Corregedoria dá bronca em procuradores de Curitiba ao abrir sindicância após vistoria

“Não se pode utilizar a mídia como uma forma indevida de pressão contra quem quer que seja", diz Corregedoria à turma de Dallagnol

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – A Corregedoria do Ministério Público Federal anunciou nesta segunda (29) a instauração de uma sindicância para apurar “os fatos ocorridos entre 23 e 25 de junho, quando a coordenadora do Grupo de Trabalho da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República [Lindôra Araújo] esteve em Curitiba para reuniões com integrantes da Força-Tarefa Lava Jato no Paraná.”

Lindôra solicitou informações que incomodaram o núcleo coordenado pelo procurador da República, Deltan Dallagnol. No contra-ataque,  a força-tarefa de Curitiba fez estardalhaço na mídia, afirmando que a vistoria seria uma afronta à independência da Lava Jato e uma tentativa de procurar algo para atingir a imagem do ex-juiz Sergio Moro.

Leia mais: Xadrez das investigações contra a Lava Jato, por Luis Nassif

Atendendo aos pedidos da equipe de Dallagnol, a Corregedoria, então, abriu a sindicância para apurar a “fundamentação” e “forma de execução” da vistoria encabeçada por Lindôra. Mas aproveitou para dar um puxão de orelha nos procuradores de Curitiba.

“Não se pode utilizar a mídia como uma forma indevida de pressão contra quem quer que seja, inclusive para preservação dos direitos dos próprios noticiantes, que sempre tiveram, nesta Corregedoria, o devido cuidado e respeito no tratamento dos fatos e informações de seu interesse”, afirmou a corregedora Elizeta Maria de Paiva Ramos.

Segundo o MPF, a sindicância também vai esclarecer a questão dos equipamentos utilizados pela força-tarefa de Curitiba para gravação de chamadas telefônicas recebidas por integrantes da equipe, incluindo membros e servidores. O objetivo é “apurar a regularidade de sua utilização, bem como os cuidados e cautela necessários para o manuseio desse tipo de equipamento pelos respectivos responsáveis.”

A assessoria do MPF afirmou que a sindicância é um “procedimento preliminar e, pela natureza jurídica, corre sob sigilo”. A Corregedoria assegurou que “não se pretende utilizar o sigilo para preservar eventuais irregularidades ou ilicitudes mas em respeito às normas internas.”

Leia também:  68% querem extensão do auxílio emergencial para 2021, mostra pesquisa

Recomendado:

TV GGN: Está próximo o maior escândalo da história do MPF: a Lava Jato

GGN PREPARA DOSSIÊ SOBRE SERGIO MORO.
SAIBA COMO APOIAR O PROJETO INDEPENDENTE AQUI

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Ora,Ora, então a corregedoria deu bronca nos meninos de Curitiba,um pouco tardia não?, depois que eles ajudaram a destruir o País,

    14
  2. Qual foi a posição desta corregedoria quando esta turma de curitiba, em conluio com Moro e com a midia vil e hipócrita, utilizou todo tipo de subterfúgio contra Lula e Dilma, e fizeram daquele pseudo julgamento, e de um ato presidencial legitimo (indicação de um ministro de estado, este sim capaz), um espetáculo dantesco, onde todo direito do réu e de uma presidente eleita foram violados?

    17
  3. Isso deve ser uma brincadeira…. dado que faz no mínimo há 7 anos usando e abusando das mais perfídias jogadas com a imprensa.
    Um tremendo corretivo essa da corregedoria..kkkk

    12
  4. Vindo deles, deve ser cocôrregedoria, puxar orelha de orelhudos é fácil, quero ver puxar o rabo deles, pois deixaram uns enormes pelo caminho dos processos carimbados junto ao Moro…

  5. É impressionante as figuras que protagonizaram a derrocada do nosso país (soa contraditório, mas eram protagonistas de uma derrocada) por seis anos (parece mais, né?) agora estejam encurralados e não há qualquer sinal de euforia por parte da esquerda. Um anticlímax tremendo. Eu mesmo pouco me arrisco a abrir as redes sociais para saber o que os Dallagnóis andam falando. Viraram uma história secundária, não existe cidadão de bem defendendo. Agora ocupados com as narrativas bolsonaristas, nem eles se importam muito. A grande imprensa, caso algo aconteça, vai dar umas notinhas, coisa de pouca importância, não tenho nada com isso e fica tudo bem.

    3
    1

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome