Witzel recebeu mais de R$ 900 mil durante campanha de 2018

Pagamentos efetuados ao então candidato ao governo do RJ foram relacionados a serviços supostamente prestados a dois escritórios de advocacia

Wilson Witzel (PSC), governador afastado do Rio de Janeiro. Foto: Reprodução

Jornal GGN – Wilson Witzel (PSC-RJ) recebeu mais de R$ 900 mil pela prestação de serviços a dois escritórios de advocacia ao longo da campanha eleitoral e o período de transição para seu governo no Rio de Janeiro, em 2018.

O jornal Folha de São Paulo explica que o governador afastado apresentou versões diferentes para esse crédito: a primeira razão foi para justificar uma doação que Witzel fez à própria campanha, no valor de R$ 215 mil. Na declaração de bens que entregou à Justiça, o político não informou ter dinheiro em conta bancária antes da disputa eleitoral.

A terceira versão foi apresentada após a operação que o afastou do cargo: o governador declarou que tudo foi pago após a campanha de 2018.

Dados da Procuradoria-Geral da República mostram que Witzel recebeu no ano de 2018 7um total de R$ 412.308,37 do escritório do ex-secretário Lucas Tristão, preso na Operação Tris In Idem da última sexta-feira (28). Durante a campanha, Witzel declarou que havia se tornado sócio do ex-braço-direito, mas a parceria nunca foi formalizada na OAB.

Outros R$ 500 mil foram relacionados à participação nos lucros do escritório do advogado Fábio Medina Osório, que chegou a ocupar a chefia da Advocacia-geral da União durante a gestão de Michel Temer (MDB) por um período de quatro meses.

 

 

Leia Também
Investigações sobre Witzel indicam esquema de propina no Judiciário no RJ
A (in)Justiça x Wilson Witzel, por Fabio de Oliveira Ribeiro
Considerações sobre Witzel, o genocida, e o uso político das investigações, por Luis Nassif
Alvo de ação que afastou Witzel foi condenado por grampear Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Embates entre eficácia e efetividade da vacina para Covid-19, por Paulo Lotufo

2 comentários

  1. É, Sr. Witzel, mais uma vez o velho ditado se realiza: “passarinho que anda com morcego dorme de cabeça pra baixo”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome