Funcionários do BC decidem suspender greve temporariamente

Setor decide em assembleia dar voto de confiança a Roberto Campos Neto e aguarda proposta melhor; data limite é 02 de maio

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Os servidores públicos que atuam no Banco Central decidiram suspender temporariamente a greve da categoria, após Assembleia Geral Nacional realizada nesta terça-feira.

Segundo o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (SINAL), a decisão “é um voto de confiança” às tratativas desenvolvidas pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto, no âmbito nacional.

O encaminhamento decidido considera o fato de que, segundo Campos Neto, a proposta de reajuste salarial de 5% é oficial, e dois pontos da pauta não salarial (ainda confidenciais) estão garantidos.

Além disso, o sindicato apontou ainda que “haverá reunião com a Casa Civil para continuidade dos debates acerca da pauta reivindicatória da categoria; e seguirá o trabalho contra o aumento das assimetrias com carreiras congêneres”.

Os profissionais do Bacen aguardam a apresentação de uma contraproposta até o dia 02 de maio. Até lá, será mantida uma agenda de paralisações parciais diárias, das 14h às 18h, e operações-padrão.

“Portanto, o que se espera do chefe da Autarquia, no prazo estipulado pelos servidores para retorno à greve, é empenho para que uma proposta melhor seja viabilizada, tanto no aspecto remuneratório quanto nos itens não salariais”, diz o sindicato, em nota.

Leia Também

Mobilização por reajuste salarial chega ao Banco Central

Metade do funcionalismo público do país ganha menos de R$ 3 mil, revela estudo

As desigualdades salariais do funcionalismo público

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador