Comandante da Força Nacional enaltece amotinados da PM do Ceará e fala em momento histórico, por Hugo Souza

"Acreditem: vocês são gigantes, vocês são monstros, vocês são corajosos; demonstraram isso ao longo desses dez, onze, doze dias que estão aqui dentro desse quartel, em busca de melhoria da classe, e vão conseguir. Vão conseguir! Sem palavras para dizer a coragem que vocês estão tendo ao longo desses dias”.

O diretor da força nacional de segurança pública, Antônio Aginaldo de Oliveira, durante a solenidade de entrega da medalha do Mérito “Soldado Luis Pedro de Souza Gomes"

do Come Ananás

‘Vocês são gigantes’: diretor da Força Nacional parabeniza PMs do Ceará por motim

por Hugo Souza

O diretor da Força Nacional de Segurança Pública, coronel Aginaldo de Oliveira, participou na noite deste domingo, 1º de março, da “assembleia” que decidiu pôr fim à “greve” de policiais militares do Ceará. Em um quartel de Fortaleza ocupado por PMs amotinados, o coronel Aginaldo dividiu um palanque com representantes de esposas de policiais, o advogado dos PMs, coronel Walmir Medeiros, e com o ex-deputado federal Cabo Sabino, principal liderança do motim.

Aginaldo discursou para a plateia de policiais antes da votação, e após a reza de um Pai-Nosso e a execução do Hino Nacional. Ele parabenizou os PMs pelo motim:

“É muita coragem fazer o que os senhores estão fazendo. Não é pra todo mundo. É aquela coisa: os covardes nunca tentam. Os fracos ficam pelo meio do caminho. Só os fortes conseguem atingir os seus objetivos. E vocês estão atingindo os seus objetivos. Vocês movimentaram toda uma comissão de poderes constituídos do estado cearense e do governo federal. Então os senhores se agigantaram de uma forma que não tem tamanho, e é o tamanho do Brasil que vocês representam”.

Depois, o coronel Aginaldo se manifestou como se fosse mesmo parte da tropa amotinada, falando grosso com o governo de Camilo Santana, do PT, no Ceará:

“Não serão covardes! Será covardia se o que foi pactuado não for cumprido. A gente acredita no que foi pactuado, no que está escrito, e voltaremos à paz. Acreditem: vocês são gigantes, vocês são monstros, vocês são corajosos; demonstraram isso ao longo desses dez, onze, doze dias que estão aqui dentro desse quartel, em busca de melhoria da classe, e vão conseguir. Vão conseguir! Sem palavras para dizer a coragem que vocês estão tendo ao longo desses dias”.

Durante os dez, onze, doze dias de motim de policiais militares, o Ceará registrou uma média diária de 28 assassinatos. Antes do motim, a média era de oito. Na última quinta-feria, 27, a Secretaria da Segurança Pública do Ceará anunciou que não divulgaria mais os números de homicídios no estado durante o motim. Durante o motim, um senador da República foi baleado por tiros disparados de dentro de um quartel.

‘Um ponto de inflexão na história do Brasil’
Falando aos PMs na noite deste domingo, o coronel Aginaldo de Oliveira usou um argumento curioso para pedir o fim do motim: “se os senhores não votarem, essas mortes atingirão os nossos amigos, os nossos familiares, os nossos entes queridos”.

Antes do discurso do coronel Aginaldo de Oliveira, o advogado dos PMs, Walmir Medeiros, que é coronel reformado do Exército, disse do alto do palanque que “este movimento que aconteceu aqui vai ser um ponto de inflexão não na história do Ceará, mas na história do Brasil”.

Está logo abaixo, no fim do artigo, o vídeo com o discurso do coronel Aginaldo de Oliveira, “caveira 80 do Bope do Rio de Janeiro”, cearense e recém-casado com deputada Carla Zambelli, do PSL. Sergio Moro foi padrinho e, no casamento, discursou e dançou La Vie En Rose.

No vídeo, Aginaldo começa a discursar no minuto 6:40.

 

https://www.facebook.com/douglas.motta.14/videos/2429006207201425/

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Loading comments...