O Judiciário e as elites levam o Brasil à rebelião, por Aldo Fornazieri

O Judiciário e as elites levam o Brasil à rebelião

por Aldo Fornazieri

Nas democracias, as eleições funcionam como processos de relegitimação do poder, da autoridade em geral e dos governos, principalmente quando elas ocorrem em momentos de crise ou como instrumentos para superar crises. No presidencialismo, elas conferem força, legitimidade e autoridade a um presidente eleito. No parlamentarismo, governos enfraquecidos que  perdem apoio social e parlamentar, normalmente, são substituídos por um novo governo nascido de uma eleição parlamentar antecipada visando formar uma maioria para conferir autoridade e legitimidade a um novo gabinete ministerial.

As eleições presidenciais brasileiras de 2018 estão caminhando no sentido contrário daquilo que deveria ser a sua função precípua: dar legitimidade e força a um novo presidente para enfrentar os gravíssimos aspectos da crise. Esse sentido contrário indica que as eleições se revestirão de ilegitimidade, elegerão um presidente fraco, agravarão a crise política e o futuro governo não terá força e capacidade para enfrentar a crise econômica e social. O nó górdio dessa ilegitimidade é o impedimento de Lula e a manutenção de sua prisão ilegal. Na medida em que forças políticas e sociais estão sendo levadas para um beco sem saídas, não lhes restará outro caminho a não ser a rebelião política para contestar, derrubar e reformar uma ordem que se tornou ilegítima. A participação do PT nas eleições com uma outra chapa, não lhe retira o caráter ilegítimo. O problema está no povo que está sendo impedido de votar no candidato que a maioria quer.

Os principais responsáveis por construir esse caminho da rebelião são o Judiciário e o Ministério Público associados à grande mídia, de um lado, e as elites predatórias que contam a seu serviço o alto funcionalismo estatal, de outro. Examine-se a conduta do Judiciário, do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. Esses setores transformaram a operação Lava Jato num instrumento de perseguição política contra aqueles que juízes, procuradores e delegados elegeram para serem os seus inimigos ideológicos, com Lula em primeiro lugar. A quantidade de arbitrariedades de violações da Constituição, de leis e de direitos individuais que os operadores da Lava Jato praticaram, partido de Curitiba, passando por Porto Alegre e chegando aos tribunais superiores em Brasília, são incontáveis.

Pode-se mencionar as conduções coercitivas, prisões arbitrárias, delações forjadas, condenações ilegais, notadamente a do presidente Lula. Some-se a isso, o aval que o STF deu ao golpe e a validação de leis inconstitucionais a exemplo da prisão sem que a sentença tenha transitado em julgado, como garante o artigo 5° da Constituição, e a própria lei da Ficha Limpa. O juiz Moro, os desembargadores do TRF4 e ministros dos tribunais superiores de Brasília estão gritando: “a lei sou eu”. A lei e a Constituição foram substituídas pela vontade arbitrária dos juízes, que instauraram o reino do mando pessoal como sempre vigeu no Brasil colonial, imperial, da Primeira República e cujas práticas nefastas renascem hoje com vigor bramidas justamente por aqueles que deveriam combatê-las. O dia 8 de julho será marcado como um dia exemplar para provar que o que vale no Brasil não é a lei e a Constituição, mas o poder pessoal de desembargadores, de delegados, de juízes e da procuradora Geral da República, ao interferirem de forma ilegal para impedir que Lula fosse solto.

Agora, esse mesmo Judiciário se prepara para desacatar uma determinação de um Comitê de Direitos Humanos da ONU para impedir que Lula seja candidato e, consequentemente, que ganhe liberdade em face de sua prisão ilegal. O Judiciário e o MPF já perderam todo o pudor em face de sua senda criminosa na violação recorrente da Constituição e das leis. Destruíram a autoridade e a legitimidade jurídica ao usarem as leis e o direito como instrumentos de guerra contra aqueles que eles elegeram como inimigos políticos e ideológicos. Existe hoje uma enorme pressão internacional pela liberdade e pelos direitos de Lula vinda de juristas, intelectuais, artistas e políticos de renome mundial e de organismos de Direitos Humanos. Mas as autoridades brasileiras se comportam como chefetes de ditaduras, de regimes de apartheid de tirania, insensíveis a estes reclamos. Mas como todo regime arbitrário, esses chefetes também, algum dia, irão cair.

No Brasil não há mais leis e nem Constituição. Há a vontade arbitrária dos juízes. A destruição do sistema jurídico irá levar a uma rebelião, pois aqueles que são perseguidos não tem a quem recorrer, dadas a contaminação e a putrefação do Judiciário, transformado em instrumento de guerra política. Os perseguidos pelo Judiciário estão num beco sem saída: ou reagirão se rebelando ou serão destruídos. Esta rebelião terá que ter como finalidade restaurar o funcionamento da Constituição, a legitimidade do poder, promovendo um expurgo daqueles que a violaram. A guerra jurídica que a PGR, que o Judiciário e que delegados da PF movem contra os seus inimigos é ampla e diária, uma guerra sem quartel, e que conta com vários tipos de iniciativas, antecipações de processos e ilegalidades.

Pelo outro lado, as elites predatórias, através do governo Temer e do Congresso eleito pelo poder econômico, estão destruindo toda estrutura da política social e científica do Brasil, assim como os direitos trabalhistas e o conteúdo estratégico nacional da economia. O objetivo é claro: aprofundar a condição do Brasil de país de mão de obra barata e abundante e desprotegida de direitos para que ela seja usada por multinacionais, repetindo aquilo que a China foi no passado. Ocorre que a China tinha um projeto estratégico de industrialização e de inserção global, algo que o Brasil não tem. Na China, o processo foi comandado por um Estado forte, exigindo contrapartidas tecnológicas, e aqui os trabalhadores estão sendo entregues de bandeja à sanha do capital.

Hoje existem no país 106 milhões de pessoas que vivem com até um salário mínimo,sendo que destes 50 milhões vivem com até R$ 387 por mês e 15 milhões com até R$ 100. A devastação da mão de obra brasileira será ainda maior se triunfarem os projetos do PSDB e do centrão, do MDB ou do Bolsonaro. Os empregos serão de curta duração, os salários serão ainda mais baixos, o desemprego alto e os direitos ainda mais precários. A par disso, o petróleo, a água, a Amazônia e os minérios continuarão sendo entregue para a rapina do capital internacional. Este é o projeto que está em curso e que conta com o respaldo da elites do funcionalismo público, dos juízes, dos procuradores, dos delegados e de alguns generais.

As condições de vida, de trabalho e de renda, o desemprego, estão levando as pessoas ao desespero social, a um beco sem saída existencial. A expansão do crime organizado e as explosões sociais tendem a se multiplicar. A degradação social está se tornando generalizada. Trata-se de condições de vida insuportáveis e inaceitáveis. Diante disso, é preciso estabelecer uma ligação ampla, sólida e organizada entre os perseguidos políticos e os excluídos sociais, pois o que está em jogo é a sobrevivência ou uma vida miserável, a luta ou a perda da dignidade. Manter Lula na  cadeia e impedido de concorrer também é um elemento da estratégia para alargar o contingente da mão de obra barata e sem direitos. Assim, o Judiciário e as elites predatórias e seus serviçais no Estado e na grande mídia estão empurrando o Brasil para uma única saída: a rebelião.

Algo de muito errado aconteceu com o Brasil porque foram feitas coisas muito erradas. Num futuro próximo isto terá que ser analisado e criticado. Quando, na política, pontificam e têm espaço tipos como Bolsonaro, Cabo Dalciolo, Álvaro Dia, Amoedo e que tais, é porque a alma cívica do país ou está muito doente ou já está morta. A expulsão de venezuelano, o assassinato de mulheres, a violência generalizada são sintomas da nossa morte cívica.

É preciso reagir com vigor e barrar esse processo inescrupuloso  e criminoso de destruição do Brasil e da dignidade do seu povo. É melhor lutar com coragem do que morrer sem dignidade. O medo da degradação e da morte indigna deve nos atormentar todos os dias. Existem altas razões que nos indicam que devemos temer o pior para o Brasil e para seu povo. Mas temer o pior, na maior parte das vezes, é a condição principal para combater, enfrentar o mal. Temos razões para estar aflitos. E não raras vezes, a coragem nasce dos temores que afligem os nossos corações.

Aldo Fornazieri – Professor da Escola de Sociologia e Política (FESPSP).

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Golpe com Supremo, contudo com fardados, por Wilson Luiz Müller

37 comentários

  1. A ONU deu LEGITIMIDADE pro

    A ONU deu LEGITIMIDADE a um CONTRA GOLPE !!!

    Qq reação não pacífica deverá ser definida como ATO DE DEFESA

    Os GOLPISTAS caminham a passos largos na direção de se tornarem réus diante de TRIBUNAIS INTERNACIONAIS

    Na fila de CRIMINOSOS se encontram agentes no Judiciário (STF, STJ, TRF, MP e PF) e da mídia tb

    TODOS golpistas podem ser enquandrados como praticantes e/ou colaboradores pra que CRIMES de LESA HUMANIDADE ocorressem  ..por atentado ao Estado de direito, perseguição política, prisões e penas arbitrárias e TORTURA, por exemplo.

    O GOLPE precisa ser enfrentado com CORAGEM e altivez e na devida medida do que representa !!!

    A DESOBEDIÊNCIA CIVIL deve ser proclamada e difundida entre os CIVIS

  2. O velho debate: valor estratégico ou universal?

    Olha, eu acho que o articulista deve ter amadurecido sua posição a respeito desse interminável dilema que assombra a esquerda faz tempos.

    Já a Direita tem isso bem resolvido, também faz tempos!

    Seu texto evidencia isso. Ele toma a Democracia como valor universal,  logo, é possível para ele (e para quem concorda com ele) termos uma Democracia como pressuposto de um modelo capitalista e vice-versa.

    Discordo dessa opinião, mas também não creio que vamos esgotar esse tema aqui.

    Mas o que mais me assombra é um trecho do texto:

    “(…) Esses setores transformaram a operação Lava Jato num instrumento de perseguição política contra aqueles que juízes, procuradores e delegados elegeram para serem os seus inimigos ideológicos,(…)”.

    Ora, olhando de uma perspectiva histórica, apesar do pouco tempo de existência do fenômeno estrito chamado “lava-jato”, quero crer que tais manifestações do judiciário e do aparato policial não são novidade na História, e por isso mesmo, sabemos ser impossível que a lava-jato fosse algo diferente do que ela aparente ser.

    Então o articulista esperava algum sopro republicano e reformador (no sentido progressista) nessa cruzada moral quando diz que o judiciário e polícia a “transformaram”?

    Ficou mal explicado ou é o cacoete da republicanismo moralista de esquerda mostrando os dentes, junto com a crença de que Democracia é valor universal, aliás, esses dois sintomas se relacionam quase como causa e efeitos recíprocos.

     

  3. Lula

    Na minha opinião o Lula está gaga. O peso dos anos se fazem sentir e ele foi um presidente que perdeu uma chance de ouro para negociar uma melhor posição para o Brasil.

    Eu mesmo aqui no Nassif, cansei de falar que ele estava no caminho errado e que o assistencialismo é o presente que se dá antes de se esfolar vivo quem recebe.

    Não vejo possibilidade alguma de ele resolver o imblroglio brasileiro atual, muito pelo contrário e desafio a qualquer um me provar que estou errado.

    • Diminuição da pobreza 

      Diminuição da pobreza  ..melhora na distribuição de renda  ..geração recorde de emprego, crescimento e desenvolvimento humano com inflação sob controle, divida e carga cadentes ..bancarização e aumento do crédito pra consumidores e empresas

      OBRAS seculares e estruturantes sendo tocadas, inclusive no PLANO MILITAR (com satélites, acelerador de particulas, submarino, caças etc)  ..TRANSPOSIÇÂO do São Francisco, aumento da nossa fronteira marítima  em 720 mil km2  e viablização da PRÈ SAL

      Recordes positivos em diversas frentes ..na saúde, expectativa de vida, escolaridade, inclusão social  e assistencial (bolsa, eletrificação, cisternas, mais médicos etc)

      Inserção altiva e NUNCA ANTES vista do BRASIL no plano Internacional (inclusive com as consquistas, SIM, da Copa e Olimpíadas  ..sendo que o que veio depois caberia a NÒS tb fazermos dar certo, ou não ?)

      ..isso tudo em 8 anos  ..OITO ..basicamente com o mesmo modelo político e econômico

      Isso tudo é fruto da política na compreensão plena ..de LIDERANÇA ..UM TOMA LÁ da cá que hoje IMBECILIZADOS, ou mal intencionados, tentam criminalizar

      se tudo isso ainda não o convenceu a ponto de pedir mais provas  ..desculpe ..nada o convencerá (nem mesmo a lembrança pelo pagto do FMI ou a participação nos BRICs com diminuição da dependência dos EUA – um outro autor do golpe)

      EM tempo  ..o que muitos insistem em não admitir é o PESO da crise MUNDIAL de 2008 que aqui, devido aos incentivos internos e dos EUA à época (desvalorização do dolar, aumento dos gastos etc), só foi bater mesmo em 2013 (com a queda das commodities)  ..ou, culparem LULA pelos ERROS políticos-administrativos e econômicos de DILMA VANA (e a previsível FRUSTRAÇÃO de qq um que fosse o substituto de LULA da SILVA com 85% de aprovação)  ..fora, claro, negarem a influência do PANICO e do GOLPE criados, com a anuência da turma da LAVA JATO, que nos impuseram prejuízos BILIONÀRIOS que levarão DÈCADAS pra serem compensados

      LULA, em verdade, não é cristo, mas é o melhor que produzimos pra nós mesmos, e pro MUNDO ..agora, que ele paga por todos os nossos pecados e defeitos, disso eu não tenho duvidas

      No mínimo hoje, de nós, ele merece gratidão e respeito (por tudo o que fez) ..e NENHUMA duvida do que ele ainda é capaz de nos legar, bastando aqui refletirmos sobre o DESCORTINAR que ELE (LULA) nos permitiu ao expor o PODER NEFASTO que uma mídia CRIMINOSA aliada aos Poderes Permanentes de Estado (não eletivos – tipo polícias, judiciário e forças armadas) são capazes de promover contra o seu próprio povo

       

      A VERDADE vos libertará  ..disse um certo personagem

      • Não disse que não fez nada…

        Mas o verdadeiro mal a que se dobrou, o Anatocismo e os Juros Pornográficos que o Brasil pagou e ele podia ter renegociado o condenam à maior burrice já vista em um governante brasileiro.

        Me convença do contrário, mas até Keynes está comigo nesta, não esqueça.

        • A cada dia com o seu
          A cada dia com o seu desafio

          Lula assumiu num clima de incertezas e com o país no fundo do poço

          Saiu de -us$ 60 bi (Negativas) em reservas e entregou com + de 300 bi, com recordes nas exportações e importações tb

          Não obstante, também nos legou uma dívida menor frente ao PIB qdo comparado ao que herdará, fora do perfil mais alongado e menos indexado ao câmbio

          Como numa cx de ferramentas, a economia não pode ser vista ou trabalhada somente por uma variável, assim como um mecânico não pode se valer somente duma chave de fenda

          Não sei se KEYNES está comigo, não sou nenhum MEDIUM como vc parece ser ..ou isso, ou vc esta vendo coisas aonde não existem

    • Verbo gaguear

      Parece que o nosso amigo Alexandre é que gagueou (do verbo gaguear; ficar gagá).

      Lula não é um Deus, nem nunca teve essa pretensão. 

      Ele apenas encarna uma ideia muito factível de que tirando os pobres da miséria, dando aumento real ao salário mínimo, respeitando os direitos conquistados pelos trabalhadores, priorizando as políticas de educação, saúde e ciência e tecnologia, preservando o meio ambiente, respeitando os direitos humanos e o estado democrático de direito, e o Estado investindo em infraestrutura, um governo popular põe para funcionar e dinamizar o sistema econômico.

      Com isto todos ganham, inclusive os ricos.

      Para tanto, é preciso financiar a alavancagem desse ciclo virtuoso.

      Ora, o país dispõe de água, petróleo, vento, sol, canaviais, nióbio, soja, carnes e tudo o mais de recursos que se possa imaginar. 

      O que é estratégico fica a produção sob a responsabilidade do Estado Brasileiro, Os demais recursos (80%) ficam com a iniciativa privada nacional e estrangeira.

      Uma reforma tributária, de um lado, para aliviar os impostos sobre os pobres e a classe média vai impulsionar o consumo e a produção e, de outro lado, para taxar fortemente os ricos (pessoas físicas e jurídicas), como fazem os países desenvolvidos da Europa, vai zerar o deficit fiscal. 

      Ora, é tão simples.

      O que é preciso: apenas um líder, respeitado, admirado e eleito pelo povo, um pacifista que entende a luta de classes como uma contenda civilizada em que a maioria (trabalhadores) se impõe sobre a minoria (burguesia) respeitando seus direitos, é capaz de levar adiante essa ideia.

      Quis o acaso que esse cara fosse o Lula.

       

  4. O que vira

    Totalmente de acordo professor Aldo com mais um de seus artigos realistas, mas o que falta para a esquerda em peso chamar para as ruas todos os movimentos, os sindicatos que ainda estão em pé e todas as pessoas deste Pais que não coadunam o que vem ocorrendo? O PT, o PSOL e demais esperam pacificamente que as coisas se arranjarão com as eleições, que Haddad vai ganhar e assim colocaremos o Pais em ordem. Mas a se continuar as coisas continuarem assim, não teremos nem PT nem nenhum candidato do centro para a esquerda no segundo turno eleitoral. Eh preciso que as pessoas compreendam, inclusive as insanas classes médias, que o que vêm pela frente talvez seja muito pior do que ja experimentaram até aqui.

    • Vejo nessa falta de reação da

      Vejo nessa falta de reação da esquerda o trauma da ditadura militar.

      Acredito que a época para a radicalização já passou, estamos vivendo em tempos muito perigosos. Mesmo assim a esquerda segue pacífica, esperando por milagres.

      A memória do que ocorreu nos anos de chumbo e a certeza da impunidade para seus perpetradores (a maldita Lei da Anistia) deixaram a esquerda acovardada para reagir com firmeza contra esses abusos.

      Pode demorar, mas uma hora essa panela de pressão vai ter que estourar…

       

  5. A saída é retroceder aos anos 80

    Não haverá rebelião popular neste momento.

    A partir da década de 80 houve um crescimento das organizações populares. O PT foi consequência disso.

    Porém, ao assumir o Executivo, o PT distanciou-se das organizações populares, colaborando para a desorganização ou imobilidade política como a dos sindicatos mais combativos. Foi um processo lento, em mais de 10 anos.

    Quando a desorganização popular era dominante, a direita deu o golpe e impõe sua vontade num povo desarticulado, domesticado, manipulado em suas consciências.

     

     

    • Concordo.
      Mas espero que o

      Concordo.

      Mas espero que o plano da nova esquerda seja mais amplo do que simplesmente buscar direitos do trabalhador, pois ficou bem claro que qualquer conciliação com a direita é impossível no Brasil.

      Ou a nova esquerda que surgir toma o poder definitivamente, ou joga a toalha de uma vez.

    • ?

      Morre nada. Quando ouvir o sapeca iá-iá sai correndo.

      Não tem a menor ideia do que é um confronto armado, com barulho dos projetis de fuzil zumbindo no ouvido e espatifando no poste, único lugar de abrigo que restou.

       

      • acontece o mesmo do outro lado…

        ainda mais quando nem dá tempo de ouvir o disparo…………………..

        confronte armado hoje em dia é decidido por poucos, no máximo 5 muito bem colocados

        e a tropa se borra de medo, porque cobertura radial de 1,5 Km em centros urbanos é praticamente impossível

        já vai caindo quando se desloca pra cobertura ( razão de serem 5 com 3 sem presença )

         

        em tempo: sei disso dos filmes

        detonada a 1,5 Km de distância, o que chega aos ouvidos é o último suspiro da vida

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

         

        • Rebelião não é necessariamente confronto armado, guerra civil

          Uma rebelião não é necessariamente um confronto armado ou guerra civil. A queda de alguns regimes do Leste Europeu foram feitas por rebeliões populares,  assim como as revoltas da Primavera Árabe. Rebelião, em princípio, são grandes mobilizações para derrubar uma ordem ilegítima vigente. Concordo com o artigo: 1) as oposições, principalmente o PT, estão sendo empurrados para um beco sem saída, estrangulados por mecanismos de exceção, pela guerra que o Judicário lhes move; 2) o povo e os trabalhadores também estão sendo levados a um nivel de  vida, de renda e de pobreza insuportáveis, com a destruição do sistema de direitos. Não restará a esses setores outra alternativas que não sejam recorrer a revoltas populares. Caso contrário sofrerão na  opressão indigesta.

  6. Boa análise, em que destaco duas sentenças.

    Colecionei incompreensões, ofensas e adjetivação depreciatória pelos comentários críticos que muitas vezes fiz a artigos de Aldo Fornazieri, Wanderley Guilherme e outros chamados ‘intelectuais esquerdistas’. Mas se fiz e faço críticas duras e impiedosas a esses e outros acadêmicos das ciências políticas e sociais é porque sei da capacidade deles em produzir análises corretas, como a exposta neste artigo.

    Destaco duas sentenças deste artigo, que são a chave para compreender como e por que chegamos a essa situação e qual instituição (sim, partido político é instituição num Esatdo que se pretenda Democrático e de Direito) deve organizar, coordenar e liderar a resistência. 

    “A participação do PT nas eleições com uma outra chapa, não lhe retira o caráter ilegítimo. O problema está no povo que está sendo impedido de votar no candidato que a maioria quer.”

    Se o PT e a Esquerda entubarem qualquer espécie de “Palno B”, estarão legitimando o golpe. Uma vez legitimado o golpe, através de uma farsesca e fraudulenta eleição, a situação de nova colônia dos EUA e da finança internacional estará consolidada até a metade deste século pelo menos.

    • Análise e crítica construtivas

      A grande diferença, João de Paiva, entre os teus últimos posts e aqueles que você postava antes é que os últimos fazem análises e críticas contrutivas, buscando o diálogo com os interlocutores. Os anteriores eram negativos, destrutivos. Parabéns pela mudança.

  7. esqueceu dos empresários.

    O projeto não conta com o respaldo só das ‘elites do f,uncionalismo público, juizes, procuradores, delegados e alguns generais’, conta também como uma grande, senão a maior parte do empresariado. Eles estavam na orquestração do Golpe, a CNA,a CNI, o mercado financeiro; os grandes empresários querem esse projeto,são os maiores beneficados, só estão na dúvida se vão de A ou B. Sem contar com o papel dos empresários nesse projeto fica parecendo que se trata só de uma luta entre o ‘povo’ e os ‘representantes do Estado’ – algo bem ‘liberal’ – não é isso, o projeto é de uma classe contra outra, os agentes de repressão do Estado são só intermediários – e obviamente beneficiários desse projeto, até proque muitos deles são ’empresários’.

  8. Mário Quintana tinha/tem um aforismo (ele era dado a aforismos)

    “Provinciano é sair da província” – é um deles. Nunca foi pra Academia Brasileira de Letras. Nesses dias falaram que jornais estrangeiros noticiaram a tal “fake news” (que o são a meu ver, como milhões de jogadas de habeas corpus pela Defesa, estratégia que todo advogado faz pra dar expectativa e manter o cliente e, no caso, manter o nome Lula em voga). A BBC Brasil matou a pau (reproduzi por aqui, mas a Moderação só publicou umas 6 horas depois, sempre com a data do envio, eventuais postagens só saem no final da noite ou no dia seguinte…). Não é verdade que a mídia nativa abafou, A FSPaulo deu, e muito bem. Mas é bom ver o que uma parcela mínima e que não tem repercussão significativa acha, opina, dá pitaco.

  9. se acontecer da direita ganhar…

    ficamos como sendo única saída…………………………..

    pois acredito que ouviremos do próprio presidente que chegou a hora de retirar a liberdade ou a vida de alguns para assim poder garantir a segurança de todos

    foi testado na a Internet, com os face-cus da rede, e constataram que teve ótima aceitação da parte da sociedade que lhes interessa ( controle da liberdade em nome da segurança )

    • visto da economia também…

      quando se produz muitos pobres, os custos contratuais e, por tabela, os preços no geral, despencam justamente para a parte da sociedade que lhes interessa……………………….o Brasil está grávido da escravidão moderna

  10. Dessas línguas Fornazieri afiadas que precisamos

     

    Parabéns pela brilhante escrita e coragem destemida de dizer o que é . 

  11. o judiciário e as elites levam o brasil à rebelião

     

    A reflexão trazida pelo texto me colocou a realidade de que nossa “alma cívica está doente,morta”, motivo pelo qual,  criou espaço para o aparecimento dos candidatos que aí estão. 

    Uma verdadeira devastação.

  12. bom post.

    O resultado da eleição não vai encerrar os problemas que vivemos!

    Só vai abrir um novo capitulo.

    Se a DIREITA ganhar vai aprofundar os “ajustes liberalizantes” ?.Vai privatizar tudo? E os setores contrariados da própria direita? Cmo vai administrar isso! Como vai agir com um congresso com seus próprios enteresses?

    Como vai enfrentar as castas previlegiadas do judiciário, PF, procuradores? Vai dar liberdade para atuarem como fazem agora?. Vai incentivar? Mesmo a direita vai ter que encarar o desafio!. 

    Sem encarar isso naão governa!

    Teria que ter um grande candidato pra resolver tudo isso, e não tem! Alkmin e Bolsonaro são uma piada!

    Se a ESQUERDA (PT, o resto não conta) ganhar  terá que mexer em vários vespeiros ao mesmo tempo.

    Como retomar o crescimento da economia?.

    Como desfazer o monopólia da midia?.

    Como enfrentar as castas do judiciario, PF, procuradores?.

    Vai ter força para tanto? Vai ter uma bancada que a apoie? 

    Se não fizer isso não governa!

    Não dá para ter esperança qualquer que seja o resultado!

  13. O Judiciário e as elites levam o Brasil à rebelião

    -> A participação do PT nas eleições com uma outra chapa, não lhe retira o caráter ilegítimo. O problema está no povo que está sendo impedido de votar no candidato que a maioria quer.

    -> O juiz Moro, os desembargadores do TRF4 e ministros dos tribunais superiores de Brasília estão gritando: “a lei sou eu”.

    -> Este é o projeto que está em curso e que conta com o respaldo da elites do funcionalismo público, dos juízes, dos procuradores, dos delegados e de alguns generais.

    -> Algo de muito errado aconteceu com o Brasil porque foram feitas coisas muito erradas. 

    as máscaras caíram. está desmascarada a face horrenda da lumpenburguesia brasileira.

    enquanto não a impusermos uma derrota histórica, ainda seremos escravos e descendentes de escravos.

    a nossos senhores não derrotaremos através de nenhuma conciliação “sem preconceitos” levada a cabo por Haddad “advogado de Alckmin”, ou qualquer outro poste do Lulismo.

    tampouco será pura e simplesmente pelo voto.

    como nunca antes neste país está exposto escancaradamente: só o povo organizado pode derrotar a lumpenburguesia brasileira.

    não será pacífico, pela paz e amor de Lulinha e seus postes. a violência é a parteira da História.

    ou parimos o futuro, ou nos perdemos na barbárie.

    hoje. Rio de Janeiro.

    13:30h. Linha Vermelha. engarrafamento quilométrico. em frente ao Complexo da Maré, os “verde-oliva” apontam metralhadoras pesadas para as casas na favela. por que não se envergonham de buscarem por bandidos entre a população pobre, se os maiores bandidos estão no Judiciário e no grande empresariado?

    17:30h. Centro. Camelódromo. Benedita e Lindberg põe a cara à tapa e fazem campanha no território lumpen empreendedor precarizado. alguns gritos de “Bolsonaro” e “Lula na cadeia!”. desacostumados ao pé no chão em meio ao povão, a comitiva tenta ajustar o tom.

    18:30h. Metrô Botafogo. partidários de João Amoedo tentam inutilmente justificar os R$ 217 bi de seu candidato aplicados em Renda Fixa. não sem alguma cândida surpresa, todos admitem ignorar do que se tratam as “Operações Compromissadas”, o over-night pelo qual o milionário remunera sua fortuna.

    19:30h. Metrô Botafogo. a campanha do candidato a governador pelo PSOL, Tarcísio, promove debate público.

    a luta de classes está nas ruas. diante de todos. as divisões sociais afloraram. não mais irão se recompor. é definitivo. queiram ou não, admitam ou não, compreendam ou não, somos um país em guerra civil. não haverá vencedores.

    herdaremos apenas ruínas. mas não deveríamos temer as ruínas.

    pois apenas os trabalhadores são os únicos a produzir riquezas. tudo o que agora os golpistas destróem foi construído pelos trabalhadores.

    por que então não haveriam de reconstruir tudo? e reconstruir em ainda melhores condições?

    Linha Vermelha: o inimigo para os “verde-oliva” é o povo pobre.

    Não à intervençao no Rio. Abaixo a Ditadura.

    https://www.facebook.com/OTTRJ/videos/vb.987839317922126/866563030206545/?type=3&theater

    .

  14. A rebelião pacifista

    Primeiramente , eu ia dar cinco estrelas para o post, mas faltou um pouco. Quando li sobre rebelião violenta, desiti de dar cinco estrelas.

    Aos poucos a ilha da fantasia que a esquerda construiu em sua imaginação vai se desfazendo. As asneiras do ” não vai ter golpe, vai ter luta”, foram se desfazendo em nada. Vai ter golpe sim. A direita não vai ceder voluntariamente e como tem feito nestes últimos 500 anos, vai impor su regime a ferro e fogo. E ai de quem contestar.

    Espero que ninguém faça a asneira de se rebelar de forma violenta, como fizeram durante a ditadura, e assim, acenderam o estopim das torturas e da contra-rebelião. Todas as tentativas de derrubar a ditadura militar pela força, deram em nada, repetindo, só resultaram em mais mortes, mais sangue, só por uma reação pacifista se vence um poder mais forte.

    Nenhuma rebelião violenta vai dar certo, porque todo o Império, estão com eles, mais as nossas Forças Armadas, mais a mídia, para ocultar qualquer rebelião, mais o Judiciário, mais o Ministério Público, Mais a Polícia Federal, mais uma grande parte da sociedade reaça, uns 30, 40%, e mais alguma coisa. A população não tem nem armas ( o PT desarmou todos ), nem treinamento, e nem espírito combativo já que vivemos num país onde nunca houveram guerras. Vão lutar com estilingues contra a Quarta Frota ? Não sejam ridículos. Sugerir rebelião violenta, é uma rematada tolice.

    Só quem já participou de guerras, regimes militares sabe o que é o horror da guerra, das torturas, nem queiram desejar isto mais uma vez para este país.

    A vitória não está em vencer, mas em convencer. Aquele que conseguir mexer nas convicções da elites, este vencerá todas as guerras, pois é no coração que as guerras são ganhas.

    A verdadeira crise brasileira, é uma crise de convicção. Só quem puder unificar a convicção deste povo, conseguirá tirar o país da crise.

    —————–

    Mahatma Ghandi, foi um dos exemplos de pacifismo, que, sem usar uma única vez a violência, somente a desobediência civil, venceu. Ele foi o primeiro homem a enfrentar o Império Britânico e sair vivo para contar história. Um Império tão gigantesco, que era chamado de ” Império do Sol”, pois tinha colônias  por todo o planeta, e dizia-se que o sol nunca se punha sobre o Império Britânico. Por fim, Ghandi se tornou um herói, até mesmo na Inglaterra, e até hoje a elite inglesa se morde de raiva por isto, não engoliu isto. Quando Ghandi conseguiu convencer as pessoas da grandeza de sua causa, quando os ingleses passaram a sentir vergonha do que faziam, ele venceu.

    Toda forma de rebelião pacifista será válida. Controle voluntário de natalidade, visando uma contração demográfica extrema, para protestar contra o desemprego,  ou outros tipos de protesto, como foi o protesto dos caminhoneiros, e outros do gênero. Recomendo a quem puder, se proteger da crise economica que pode se agravar muitíssimo mais.

    A crise que está se anunciando poderá fazer tudo o que vimos, parecer um piquenique de final de semana. Quem puder, que arrume uma segunda fonte de renda, aluguéis, investimento em ações, no Brasil e no exterior, se possível, mas que não fique dependente apenas de salário. E que não deixe de pagar seu INSS se possível for. Quem não puder, fica a sugestão acima, dos protestos pacifistas, apenas.

    Em breve a direita vencerá o pleito, e se não for nas urnas, será nos tribunais, e vão terminar de rasgar a clt, a Constituinte de 88 e tudo o mais.

     

     

    • Rebelião

      Em nenhum lugar do texto está escrito que a rebelião deve ser violenta. Rebeliões são mobilizações e manifestações de grandes multidões que visam derrubar uma ordem ilegítima. Normalmente são reprimidas pelas polícias. Mas rebelião não pode ser confundida com guerra civil.

      • O nome disto é desobediência civil

        Meu caro oraculum

        A própria palavra ” rebelião ” já nos remete a violência, isto o Sr. pode perceber na quantidade de comentários sugerindo armas, facões, e outros apetrechos de guerra. A maioria dos comentaristas interpretou rebelião como sendo violenta.

        Eu acho que a palavra certa a que o Sr. está se referindo seria ” desobediência civil “. Esta seria a versão mais apropriada para uma rebelião não violenta.

         

    • Índia, independência sem mortes? Desde quando?

      Meu caro, dizer que a independência da Índia foi obtida pelos movimentos de resistência pacífica é simplesmente debochar das centenas de milhares de pessoas que morreram executadas pelos ingleses e por conflitos embalados pelos ingleses entre as diversas índias. Como a Índia era um verdadeiro “continente” totalmente dividido em diversas etnias, religiões, castas, estas sempre foram utilizadas pelos ingleses para utilizando o conceito colonial de dividir para governar, centenas de conflitos durante o período colonial mataram milhares de pessoas. Culminando no fim, no conflito entre Indus e Muçulmanos em que morreram mais de um milhão de pessoas parte devido a teimosia de Gandhi em não aceitar a divisão do país e transformando a migração entre as fronteiras um verdadeiro caos.

       

  15. sobre o texto de Aldo Fornazieri

    O texto para mim traduz de maneira substancial os sentimentos e as apreensões que tenho carregado desde o golpe de 2016. De lá para cá o País degringolou de uma maneira absurda e assustadora. A operação Lava Jato não veio para combater a corrupção, isso é balela. Como afirma o professor Jessé Souza é pura cortina de fumaça, o grande roubo está definitivamente no capital financeiro, bancos, fundos, juros altíssimos, agências de ranking, dívida pública para justamente pagar os rentista…..empresas, políticos ligados e comprados pelos grandes grupos econômicos e, é claro, apoiado pela mídia oligopolista , leia-se, GLOBO.

    A situação é preocupante e o futuro será uma tragédia para o maioria trabalhadores desse País. Espero que os partidos do campo progressista e movimentos sociais se unam e lutem de maneira aguerrida. Não haverá outra maneira se não lutar para afastarmos a barbárie aqui implantada. Nada de aliança de classes e chega de reformismo fraco! Precisamos de mudanças profundas, mudanças estruturais! Precisamos enterrar a ideia, ou, as ideias neoliberais. O capitalismo só se preocupa com o $ (capital). O campo progressista precisa dizer para que veio. Precisa lutar por uma sociedade mais inclusiva, democrática e SOCIALISTA!! 

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome