A atuação de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal

 
Jornal GGN – Teori Zavascki entrou para o Supremo Tribunal Federal (STF) em dezembro de 2012, nomeado por Dilma Rousseff para o cargo. Escolhido por seu perfil “técnico”, que fugia aos holofotes, Zavascki recebeu em troca o julgamento de casos polêmicos. Entrou na Corte em meio ao mensalão e deixou em plena Operação Lava Jato.
 
Chegou ao Supremo com experência no trabalho judicial, com notória conduta discreta e rigorosa como desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, até o STJ (Superior Tribunal de Justiça), onde atuava desde maio de 2003.
 
Entre suas obras de literatura jurídica, se destacaram o “Processo Coletivo”, um estudo reconhecido por juristas com visões dos direitos coletivos e da tutela coletiva. Também escreveu “Antecipação de Tutela”, apontando uma busca pessoal pela Justiça qualificada e célere. 
 
Iniciou em um turbilhão: no ápice do mensalão, assumia desde o início muitos processos. Enquanto três ministros destinavam-se à análise de temas eleitorais, naquele ano de 2012, além de Cezar Peluso, seu antecessor, outro ministro estava prestes a se aposentar: Carlos Ayres Britto.
 
Teria apenas seis breves anos de atuação no Supremo, antes de atingir a idade de aposentadoria compulsória para os ministros da Corte, então aos 70 anos. Mas uma mudança em maio de 2015 estendeu a passagem de Zavascki no Supremo: aumentando em mais cinco anos a aposentadoria.
 
Dentro da Operação Lava Jato, iniciou uma das principais tentativas de descentralizar os casos sob o poder de um único magistrado do Paraná, Sérgio Moro. Foi sob a sua relatoria e decisão histórica, em setembro de 2015, que os ministros do STF concordaram em restringir a Lava Jato ao esquema de corrupção da Petrobras, impedindo que Sergio Moro avançasse em sua atuação polêmica.
 
Foi a primeira paralização do ministro contra abusos de Moro. A partir de então, recursos e casos de réus de Moro que não guardavam relação com a Petrobras e chegavam ao STF eram desmembrados pelos ministros, encaminhando-os a outras Justiças Federais.
 
Seguindo esse exemplo, no acumulado de ações, também se negou a ser o ministro que assumiria o poder das palavras finais em todas as relatorias da chamada Lava Jato no Supremo. Assim como determinou para as instâncias inferiores, decidiu que diferentes ministros julgariam os casos desmembrados.
 
De perfil garantista aos direitos dos réus, Teori Zavascki também brecou o juiz de primeira instância, quando ele vazou a interceptação telefônica de Luiz Inácio Lula da Silva com a então presidente Dilma Rousseff. Em despacho ordenando que o caso fosse levado à última instância, que detinha a competência para essa análise, criticou duramente Sérgio Moro. 
 
Nesse momento, foi chamado de “traidor” e “pelego do PT” por manifestantes. Também foi Zavascki quem rejeitou ações de partidos contra a posse de Lula como ministro da Casa Civil. Foi ainda mais criticado por oposicionistas.
 
Se por um lado, impediu que o cassado Eduardo Cunha avançasse nas manobras para acelerar o impeachment contra Dilma Rousseff, ainda em outubro de 2015, por outro, o ministro foi o responsável por negar os recursos da ex-presidente contra o julgamento  que afastou a sua nomeadora da Presidência da República. 
 
Num balanço da Operação Lava Jato, em dezembro do último ano, Zavascki decidiu 102 ações cautelares do Ministério Público Federal (MPF) por desvios na Petrobras, entre elas, prisões preventivas, quebras de sigilos e buscas e apreensões, também homologou 24 das 25 colaborações premiadas que chegaram até o fim do ano passado no STF. Foram mais 83 Habeas Corpus já decididos de um total de 91. Outras 37 reclamações de 45 propostas. 
 
Entre as 16 denúncias da Procuradoria-Geral da República no caso, Teori aceitou cinco, enviou dois à primeira instância por perda de mandato parlamentar, e estava analisando outros quatro processos para concluir se tornava os investigados réus do Supremo. Mais quatro precisavam das alegações finais da defesa. Ainda, de três ações penais, duas também voltaram para a primeira instância, e uma segue tramitando. 
 
Nesses turbilhões de decisões, Zavascki também abarcou outros temas polêmicos. No ano passado, suspendeu o mandato de Eduardo Cunha como deputado da Câmara; negou uma pedido que reduzia exigências para porte de armas por juízes; acabou com os efeitos da Operação Métis, da Polícia Federal, e determinou a soltura de presos.
 
E deixou pela frente outras análises, que considerou precisarem de maior apuração, pedindo vistas: a decisão sobre o pagamento de férias, décimo terceiro e indenizações a prefeitos e vice-prefeitos; pediu explicações a senadores sobre o Projeto de Lei das Telecomunicações; a decisão sobre a descriminalização do porte de drogas; e também buscou analisar a entrega de medicamentos de alto custo a brasileiros por via judicial.
 
Em um de seus últimos objetivos dentro do Supremo Tribunal Federal e da Lava Jato, queria que seus juízes auxiliares escutassem cada um dos delatores, para confirmar se as colaborações da Odebrecht foram prestadas por livre e espontânea vontade e se foram cumpridas todas as previsões legais. A medida ocorreria antes das homologações. 
 
Leia também:  MPF do Rio chama de “organização criminosa” esquema envolvendo Flávio Bolsonaro e Queiroz

28 comentários

  1. Fui uma crítica constante de

    Fui uma crítica constante de Teori Zavascki pelo episódio Eduardo Cunha. No entanto, essa morte que deixa ao Temer a nomeação do sucessor é por demais suspeita. Lembrando que entre os citados na delação da Odebrecht  há senadores envolvidos com o tráfico de drogas, espécie de crime que não manda recado, mata mesmo.

    E com certeza não será encontrado nada suspeito na queda  do avião. Os bandidos que tomaram o poder com apoio da grande mídia, PF e de partes do Judiciário com certeza não encontrarão nada. Temer ontem declarou a Reuters que a Lava Jato jamais o atingiria. Sabia o que falava.

    E se Teori foi assassinado é porque era um juiz sério. Estou chocada com o nível de banditismo instalado no país. Se eu fosse o Lula não sairia candidato. 

    • Eu quero saber é se os demais

      Eu quero saber é se os demais ministros da Corte vão deixar o assassinato do min. Teori por isso mesmo. Mataram o min. do mesmo jeito que mataram o Campos. É uma renca de bandidos dominando o país.

      O sujeito que for indicado pelo temer para a vaga e aceitar, é o maior canalha do país. 

       

  2. O ministro sorrindo…

    Foi uma atuação com altos e baixos, porém parece acima da média do Supremo. Da para perceber as dificuldades que têm os juizes em gerir as questões que demandam pressão da midia e pressão politica. Um problema levantado por varios juristas da atualidade.

  3. Zavaski esperou Cunha

    Zavaski esperou Cunha terminar o serviço sujo, ou seja, comandar o golpe, para depois afastá-lo do cargo de presidente da Câmara.

    Zavaski repreendeu Moro por grampear e divulgar conversas da presidenta da República. Apenas repreendeu, enquanto deveria prendê-lo.

    Zavaski esmoreceu, depois de ameaçado pelos coxas.

    Triste este legado, mas é verdadeiro. Infelizmente.

  4. Foi-se ….
    Foi-se o Tutor do

    Foi-se ….

    Foi-se o Tutor do golpe.

    Seu controle meticuloso no tempo de tomadas de decisões favoreceu um golpe institucional, que esta levando de roldão os direitos e esperanças do povo brasileiro.

    Preserveu um pulha notório e corrupto na presidência da camara para cumprir seu papel de algoz de uma presidenta democraticamente eleita, sem que lhe imputasse um crime de responsabilidade. Negou-lhe toda e qualquer tentativa de defesa.

    Não deu provimento contra as esculas e divulgação ilegais para poder suportar o golpe.

    Sentou em cima de mandato para impossibilitar a posse do ex-presidente Lula como ministro, para que este não tivesse chance de detonar com o golpe em andamento.

    Mas quando gravações escancaram o acordão pelo golpe agiu como uma lebre para desfenestrar outro pila do golpe: o procurador geral da republica..

    Para a democracia não vai fazer falta alguma.

     

  5. ???

    Nassif: a coisa tá estranha. Para onde iria o ministro? Tinha por hábito esse tipo de viagem? Quais os outros mortos? Só o piloto sobreviveu?

    Se analisarmos os “desastres aéreos” políticos e misteriosos no Brasil começaremos pelo general Castelo Branco. Ulisses também é mistério. E Eduardo Campos, que até hoje nem o dono do avião se conseguiu identificar. Todos ocorreram em momento de tensão no Pais, com interesses no Exterior.

    Por outro lado, é fato notório a participação da CIA em ocorrências semelhantes, quando interesses norteamericanos estão em evidência.

    Não sei se possível tais ligações. Mas não seriam de tudo absurdo. Que você acha?

    Pode ser até que a profecia de “Ferrari”, de que ou se tirava a Presidenta ou todos os bandidos políticos que agora estão no poder se ferrariam.

    Dizem que o ministro andava de saco cheio com tanta ladroagem e sacanagem. Parece que iria dar um “liberou geral” nas delações da Farsa_Jato. Já imaginou essa da Odebrecht no ventilador?

    Podem os canalhas terem concluído que o melhor para os 2/3 de bandidos do Congresso seria os autos mudarem de mãos. E podem ter pedido assistência técnica, que tem sempre gente querendo “ajudar”. Em Brasilia, tirando Deus pecar, tudo é permitido.

    Veja a atual composição da Segunda Turma — Ministro Gilmar Mendes – Presidente (quase dono da Corte?). Ministro Celso de Mello – decano (vota com o Intelectual Tardio?). Ministro Ricardo Lewandowski (único com autonomia e caráter?). Ministro Dias Toffoli (vota no que o Carrasco de Diamantino mandar?). Ministro Teori Zavascki.

    A ausência de um ministro possivelmente traria o Ministro Marco Aurélio, o mais antigo na Primeira Turma. Mesmo com o risco de vê-lo alinhar-se ao ministro Lewandowski, se empatar a votação o Carrasco de Diamantino traria seu “voto de Minerva”, mesmo sendo matéria criminal, contrariando as regras e princípios do Direito, desde que prejudicasse seus desafetos. Precedentes.

    Mesmo solidário a dor das famílias enlutadas não podemos descuidar desses detalhes. Não podemos esquecer que os canalhas não têm Pátria, ou Honra, ou respeito com quem quer que seja. Muitos deles até comparecem ao velório, não para levar solidariedade à família. Mas para certificar-se do óbito.

    Espero que você fique atento ao desfecho de mais um triste capítulo da nossa História. Nos avise do que souber. Abraço.

    • EM RESPOSTA

      Pelo que me parece, coincidencia ou não, mas, o helicoptero do ULISSES GUIMARÃES, tambem caiu por aquelas bandas.

      Agora, so falta o corpo do TEORI, tambem, não aparecer.

       

      ANOTE AI:

       

      SERÁ QUE O PROXIMO NOMEADO PARA A VAGA DO TEORI ZAVASCKI, NO STF SERÁ UM CERT “JUIZECO” CHAMADO SERGIO MORO ?????

       

      CONFIRME PRA MIM.

       

      POR

      DOM PAULO DE BEL

      EDITOR DO

      SINDICATO DO POVO

      UM GRITO DE SOCOOOOOOOOOOOOOOORRROOO PELO POVO BRASILEIRO, QUE TEM EM SEUS GOVERNANTES UM BANDO DE CANALHAS QUE MATAM PARA NÃO PERDER A BOQUINHA DE MAMAR NAS TETAS DO DINHEIRO PÚBLICO.

      http://www.sindicatodopovo.blogspot.com

      sindicatodopovo@ymail.com

      .

      .

      .

      • É muito bizarro mas o fato é

        É muito bizarro mas o fato é que a quadrilha matou o juiz pra ESCOLHER quem vai julgá-la.  Eu não tô acreditando que estamos assistindo esse espetáculo deprimente.  Temer não deveria poder escolher quem vai julgá-lo ou, antes, travar as delações que envolvem ele & quadrilha. 

  6. Faço suas minha
    Faço suas minha palavras,companheira Vera Lúcia Venturini.Apenas discordo quanto a sua restrição de Lula ser candidato.Por mais paradoxal que possa parecer,aumenta ainda mais a imposição para que Lula seja candidato.Se me permitir,posso lhe enviar um ou mais livros sobre a trajetória do narcotraficante Pablo Escobar,especialmente o que o Cartel de Medellín impôs sobre Colômbia nos anos 80.Guardada as devidas proporcoes,o Brasil caminha em velozmente luz nessa direção,Nunca é demais lembrar,que no nosso caso,o crime organizado está incrustado no alto escalão do poder.Podem investigar a vontade,CIA,FBI,Departamento de Estados,Política Federal,Ministério Público,o escambau de mussurunga,nao encontrarão nada,por que essas coisas,minha cara,não são executadas para deixar rastro.
    Habitamos um País infeliz,amargurado,miserável,que o destino reservou tragédias e desgraças previsíveis e imprevisíveis.

  7. Respeito a dor da família,

    Respeito a dor da família, mas morre e vira santo? Foi o centro do golpe, todo o timing de sua execução foi milimetricamente determinado por Teori, seja pela sua ação, seja pela sua omissão. Ao centrar as ações em Curitiba, extinguindo a figura do juiz natural, deu a Moro os instrumentos necessários para agir; ao corroborar todas as prisões provisórias de tempo infinito, foi o administrador central do guantânamo de Curitiba, aparentemente gerido por Moro; ao convalidar as delações feitas sob vara, corroborou o mecanismo de prender e manter preso para forçar a delação, fazendo uso de verdadeiro sequestro da personalidade do eventual preso em favor dos interesses policiais. A prisão de Delcídio, violência jurídica comparável à deportação de Olga, foi o start efetivo do golpe, ao lado de sua inação, naquele momento, na ação com relação a Cunha. Manteve essa inação até que Cunha tornou-se inútil, pois todo o seu trabalho já havia sido cumprido. Em março de 2016, se juiz isento fosse, teria afastado Moro do processo, por conta da prisão travestida de condução coercitiva ou quando este tornou pública as gravações de dialogos de Dilma e Lula. Também em março sua inação impediu a posse de Lula na Casa Civil; em abril conduziu a votação que garantiu a realização da votação de 17 de abril. Morreu como Castelo, sem pagar as contas de seus atos.   

    • Seu raciocínio é adequado e

      Seu raciocínio é adequado e verdadeiro, senão perfeito. Pondero, apenas, com a compreensão de que ele não aguentou a pressão e fez inúmeras e lamentáveis concessões, através de várias decisões judiciais. Ele agiu como previsto nos ditados populares – meia pedra, meio tijolo, e olho no padre e olha na missa – ,até porque, tudo indica, lhe faltou coragem para enfrentar os monstros e as monstruosidades sociais, políticas e econômicas das elites brasileiras.

      Não só. Imagine-se a sua convivência com os personagens do STF, cujas atitudes jurídicas levou o jurista Bandeira de Melo a dizer que temos hoje o pior STF da história brasileira. Daí a pergunta: Teori poderia agir diferente? Pode ser, mas, decerto não por covardia e sim por temor, ele não pretendeu ser um mártir e futuro emblema histórico.

      Resulta de tudo algo lamentável, posto que, mesmo fazendo concessões, não lhe perdoaram algumas das suas atitudes jurídicas corretas e, imagine-se,que a sua morte pode ser concebida  (sabe-se lá?) como prévia resposta e solução para impedir alguma futura e já esperada  decisão jurídica explosiva e contrária aos interesses das elites. 

  8. A MORTE DE TORI ZAVASCKI

    O artigo acima fala para que saibam quem foi TEORI ZAVASCKI. Mas, os comentários, servem para que saibam quem são os que rodearam TEORI. Os monstros que estavam ameaçados por ele.

     

    NÃO SE SURPREENDAM SE UM TAL DE MORO, SERGIO MORO, VIER A OCUPAR O LUGAR DEIXADO POR TEORI ZAVASCKI.  MORO, procura notoriedade para ser indicado a vaga vitalicia de “JUIZECO” do STF.

     

    QUERO VER A CORAGEM DO PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL DE CHAMAR ESSE CALHORDA DE “JUIZECO”.

     

    POR

    DOM PAULO DE BEL

    EDITOR DO

    SINDICATO DO POVO

    UM GRITO DE COITADO PELO POVO BRASILEIRO QUE TEM, EM SEUS GOVERNANTES, MAFIOSOS E ASSASSINOS DE SEUS PROPRIOS PARES. QUE DIRA DAQUELES QUE NÃO CONCORDAM.

    http://www.sindicatodopovo.blogspot.com

    sindicatodopovo@ymail.com

    .

    .

    .

  9. Quero crer q essa confluênca de coincidências é mera coincidênci

    Um político adiantou que uma bomba explodiria hoje no Jornal Nacional. O Caroneiro Gilmar vai, de carona, a um boca livre em Lisboa, a convite do Temer, mas deixa o enterro do morto a cargo dos seus mortos, sem sequer ir ao velório. Na volta, Temer afirma com todas as letras que, apesar do cheque milionário, a chance de ser atingido pela Lava Bosta é zero, zerinho. Temer e seu governo estão tão sujos nas delações premiadas quanto os Tucanos, sendo que a delação do fim do mundo estava nas mãos do Teori para provável homologação. Zavascki, o relator da Lava Bosta, morre num acidente em um céu quase de brigadeiro. Temer, cuja chance de ser atingido pela Lava Bosta é zero, vai indicar o novo Ministro que substituirá Zavascki e será o relator da Lava Bunda, podendo homologá-la, ou não. Os Golpistas tramavam o golpe nos seus buracos de rato para estancar a sangria da Lava Bosta. Quero, por tudo, acreditar que essa confluência de coincidências seja mera coincidência.

    Creio, Zavascki, mas aumentai a minha fé. E, mais uma vez, que Deus o tenha sob sua proteção. Mas quem quer que substitua o Zá foi-se já pôs a barba de molho. A menos que seja um burro com viseira como o Temer, seu Ministro da Jusbosta e seu ex-secretário nacional da juventude.

  10. A morte (ou assassinato) de

    A morte (ou assassinato) de Teori Zavascki é uma tragédia. Todavia, não podemos esquecer que a CF/88 foi morta muito antes dele. Portanto, ninguém deve estranhar o fato da insegurança estar sobrepujado a garantia à vida e os interesses mesquinhos do mercado começarem a se impor de maneira violenta.

    Zavascki ameaçou destruir o caráter anti-petista da Lava-Jato e pode ter morrido porque colocou em risco a entrega do pré-sal aos norte-americanos (como desejam  Michel Temer, seus aliados na Embaixada dos EUA e a Rede Globo). Tudo o que está ocorrendo era previsível no momento em que a CF/88 foi rasgada. Foi por esta razão que na data do golpe de 2016 finalizei meu protesto contra a destruição do Estado de Direito com as seguintes palavras “Nós entramos num período sem constituição em que o homem é lobo do homem e eu não vou mais perder tempo com um texto constitucional sem qualquer valor.”

    http://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/bem-vindo-ao-brasil-uma-terra-devastada-sem-constituicao

     

  11. Caso esse atentado não tenha sido um acidente… digo, o contra

    se tiver sido só um percurso de acidente, e não um atentado no percurso, o assassino vai lá, qual MacBeth chorar o corpo e chorar como um crocodilo, de olho na coroa

  12. Sem hipocrisia, por favor…

    Já vai tarde…sua atuação não se afastou do circo golpista…

     

    A morte não o redime, ainda mais nas circunstâncias nas quais se deu: viajava com réu do stf…

  13. apagaram o cara!

    olha, não acredito e nunca acreditei em coincidências

    apagaram o cara!

    esse é o tempo em que vivemos. é tudo grave demais. trata-se do golpe mais inacreditável da história republicana mundial

    em jogo, todas as riquezas nacionais.

    coisa montada nos EUA

    trata-se de um mega projeto de destruição do Brasil e sua total e irrestrita subserviência ao rentismo

    apagaram o cara!

    simples assim…

  14. Mais um golpista! 
    Nada além

    Mais um golpista! 

    Nada além de um golpista covarde, pois tinha poder para tomar atitudes firmes em beneficio da democracia e do povo brasileiro e optou pela zelite, portanto, morreu mais um apoiador e articulador do golpe de estado ocorrido no Brasil em 2016. Vida que segue…não vai virar santo, suas ações vão ferrar com a vida de muitas pessoas…continuo insistindo, apenas mais um GOLPISTA!!!

     

     

  15. Tanta especulação em torno de quem será seu sucessor …

    Não que isto não tenha sua importância. Mas talvez o grande impacto de sua morte seja o recuo dos delatores, afinal há grande suspeita de assassinato e se são capazes de matar o juiz, imagina o resto. Como já identifiquei a sutil orientação da globo para encaminhar o caso como acidente, creio que tenha sido mesmo um atentado. Se Temer “o Estupido ” não tivesse falado demais, seria mais fácil de disfarçar, mas talvez nosso desajeitado aprendiz a enxadrista ainda dê o seu golpe de mestre fazendo Moro cair “pra cima” , caindo nas graças do grande público de otários ao mesmo tempo que enterra a lava-jato. Como já dizia o livre/leve/solto Jucá, a sangria tem que ser debelada.

    • Nem lhe lhe conheço,certo.Mas
      Nem lhe lhe conheço,certo.Mas o que escreveu acima bate exatamente com que penso,escrevo,e falo,não necessariamente nessa ordem.Pois bem,vou encampar sua tese.Que se tenha todo respeito às famílias enlutadas,vamos combinar.Você ao que parece é uma pessoa informada,e deixa transparecer que nem aqui mora,emite suas opiniões,seus comentários,distanciando sobremaneira das pataquadas de Ivan de Union.Pois bem seu Romulus,veja como a hipocrisia,o cretinismo e a leviandade estao enxertadas no nosso sangue.Você por residir fora do Brasil já sabe o nome das duas passageiras,provavelmente pegaram uma simples carona,que estavam a bordo da aeronave acidentada?Tenho plena certeza que essa missiva não chegara até você.Se chegar,nem pense em voltar,o calhordismo grossa por toda parte.

  16.  
    O PODER JUDICIÁRIO, ASSIM

     

    O PODER JUDICIÁRIO, ASSIM COMO OS DEMAIS, SÓ PODERÃO SER REQUALIFICADOS, QUANDO A NOVA GERAÇÃO DE BOLSISTAS ORIUNDOS DA SENZALA,, INICIAR A SUBSTITUIÇÃO DESSES  ESCOMBROS DA CASA-GRANDE. ALIÁS, A ESCULHAMBAÇÃO SE DEU, APÓS O LULA TENTAR REFORMAR O CASARÃO ASSOBRADADO, ASSANHOU O VESPEIRO.

    Com toda venia. Em especial, daqueles que contrario com a opinião favorável à candidatura do Lula ao pleito eleitoral de 2018. Digo mais, vejo como fundamental mote da plataforma da campanha. Que seja enfática em afirmar, a vitória de Lula implicará na imediata anulação de todos os atos perpetrados pela quadrilha pilotada pelo golpista, e mordomo de filme de terror, miShell temer, O efêmero traidor.

    Nenhum contrato, mesmo sendo fruto de concorrência Internacional, estará livre de anulação sumária. O novo governo tratará o assunto, atribuindo ao tema, status de Interesse do país e de alta relevância social-democrática. E, deverá reafirmar a prevalência da Soberania Nacional acima de tudo. E ainda, a imediata suspensão de qualquer convênio com orgãos policial-militar e de inteligência estrangeiros, em especial, norte-americano.

    Naturalmente, sem menoscabo das demais providências necessárias para recuperar o País e o seu povo do nefasto ataque desfechado pela súcia de celerados, oriundos do tucanistão-usa. Desgraça que resultou no golpe de 2016.

    Outro ponto importante: Será proibido em qualquer esfera do Governo  Federal, a repetição de erros cometidos nas gestões anteriores. Os erros cometidos, já foram, e, não podem ser repetidos em hipótese alguma. Ou seja,podem e devem, ser aproveitados, para FDP nenhum reincidir.

    Orlando

  17. Teste: foi golpe?

    Resposta: tanto foi golpe que chegamos a uma situação que QUALQUER UM QUE FOR NOMEADO PELO TEMER será uma péssima idicação, nomeado pela acusado e referendado pelos outros acusados.

    É tão golpe que não fará difereça indicar o guarda da esquina ou o maior dos constitucioalistas.

    Por isso: depois do golpe, o caos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome