Recado de “Remus” para “Romulus”: Bem feito!

O recado abaixo foi deixado por meu “irmão” Remus para mim no post “O jurisdiquês como forma de contornar a lógica“, de Luis Nassif, de ontem à noite. E foi respondido como vai abaixo:

 

de Remo, para todos os Romulus (2) (link aqui)

sex, 15/04/2016 – 07:59

tu achava mesmo, mano, que uma república de patrícios, fundada sobre um fratricídio e sustentada por escravos, poderia algum dia ser popular e democrática? fantasia é ter acredito nisto! depois de 13 anos de lulismo, já passou da hora de cair na real. chegou o momento de responder a questão primordial da história sem fim: vai desejar o quê? o que queremos?

***********

Minha resposta:

Tapa na cara de Abel/Remo em Caim/Romulo? Ou o contrário?

sex, 15/04/2016 – 08:59

Obrigado, irmão “Abel”, por vir me dar esse tapa na cara.

Talvez eu o mereça sim.

É quem eu sou.

Costumo, pro bem e pro mal, acreditar na possibilidade do melhor do homem e do mundo – sem deixar de ter em mente tb o pior nas minhas análises.

Eu coloco os 2 lado a lado e torço pelo melhor.

Sou assim.

Hoje aceito a tua reprimenda e o teu tapa.

Mas não se engane… capaz de amanha, seguindo outra citação bíblica, eu dar a outra face para q vc estapeie novamente.

Sou assim (2).

 

PS: Pq não se registra para comentar aqui no GGN? Caso o fizesse eu seria notificado do teu tapa por email, caso o desse em um dos meus comentários. Por sorte estou sempre curioso para ver as visões dos outros colegas aqui e, desta vez, vim desavisado e espontaneamente trazer a minha cara para bater.

Registre-se para bater nela com mais frequência?

Nunca temi tapas – ou o deBATE.

 

Obs: Não se iniba com essa “1 estrelinha” – que não fui eu quem deu. Eu às vezes tb não agrado aos colegas daqui e sou mal avaliado. Nem por isso deixo de falar o que penso.

Ate Nassif perde estrelas e leva cacetadas quando fala mais concretamente dos possíveis termos da tal “repactuação” política, não é mesmo?

Todo mundo é livre para falar. E para apanhar por isso. E para não se importar de apanhar tb.

 

Obs2: Para vc ver que não tenho problema em levar tapas, vou tomar a liberdade de levar essa nossa discussão tb para a vitrine do meu blog pessoal aqui no GGN, Ok?

Sinta-se a vontade para vir bater mais.

***********

de Remo, para Romulus (3)

não há motivos para sentir-se “estapeado”, a não ser pela realidade dos fatos. nada pode ser mais duro e inclemente do que esta patética situação a que chegamos.

não se trata de trocar tapas entre irmãos, mesmo que alguma vez tenham sido fratricidas. vivemos todos nós, irmãos brasileiros, uma exasperante História sem Fim: uma sucessão de abortos interditando a reconciliação entre Povo e Nação – porque também estes deveriam ser irmãos.

esta crise se tornou maior do que tudo e do que todos. é a crise de todos nós. não é apenas uma crise política, agravamento de uma crise financeira e econômica, tornando-se uma crise institucional. numa camada mais profunda, há uma inédita e incontornável crise climática desencadeando uma crise da civilização. este modelo, em sua totalidade, está em colapso. dele nada se espere, somente a certeza de que não sobreviveremos.

nas próximas 48 horas tudo pode acontecer, mesmo parecendo que o jogo de cartas marcadas já esteja decidido. não se trata de nenhuma fantasia (como no filme) de se acreditar em milagres.

numa crise estrutural, quando o sistema entra em colapso, tudo se torna instável e volátil. pequenas ações podem gerar enormes mudanças. ocorre uma aceleração e uma condensação do tempo histórico (cfe. Walter Benjamin). um tempo repleto das possibilidades de um futuro indeterminado.

há poucas semanas atrás, quem poderia prever este poderoso movimento de massas que tomou de assalto todos os espaços públicos? agora o público e o privado estão entrelaçados no cotidiano, com a Política retornando à sua raiz: o Poder Instituinte, o Poder do Povo.

como no final do filme “História Sem Fim”, tudo é escuro. nada restou além de um minúsculo grão de areia brilhante. toda a luta parece ter sido em vão. mas tudo pode renascer dos desejos e dos sonhos. o que desejamos?

grande abraço.

***********
De Romulus p/ Remo
__
 

Aprecio muito 

Aprecio muito o afago de ler o seu comentário tão bem escrito. E também a sua determinação por esse ideal.

Mas reitero: afague se quiser, mas se sinta livre para dar tapa também. Mesmo que ancorado apenas na realidade.

Agora estamos todos juntos até domingo: bora montar no Falcon e jogar Cunha/Temer na lata do lixo, como no final do filme.

Aliás, não é neste final, montada em Falcon, que a fantasia se impõe sobre a realidade??

Falcon, Falcon!! Venha logo, meu filho!!

**********

E DE NOVO: CADASTRE-SE NO GGN, PELO AMOR DO SANTO DEUS!

IMAGINA SE EU PERDESSE O AFAGO DE LER ESSE COMENTARIO NUMA MANHA COMO ESTA…

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. Não há maior amor que esse..

    Aproveitando o texto bíblico, em que fala que o amor de Jesus é o maior amor, entre todos os amores, por que é um amor capaz de abrir mão do bem maior, a vida, para que todos, mesmo os inimigos, tenham possibilidade de se livrar da morte, então, certa.

    O tapa que voce recebeu, meu caro, é meu também, e é de muitos articulistas e comentadores que teimam, e é santa essa teimosia, em querer acreditar que o bem sempre vence o mal. A história parece se contrapor a esse sentimento, mas, a mesma é incapaz de vasculhar todos os corações, e há muitos, que foram de forma inédita, felizes com o  cuidado daqueles que fazem que acreditemos em nossa crença.

    Não é possível abrir mão desses valores. Muitos tapas virão, mas, o pior desses tapas é a sujeira que nos polui as faces e que nos dão trabalho para retirá-las.

    Da mesma forma, a eles, não resta outra ação a não ser essa mesma. As atividades que lhes cabem bem são aquelas que demonstram dia-a-dia: Ódio, agressão, injustiça, desrespeito etc. Como o escorpião daquela velha história, não lhes restam outro caminho se não o da traição, que por tão grotesca, enorme e visível, a história será capaz de registrar.

    Me solidarizo com voce, Romulus, #somostodosromulos, mas, me alegro da mesma forma, por não fazer parte do outro grupo, dos algozes, dos estapeadores, dos traidores.

    O jogo ainda não acabou, a imprensa associada ao golpe já comemora, mas, como diz o velho ditado, o jogo só acaba quando o juiz apita.

    Caso nos vençam os inimigos, vamos continuar sonhando num mundo melhor, mais livre, mais igual, mais respeitoso.

    Caso vençamos o inimigo, ainda assim, nossa luta vai ser dura, pois, o deus deste mundo está do lado deles e muitos, que até pouco faziam parte de “nossa religião” abdicaram da decência e da lealdade para que outras valores encham suas vidas e aí, refiro-me, também, a valores mensurados pelas moedas existentes. Essa é a praia deles, 30 moedas, 30 milhões, que importa, o resultado que buscam é o mesmo: a morte de sonhos “imorríveis”. Não conseguirão!

    Nós continuaremos por aqui. Faces limpas, prontas para receber os tapas de mãos enlameadas.

    Fazer o quê? Somos assim.

    Receba um abraço de consolo.

    • Obrigado pela solidariedade!

      Obrigado pela solidariedade! Gostei muito do seu longo texto de apoio.

      Mas note: ha tapas e tapas.

      Subscrevo tudo o que vc disse sobre os tapas do “lado de la”

      Ja os tapas do “Remus” eram tapas de irmao que nem sempre marcha junto com o outro.

      Mas, ate domingo, estamos todos – Romulus e Remus – marchando juntos nos atos pelo Brasil.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome