O erro de não ter entendido a tempo a natureza do Ministério Público, por Madeleine Lacsko

Mostrei a DIVERSOS promotores e procuradores as mensagens dantescas dos grupos extremistas de whatsapp em que me infiltrei. Não fazem NADA. Quando trabalhei no STF, descobri que os processos não têm metade do que falam nas entrevistas Agora descobri que a coragem é ilusão

@madeleinelacsko, pelo Twitter

Meu maior arrependimento em quase 24 anos de carreira é ter dado tanto palco para promotores e procuradores. Em retrospectiva, tinha razão quem me dizia que é exceção no Ministério Público quem honra as calças – e as saias. Chutar cachorro morto é diferente de agir quando deve.

O silêncio de promotores e procuradores que comentam até final de novela é ENSURDECEDOR. Muita comodidade acaba matando a vergonha na cara. É preciso repensar o que fizemos com as carreiras jurídicas, uma máquina de produzir deslumbrados e acomodados.

Que as poucas exceções do Ministério Público, os que AGEM e não são só garganta, consigam sobreviver no meio de tantos narcisistas deslumbrados. Eu só percebi meu erro de acreditar nessa gente quando ameaçaram meu filho. Não espere nada deles além de discurso e desprezo.

Mostrei a DIVERSOS promotores e procuradores as mensagens dantescas dos grupos extremistas de whatsapp em que me infiltrei. Não fazem NADA. Quando trabalhei no STF, descobri que os processos não têm metade do que falam nas entrevistas Agora descobri que a coragem é ilusão

Não previ os comentários, mas NÃO é sobre a Lava Jato, é sobre 24 anos de carreira. Na CPI da Máfia dos Fiscais, um vereador me deu o alerta sobre o MP. Eu deveria ter ouvido.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome