Ex-agente de modelos francês ligado a Epstein é encontrado enforcado na prisão

Com 70 anos, Brunel foi acusado de estupro por várias ex-supermodelos, o que ele sempre negou, e em junho de 2021 por ‘estupro de uma menor de 15 anos’

Foto Twitter

O ex-agente de modelos que trabalho com o falecido bilionário norte-americano Jeffrey Epstein, Jean-Luc Brunel, foi encontrado enforcado em sua cela em Paris, nesta sexta, dia 18.

Depois que a promotoria de Paris confirmou que Brunel foi encontrado morto na prisão de Santé, uma investigação foi aberta sobre a causa da morte.

Com 70 anos, Brunel foi acusado de estupro por várias ex-supermodelos, o que ele sempre negou, e em junho de 2021 por ‘estupro de uma menor de 15 anos’. Em dezembro de 2020 ele havia sido acuso de ‘estupro de menor de 15 anos’ e ‘assédio sexual’.

Brunel também foi considerado testemunha de atos de “tráfico de pessoas agravado, em detrimento de vítimas menores para fins de exploração sexual”.

Sua morte põe fim à acusação pública neste caso, a menos que outras pessoas estejam implicadas.

Seu nome apareceu em uma investigação dos EUA sobre o caso de Jeffrey Epstein, que também foi encontrado morto em sua cela em agosto de 2019.

Jean-Luc Brunel foi preso em dezembro de 2020 no aeroporto Charles de Gaulle quando estava prestes a voar para Dakar e foi preso após sua acusação.

Epstein, um financista bilionário, foi acusado em julho de 2019 nos Estados Unidos de organizar uma rede de mulheres que explorou sexualmente entre 2002 e 2005.

Com informações da AFP.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador