Ensaio sobre a cegueira política… e sobre o preconceito, por Sergio Saraiva

Pensei em dar a este post o título de “todo castigo para corno é pouco”. Mas, não chuto cachorro morto. Tampouco recuso o abraço de um possível – ainda que improvável – aliado.

Ensaio sobre a cegueira política… e sobre o preconceito, por Sergio Saraiva

Uma grande matéria da Revista Piauí mostrando que não existe bolsonarismo arrependido, mas sim antipetismo frustrado.

Mostra também – como em um estudo sociológico – como o preconceito de classe atávico em parte da nossa sociedade a torna cega, mesmo a fatos – os resultados positivos dos governos Lula na economia ou que Bolsonaro sucedeu a Temer do PMDB e não ao PT – e propícia para ser instrumentalizada por interesses da direita.

E esse preconceito de classe transformado em cegueira política também faz com que ela faça repetidamente escolhas prejudiciais a si mesma.

 PS1 – pensei em dar a este post o título de “todo castigo para corno é pouco”. Mas, não chuto cachorro morto. Tampouco recuso o abraço de um possível – ainda que improvável – aliado.

PS2 – Oficina de Concertos Gerais e Poesia – um olhar distorcido que permite ver a realidade como ela é.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O ativismo das patentes inferiores e o perigo da perda da hierarquia nas forças armadas, por Rogério Maestri

2 comentários

  1. Lendo a instrumentação dos preconceitos de acordo com as conveniências me ocorreu algo engraçado : Bolsonaro e sua turma moram numa cidade e utilizam-se de um Palácio que foram arquitetados por um comunista.

Comments are closed.