União vende 4 blocos do pré-sal na 5ª rodada de licitações

Grupos formados por Shell, Chevron, ExxonMobil, QPI, BP Energia, CNOOC e Ecopetrol arrematam 3 blocos da bacia de Santos; Petrobras fica com Sudoeste Tartaruga, em Campos 
 
Foto: Felipe Dantas/Agência Petrobras
 
Jornal GGN – Terminou na manhã desta sexta-feira (28) a 5ª rodada de Licitações de Partilha de Produção em áreas do pré-sal, com três dos quatro blocos, que foram disponibilizados nesta sessão, arrematados por grupos formados pelas empresas Shell, Chevron, ExxonMobil, QPI, BP Energia, CNOOC e Ecopetrol. Segundo informações da Agência Brasil, as vendas resultaram em uma arrecadação de R$ 6,82 bilhões com a venda dos blocos localizados em áreas do pré-sal. 
 
A Petrobras foi a única a apresentar proposta para o bloco de Sudoeste de Tartaruga Verde, na Bacia de Campos, entregando à União o percentual mínimo de 10,01% sobre a produção de óleo e o pagamento de um bônus de assinatura de R$ 70 milhões.
 
Segundo informações da Agência Nacional do Petróleo (ANP), 12 empresas se inscreveram para fazer os lances. O bloco de Saturno, da bacia de Santos, foi ganho pelas estrangeiras Shell e Chevron que ofereceram o percentual mínimo de 70,2% sobre a produção de óleo, um ágio de 300,23% sobre os 17,54% exigidos pela ANP.
 
O consórcio formado pela QPI e ExxonMobil, conquistou o bloco Titão, também da bacia de Santos, oferecendo à União participação de 23,49% sobre a produção, enquanto o lance mínimo era de 9,53%. O bônus de assinatura firmado ficou em R$ 3,125 bilhões. 
 
Por fim, o grupo formado por BP Energy, CNOOC e Ecopetrol arremataram o bloco Pau-Brasil (Santos), oferecendo para o Estado a participação de 63,79% sobre a produção de óleo, e bônus de assinatura de R$ 500 milhões. Veja o potencial em áras das bacias, conforme tabela divulgada pela ANP: 
 
 
O Decreto 9.041/201 que instituiu as novas regras de licitação para o regime de partilha de produção, foi assinado pelo governo Temer em maio de 2017. No texto original (Lei 12.351/2010), a Petrobras era a operadora única das áreas sob regime de partilha da produção. 
 
A alteração excluiu a obrigatoriedade da companhia brasileira atuar como operadora única em áreas do pré-sal ou com evidente potencial de produção de petróleo e gás. A nova medida prevê, ainda, que em caso de participação em consórcios a Petrobras terá garantida a participação mínima de 30%. 
 
 

4 comentários

  1. um roubo !

    trata-se de um roubo do patrimônio do Brasil, … os responsáveis por isso devem ser presos, e seus bens confiscados antes de serem expulsos do país…

    em tempo, … o Facebook, estranhamente, não está permitindo o compartilhamento… tive de copiar e colar para publicar na minha página…

  2. paubrasil

    Segue o saque do paubrasil nessa terra de Santa Cruz. Voltamos para de onde nunca saimos.

    Nós somos da Pátria a guarda,
    Fiéis soldados,
    Por ela amados
    Nas cores de nossa farda
    Rebrilha a glória,
    Fulge a vitória

    Porém, se a Pátria amada
    For um dia ultrajada
    Lutaremos sem temor

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome