Guru econômico de Marina elogia pacote de reformas de Temer

 
Colagem: Glamurama com fotos da Agência Brasil
 
Jornal GGN – Em entrevista ao El País, o guru econômico de Marina Silva (Rede) Eduardo Gianneti fez elogios ao programa de Michel Temer, chamado de Ponte Para o Futuro, e disse que o problema do Brasil não está nas reformas impopulares encampadas pelo governo que sucedeu Dilma Rousseff, mas sim no fato de que elas não foram concluídas.
 
Segundo Gianneti, o Brasil “estava na UTI” com Dilma, “sem nenhum horizonte”. “Era uma situação sem a menor perspectiva. Então, do ponto de vista econômico, foi um alívio ter uma boa equipe econômica, uma mudança para melhor na governança das estatais e ter um programa de reformas, que no geral é bem correto, a Ponte para o Futuro, que coloca uma agenda de mudanças para que o país volte a recuperar o crescimento e a sustentabilidade das contas públicas.”
 
A entrevista foi divulgada um dia antes da pesquisa Datafolha que mostra que Temer bateu seu próprio recorde de impopularidade e que 7 entre 10 brasileiros acham que a situação do País só piorou com o presidente.
 
Ao El País, Gianneti disse que problema de Temer foi “o componente político”, em referência à falta de credibilidade por ter caído na delação da JBS. “A partir de então o governo entrou no modo de sobrevivência. A agenda de reformas que estava sendo encaminhada foi praticamente abortada, interrompida, e o governo consumiu o que lhe restava de capital político simplesmente para se manter vivo diante das denúncias e de sua enorme e precária fragilidade.”
 
Na visão do economista que ajudará Marina em 2018, Temer deveria ter aproveito o capital político que dispunha no início de seu governo para aprovar, primeiro, a reforma mais difícil: a Previdenciária. “Acho que o governo Temer errou no sequenciamento das reformas”, disse.
 
Gianneti também jogou panos quentes no mau humor do brasileiro com Temer. Ele disse que é “normal em todo processo de recuperação” que as taxas de desemprego demorem muito para cair quando a recessão começa a retrair. 
 
“Agora, o Brasil saiu da pior recessão da sua história. É muito desapontador o ritmo, é muito incerta a continuidade desse movimento, principalmente depois da greve, mas não sei onde estaríamos com o Governo Dilma”, cutucou.
 
Na entrevista, ele também defendeu pagamento de mensalidade em cursos superiores, disse que Marina é a que mais capacidade tem do ponto de vista ético para comandar o País e falou de igualdade de oportunidades.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora