Xadrez do desmonte da Receita, peça final para a destruição do estado nacional, por Luis Nassif

A destruição desse modelo instituiria definitivamente a lei das selvas no país, o vale-tudo sem regras, sem limites para a ação predatória de grupos econômicos e do crime organizado.

Peça 1 – as implicações fiscais dos atrasos do INSS

O Brasil está submetido a um terraplanismo-ideológico fatal. Do lado de Bolsonaro, a volta do fundamentalismo religioso. Do lado de Paulo Guedes, um ideologismo cego, cujo objetivo final será o desmonte total do Estado brasileiro, uma loucura jamais imaginada nem pelo mais tresloucado dos liberais.

Não se imagine que a enorme fila de atrasados do INSS signifique apenas incompetência gerencial do governo Bolsonaro. A ideia de chamar militares aposentados para ajudar a resolver a pinimba é apenas um dos inúmeros factoides da administração Bolsonaro

O atraso faz parte de uma estratégia política não apenas de preservar a Lei do Teto, mas de desmonte do Estado, cujo alvo final é a própria Receita Federal.

A proposta de Guedes é reduzir a carga fiscal de 33/34% para 20% ao ano. E se funda em dois princípios: desmonte de toda a estrutura de gastos; e desmonte da estrutura de arrecadação.

A formação dos estados nacionais modernos se deu com a constituição de uma burocracia administrativa, da força militar e do sistema fiscal, construído para sustentar as despesas públicas.

A destruição desse modelo instituiria definitivamente a lei das selvas no país, o vale-tudo sem regras, sem limites para a ação predatória de grupos econômicos e do crime organizado.

Peça 2 – o desmonte da Receita

Todo ajuste fiscal tem o lado das despesas e da receita. O mesmo governo que se esmera em desmontar todas as políticas e gastos sociais também tem atuado fortemente para desmontar o sistema de arrecadação fiscal do país.

Leia também:  Esposa de Kassio Marques está alocada em gabinete de senador do Piauí

Para 2020, o Ministro da Economia Paulo Guedes impôs uma restrição orçamentária de 30% ao órgão. Peças essenciais na fiscalização, Dataprev e Serpro também estão submetidos a restrições e orientação de redução de cargos. O Serpro praticamente cessou a prestação de serviços para a Receita Federal.

Não há manutenção dos sistemas. Em várias delegacias e agências a internet deixou de funcionar e os servidores não podem acessar os sistemas para realizar seus trabalhos.

Em vários locais, os centros de atendimento dos contribuintes da Receita Federal não conseguem sequer emitir as Certidões Negativas de Débitos- CND, causando sérios transtornos principalmente para pessoas físicas e pequenas empresas que dependem desses serviços.

A Receita era uma das instituições que tinham atingido nível de excelência em tecnologia da informação, sendo premiada no Brasil e no exterior. Com os cortes, setores técnicos avaliam, preliminarmente, que a Receita irá regredir uma década.

Com o desmonte promovido, em várias delegacias e agências os servidores do Serpro foram removidos, deixando a Receita sem suporte algum.

Peça 3 – incompetência ou objetivo político?

Há duas forças impulsionando a queda na arrecadação.

Do lado do mercado, Paulo Guedes, com o objetivo de reduzir a carga fiscal para 20%. Segundo ele, a redução será facilmente atingida se conseguir controlar o crescimento nominal das despesas. “Em dois anos, o trabalho está feito”, disse ele. Não conseguindo controlar o crescimento dos gastos, apelará para a Lei do Teto e a PEC do Pacto Federativo. “Basta o governo não fazer nada. Nenhuma crise no orçamento dessa forma dura mais do que um ano em meio. Basta que, na dúvida, repete o orçamento do ano passado. Se não destravar, fica mais um ano congelado”, afirmou.

Leia também:  Nicolelis: Brasil deve estocar equipamentos e preparar população para nova quarentena

A segunda força é a base de apoio político de Bolsonaro. Hoje em dia, a espinha dorsal do bolsonarismo está nessa base, de milícias e crime organizado às Igrejas neopentecostais, todas território fértil para lavagem de dinheiro. As “rachadinhas” de Flávio Bolsonaro não teriam sido identificadas sem o trabalho da Receita e do COAF. É só relembrar a pressão de Bolsonaro sobre a Receita, para tirar a fiscalização do porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro, porta de entrada do contrabando de armas no país.

A Receita é elemento essencial para sustentar o nível de despesas e blindar a economia informal da invasão pelos agentes da zona cinzenta da economia e pelo crime organizado.

O desmonte da Receita se encaixa na lógica Bolsonaro-Guedes, de promover um novo ciclo de acumulação capitalista em cima dos direitos sociais dos mais pobres, além de permitir a expansão da economia das milícias e do crime organizado.

Em agosto passado, Bolsonaro publicou um vídeo em seu Facebook incitando violência contra fiscais do trabalho.

No dia 11 de dezembro passado, para empresários reunidos na Confederação Nacional da Indústria, Bolsonaro sustentou a necessidade de menos poder aos fiscais, para evitar a aplicação de multas no agronegócio, nas indústrias e nas Igrejas.

“Tenho falado com meus ministros quando se fala em multas. Se eu não me engano, há questão de 40 anos, a Inglaterra tirou o poder de seus fiscais. Porque chegou a um ponto que aquele modelo adotado atrapalhava quem queria produzir”, disse ele.

Leia também:  Sabatina: Kassio Nunes fala em "ajustes" na Lava Jato e desconversa sobre prisão em 2ª instância

Peça 4 – o desmonte final do Estado brasileiro

Afirmação como a de Bolsonaro, ou ações como a de Guedes, certamente fazem revirar no túmulo os gurus do liberalismo brasileiro, de Roberto Campos a Octávio Gouvêa de Bulhões – que focaram na reestruturação da Receita, nos anos 60, os fundamentos para o crescimento posterior da economia.

Causa pasmo o esforço de cientistas sociais de tratar todos esses atos como normais, valendo-se de um falso paralelismo.

  1. O PT foi acusado de tentar transformar o Brasil em uma nova Venezuela, e essa acusação era falsa.
  2. Bolsonaro está sendo acusado de levar o Brasil para um golpe de Estado com apoio das milícias.
  3. Como a afirmação 1 era falsa, logo a afirmação 2 também é falsa, pouco importam as atitudes de Bolsonaro, as declarações sucessivas contra a democracia, a imprensa e o próprio conceito de Nação.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

31 comentários

  1. Ordens de grandeza de desenvolvimento do braZil:
    Décadas para suados avanços.
    Meses para cortantes retrocessos.
    Estes, múltiplos daqueles…

    11
    1
    • Nota do Andre

      O Serpro informa que, em função de problema operacional ocorrido em sua infraestrutura, alguns serviços da Receita Federal estão indisponíveis.
      Previsão de normalização em 19/01/2020.

      Serviços impactados:

      – Emissão de Certidão Negativa e Situação Fiscal
      – Caixa Postal
      – Parcelamentos Especiais
      – Simples Nacional – consulta aos documentos de arrecadação (DAS) pagos
      – Arrecadação – distribuição dos tributos de ITR e Simples Nacional
      – e-Processo – juntada de documentos
      – Infojud
      – Dossiê Integrado (apenas usuários internos da Receita Federal)

  2. como a maioria do pessoal da receita é privilegiada em termos salariais. vão deixando ocorrer o tal do desmonte até que exploda uma crise na vidinha deles e eles reagirão – espero que ainda dê tempo de salvar alguma coisa….
    salvar alguma coisa -pra quem, cara-pálida?

    10
    18
    • Engano seu. Nosso sindicato vem denunciando o desmonte da Receita Federal. O povo brasileiro é que se recusa a acreditar.

      29
      1
      • Isso mesmo. Governo e parte da sociedade brasileira se recusam a combater o desmonte das instituições públicas.
        Nas universidades públicas acontece o mesmo:
        os sindicatos denunciam e o silêncio da sociedade é ensurdecedor.

        28
        • Vai chegar um momento em que o crime organizado vai por as maos em toda a arrecadacao e o pais vai entrar em colapso, sendo que o lado bom disso é que nao vai ter grana para quem apoiou o golpe contra a democracia: Globo, STF, MPF, PF et caterva

      • Sem querer desmerecer os dotados de senso de justiça e já me desculpando pela eventual falta de informação, não tomei conhecimento de nenhum questionamento, denúncia ou protesto por parte do sindicato quando da descarada e seletiva perseguição a Lula, sua família e ao Instituto por parte da Receita. O corporativismo falou mais alto, ou essas questões não chegam ao público em geral?

        14
        1
        • Sou filiado ao Sindicato dos Auditores Fiscais e posso te garantir que ele aderiu ao bolsonarismo sem qualquer pudor. Nem o corporativismo está falando mais alto, estão engolindo todos esses sapos no maior silêncio, em sintonia com a base.

      • Sem querer desmerecer os dotados de senso de justiça e já me desculpando pela eventual falta de informação, não tomei conhecimento de nenhum questionamento, denúncia ou protesto por parte do sindicato quando da descarada e seletiva perseguição a Lula, sua família e ao Instituto por parte da Receita. O corporativismo falou mais alto, ou essas questões não chegam ao público em geral? Isso porque me parece que aí começou o desmonte, de dentro pra fora, no desvirtuamento funcional da instituição.

        6
        2
      • Não concordo. As denúncias não estão chegando ao conhecimento da sociedade, do povão, como deveria.

    • Vai chegar um momento em que o crime organizado vai por as maos em toda a arre arrecadacao e o pais vai entrar em colapso

  3. Penso que há que começarmos a refletir sobre que ESTADO o Nassif fala.
    Tenho tentado provocar uma reflexão aos tais movimentos progressistas que, pra mim, JAMAIS conseguirão o amplo apoio do povão por um simples fato: Pra se conseguir a implantação de políticas públicas pró ATIVAS, sólidas, permanentes, social e economicamente falando, o povão sabe que qq governo depende desse “estado de coisas” que esta aí, Estado que ele não tem pq motivo pra confiar, de longa data.
    ORAS, o povão sabe que o Estado brasileiro esta cheio de nepotismo, patrimonialismos, de direitos e foros exclusivos, de TODO TIPO de abuso (inclusive policial e da justiça), de corrupto e corruptores, de chantagistas e VAGABUNDOS, e pra todos estes CANCROS jamais qq partido de vanguarda (incluso PT), partidos “mais a esquerda”, quis denunciar e enfrentar, mesmo pq, pelo espírito de “porco” e de sindicatos que impera, seus votos sempre fariam muita falta na hora de ganhar.
    Pense alguns exemplos: O SUS, a instituição do BOLSA FAMÍLIA, o “minha casa”, todos são programas dignos de premiação e reconhecimento em qq parte do mundo, mas pq isso não aconteceu com a devida eloquência e força ? PQ em qq uma destas causas, sempre estava presente a corrupção, a burocracia, e sempre são seus pecados e faltas que ganham as páginas dos jornalões.
    Aqui, pra quem pensa que essa questão é menor, a de REINVENÇÃO DO ESTADO brasileiro, prum Estado cidadão, transparente e democrático, eficiente, pra quele que pensam que isso é pouca bobagem, eu só relembro aqui uma frase que acabou por eleger o capetão:
    “Vou acabar com tudo isso que taí, tá ok ?” ..convenhamos, pro néscio que em algum momento se sentiu VITIMA do estado, estas palavras soaram como remédio, não ?

    13
    5
    • Não exatamente Romanelli
      “Pense alguns exemplos: O SUS, a instituição do BOLSA FAMÍLIA, o “minha casa”, todos são programas dignos de premiação e reconhecimento em qq parte do mundo, mas pq isso não aconteceu com a devida eloquência e força ? PQ em qq uma destas causas, sempre estava presente a corrupção, a burocracia, e sempre são seus pecados e faltas que ganham as páginas dos jornalões.”
      A visão que a mídia vendeu à burguesia no sentido de que esses programas estavam tirando recursos deles, burgueses, para favorecer a “plebe vagabunda” é que instaurou o ódio de classes e culminou na derrubada do governo.
      A corrupção e a burocracia frequentam qualquer governo mas somente quando interessa ao poder é que se transformam em preocupação pública.

      13
    • Com base apenas nos mantras que magnificam certas mazelas você dá razão aos que agora no poder acusam os outros pelos crimes que cometeram. O SUS é uma instituição ímpar no mundo. Apenas o Brasil tem Serviços de Saúde abertos a toda a população. Existe corrupção, sim existe. Mas o quanto isto de fato é significativo diante de tudo o que o SUS faz, mas que não aparece em nenhuma narrativa. O patrimonialismo do SUS não aparece nos governos ou no estado, mas sim nas relações com planos privados e hospitais privados. E digo mais, dentro das instituições ṕúblicas, as tais normas de compliance, de avaliação vieram sendo instituidas por governos que não este. Quando acusam a administração pública de engessada, ninguém diz que é engessada pelas próprias regras rígidas de fiscalização etc… Poderia ficar aqui discorrendo sobre o dia a dia das instituições públicas, como as UNiversidades Federais e veriam que nada do que escrevem faz algum sentido. A corrupção existe no mundo todo e em vários setores, mas o que se tem é o reforço do discurso de que no Brasil ela é endêmica. Discurso que ressurge na história cada vez que um governo voltado para as questões sociais chega ao poder. Não existe nada mais corrupto que o setor privado, e em todos os atos de corrupção se tem os interesses privados, porém se fala nestes setores dizendo que são competentes administrativamente. Nem mesmo Brumadinho, e a longa história de companhias de eletricidade privadas consegue demonstrar que a incompetência privada é ilimitada.

  4. O politico Joseph JigSaw, aquele estudante “comunista” da UNE, “exilado” (em missão) no Chile (como FHC), que saiu direto do estádio prisão de Pinochet para estudar na universidade americana de Cornell (!!!), não sabia que seu país natal se chama Republica Federativa do Brasil. Achava que era Estados Unidos de braZil.
    Na verdade, sempre trabalhou (e continua trabalhando) para uma sutil mudança no nome: braZil dos Estados Unidos.
    O fato é que “hodiernamente”, com Collor, FHC, Temer e Bozo, apesar de atrapalhados por trabalhistas, tirados do governo a qualquer custo, estamos afinal caminhando para ser um Território Libre Associado de Puerto Brazico.
    Apesar de, ao contrário do outro Puerto, este ser efetivamente (muuuito) rico.

    10
  5. Duvida Estético-futurista……….
    As vezes me pego a “matutar” o futuro do pais se continuarmos nessa toada……
    Fico entre dois clássicos “recentes” do cinema hollywoodiano…………
    Sera o futuro do Brasil é virar “Blade Runner”…………ou vamos direto para “Mad Max”…………

    7
    1
  6. Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem para os privilégiados de sempre, incluindo os da receita, do judiciário, do legislativo, executivo, bozo e família, enfim, para os que vivem as custas da viúva.
    O povão nem sabe o que é terraplanismo ideológico, liberalismo econômico, essas coisas.
    Ninguém consegue dialogar com um evangélico, fã incondicional de bozo, adorador de pastor e mesmo quem não é, está anestesiado, não reage, como emprego ou sem, com gasolina a 3 ou a 5, com INSS com fila ou não…
    A classe média consegue ser mais ignorante que os pobres, com seus ódios, preconceitos. Gente que se informa com o bom dia Brasil, a tarde com jornal hoje, a noite com o jornal nacional e mais tarde via celular com o jornal da globo ou globo news e a rádio preferida no carro é a cbn, a que troca as notícias e para essa gente, desde que o PT não volte, pode até ressuscitar hitler.
    A imprensa, bem a imprensa finge ser contra bozo, só finge, como a rede globo.
    O judiciário é uma completa vergonha, da primeira a última instância.
    Estamos ferrados, afinal é tudo culpa do PT, de Lula.

    15
    3
  7. Olá, Nassif. Sou Auditor-fiscal da Receita Federal e vou acrescentar mais uma informação que recebi agora à tarde em meu e-mail institucional e que não está na matéria: o gabinete da Receita ordenou a suspensão da concessão de todas as licenças para capacitação, sem motivar a decisão e sem estabelecer prazo de vigência para a medida. Fui pessoalmente prejudicado, pois estou no último ano da faculdade de Direito e iria tirar licença para fazer minha monografia. Em tempo: ao contrário de mais de oitenta por cento dos colegas, não votei em Bolsonaro e fiz uma desgastante campanha contra sua candidatura aqui na repartição.

    13
  8. -> uma loucura jamais imaginada nem pelo mais tresloucado dos liberais.

    quiz:14/06/2013.

    o modelo do ultra-liberalismo de Paulo Guedes é o Chile de Pinochet:

    El “Modelo” chileno: 1.800 personas más ricas registran ingresos “mensuales” promedio hogar de $2.000 millones. Son dueñas del Agua, AFP, Medios de Comunicación, Isapres, Clínicas, Supermercados, Inmobiliarias, Bancos, Mineras, Pesqueras, Forestales y de la Deuda de los hogares.
    fonte: Fundación SOL

    em 1973 o Chile tinha 10 milhões de habitantes, hoje tem 18 milhões, com cerca de 4,7 milhões na região metropolitana de Santiago.

    no Chile, como no Brasil, a ditadura nunca acabou de fato: até hoje vigora a Constituição neoliberal promulgada sob Pinochet.

    em 1973 o Capitalismo passava pela transição do padrão monetário Dólar-Ouro para Dólar sem qualquer lastro ou limite: sobreveio uma década de desintegração seguida de expansão, com a ascensão chinesa e formação/estouro de diversas bolhas financeiras.

    enquanto o modelo chileno de Pinochet desaba pela força das ruas em movimento, como fazer do Brasil de 2020 o Chile de 1973, considerando inclusive um contexto global completamente diferente?

    no Chile, assim como Brasil, não há Esquerda institucional

    foi a assassina Ditadura de Pinochet que viabilizou a doutrina do choque de Hayek e Friedman, mantendo o Chile em torpor vegetativo mesmo durante a frente ampla da concertación democrática.

    hoje, enquanto milhões se fazem visíveis en las calles, Bachelet e aliados desapareceram na irrelevância.

    no Brasil o regime BolsoNazi segue se aprofundando, principalmente nos instrumentos legais de exceção, sem nenhuma oposição de fato.

    e por nisto falar: onde se escondeu a badalada #VazaJato? e os governadores de oposição do Nordeste?

    vivemos o absurdo de tempos absurdos: o Brasil está sendo desmontado com a complacência de uma Esquerda preocupada tão somente com a própria sobrevivência.

    resposta do quiz 14/06/2013: Junho de 2013, todos tem medo do povo nas ruas. de um lado a repressão policial, do outro os manifestantes clamando “Sem violência!”, no meio uma vazia faixa de passagem para pedestres. onde está a Esquerda institucional?
    .

  9. Bem feito, quem mandou o Sindifisco fazer balaozinho e marcar presenca nos eventos fora Dilma.
    A RFB é cheia de proletario que se acha elite. Fãs do Bozo. Agora toma Estado liberal e sem direitos na cara, otarios.

  10. No século XIX com as tecnologias existentes, Brasil e EUA não tinham uma distância tão grande como agora.
    E a vinda da família real para o Brasil tornou o Brasil, um país latino comandado por realeza européia…
    Isso aflorou a indolência irracional dentro da elite brasileira.
    Agora poderiam haver condes, duques tupiniquins…
    Nesse mesmo século os EUA tiveram uma guerra civil!
    Tudo conspirava, segundo essa indolente elite para que o Brasil se tornasse o florão da America!
    O que aconteceu depois disto todos nós sabemos!
    A era LULA demonstrou que seria possível avançar neste país, mas em níveis comparados a países com sociedades mais avançadas, mas para alcançarmos estes patamares levaríamos décadas seguindo no ritmo LULA!
    O Brasil teve um aborto ilegal!
    Hoje 40% da população no Brasil acredita que LULA é ladrão!
    A era do silício vai dar espaço ao grafeno, muito superior!
    O Supercomputador Quântico do Google é prenuncio de uma nova era de feitos inimagináveis!
    Um supercomputador vai criar outros, vai abrir segredos e possibilidades e nós escutando bolsonaro e criando filas para aposentadoria…
    Nos países com níveis de educação superior provavelmente novas tecnologias vão reduzir as horas trabalhadas das pessoas!
    Sobrará mais tempo e o conhecimento será ferramenta vital!
    O Brasil desarticulando tudo, com raiva de seu povo, vai ficar para trás como ficou no século XIX para o século XX.
    O salto ficará cada vez mais inatingível!
    Estamos jogando gerações humanas na lata de lixo!
    É crime contra a humanidade.

  11. O Serpro informa que, em função de problema operacional ocorrido em sua infraestrutura, alguns serviços da Receita Federal estão indisponíveis.
    Previsão de normalização em 19/01/2020.

    Serviços impactados:

    – Emissão de Certidão Negativa e Situação Fiscal
    – Caixa Postal
    – Parcelamentos Especiais
    – Simples Nacional – consulta aos documentos de arrecadação (DAS) pagos
    – Arrecadação – distribuição dos tributos de ITR e Simples Nacional
    – e-Processo – juntada de documentos
    – Infojud
    – Dossiê Integrado (apenas usuários internos da Receita Federal)

    ………….

  12. Caro Nassif

    Venho escrevendo e sendo interpretado como um INSANO (louco de atar) e parece que entre seis a dois anos começaste a ver o que já ví e escrevi aqui neste blog desde 26/12/2014 quando comecei uma série de artigos que colocarei as referências aí em baixo, que podes reler no teu próprio GGN

    Eles escolheram a barbárie. Em 26/12/2014. (https://jornalggn.com.br/negocios/eles-escolheram-a-barbarie/)

    Eles escolheram a Barbárie II. Em 09/02/2015. (https://jornalggn.com.br/noticia/eles-escolheram-a-barbarie-ii/)

    O Neo-Escravagismo como visão de mundo. Em 24/08/2015.(https://jornalggn.com.br/noticia/o-neo-escravagismo-como-visao-de-mundo/)

    Eles escolheram a Barbárie (DEFINITIVO). Em 12/03/2016.

    Porquê da necessidade do fim do Estado Nacional. Em 08/12/2016. (https://jornalggn.com.br/noticia/porque-da-necessidade-do-fim-do-estado-nacional/)

    O Império não quer mais sócios, quer servos. Em 03/01/2017.(https://jornalggn.com.br/artigos/o-imperio-nao-quer-mais-socios-quer-servos/)

    A destruição dos Estados como objetivo principal. Em 22/11/2017. (https://jornalggn.com.br/noticia/a-destruicao-dos-estados-como-objetivo-principal/)

    O que Bolsonaro pretende é tornar o país ingovernável (versão II) Em 26/03/2019. https://jornalggn.com.br/opiniao/o-que-bolsonaro-pretende-e-tornar-o-pais-ingovernavel/

    Por fim meu último artigo
    Celso Furtado errou de época, mas acertou no propósito. Em 16/01/2020 https://jornalggn.com.br/opiniao/celso-furtado-errou-de-epoca-mas-acertou-no-proposito/

    Não é um sofisticado xadrez é um DELIBERADO E NEFASTO PROGRAMA INTERNACIONAL, para tirar nos próximos 50 anos qualquer possibilidade de desenvolvimento do país.

  13. Luis Nassif,
    A turma de Chicago tem ojeriza a déficit público. Enfim, não há a mínima possibilidade de esse governo reduzir a carga tributária no Brasil, ainda mais no montante que você afirma. O que o Jair Bolsonaro diz não tem a mínima importância na condução da economia. Não se pode fazer um post com base em declarações dele.
    Uma das razões que os republicanos não colocam a turma de Chicago no comando da economia é justamente porque a turma de Chicago não deixaria os republicanos aumentarem o déficit público como é do histórico deles aumentar. Para quem duvidar é só lembrar que foi assim com Ronald Reagan, foi assim com Bush filho e foi assim com Donald Trump. O único que saiu do figurino foi Bush pai que não tinha um bom histórico, pois chamava as propostas de Ronald Reagn para a economia de Economia Voodoo.
    Não se pode pensar que Bolsonaro tenha alguma interferência na economia. Quem manda ali é o Guedes e os seus subordinados. O que pode haver é a redução do imposto de renda das empresas e aumento do imposto de renda das pessoas físicas ou outra forma de maior tributação que permita a melhora na arrecadação.
    Além disso, Guedes conta com uma provável recuperação econômica puxada pelo dólar desvalorizado e pelo impulso que as exportações causam na economia e também puxada por uma cada vez mais difícil substituição de importação para garantir uma receita maior em época de forte contenção de gastos. E assim talvez ele não precise aumentar a carga tributária. Caso contrário, principalmente se houver crise nos Estados Unidos esse ano, o mais provável é que ele aumente a carga tributária.
    E vale fazer um histórico da carga tributária no Brasil nos últimos 60 anos. Ela era em torno de 16% do PIB no período anterior ao golpe de 64. O liberal Roberto Campos ajudou-a a saltar para quase 20%, Delfim Netto ainda na época do Médici a fez saltar para 24%, Simonsen com Geisel entregou para Figueiredo uma carga tributária de 27%. Delfim no governo Figueiredo a fez cair para 24%, Sarney com o MDB e depois PMDB a fez cair para 22%, Collor a aumentou para 25%, Itamar para 27% e Fernando Henrique a aumentou para 33%. E de lá para cá ela está neste patamar.
    Em relação ao atraso na Previdência eu considero mais adequado a explicação de Fernando Brito no blog Tijolaço no post “Atraso nas aposentadorias não é problema, é “pedalada”” de segunda-feira, 13/01/2020, e que pode ser visto no seguinte endereço:
    https://www.tijolaco.net/blog/atraso-nas-aposentadorias-nao-e-problema-e-pedalada/
    É claro que a declaração de que a abertura de concurso agora iria vincular pessoas com o Estado por 60 anos é preocupante, pois todo concurso público é assim. Há que se reconhecer que a alegação é correta se a não justificativa para o concurso decorre de uma fundada avaliação de que haveria condições de resolver o problema sem a contratação de pessoal.
    Clever Mendes de Oliveira
    BH, 19/01/2020

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome