A plataforma Jobim, por Maria Cristina Fernandes

nelso_jobim_wilson_dias_abr.jpg
 
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
 
Jornal GGN – Em sua coluna no Valor Econômico, a jornalista Maria Cristina Fernandes fala sobre a possível candidatura do ex-ministro Nelson Jobim em uma eventual eleição indireta, em caso de impeachment ou renúncia de Michel Temer. 
 
Ela destaca que a coluna que Jobim escrevia no jornal gaúcho Zero Hora foi suspensa há duas semanas, coincidindo com a ascensão do ex-ministro como o “nome mais suprapartidário para o colégio eleitoral”. Fernandes afirma que o advogado tem o mérito de defende a tese impopular de que não há solução para a crise fora da política. 
 
“A criminalização da política serve a impostores e déspotas. A crise política se resolve pela política”, escreveu o ex-ministro, demonstrando preocupação com a aparição de uma aventureiro para 2018. A jornalista também pontua que, recentemente, Jobim deu uma palestra no BTG-Pactual dizendo que não acreditava mais que Temer iria permanecer no Planalto. 

 
Leia mais abaixo: 
 
Do Valor
 
 
Por Maria Cristina Fernandes
 
Os leitores do “Zero Hora”, de Porto Alegre, estão há duas semanas sem um dos seus principais colunistas. A seção fixa que o advogado Nelson Jobim mantinha no jornal às segundas-feiras foi descontinuada por tempo indeterminado. A suspensão de suas colunas coincidiu com a ascensão do ex-ministro de três governos, ex-ministro de dois tribunais superiores (STF e TSE) e sócio de André Esteves no BTG-Pactual, como o nome mais suprapartidário para o colégio eleitoral que pode vir a ser convocado para a escolha de um eventual substituto do presidente Michel Temer.
 
No seu escritório de advocacia, informa-se que a suspensão temporária se deu em função do momento político do país. O ministro temia ser mal interpretado em seus contundentes artigos. Entre seus leitores mais atentos, e não apenas dentro das fronteiras gaúchas, a suspensão das colunas foi vista como uma iniciativa de Jobim para se preservar da percepção de que poderia vir a ser o coveiro da Lava-Jato. O colunista tem o destemido mérito de cultivar a tese, cada vez mais impopular, de que não há saída fora da política. A leitura dos textos sugere que a suspeita sobre sua licença procede.
 
Seis dias depois da divulgação da delação dos executivos da Odebrecht, Jobim publicou coluna intitulada “A crise”. Dedicou-se, no texto, a desautorizar, com seis pontos de exclamação, a validação, como prova, daquilo que fora dito pelos delatores: “Aqueles que visaram a vantagens com suas delações passaram a ser fonte da verdade absoluta (!!!). (Os corruptores passaram a ser fonte de certeza (!!!))”. O ex-ministro também contestou a interpretação de que o sistema político ruíra frente à abundância de deputados, senadores e governadores alvos de inquérito. Nas contas expostas no texto, apenas 12% dos congressistas haviam sido atingidos. Ao esgrimir seus conhecimentos na matéria, adquiridos em mestrado na Universidade Federal de Santa Maria, nunca concluído, disse que o país estaria diante do “erro lógico da generalização empírica”, tese do filósofo austríaco Karl Popper.
 
A constatação de que o país está à beira de uma catástrofe, na visão de Jobim, viabilizaria o aparecimento de um “caudilho redentor” que apenas substituiria um problema por outro. A ausência do prefeito de São Paulo, João Doria, e do deputado Jair Bolsonaro das listas das empreiteiras não era tema de sua coluna, mas o ex-ministro não disfarçou a preocupação com as consequências das delações sobre o plantel de opções para 2018: “A criminalização da política serve a impostores e déspotas. A crise política se resolve pela política”.
 
 
Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Eu já escuto teus sinais..., por Eliara Santana

20 comentários

    • Na Idade Média a burguesia

      Na Idade Média a burguesia não pintava e bordava tanto assim, melhor atualizar as referências.

  1. Plataforma… Como se os

    Plataforma… Como se os golpistas fossem deixar fazer o que bem entender o cara que eles mesmos vão colocar no lugar do temer.

  2. Diretas Já

    A grande hipocrisia é justificar as eleições indiretas por meio da Constituição.

    Ora, a Constituição já foi rasgada, ignorada, desrespeitada inúmeras vezes…

    Antecipar as eleições em apenas um ano é o mais razoável, correto, prudente…

    A usurpação do poder soberano do povo pode resultar na total desobediência civil. Caos social…

    • Para antecipar eleições para

      Para antecipar eleições para este ano é preciso duas PECs e a chance de sua aprovação na Camara é ZERO. porque ninguem acha razoavel, logico, viavel ou necessario e a Camara não tem motivo algum para abrir mão de seu direito de escolha.

      Se razoavel fosse a tramitação das PEC levaria seis meses ainda com uma provavel judicialização, depois a preparação das eleições exigiria mais4 a 6 meses, é um a operação que não tem o menor sentido para quem pode decidir.

      • Quem luta por eleições

        Quem luta por eleições diretas, poderá conseguir indiretas. Quem pede indiretas, poderá conseguir golpe judiciário com apoio militar. Quem pede intervenção militar, poderá conseguir desembarque de tropas “internacionais”. 

      • Li e reli seu comentário e
        Li e reli seu comentário e cheguei a triste conclusão que não será o Senhor que abrirá a minha bolsa de apostas.

  3. Faro?Tino?Conhecimento?Sorte?
    Faro?Tino?Conhecimento?Sorte?Encarnação da Mãe Dinah?Não saberia responder.Em colóquios com os meus misteriosos botões,chegamos a conclusão que as ,apostas,fichas,pules e quejandos,na condição de 10 para 5,jogaremos todas nossas economias,que o vencedor da corrida presidencial indireta recairá sobre Nelson Jobim.Mas por quê você e seus indecifráveis botões estão dando uma vantagem tão grande,perguntou-me o inefável Peru.Ora,ele já foi escolhido há tempos,desde o grampo da JBS, macomunada e avalizada pelos arautos da Casa Grande.Agradeceu-me pela informação e se picou para fazer suas apostas.

    • É de bom alvitre avisar aos
      É de bom alvitre avisar aos senhores e senhoras cadastrados que aqui batem o assíduo ponto,que o acima assinado não escreveu um comentário ou similar,mas única e exclusivamente uma condição de aposta.Se se os senhores e senhoras entenderem que vale a pena arriscar algum tusta em qualquer outra direção,é só entrar em contato com a base que serão muito bem atendidos.A Bolsa de Valores das Apostas,estão abertas a partir desse momento.

  4. Não tem remendo que corrija o GOLPE, e seus LADRÕES.

    DIRETAS JÁ – “Na Política e no Direito, o modo de se lidar com a subjetividade é a Democracia, em que o problema da subjetividade é contornado por meio do consenso, pela coincidência estatística de opiniões, pelo voto de um conselho ou da população, de modo que, por assim dizer, a subjetividade de um único indivíduo, ou de uma minoria de intelectuais, não venha a prevalecer. Em Moral e Religião, a âncora são as escrituras, consideradas revelação divina.”

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Fenomenologia 

  5. Fora de lugar: sobre o ato de amanhã na Batata

    Considerando:

    a) que dona Paula Lavigne é uma neófita, nunca foi líder de nada;

    b) o que está rolando na página da Paula Lavigne, e os comentários no post da convocação;

    c) que dona Paula Lavigne tem como único objetivo surfar numa onda oportunista, é uma sem noção;

    d) a presença de tantas pessoas antagônicas no palanque e na platéia;

    e) a presença dos blocos de carnaval de SP, todos de primeira hora contra o golpe, conheço bem a maioria deles, que não vão concordar com o que vai ser dito no palanque por gente estranha, que contribuiu para o GOLPE;

    f) os ânimos estarem exaltados, a temperatura política alta, e a presença certa de provocadores;

    g) “manifestantes” de pixuleco na mão, camisetas do MoroBloco pedindo a prisão de Lula na platéia e no palanque;

    Conclusão: chance altíssima de dar merda, terminar em confusão e pancadaria.

  6. Em adendo ao comentário
    Em adendo ao comentário enviado há pouco,que não sei ainda se será recepcionado,dada rigorosa triagem imposta aos não cadastrados,é necessário evidenciar que,apesar do acima assinado apostar 10 X 5 na eleição presidencial indireta de Nelson Jobim,o mesmo não vale para a sua agenda,isto é,o que ele vai fazer ou deixar de fazer,talvez,nem o diabo saiba.

  7. Vem ni’min, Jobim!

    Bora enterrar o golpe da Juristocracia/Globo!

    Chamada 3/6: atualizado com prisão do Dep. ROCHA – “mala de 500 mil”- LOURES

    <<MORO, JANOT e FACHIN dançam no “BAILE” do “ACORDÃO”>>

    Como temos registrado no blog, houve nos últimos dias muitas “piscadelas”, de um lado, e “exibição de músculo”, do outro, entre os diferentes atores do “baile” do acordão dos corruptos.

    E segue a valsa!

    Depois da confirmação, pela fonte de Fernando Morais, de TODAS as nossas especulações, surge mais uma peça: Nassif revela um dos vários “esqueletos no armário” que empurrarão, ao fim e ao cabo, a PGR e o MPF para esse acordão.

    Eis o que foi colocado na mesa de negociação nesta semana.

     

    LEIA MAIS »

    • A comparação não procede,

      A comparação não procede, senão feita por paulistas ainda não conformados com a derrota de sua intentona contra-revolucionária para restaurar a República Velha em 1932.

  8. É o Getúlio Vargas reverso.

    É o Getúlio Vargas reverso. Combina, porque dessa vez os EUA é que estão sob comando de um Nazi. Engraçado como a história se repete, e o Brasil é sempre uma várzea.

    • É preciso ver com

      É preciso ver com profundidade a situação mundial. Quem apoia um governo neo-nazi na Ucrânia é a Hilary Clinton e não Trump. Quem bombardeou e destruiu a Líbia, matando seu lider Kadafi, foi a Hilary. A Síria foi invadida por grupos apoiados pelo “Ocidente” sob Obama-Hilary-Otan. Quem era a representante do Deep State beligerante e neoliberal nas últimas eleições era Hilary, e não Trump. Trump tem um jeito ulltra-voluntarista, mas bastou ameaçar a vitória de Clinton para sofrer todo tipo de demonização por parte da mídia lacaia do Deep State. Embora Trump se diga contra as limitações conservacionistas, com certeza seu governo fará mais no sentido de defender a natureza que o governo hipócrita de Obama, no qual se destruiu o subsolo e os lençóis freáticos de praticamente todo o território nacional, em busca de petróleo de xisto, apenas para fugir ao comércio internacional que estava amarrado por um acordo com a Arábia Saudita pelo baixo preço para tentar destruir a economia russa e subsidiariamente a da Venezuela e a política petrolífera do Brasil. É preciso mais atenção às questões globais. Em  breve não poderemos mais nos posicionar internamente sem também nos posicionarmos internacionalmente.

  9. Jobim será aceito pelos

    Jobim será aceito pelos golpistas, se prometer terminar o trabalho de destruição de direitos trabalhistas e conquistas sociais, e ficar quieto quanto ao trabalho sujo de desmonte ditatorial das forças políticas populares-progressistas do país, inclusive quanto à prisão de Lula. Também deverá continuar o trabalho entreguista e de desmonte que vem sendo realizado por Temer na Petrobras e em outros setores nos quais o Brasil vinha se destacando globalmente. Não há como ser de forma diferente. Mas tudo correrá no sentido de ficar em acordo com o figurino dos golpes parlamentares, que têm se servido de figuras odiosas para levar os governos golpistas a tomar medidas inaceitáveis de capitalismo global e selvagem em um primeiro momento e depois as substitui por figuras menos comprometidas com a política suja e com posições de direita radical. Neste novo governo até mesmo algumas medidas que lembrem ser típicas da esquerda poderão ser tomadas para efeito de balanceamento em propaganda, com muito palavrório, pouco de concreto e nada de avanço progressista.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome