Fachin age “para eleger Lula de forma não aceitável”, diz Bolsonaro em novo ataque golpista

Questionado sobre debates do primeiro turno, Bolsonaro agora diz que deixará participação "em aberto"

Jair Bolsonaro em ambiente externo com uma bandeira do brasil amarrada no ombro
Foto: Isac Nóbrega/PR

Candidato à reeleição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta segunda, 6, que o ministro Edson Fachin, atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), age “para eleger Lula de forma não aceitável”. O novo ataque à lisura do processo eleitoral, mirando a suspeição de Fachin e outros dois ministros do TSE, aconteceu durante entrevista à Bandeirantes, com transmissão ao vivo nas redes sociais.

Seguindo a estratégia de colocar as eleições em xeque, Bolsonaro disse que Fachin e os ministros Luis Roberto Barroso e Alexandre de Moraes interferem no processo, insinuando que a intenção é favorecer Lula. O extremista de direita afirmou que Barroso agiu pessoalmente para barrar no Congresso a PEC do voto impresso, enquanto Moraes administra inquéritos contra o bolsonarismo e ameaça cassar o registro de quem lança dúvidas sobre as urnas eletrônicas.

“Fachin foi o relator do processo que retirou Lula da cadeia, e agora está à frente do TSE. Ou seja, um tremendo desgaste dele para retirar Lula da cadeia, está na frente do TSE, e tudo faz para não ter transparência [nas eleições]. Obviamente que vou entender que é para eleger o Lula de forma não aceitável no meu entender”, disse Bolsonaro.

Na visão de Bolsonaro, as eleições seriam “transparentes” com “contagem paralela de votos” pelas Forças Armadas. Mas como a proposta foi rejeitada por Fachin, Bolsonaro usa a ideia para afirmar que o ministro do TSE é contrário à transferência.

Subindo o tom contra os ministros, Bolsonaro ainda insinuou que haveria possibilidade de desviar votos no momento da apuração. Ele usou a vitória apertada de Dilma Rousseff contra Aécio Neves na eleição de 2014 para inventar a tese de que a contagem de votos foi manipulada de última hora no TSE.

“No meu tempo, ganhava eleição quem tem voto dentro da urna. Agora – é um direito meu desconfiar – espero que não ganhe as eleições quem tem amigo para colocar o voto dentro do TSE”, disse Bolsonaro.

O extremista também foi questionado sobre participação em debates no primeiro turno. Após dizer que não pretendia participar, a não ser que as perguntas fossem “pré-acertadas” com os veículos, Bolsonaro agora afirmou que deixará a questão “em aberto”. “Isso é uma questão de estratégia no primeiro turno. Nenhum presidente participou. Quero deixar em aberto. Vou deixar em aberto”.

Para finalizar, Bolsonaro também colocou as pesquisas eleitorais sob suspeição, afirmando que suas viagens mostram alto apoio popular. Por isso, na sua visão, é impossível Lula ganhar no primeiro turno. “(…) ministro Barroso, Fachin e Alexandre de Moraes: pelo que se vê nas ruas comigo, é impossível não ter segundo turno, ou é quase impossível eu não ganhar no primeiro turno.”

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vladimir

- 2022-06-07 13:10:57

O presidente Lula foi escrachado,preso,impedido de concorrer à presidência da república e,em nenhum momento,deixou de acreditar na justiça e de lutar dentro deste sistema judiciário. Não fez isso por valentia. Fez por entender que a justiça é um dos pilares da democracia. Mesmo injustiçado por uma gang infiltrada dentro do sistema judiciário brasileiro que cerceou seu direito de defesa,que torturou pessoas para envolvê-lo em corrupção onde seuqer existia indícios para tal,que espionou o escritório de advocacia encarregado de defendê-lo.que divulgou aúdios manipulados com a única finalidade de provocar a ira da opinião pública,mesmo assim o presidente Lula sempre disse acreditar na justiça. O presidente Lula tinha e tem a noção exata de sua dimensão política e sabe muito bem que não pode falar asneiras contra a democracia. O sujeito que ocupa a presidência da república hoje,contenta-se em ter a importância de um inseto. diz bravatas como se estivesse em um bar com sujeitos do mesmo naipe. Infelizmente,nossa mídia golpista parece coadunar com este tipo de pensamento de ataque as instituições democráticas já que não noticiam fato de tal magnitude como noticiavam,por exemplo,um pedalinho adquirido pelo presidente Lula. A democracia não corre perigo em osso país.ela simplesmente não existe como tal.A eleição de outubro é a chance do país,mais uma vez,tentar restabelecer a democracia. Mais uma vez contra os milicos e milicianos e seus prta-vozes da mídia golpista.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador