Decotelli culpa FGV por saída precoce do MEC

Ex-ministro da Educação apresenta premiações que recebeu como prova de que atuou como professor na instituição

Foto RS (via fotospublicas.com)

Jornal GGN – O ex-ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, atacou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira. A instituição negou que Decotelli deu aulas na instituição, o que foi refutado pelo ex-ministro – que deixou o ministério antes mesmo de assumir o posto.

“O fake da FGV destruiu a minha carreira no MEC”, afirmou Decotelli em entrevista à revista Época. Segundo a FGV, o ex-ministro não foi professor na instituição, e trabalhou “apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor”.

Para comprovar sua ligação com a instituição, o ex-ministro apresentou fotos de seis prêmios que recebeu da FGV como reconhecimento ao seu trabalho. E, em todos eles, é identificado como professor.

Decotelli também aparece com um histórico de docência em 25 turmas dentro da FGV, atuando em cinco disciplinas: Análise de investimento e riscos; Análise de viabilidade de projetos; Economia empresarial; Finanças internacionais; e Matemática financeira.

 

Leia Também
Decotelli cede à pressão e deixa o MEC
FGV nega que Decotelli tenha sido seu professor efetivo
Com erros no currículo, posse de Decotelli no Ministério da Educação é adiada
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Sargento preso com droga na Espanha segue vinculado à FAB

2 comentários

  1. Coitadinho. Tem que pedir pra FGV revisar o CV dele, que colocou, de propósito, um doutorado.
    Reza que passa.

  2. A FGV é muito engraçada. No meio da fauna de doutores conservadores, pró-mercado, quase vendilhões das riquezas e do patrimônio público, mas em grande parte sustentados com verbas públicas, mantém alguns picaretas, sabujos, igualmente pró-mercado e igualmente quase vendilhões das riquezas e do patrimônio público. Esses picaretas menores vivem sob o guarda chuva da douta Fundação e dão palestras interna e externamente e se aproveitam do prestígio de viverem sob suas graças. Entretanto, quando uma atitude desairosa, um “deslize”, uma safadeza de algum desses pequenos picaretas se torna pública, a douta Fundação corre para dizer que nem conhece o tal. Assim foi com um cidadão especializado em gás natural que pontifica(va) palestras a fora sob os auspícios da douta Fundação. Mas, de uns tempos para cá, ela resolveu desautorizá-lo, desmenti-lo, desconhecê-lo etc., como se pode ler aqui: https://www.poder360.com.br/economia/fgv-desautoriza-consultor-que-fez-plano-para-gas-natural-a-pedido-de-guedes/. A FGV é muito engraçada: não assume as encrencas que produz e sustenta.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome