Lava Jato teria fraudado endereço de Tacla Durán


Foto: Jaime Casal/El Pais
 
Jornal GGN – A tentativa de ouvir o ex-advogado da Odebrecht Rodrigo Tacla Duran sobre denúncia em que ele é acusado de lavagem de dinheiro estaria sendo fraudada pelas próprias autoridades da Justiça brasileira e de cooperação com a espanhola. 
 
A informação foi divulgada pelo advogado, após receber uma notificação de que o Ministério da Justiça espanhol não teria conseguido fazer a sua intimação oficial, por endereço incompleto. Dados como o número do apartamento e andar em que vive na Espanha foram omitidos dos arquivos da Justiça.
 
Por outro lado, Durán afirma que as coordenadas de sua residência são de conhecimento das autoridades do país europeu, uma vez que a sua própria identidade traz o endereço. Por não ter sido encontrado, o Departamento de  de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça engavetou a possibilidade de ouví-lo na acusação.
 
“Na qualidade de Autoridade Central para o caso em questão, comunicamos que referido pedido foi diligenciado, porém não cumprido pelas autoridades brasileiras, tendo em vista não ter sido possível a citação de Rodrigo Tacla Duran, conforme se depreende da documentação em anexo”, afirmou o departamento em ofício ao juiz Sérgio Moro.
 
 
“Nesse sentido, na ausência de nova manifestação no prazo de 90 dias, o caso em apreço será remetido ao arquivo interno deste Departamento, nada obstando que, a qualquer tempo, Vossa Excelência formule novo pedido de cooperação ou adote outras providências julgadas pertinentes”, seguiu.
 
Em resposta, Durán acredita que as autoridades brasileiras estariam tentando fraudar a citação. A equipe de defesa do advogado afirmou, em comunicado, que o “endereço estava incompleto, porque não mencionava o andar e o apartamento”, mas tais dados estariam presentes na carteira de identidade espanhola de Rodrigo, além de ser “o endereço onde vive sua mãe, o documento foi emitido muito antes da Lava Jato ser deflagrada”, completa.
 
Tal erro teria sido cometido, segundo a defesa de Durán, porque o juiz da Vara Federal de Curitiba não solicitou às autoridades espanholas a checagem da residência, o que seria logrado facilmente. “O erro foi de quem não realizou a checagem recomendada por Moro, provavelmente a Cooperação Internacional”, ressaltou.
 
Ainda, lembrou que as datas são suspeitas para a alegação dos investigadores brasileiros: cinco dias depois da tentativa frustrada de citação, o advogado compareceu a um juízo espanhol para prestar esclarecimentos. Na ocasião, os procuradores da Lava Jato afirmaram que estariam presentes, mas “não compareceram e nem justificaram a ausência, o que levou o juiz a decidir pelo indeferimento”.
 
 
“Rodrigo Tacla Duran foi citado para comparecer a esta audiência no dia 6 de novembro, quase um mês antes (conforme documento em anexo), desta vez no endereço certo. Como é que numa rogatória ele é citado no endereço correto e, em outra, o endereço está errado?”, questiona a defesa.
 
Por fim, os advogados explicam que se Tacla Durán não tivesse o endereço conhecido da Justiça não poderia ter respondido ao processo de extradição em liberdade, além de não poder ser tratado como foragido, uma vez que não foi condenado, nem no Brasil, nem na Espanha e tem o lugar de residência conhecido.
 
 

17 comentários

  1. uma hora

    Se fosse para proceder uma coercitiva do Sr. Tacla, seria fácil descobrir o endereço:

    Era só perguntar para a tv globo que já estaria com sua equipe de reporcagem uma hora antes na porta do cidadão.

    O Brasil da transição do golpe para a ditadura militar é assim: Só rindo!

  2. Prezados camaradas
     
    Está

    Prezados camaradas

     

    Está ficando feio, não para esses bandidos concursados (é um insulto, você pagar com dinheiro de impostos – NOSSO DINHEIRO – para um zé arruela desses praticar sacanagens)

    Está ficando feio para a ‘justissa”, que é ligeira para encanar uma mãe que afanou um vidro de shampoo ou uma mãe que tem uma guimba de maconha na sacola

    Quando é para bulir com os bandidões (como moro e seus parças), mia que nem um gato de pet shop

  3. Bandidos da lava jato

    Bandidos da lava jato fraudaram documentos da Odebrecht, agora estao tentando fraudar os documentos do advogado Tacla Duran. Vao ter que fugir do Brasil.

  4. Tacla Duran

    O jornalismo investigativo da Rede Globo não poderia fazer uma reportagem lá na Espanha com o Tacla Durán? Ou não interessa?

  5. Quem não se lembra do endereço da mulher do cúnha?

    Não é a primeira vez que rola a desculpinha do endereço, é recorrente. Essa quadrilha considera que os brasileiros são uns otários.

  6. Resumo da ópera: ninguém quer

    Resumo da ópera: ninguém quer ouvir o Tacla Duran porque sabem que ele é uma pedra no sapato dessa fraude.

    Tendo que ouvir Duran como testemunha seria submeter o lupanar de Curitiba ao constrangimento de saber que essa Farsa corre sobre mentiras e fraudes, que não passa de uma trama forjada com fins bem delimitados desde o início, qual seja: a condenação de Lula.

    Tanto é que o lupanar curitibano, em que não se distingue quem acusa e quem julga, tem extremo receio (medo?) do que Tacla Duran pode falar em depoimento.

  7. Pitaco Musical

    Samba do Arnesto (Adorinan e Demônios da Lava Jato)

    O Moro nos forneceu
    o endereço errado
    do Tacla Duran
    Nós fumos
    e não encontremos ninguém
    Nóis vortemos
    Cuma desculpa na língua
    Pois pra outra vez
    Nós num vai mais….

    N’outro dia encontremos
    recado do Tacla
    Que ofereceu delação
    Mas nós não se importa
    Você Tacla devia
    ter aceitado um “por fora”

    Naquela hora….

  8. Fake News do Estadão

    Acorda, Nassif.

    Fake News.

    Data do email? Quem assina os documentos?

    Essa aí é fake news do Estadão, rapaz.

    Embarcou nessa?

    Esse cara que cobriu o Moro tá mancomunado.

    Os caras clandestinamente foram a Madri para ouvir Tacla.

    Nesse meio tempo (e eles já sabiam o endereço do Tacla porque enviaram o documento para cooperação internacional), Tacla Durán se manifestou por videoconferência na CPMI da JBS.

    Moro tem processo paralelo. Mentiu dizendo que não ouviria Tacla Durán porque não conhecia o endereço. Mentira! Enviou documento para ouvi-lo na Espanha.

    Mas os procuradores fugiram da audiência (na Audiência Nacional em Madri).

    Fosse um país sério, a turma da Lava Jato estaria preso.

     

    • É. Foi difícil achar Cláudia

      É. Foi difícil achar Cláudia Cruz. Este indivíduo tem problemas pra achar pessoas convenientemente inacháveis.

    • Por estas e por outras que quando publico alguma coisa não……

      Por estas e por outras que quando publico alguma coisa não utilizo dados de outros (específicos sobre o assunto) ou replico artigos dos jornalões.

      Os artigos ficam menos emocionantes, muitos criticam a forma que escrevo, mas depois de anos na blogosfera nunca levei bola nas costas.

      É o velho ditado de sempre: Antes só do que mal acompanhado!

    • Ué, mas a notícia não é o

      Ué, mas a notícia não é o Tacla Duran dizendo no texto e no título que a lava jato está por traz dessa fraude  

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome