Selecinha vacila, por Percival Maricato

As trapalhadas dos cartolas da CBF como a burrice humana, tendem ao infinito. Há no ar evidências de improvisação.

Reprodução Redes Sociais

ESPORTE BRETÃO

Percival Maricato

SELECINHA VACILA

Mais uma derrota, após o vexame contra  a Colômbia, agora para os hermanos argentinos: 1 x 0. Se o Brasil não se classificar para a Copa do Mundo, haverá um terremoto, uma nova invasão à Praça dos Três Poderes, uma proclamação da Monarquia ou algo parecido. Ancelotti, o técnico que nos conduziria ao que já parece ser o distante paraíso, poderá não ter serventia.  As trapalhadas dos cartolas da CBF como a burrice humana, tendem ao infinito. Há no ar evidências de improvisação. Fernando Diniz  é um  técnico, no mínimo razoável, mas se se  é provisório, como fazer bom trabalho se sabidamente a formação de uma nova seleção, exige tempo? E Ancelotti, terá tempo?

ESTUPIDEZ AO CUBO RESULTA EM PANCADARIA COM HERMANOS

A pancadaria que se deu no Maracanã entre torcida brasileira x argentina, posteriormente entre a polícia militar do Rio e os argentinos, foi mais um ato vergonhoso e demonstração de incompetência da CBF.  Há algumas décadas se descobriu que  torcedores de times diferentes tem que ser separados, mas a CBF, em pleno 2023, permitiu a mistura explosiva de argentinos e brasileiros no mesmo espaço no Maracanã . A briga teria começado com uma  faísca: torcedores brasileiros vaiaram o hino  argentino e os Hermanos reagiram. Bestas foram estes, pois sabidamente, e por lá também é assim, em estádios a torcida vaia até minuto de silêncio. Não fosse isso logo haveria outro motivo.  Certamente deve ser algum efeito Milei que potencializou os valentões, doravante os hermanos se acham mais nacionais do que antes. Felizmente entre mortos e feridos só houve feridos. A briga ia acabando quando chegou a polícia militar e a reacendeu, distribuindo cacetadas, mostrando seu preparo ao mundo. Já houve guerras com causa imediata em jogos futebol. Com o ludopédio não se brinca.

A CLASSIFICAÇÃO PARA OS TIMES SUL AMERICANOS QUE IRÃO PARA A COPA DO MUNDO

Interface gráfica do usuário

Descrição gerada automaticamente

DALLAGNOL COMO SALVAÇÃO      

Corre na Internet uma foto daquele mocinho coradinho, o Dallagnol, informando que ele se ofereceu para técnico da seleção brasileira, ficar com o cargo do Diniz. Ele lembra que em matéria de combinar o resultado com o juiz ele é expert. Quem sabe seja uma solução.

O PRESIDENTE: UM CARA CUJO GURU É UM CACHORRO MORTO

A seleção argentina jogou muito bem no Maracanã. Os comandados de Messi tem garra e muito entrosamento. Podem anotar: disputará novamente o primeiro lugar na Copa do Mundo.  E pelo que se viu, não foi afetada pela eleição para presidente do país, sim presidente, de um que diz ter um cachorro morto como guru e conselheiro, sim é isso que ele diz publicamente, para as grandes decisões, um tal de Milei (pudera, do outro lado tinha um adversário que bancava uma inflação de 150% e sem plano ou previsão de fazê-la parar de aumentar). Tem o Milei mas tem um Messi. Além de grande craque poderia ter sido a salvação nessas referidas eleições, ganharia fácil e seria um melhor presidente, certamente. Quem não tem Messi tem que jogar com Neymar? Não é justo.

BRASILEIRÃO:  PRÓXIMA RODADA SERÁ EMOCIONANTE

Nesta próxima rodada do Brasileirão vários times terão a última oportunidade de se manter na corrida pelo título e outros de escapar do rebaixamento. Doravante a tabela não permitirá vacilo. Quem irá ganhar ainda não se sabe, seis times têm possibilidade. Mas sabe-se pelo menos dois que vão cair: Coritiba (Curitiba para quem preferir, até no nome do time os locais tem preconceito) e América de MG. O Cruzeiro, vencendo o Fortaleza, saiu da zona de rebaixamento e deixou o Bahia no lugar. Para as duas vagas finais entre os quatro que irão cair, há sete times correndo risco. Na pior das hipóteses, o Corinthians também. Ou seja, haverá emoção na parte de cima e na de baixo: aguenta coração.

EIS A TABELA E PRÓXIMOS JOGOS:

Interface gráfica do usuário, Aplicativo

Descrição gerada automaticamente

Próximos jogos:

35ª rodada

Tela de celular com publicação numa rede social

Descrição gerada automaticamente

Percival Maricato é advogado.

O texto não representa necessariamente a opinião do Jornal GGN. Concorda ou tem ponto de vista diferente? Mande seu artigo para [email protected]. O artigo será publicado se atender aos critérios do Jornal GGN.

Percival Maricato

Percival Maricato é advogado

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Sobre a confusão, ok.
    Sobre vexames, acho engraçado que se trate uma derrota de 2 a 1 para a Colômboa, fora de casa, como vexame; assim como a derrota de ontem diante de uma Argentina que só se defendeu e deu apenas uma conclusão ao gol.
    Acho a imprensa resultadista muito hilária quando prefere um futebol feio, e com cara de tradicional, invicto nas eliminatórias, ao invés de se preocupar com uma fase de reconstrução que o Diniz que implementar. Ou seja, há uma clara preferência pela campanha perfeita nas eliminatórias e amistosos, ao invés de um resultado efetivo – além de oitavas de finais – nos mundiais.
    Além disso, essa classificação de (suposto) vexame desqualifica as outras seleções. Ou seja, a seleção perder, independentemente da exibição, é um vexame e pronto.
    Difícil trabalhar assim.
    A imprensa esportiva nacional é lamentável.

  2. A seleção brasileira se despedaça. Não tem centro. O time de 1994 era ruim, mas tinha um Dunga dentro de campo. O jogador não precisa ser politizado como defende Neto, visto que Garrincha era de uma pureza ímpar e nos trouxe o caneco de 1962. Tem que ser o Veiga.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador