIS QUE DESENVOLVE SEU MERCADO INTERNO, QUE TRABALHAM TODOS ( INCLUSIVE RICOS E SUA PRETENSA CLASSE MEDIA VAZIA), NÃO E DOANDO AOS RICOS SUAS RIQUEZAS MAIOR QUE VAMOS EVOLUIR OU CRESCER. OLHE PARA O PASSADO E VEJA O QUE ISSO JA NOS TROUXE…..LEMBRA DAS SENHORAS DO FMI COM SUAS PASTINHAS CHEIA DE COBRANÇA QUE CHEGAVAM AQUI PRA NOS DIZER O QUE COMER,VESTIR E CONSUMIR? SE NÃO LEMBRA…VAI LER FAZ BEM….
      UM PARAGRAFO PARA BRASILEIROS, COMO O SR. PENSAR…………O MUNDO DESENVOLVIDO NÃO TEM MAIS COMO PRODUZIR O BEM MAIOR PARA O SER HUMANO, CO-MI-DA, E DISSO QUE ELES ESTÃO ATRAS, NÃO DE IDEOLOGIA , E QUEM TEM ESPAÇO ATUALMENTE PARA ISSO?????? AMERICA DO SUL E AFRICA.
      PENSE NISSO, NÃO PRECISA CONCORDAR SO PENSE….
      EM TEMPO: O SR. DEVERIA CONHECER CUBA…..PODE FICAR MUITO SURPRESO, NÃO VAI ATRAS DO QUE LHE FALAM

  3. O alarme soou no Chile, Colombia e Argentina, o famigerado “Mercado” entrou em histeria. A pressa na destruição das políticas sociais e direitos trabalhistas, a privatização da previdência a ampliação do campo de atuação dos bancos privados, a venda e entrega de estatais, e ou ex estatais. A destruição dos bancos publicos, e a manietação do estado através de PECs do orçamento, foi feito em desabalada velocidade, porque sabem que não poderão conter os votos. A direita não convive bem com eleições e manifestações populares. Em situações excepcionais se elegem, mas sempre serão um voo de galinha, pois o que fazem definitivamente é a destruição de tudo que é publico

  4. Aí está o recado desse jornal que é porta-voz da elite mundial financista, do capitalismo egoísta e do neoliberalismo selvagem que, juntos, fomentam as concentrações de riquezas de poucos e, as desigualdades econômicas, sociais, etc, no mundo: o “governo brasileiro atual e seu ministro da economia têm que aproveitarem a janela de oportunidades, para passarem o programa que atenda os interesses dos investidores estrangeiros”.
    Fica claro assim para todos nós, cidadãos brasileiros, que, para essas organizações, o povo brasileiro, a quem todo o poder pertence (Parágrafo único do Art. 1º da CF “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”), que se lixem.
    Fica claro também que, na visão dessas pessoas e organizações, seus interesses são mais importantes do que os direitos e interesses do povo brasileiro, firmados na CF, especialmente, nos 07 primeiros Artigos.
    Nossas autoridades eleitas pelo povo, os Parlamentares dos Poderes Legislativos Federal, do DF, Estaduais e Municipais: como representantes e fiscais povo; nossas Autoridades eleitas dos Poderes Executivos Federal, DF, Estaduais e Municipais: como Governantes/administradores do povo e; nossas autoridades nomeadas nos termos da CF dos Poderes Judiciários da União, do DF, dos Estados e dos Municípios como: Juízes e Árbitros imparciais do povo, para guardiões da CF, das leis e dos direitos dos cidadãos, do Estado e das Instituições brasileiras, apesar de aparentar que não, têm sim, compromissos e responsabilidade com a democracia, com o estado de direito, com a soberania e com o bem-estar comum da nação brasileira e do Brasil.
    Só para reforçar o que dizemos e, servir de parâmetros para quem quiser comparar o que o governo atual do Brasil (os 03 Poderes Constitucionais), Implementa, produz e, se suas obras estão de acordo com o que a Constituição Federal recomenda que se faça, para o bem-comum de todos os brasileiros, abaixo, seguem a íntegra de 02 exemplos desses importantes Artigos da CF: os Artigo 3º e o Artigo 4º.
    Diz o Art. 3º: “Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
    I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
    II – garantir o desenvolvimento nacional;
    III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
    IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.
    Da mesma forma, diz o Art. 4º:” A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
    I – independência nacional;
    II – prevalência dos direitos humanos;
    III – autodeterminação dos povos;
    IV – não-intervenção;
    V – igualdade entre os Estados;
    VI – defesa da paz;
    VII – solução pacífica dos conflitos;
    VIII – repúdio ao terrorismo e ao racismo;
    IX – cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;
    X – concessão de asilo político.
    Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações”.
    Observem todos, que em nenhum lugar de nossa CF, afirma que deva ser dado privilégios a bancos, a empresas, organizações, grupos, países, etc, nacionais ou internacionais, em prejuízos do povo brasileiro, do Estado brasileiro, da sua soberania, de seu patrimônio público material e imaterial, etc.
    Leiam, comparem com o que você conhece e tirem suas conclusões, a partir de sua própria consciência pois, È BOM QUE TODO CIDADÃO SAIBAM QUE, dos resultados de qualquer governo, os Poderes Legislativos especialmente, que recebem as demandas dos Poderes Executivos para: apreciação, análise, discussão, adequação aos interesses e aspirações do povo que representam à luz da CF e, que as APROVAM no FINAL, esses parlamentares a partir daí, são tão responsáveis pelos resultados positivos ou negativos para o povo, dessas demandas, quanto seus executores dos poderes executivos.
    Com mais um agravante para os Poderes Legislativos, nos casos de sua omissão fiscal dessas demandas já, que eles, são também, auxiliados pelos TC’s (Art. 70 e outros da CF), os entes de Fiscalização e Controle Interno e Externo constitucionais, para assegurarem a conformidade legal da sua boa e correta execução com qualidade, segurança e excelente funcionalidade, para benefício do povo e do país.
    Essa ação fiscalizatória, se agindo proativa e ostensivamente, em tempo real, na monitoria da boa e correta execução da demandas aprovadas ou das Políticas Públicas, Planos, Programas, Projetos, etc; na inspeção de casos específicos que gerem dúvidas; na fiscalização educativa e orientativa trimestrais, das ações fiscalizatórias de Controle Interno das Controladorias dos Poderes Executivos, para identificar-se gargalos ou entraves nos Cronogramas, viabilizando a tempo, sem prejuízos da execução e dos interesses públicos, evitando-se assim, desperdícios de recursos públicos.
    Curioso que, isso acima, é mais ou menos como todas as instituições constitucionais deveriam agir, independentes em suas searas mas, harmônicas no interesse do POVO, o patrão de todos.
    São essas as nossa observações como cidadão leigo no assunto, com a finalidade de contribuirmos ao debate e discussão, civilizada e racional, amparada em nossa CF, combatida por muitos que, infelizmente, não estão preparados para conviverem com uma Constituição Federal Cidadã, como a do Brasil. Muitos criticam nossa educação que não é de primeiro mundo, como dos países que visitam, é uma verdade, pois essas mesmas pessoas quando regressam em sua grande maioria, não permitem aqui e nem lutam por ela, a educação de primeiro mundo que conhecem lá fora.
    Pensem nisto.
    Sebastião Farias
    Um brasileiro nordestinamazônida

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome