Fux permite silêncio de Blanco e de reverendo na CPI da Pandemia

Presidente do STF acolhe de forma parcial pedidos de representantes da Davati e da Precisa, e faz ressalva sobre ‘abuso’

Jornal GGN – O ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu de forma parcial o pedido de quatro convocados da CPI da Pandemia, permitindo que eles fiquem em silêncio em relação a fatos que possam incriminá-los.

As decisões favorecem o reverendo Amilton Gomes de Paula, fundador da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários; o tenente-coronel Marcelo Blanco, ex-assessor do Ministério da Saúde; Túlio Belchior Mano da Silveira, representante da Precisa Medicamentos; e Cristiano Alberto Carvalho, representante da Davati Medical Supply.

Amilton, Túlio e Cristiano chegaram a pedir ao STF que pudessem não ir ou se retirarem das sessões, o que foi negado por Fux, que destacou o dever de comparecimento e permanência.

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, Fux ressaltou que os convocados tem o dever de depor e de dizer a verdade com relação a fatos que tenham conhecimento, como testemunhas. Além disso, o presidente do STF ressaltou que o colegiado tem autonomia para averiguar se existe ou não abuso do direito de ficar em silêncio em temas que venham a incriminá-los.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome