Guerra de mundos: outros mundos são possíveis, por Arkx

quantas estradas devemos percorrer, até conseguirmos nos encontrarmos com nós mesmos?

quantas mortes ainda acontecerão, até compreendermos ter sido apenas a nossa própria morte repetida muitas vezes?

a resposta vem vindo no vento…

incapaz de realizar a autópsia do lulismo, o PT perambula no interior do labirinto que ergueu ao seu próprio redor. sua autocrítica se limita a reconhecer-se vítima de um “problema de comunicação”.

de fato, um problema de comunicação consigo mesmo, demonstrado na absoluta negação de assumir seus erros; um problema de comunicação com a mídia golpista, como se esta fosse trair a plutocracia colonial e escravagista, da qual faz parte, para se abraçar com um projeto popular.

foi quando abandonou as ruas, por acreditar não mais precisar caminhar por elas, que o PT passou a integrar o acervo do museu das grandes novidades da política brasileira.

precocemente senil, o PT se recusa a rejuvenescer. um partido dirigido por anciões paulistanos, incapaz de compreender a falência do modelo unipolar, no qual já não cabe a complexidade do tecido social de uma humanidade hiper conectada.

a guerra de mundos provoca uma crise global de hegemonia. no planeta, USA Incorporation; no Brasil, São Paulo Ltda.; na Esquerda brasileira, o PT quatrocentão.

o grande desafio democrático a ser enfrentado é estabelecer uma multipolaridade a partir de relações multilaterais. caso contrário, o mundo unipolar, com sua guerra de um contra todos os demais, se esfacelará numa guerra de todos contra todos.

apesar de todos os links da autodenominada sociedade humana, nela os indivíduos estão separados, isolados, alienados, desconetados. uns dos outros e de si mesmos. enquanto numa comunidade os seres permanecem conectados, através de relações resilientes a todas as investidas de separação.

organizar-se nunca quis dizer filiar-se numa mesma orga­nização, participar da mesma associação, pertencer ao mesmo partido. organizar-se é agir coletivamente segundo uma percepção compartilhada, seja a que nível for.

Leia também:  É preciso responder à infâmia contra João Cabral de Melo Neto, por Urariano Mota

as autênticas formas de organização são próprias da vida. portanto, sempre estão em movimento. é nelas que devemos nos inspirar. principalmente para as formas de organização política. para que a militância política não mais esteja separada de um jeito de viver.

não se trata, contudo, de massificar a “profissionalização” da militância, mas de compreender que a política não está separada da vida. portanto, militar é viver.

juntos então compreenderemos que ninguém muda o mundo, ninguém muda ninguém, ninguém sequer muda a si mesmo. mas as pessoas se transformam entre si através das experiências de vida que são capazes de gerar e compartilhar intensamente. e isto transforma o mundo.

alguns dizem que a Esquerda sofreu uma derrota humilhante nas eleições municipais de 2016. ao que contrapomos: sim! mas qual Esquerda? aquela que desde muito abdicara de sua identidade.

qual a maior vitória de uma campanha política? a resposta vem vindo no vento. no vento soprado do Rio de Janeiro.

a crise da Democracia brasileira é uma crise de identidade. numa encruzilhada do destino, o que decidimos: perder votos ou perder o sentido de nossas vidas? esta é a questão.

era prá ser… mas não foi. agora vai ser desse jeito. vai ser dizendo a verdade, sem aliança vendida em troca de tempo de televisão. vai ser desse jeito. na rua, na praça, na rede, na raça. é possível!

não importa o resultado da eleição. com a campanha de Marcelo Freixo o novo rumo para a Esquerda brasileira já está aberto.

nesta guerra de mundos, outros mundos são possíveis.

Leia também:  Do Método e da Escrita, por Arnobio Rocha

.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

52 comentários

  1. Auroville

    Me lembrei de Auroville, a cidade (comunidade) sem políticos ou classes sociais. Fundada em 1968, por que não serviu de inspiração para outras experiências ainda? Por que não se multiplicou? Acho que nós não viveremos nesse(s) outro(s) mundo(s) possível(is). Vai demorar, mas acredito que tem que ser assim. Ou isso, ou nada restará da humanidade.

    Aurovile: The Galaxy concept of the city

     

    A cidade do futuro que não tem políticos, classes sociais ou religiões, e é governada pelas pessoas

    • outros mundos são possíveis

      -> Por que não se multiplicou?

      no sul de Minas, região do chamado circuito das águas minerais (S. Lourenço / Caxambu / Lambari / Cambuquira), há vários tipos de “comunidades” e experiências do gênero. desde a década de 70.

      Eubiose, Daime, Hare-Krishna. o projeto Alvorada do Luiz Gonzaga Scortecci. tem recentemente um holandês tentando organizar uma ecovila.

      conheci aqui na região pessoas que passaram por Auroville, Tamera e Findhorn.

      estas “comunidades” compartilham uma característica: tendem a ser centrípetas, auto-referenciadas.  portanto, não trabalham a dimensão política. acabam se fechando em si mesmas, com todas as patologias de relacionamento que isto acarreta, tanto externamente como interna.

      há também outros tipos de “comunidades”. por exemplo: a galera da praia no Rio. as comunidades de praias, agrupando-se no Posto 9, na Farme (de um lado e do outro – LGBTS), no Posto 10.

      há comunidades virtuais. como aqui no Nassif.

      numa comunidade o mais importante são os laços e a ação coletiva. e o grande perigo é não se voltar para a ação e para o exterior.

      grande abraço

      .

      • outros mundos são possíveis e inversão de eixo

        -> no sul de Minas, região do chamado circuito das águas minerais (S. Lourenço / Caxambu / Lambari / Cambuquira), há vários tipos de “comunidades” e experiências do gênero. desde a década de 70.

        Conheço bem essa região. Minha família é de lá e frequentei muito desde a infância até o início da juventude. Ouvi por alto alguma coisa a respeito dessas comunidades, mas nada muito relevante.

        -> Eubiose, Daime, Hare-Krishna. o projeto Alvorada do Luiz Gonzaga Scortecci. tem recentemente um holandês tentando organizar uma ecovila.

        Em relação ao Daime, sei de casos de pessoas (próximas, que conheço) meio que piraram. Inclusive os filhos têm problemas psicológicos graves e são bastante desajustados. Claro que são casos particulares, mas fico meio bolada com o Daime. Sobre as ecovilas, minha sobrinha (de novo ela! rs) morou durante um ano numa delas em Porangaba, no Instituto Visão do Futuro. Saiu de lá um tanto decepcionada com a diferença entre o que se prega e o que se pratica.

        -> conheci aqui na região pessoas que passaram por Auroville, Tamera e Findhorn.(…)

        Não sou tão ingênua a ponto de achar que essas comunidades não têm problemas, incluindo os que você citou. Mas o modelo parece bom.

        -> há também outros tipos de “comunidades”. (…) o grande perigo é não se voltar para a ação e para o exterior.

        É o que acho que acontece em quase todas estas que você citou. Allém de serem, como você disse de Auroville, centrípetas e autorreferenciadas. Independente disso, esse tipo de comunidade está muito longe de germinar uma inversão de eixo.

        um abraço

        • outros mundos são possíveis

          -> Em relação ao Daime, sei de casos de pessoas (próximas, que conheço) meio que piraram.

          é um psicoativo muito forte. conforme a doutrina, a Rainha faz vc viajar, enquanto o Jagube mantém a consciência e induz à autocrítica. é um assunto delicado. e aqui na região tem dois grupos fortes. começaram juntos. depois cada qual seguiu seu rumo. esclareço, não sou adepto.

          seja como for, para quem quiser voar, primeiro tem que construir seus alicerces a partir do centro da terra. é por isto que as pessoas piram. vôo de Ícaro.

          -> Saiu de lá um tanto decepcionada com a diferença entre o que se prega e o que se pratica.

          é o mesmo com os partidos políticos e os movimentos sociais. os problemas são semelhantes. inclusive por aqui, uma região com muitas experiências de grupos alternativos (ah! lembrei-me agora, tem tb o pessoal do “Viver da Luz”) é que todos querem ser gurus. estes grupos tem baixíssima inserção social e trabalho direto com a comunidade. há exceções, evidentemente. mas até as exceções muitas vzs são tb  cheias de distorções. em resumo: não existe a integração entre vida alternativa e vida política. como se fosse possível…

          -> Não sou tão ingênua a ponto de achar que essas comunidades não têm problemas, incluindo os que você citou. Mas o modelo parece bom.

          as “comunidades” não precisam ser permanentes. e nem mesmo territoriais. a campanha do Freixo, por ex., é uma comunidade. a campanha da Dilma em 2014 tb foi uma comunidade. é muito mais um modo de relacionamento do que uma base territorial.

          -> Independente disso, esse tipo de comunidade está muito longe de germinar uma inversão de eixo.

          o que pode germinar uma inversão do eixo é uma mudança de percepção que seja compartilhada pelos coletivos levando a práticas comuns. sejam estas quais forem. um outro modo de se organizar e de atuar. tentando outra vez sintetizar: chegou o momento, mais necessário do que nunca, de integrar a política e a espiritualidade num mesmo conhecimento e numa mesma prática.

          abraços

          .

      • Sei que não foi a sua

        Sei que não foi a sua intencão, mas acho uma furada achar que a esquerda não deve ter prazer. Sou carioca, adoro ir à praia e não acho que isto é incompativel com ação política. Ou a esquerda tem que se autoflagelar? 

      • Sei que não foi a sua

        Sei que não foi a sua intencão, mas acho uma furada achar que a esquerda não deve ter prazer. Sou carioca, adoro ir à praia e não acho que isto é incompativel com ação política. Ou a esquerda tem que se autoflagelar? 

        • outros mundos são possíveis

          mas nada há no texto contra o prazer. ao contrário. política e prazer são indissociáveis.

          mas repare como há um preocupante corolário: o capitalismo não produz apenas necessidades, produz também desejos. portanto, prazer!

          a indústria do tabaco nada mais faz do que criar o ”prazer de fumar”, não só pelo marketing como inclusive via produtos químicos na composição do cigarro.

          como podemos ter prazer com algo que nos envenena? o prazer não é neutro. é político! ou seja: nem tudo que dá prazer é saudável.

          .

      • Politica e prazer são

        Politica e prazer são incompativeis? Sou carioca, adora ir à praia com a “minha comunidade” e acho que não. Ou a esquerda deve apenas se autoflagelar?

      • Politica e prazer são

        Politica e prazer são incompativeis? Sou carioca, adora ir à praia com a “minha comunidade” e acho que não. Ou a esquerda deve apenas se autoflagelar?

  2. Esse papo já esgotou a paciência. Só serve à Direita

    Mais um jogando lama no governo deposto por um golpe e no único partido que fez alguma coisa, mesmo com os limites da realidade. Governos e partidos nao têm vara de condao. A gente fala fala sobre os limites das “democracias burguesas” mas faz de conta que eles nao existem ao fazer esse tipo de críticas. Arre!

    • Me responde ai, você acha que

      Me responde ai, você acha que a escolha de 10 (repito DEZ) ministros canalhas e covardes para o STF foi por causa dos “limites da democracia burgesa”? Me engana que eu gosto, ou talvez, se engane que você gosta…

    • Senhorita,
      Você faz ideia do
      Senhorita,

      Você faz ideia do que é os limites dessa mesma realidade quando está o governo nas mãos do adversário?

      Vocês não raciocinam bem. O cálculo é frágil e tosco.

      Preste atenção, por gentileza:

      Se um governo é capaz de destruir o futuro de milhões através de uma Pec, o que esse mesmo governo seria capaz de fazer se estivesse a serviço da população?

      Vocês não tem ideia do imenso poder de transformação de um governo

        • Bom… Ter poder não
          Bom… Ter poder não significa dizer que possui TODO o poder.

          Óbvio que não basta estalar os dedos e mágica acontecer.

          Não precisa acreditar em Papai Noel, precisa só ter olhos e enxergar.

      • outros mundos são possíveis

        -> Se um governo é capaz de destruir o futuro de milhões através de uma Pec, o que esse mesmo governo seria capaz de fazer se estivesse a serviço da população?

        pois é… tão simples e tão difícil, não de entender, mas de aceitar. 13 anos perdidos na auto-ilusão.

        antes o Lulismo alegava que nada podia ser feito, senão seria derrubado pela Direita. acabou caindo do mesmo jeito. agora a Direita não ta nem aí e pode tudo.

        peguemos o exemplo do governador de Minas. foi anunciado como o grande bastião da resistência contra o golpe. o que fez de concreto? compareceu à posse da nova presidentA do STF, para sacramentar alguma tentativa de derradeira conciliação…

        indague aos professores de Minas o que acham do atual governador (em quem votaram maciçamente).

        enquanto o Lulismo insistir em seus mitos dos “milhões arrancados da miséria” e dos “milhões de uma nova classe média” não haverá renovação. nenhum novo rumo para uma parte da Esquerda, enquanto ela se manter olhando pelo retrovisor enquanto afundai num abismo.

        Salário Mínimo: Lulismo x FHC. ingrata e lamentável surpresa: a recuperação foi menos pior nos anos de FHC comparada com os 13 do Lulismo.

        .

    • Arre! Indicar 10 (repito DEZ)

      Arre! Indicar 10 (repito DEZ) ministros para o STF e nenhum funcionar é porque não foi possivel ultrapassar “os limites das democaracias burguesas”? Se engana que você gosta…

      Inveja do FHX, indicou só e funciona tão bem!

       

      • outros mundos são possíveis

        ->Inveja do FHX, indicou só e funciona tão bem!

        é dose, né…

        ps: mas quem é o décimo? o Caetano?

        são 13 no total

        Lula nomeou 8: Cezar Peluso, Menezes Direito,Ayres Britto,  Cármen Lúcia,  Ricardo Lewandowski, Eros Grau, Joaquim Barbosa, Dias Toffoli

        Dilma nomeou 5: Roberto Barroso, Edson Fachin, Luiz Fux, Rosa Weber, Teori Zavascki

        .

    • Arre! Indicar 10 (repito DEZ)

      Arre! Indicar 10 (repito DEZ) ministros para o STF e nenhum funcionar é porque não foi possivel ultrapassar “os limites das democaracias burguesas”? Se engana que você gosta…

      Inveja do FHX, indicou só e funciona tão bem!

       

    • outros mundos são possíveis

      mas o foco do texto nem é a crítica ao Lulismo e ao PT, é sobre a magnífica foto com o Freixo e o Suplicy caminhando pelas ruas, o grafite do sambista e de Madame Satã ao fundo.

      foto de Daniel Castelo Branco / Agência O Dia.

      a frente das Esquerdas caminha pelas ruas.

      PT e PSOL

      Rio e SP

      a renovação e a maturidade

      eles tem a mídia, nós temos uns aos outros

      salve nós!

      Suplicy nas ruas fazendo o vento soprar a resposta

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=faGB1026aWI%5D

      .

      • Também amei a foto…

        … e estou torcendo muito, muito mesmo, pelo Freixo.

        Mais do que torcendo. Militando.

        Temos a nós mesmos, e temos o previsível fracasso dos golpistas para ajudar nosso dificílimo trabalho de reinvenção do Brasil.

        O mais complicado, e importante, é envolver as massas de pobres e muito pobres nesta luta. Nós intelectuais de esquerda tendemos a ficar muito fechados em nossos guetos, desconhecendo o verdadeiro abismo que nos separa dos sem-capital-simbólico, sem tempo para qualquer outra coisa fora do trabalho exaustivo, sem fé em coisa nenhuma (ou com fé em pastores picaretas), hipnotizados pela Globo,  etc.

        Gente como o véi Suplicy, o jovem Freixo, o Boulos… e muitos outros, só vamos refundar o Brasil quando os descendentes dos escravizados assumirem protagonismo na luta pela sua emancipação.

         

        • outros mundos são possíveis

          -> O mais complicado, e importante, é envolver as massas de pobres e muito pobres nesta luta.

          as massas só se envolvem na luta em torno de questões práticas do seu dia a dia. não adianta a pretensa vanguarda querer “trazer” as massas para uma luta geral. a não ser, é claro, em situações de insurreição popular – mesmo nestas são as massas que tomam a vanguarda do movimento.

          esclareço: não estou afirmando que seja esta a sua posição. apenas repito e enfatizo que o paradigma clássico da Esquerda não cabe mais – principalmente no caso do Brasil.

          outro ponto: é indiscutível que os meios de comunicação no Brasil tem enorme influência na população. por isto é preciso criar e fortalecer a mídia independente. só que centrar na mídia golpista como o principal inimigo é, no meu entender, um equívoco. o sistema financeiro – grosso modo, os banqueiros – são os maiores inimigos da Democracia. e parece que agora isto está escancarado com a PEC 241.

          é uma ilusão postular que pode haver desenvolvimento com inclusão social dentro de uma política econômica neoliberal.

          .

          • Concordo, faltou um programa econômico alternativo…

            … e este tem sido o maior calcanhar de Aquiles do PT. Palocci, Meirelles, Levy…

            Dilma tentou baixar os juros e a Globo foi pra cima com terrorismo no primeiro pique inflacionário…

            Mas os governos do PT, apesar de todas as limitações, puseram pela primeira vez a redução das desigualdades na agenda política do governo federal. Num país como o Brasil, enunciar que “país rico é país sem pobreza” é algo quase revolucionário. A miséria e a desigualdade estão naturalizados no ethos dominante…

            Não conheço nenhum caso histórico no qual as massas tenham sido vanguarda de alguma insurreição bem sucedida (que não tenha sido esmagada logo depois). Você conhece?

             

             

             

             

          • outros mundos são possíveis

            -> Nós intelectuais de esquerda tendemos a ficar muito fechados em nossos guetos

            esclareço: não sou propriamente um “intelectual”. nunca fui ligado a universidade, por ex., ou trabalhei com atividade que possa ser considerada “intelectual”. mas entendo o que vc argumenta. e concordo. só faço uma observação que não é exatamente o meu caso.

            -> Não conheço nenhum caso histórico no qual as massas tenham sido vanguarda de alguma insurreição bem sucedida (que não tenha sido esmagada logo depois). Você conhece?

            veja.  o que eu quis ressaltar foi um outro tipo de relação dentro dos movimentos políticos que não se paute pelo esquema “vanguarda/massa”. este é um debate mais do que necessário agora nesta situação de reconstrução da Esquerda brasileira.

            em sua fundação, o PT se organizou a partir de Núcleos de Base, que eram autônomos e  se sobrepunha a estrutura tradicional de Diretórios/Executiva.

            considero que este tipo de organização deve ser resgatado. assim como assimilar outras experiências mais recentes. daí ter colocado a noção de comunidade, como um outro tipo de organização social – que vale até mesmo para os partidos-movimentos.

            quanto a insurreições que não tenham sido esmagadas… todas as insurreições são de massas. algumas são esmagadas, outras são traídas. outras mais perdem sua força antes de se tornarem revolucionárias.

            mesmo Outubro de 1917. foi traído. ou não foi?

            a insurreição de Kronstadt foi esmagada pela nascente burocracia bolchevique – mesmo Trotski teve que reconhecer isto. tardiamente.

            se a Comuna de Paris (1871) foi também esmagada, que tal a Grécia em 2010? ou mesmo o 1º de Maio em Chicago (1886).

            e, afinal, os Zapatistas não foram esmagados até hoje, né? e são muito mais do que apenas um movimento de massas. são um bom exemplo de um outro modo de viver, de uma outra política.

            tem casos e casos e casos.

            é isto que a Esquerda brasileira deveria estar fazendo. analisando estes casos. debatendo. não teoricamente, mas reaplicando e atualizando essas experiência para subsidiar sua reconstrução.

            inclusive os nosso próprios, como a grande greve de 1917, em São Paulo.

            abraços

            .

  3. A cada vez que leio essas

    A cada vez que leio essas catilinárias da esquerda sentando o pau no PT, enquanto avança o Estado Policial e Lula está prestes a ser preso – dificilmente sairá vivo da cadeia – imagino uma analogia: Alemanha, 1942. Começa a cremação em massa de judeus pelos nazistas. Um judeu que logrou fugir a tempo escreve e publica centenas de artigos de autocrítica. Possível conteúdo:  “Nós, judeus, temos que assumir nossa parcela de culpa pelo massacre dos nossos pelos alemães. Muitos de nós nos afastamos da pureza religiosa e dos preceitos sagrados. Muitos praticamos a avareza, a cupidez, a usura, a exploração. Demos assim pretexto para Hitler nos escolher como bodes expiatórios. Depois, muitos de nós tentamos escapar ao destino que ora recai sobre nossa comunidade, tentando ser amiguinhos dos nazistas. E muitos de nós fecharam os olhos para as ameaças crescentes, recusando-se a crer que haveria um Holocausto. Quantos erros, quanta cegueira! Se estamos sendo massivamente transformados em sabão, a culpa é antes de tudo, e acima de tudo, nossa!”

    E olha que nem tenho particular simpatia pelos judeus, agora que o sionismo aproveitou o massacre promovido contra eles para se autorizarem a promover seus próprios holocaustinhos contra os palestinos.

    As novíssimas modalidades de autoritarismo e dominação, golpismo soft, que estão sendo aplicadas no Brasil,  não podiam ter sido antecipadas e previstas com segurança, simplesmente porque nunca tinham ocorrido antes. Genocídio e extermínio em massa sempre existiu no mundo, mas o modelo nazifascista representou uma configuração inédita da coisa. Acho extremamente injusto, e até mesmo canalha, acusar as vítimas pelo crime que as golpeia. Extrair lições, buscar inventar novas formas de organização e articulação, isso sim… e sempre. Mas dançar e cantar em torno da fogueira, comemorando, gritando “Bem feito! Bem feito!!!”, enquanto nela queimam os que tentaram melhorar a vida dos Ninguéns brasileiros… isso para mim é um pouco demais.

    • Fogo “Amigo”

      Ia comentar o datado anunciado, não mais, esse comentário esgota o contraditório necessário ao dito cujo, velho conhecido, fogo “amigo”.

      É como um exocet em direção as coordenadas do celular do datado emissor da ladainha, não sobrará pontos e vírgulas, quiçá palavras e restos de argumentos conexos.

      Basta. 

      PS: Por falar em fogo “amigo”, impressiona-me às vezes que sucedem-se, à sedutora mídia oportunista, ao correr do tempo, Tarso e Olivio. Será a quentura do chimarrão que faz a boca torta? 

    •  
      Análise brilhante!
      Muito

       

      Análise brilhante!

      Muito obrigado.

       

      Até a vitória sempre!

      Mesmo porque a luta contra o nazifasciterrorismo é interminável/inesgotável!

       

      Felicidades!

    • outros mundos são possíveis

      não tão simples. não tão simples mesmo. nem em relação ao Lulismo e muito, muitíssimo menos em relação ao Sionismo.

      para reflexão:

      “Uma vaca na Palestina vale mais que todos os Judeus na Polônia.”

      Izaak Greenbaum

      o livro “A crise do Sionismo pós-Ugandês nos dias da catástofre dos anos 1938-1945”,  de Sabbattai Beit-Tsvi, um Judeu Russo que dedicou sua vida ao estudo dos arquivos da agência Judaica em Tel Aviv, descreve as ligações perigosas entre o Movimento Sionista e os Judeus.

      em 12/11/1938, dois dias após a “Noite de Cristal”, fatídico pogrom na Alemanha, Moshe Sharett, futuro Ministro de Relações Exteriores de Israel, declarou que “a Agência Judaica não deve ser cúmplice da imigração de Judeus para outros países”.

      Izaak Greenbaum, na época com o cargo de Ministro para o Resgate dos Judeus, preferiu ser ainda mais brutal :  “Temos que fazer tudo para impedir a imigração organizada [de Judeus] para fora da Alemanha e iniciar uma guerra aberta contra este país. Sem dúvida, serão os Judeus Alemães que pagarão a conta, mas o que se pode fazer ?”.

      a declaração de guerra contra a Alemanha veio no 21º Congresso do Movimento Sionista, realizado em Genebra em 1939, antes do início da II Guerra Mundial. apresentada por Chaim Weizman, que seria o primeiro presidente de Israel, foi feita não em nome do Movimento Sionista, e sim em nome de todo o Povo Judeu.

      em 16/03/1942 surgiram os primeiros relatos de massacres maciços de Judeus, logo na manhã seguinte o jornal Sionista Davar apressou-se em desmentir a notícia.

      em 18/01/1943, quando não mais era possível negar a amplitude da matança de Judeus, a posição dos dirigentes sionistas foi bastante clara. nenhum recurso financeiro seria empregado para resgatar os Judeus ameaçados : “O Sionismo antes de tudo.”

      .

  4. Gente do céu…
    Mas nem bem
    Gente do céu…

    Mas nem bem começou o processo de expurgo e já há quem diz que cansou?

    É proibido criticar o PT e o Lula, é a conclusão que chego.

    A aguda COVARDIA de ambos provocou o maior desastre social de que temos notícia na história desse país de merda,

    Mas falar disso é um discurso que serve à direita… rss

    Que que isso.

    O mais intrigante pra mim atualmente é a falência da comunicação.

    • Sentar o pau no PT é tão fácil!

      Fácil como chutar cachorro morto. E ainda garante aplausos de todos os amigos coxinhas, dá ibope na mídia etc. Dá até bolsa da Fundação Ford ou instituição americana, se você for bem articulado. (Será que é seu caso, amigo? O Marcelo Tass já conseguiu. Não perca tempo! Vai que você também arranja uma!!!)

      Mais fácil ainda é fazer acontecer o milagre de que os 4/5 de brasileiros hipnotizados pela Globo, completamente desinformados e alheios às discussões políticas, levantem-se contra a burguesia e derrubem o capitalismo no Brasil…

      Só não entendo por que os críticos ao PT ainda não fizeram isso por sua própria conta.

      (Engraçado. O PT está apoiando incondicionalmente o PSOL no Rio. Mas as pauladas no PT por parte dessa esquerda não esmorecem! Será estratégia para ganhar mais votos em Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca, onde fica o grosso do eleitorado do Freixo?)

  5. Sobre autópsias

    incapaz de realizar a autópsia do lulismo, o PT perambula no interior do labirinto que ergueu ao seu próprio redor.

    O PT não realiza a autópsia, ou análise, do lulismo porque nunca definiu, ou nunca precisou definir, tanto faz, sua posição em relação ao lulismo. Não sabe se é o partido do lulismo ou se vai avançar rumo ao espaço à esquerda não-lulista; em ambos os casos, significa um doloroso processo de corte na carne, com gente saindo a granel, coisa que não sei se tem gente dentro do PT disposta a encarar, e de resultado, qualquer que seja ele, totalmente incerto.

  6. “não há outro mundo mas sim outra maneira de viver”

    torço pelo Freixo. ponto.

    dito isto, nem PSOL, nem PT, nem PC do B desenvolveram capacidade de dialogo com setores da sociedade a fim de criar ou esboçar outra maneira de viver.

    um setor estrategico que conheço um pouco é a universidade.

    posso dizer em relação a universidade onde leciono: a UnB. estrategicamente situada ao lado do poder, a UnB hoje, outubro de 2016, é uma torre de marfim no sentido estrito do termo: professores e estudantes mais se assemelham aos jogadores de xadrez do poema de Ricardo Reis (http://arquivopessoa.net/textos/2974). O país em frangalhos e a UnB cada vez mais imersa em seu ruidoso silencio. 

    Após 12 anos de grande aporte de recursos do governo federal em C&T, as universidades assistem em silencio o desmonte da estrutura que tentava se reerguer após os terriveis anos FHC.

    poderiamos nestes 12 anos ter apostado numa outra maneira de viver em termos de novas formas de ensino, de relação com a comunidade (extensão), pesquisa. O volume de recursos aportados pelo FNDCT saltou de 300 milhões no governo FHC para 3 bilhões no governo Lula.

    ok. bacana!

    mas o que esse volume de recursos trouxe para criarmos uma universidade diferente: mais inclusiva, voltada para a sociedade brasielira, para enfrentar nossas mazelas  e criar uma outra maneira de viver que de fato impacte a formação desses jovens que recebemos ?  

    grande parte dos recursos do REUNI foi para construir prédios e salas de aula com quadro verde para as aulas expositivas com power point… não foi para criar um mundo possivel e novo.

    agora, pós golpe resta as universidades vender promessas falsas que ela detem a chave do futuro e que precisa de mais recursos etc um discurso de uma vitima que recebeu bilhões ao longo dos anos para fazer mais do mesmo…

    eu trabalho em extensão universitaria. Acreditei que o PROEXT do MEC seria o inicio do novo. Pensei que teriamos aprovada uma matriz orçamentaria para a extensão  universitaria para que pudessemos desenvovler projetos com a comunidade e retirar os estudantes da sala de aula em busca de um mundo novo. 12 anos depois, fim do PROEXT, fim da extensão. fim da possibilidade do novo na Universidade.

     

    • outros mundos são possíveis

      -> poderiamos nestes 12 anos ter apostado numa outra maneira de viver em termos de novas formas de ensino, de relação com a comunidade (extensão), pesquisa.

      e assim em relação a tudo o mais. mas a estratégia de conciliação permanente é o DNA do lulismo. esperamos que a dura lição tenha sido aprendida.

      agora o foco é num outro rumo. o governo Temer vai cair. só que isto não resolve nada. talvez até aumente os problemas. penso que de certo no futuro apenas muita instabilidade. a quebradeira das pequenas e médias empresas, no comércio já está acontecendo, vai ser generalizada.

      abraços

      .

      • vira-latas sem complexo

        Caro Arkx,

        uma parcela do pais resolveu assumir e bradar ao mundo inteiro, sem complexo nenhum, que somos vira-latas. Igual na musica “Bancarrota blues” do Chico:

        O que eu tenhoEu devo a DeusMeu chão, meu céu, meu marOs olhos do meu bemE os filhos meusSe alguém pensa que vai levar….Eu posso venderQuanto vai pagar? criou-se um clima de bancarrota em que é preciso vender tudo para retomar o crescimento. qualquer leitor mediano de jornal diz isso… os ultimos 12 anos foi um erro. precisamos desfazer esse erro, esse “entulho” criado pelo governo Lula. Creio que Temer não cairá porque parcela da sociedade não aceitará reconhecer o embuste do golpe. A situação que vamos viver é parecida com o boato de que o mundo que ia acabar. Na musica do Assis Valente, o personagem vai tirar satisfação com a pessoa que espalhou o boato. Na vida real isso não costuma acontecer; ainda que os jornais estampem denuncias contra os ministros e o proprio Temer, as pessoas criarão para si mesmas uma explicação razoavel para o embuste em que cairam e tocam a vida em frente.  o “fator Flavio Dino” é que irá pesar muito em 2018. é a unica chance real de retomar a via da esquerda. senão voltaremos a 1982 quando tinha só o Brizola de esquerda governando  um estado. Pela entrevista que Flavio Dino deu ao Nassif vê-se que a esquerda ainda patina para forjar o novo. ao falar sobre educação, Dino foi enfatico ao dizer que no governo dele o foco é a gestão escolar. Educação, num governo de esquerda, deveria anunciar o futuro, como diz Maiakovsky. No governo Dilma, educação era sinonimo de Khan Academy….     

        • outros mundos são possíveis

          ->criou-se um clima de bancarrota em que é preciso vender tudo para retomar o crescimento.

          sob o argumento da crise, uma grande tacada. privataria 2.0, com as comissões e propinas. vira-latas sem complexo e com muita grana, não na conta da Suíça, mas no banco suíço do qual agora são sócios. ah! já não são mais. ou será que mesmo assim ainda são… no mundo das fusões, aquisições e dos derivativos tudo é volátil, mas é sempre a mesma operação: transferência de recursos públicos para o patrimônio privado.

          ->Creio que Temer não cairá porque parcela da sociedade não aceitará reconhecer o embuste do golpe. 

          pode ser. os que caíram no golpe. e tem tb a parcela que deu o golpe. talvez a quebradeira geral de empresas acumulada com a inadimplência epidêmica faça com se tome um choque de realidade.

          e mais uma vez é humilhado no exterior. primeiro no G20, na China. agora na Índia. mais vira-lata sem complexo impossível. ou ainda vamos ter cenas mais degradantes? é a plutocracia brasileira reduzida ao seu verdadeiro papel geopolítico mundial: dedo-duros e baba-ovos.

          grande abraço

          .

  7. Ingenuidade ou má fé?

    Inocente dos inocentes, esse papo de culpar o PT não cola mais. Um golpe tramado há muito tempo pelo PSDB e parceiros que já dizia às vésperas da última eleição presidencial “se ganhar não governa” foi devido, claro, ao PT ter deixado as ruas. Falácia pura essa de atribuir a culpa ao PT por um golpe sujo, baixo, bem armado há muito tempo pois preparado com detalhes em conjunto com o Judiciário. Na sua opinião, pelo visto, o golpe de 64, semelhante na estratégia e tática ao atual, foi culpa do presidente deposto quando estava no exterior em lugar de estar nas ruas. É melhor se informar melhor como se dão os golpes de Estado nos países periféricos e o que está em jogo efetivamente quando a direita decide retomar as rédeas do poder.

    • outros mundos são possíveis

      -> Na sua opinião, pelo visto, o golpe de 64, semelhante na estratégia e tática ao atual, foi culpa do presidente deposto quando estava no exterior em lugar de estar nas ruas.

      -> É melhor se informar melhor como se dão os golpes de Estado nos países periféricos e o que está em jogo efetivamente quando a direita decide retomar as rédeas do poder.

      pois é. fui me informar melhor. espero que seja tb de bom proveito para vc e os todos os lulistas.

      em 1961, ao finalmente desembarcar em Porto Alegre, após a Rede da Legalidade garantir sua posse, Jango foi recebido por Brizola e comandantes militares com a proposta de marchar por terra com tropas e povo até Brasília, mas optou ir de avião ao lado de Tancredo, aceitando o Parlamentarismo. foi assim que os golpistas tiveram caminho livre para depor Goulart em 1964.

      na manhã do primeiro de abril de 1964, o herói da II Guerra Mundial e comandante da Base Aérea de Santa Cruz, Rui Moreira Lima, localizou e deu um vôo rasante sobre as tropas revoltosas, que se apavoraram e se jogaram no mato. contudo, não foi autorizado a atacar, nem mesmo quando propôs que o bombardeio seria tão somente às posições da estrada, vanguarda e retaguarda, para estabelecer um bloqueio. foi assim que Mourão chegou ao Rio, para na manhã de 1º de Abril entregar a “revolução” a um Costa e Silva sonolento e de cuecas.

      em 1964, após retirar-se do Rio para Brasília e em seguida para Porto Alegre, Jango decidiu pelo exílio, mesmo diante de militares que diziam NÃO ao golpe, como a garantia dada pelo General Ladário da viabilidade da resistência armada. Brizola não se conteve e desabafou: “Vai embora, traidor. Tu nunca mais vais voltar para este país.”. foi assim que se iniciou o longo dia que durou 21 anos.

      .

  8. Batman e Robin?

    O mais tucano dos petistas e o vigilante do Rio (mas que na hora que sapeca iáiá, ele foge para Europa, pobres de nós que não temos para onde nos exilar, não é mesmo?)…

    Agora já limitados pela realidade (o eleitorado classe mé(r)dia-conxinha-jacobino da esquerda alice não foi além da zona sul), fica a pergunta:

    Será que o povo é burro, está anestesiado ou tudo isso junto, por culpa do consumerismo lulocêntrico? Cadê os votos? Cadê a mensagem redentora para o povo, tão sofrido e desiludido pela debacle dos bandidos do PT?

     

    Uai,tá tudo aí mano, é só pegar os despojos, não era assim a conta da esquerda-alice?

    Pobres almas…

    Ia ser divertido assistir o freixo se ajoelhando na “gaiola dsas loucas” (Câmara do Rio), implorando para governar, justamente com aqueles que destratou, no discurso anti-política que lhe é peculiar.

    Nenhum dos dois representa porcaria nenhuma para ousar representar algum tipo de aliança (impossível, porque o psol não passa de um bando de cabos anselmos, com raras exceções)…

    Mas para simbolizar a esquerda alice, realmente, a foto ficou uma beleza…Será que não tem uma sunga vermelha para o pai do supla (arghhh) posar como fez para o pessoal que gosta de fazer humor-humilhação?

    • outros mundos são possíveis

      ->O mais tucano dos petistas

      -> Nenhum dos dois representa porcaria nenhuma para ousar representar algum tipo de aliança

      mas que injustiça com o governador de Minas! justo o Pimentel que seria o bastião da resistência contra golpe. e se fazendo de morto continua. a não ser para prestigiar a posse da nova presidentA do STF, junto com Lula, suplicando pelo derradeiro acordo.

      este título ninguém tira do Pimentel: o mais tucano dos petistas. ou seria: o mais petista dos tucanos?

      sem falar na Marta. tão glorificada na prefeitura petista de SP, enquanto sempre foi a mais PMDBista dos petistas.

      com o golpe todas as máscaras vieram ao chão.

      e Suplicy não representa “porcaria nenhuma” mesmo! quem mandou ser o vereador mais bem votado do Brasi, enquanto o prefeito goumert Haddad foi humilhado com a vitória de Dória ainda no primeiro. sem dúvida: Haddad representa o estado deplorável do PT atual, após os 13 anos do lulismo.

      e olhai o Freixo na Pça. São Salvador. ih! num é… é em Bangu e na Praça Paulo da Portela, em Madureira.

      .

       

      • Bem, voto por voto, é bom

        Bem, voto por voto, é bom lembrar que o Partido Nacional Socialista chegou ao poder em 33 pelo voto popular…

        Tiririca é um dos parlamentares mais votados do Brasil, assim como Maluf era campeão de votos, nem vou citar o cacareco (rinoceronte do zoo paulista), porque isso nem é do seu tempo.

        Então, voto conta, mas não conta, né?

        Agora é impressionante como a galera branca coxinha alice tomou coragem para ir na Portela e em Madureira, é só olhar a foto…como embranqueceu Madureira, não?

        Bem, o freixo (frouxo) já é passado, mas é uma pena, como eu disse, gostaria de vê-lo governando com a sua “maioria” parlamentar…

         

        Agora a pérola do coxismo-alice é tripudiar da gestão e da derrota de Hadadd…

         

        Fico por aqui, esse pessoa não merece vela, porque é defunto bem barato…

        • outros mundos são possíveis

          ->Fico por aqui, esse pessoa não merece vela, porque é defunto bem barato…

          a raiva, a prepotência e o sarcasmo apenas dissimulam, e muito mal, um desespero e uma depressão causados pela queda no real. o choque de realidade após os 13 longos anos de auto ilusão com o lulismo.

          esta é a Esquerda tradicional. sectária. autoritária, dogmática, centralizadora. em resumo: stalinista.

          uma Esquerda que jamais teve coragem para encarar a mais política das questões: a questão do poder.

          foi assim que esta “esquerda” stalinista destruiu todos os sonhos e possibilidades concretas de mudança. desde 1917 até o PT no governo. desde Maio de 68 (a traição do PC) ao Syriza.

          esta é a “esquerda stalinista” que corrompeu o PT.

          não esqueceremos e não perdoaremos o genocídio que o lulismo promoveu no PT do Rio de Janeiro. sua aliança com Garotinho, Sérgio Cabral, Pezão, Eduardo Paes e… Pedro Paulo.

          ps:

          só quem nunca pisou no Rio de Janeiro para não saber analisar as duas fotos, que já foram justamente postadas com a intenção de explicitar o desconhecimento pleno de causa.

          abaixo mais uma foto. de Marielle Franco. a 5ª vereadora mais bem votada. nascida, criada e ainda moradora da Maré. socióloga formada pela PUC, onde cursou com bolsa integral. mestrado em Administração Pública na UFF.

          e assim mais um estereótipo cai por terra. como se as favelas, os subúrbios e a Zona Oeste do Rio fossem habitados por “pretinhxs semi analfabetxs”.

          será que Marielle “embranqueceu” na foto abaixo? afinal qual a “cor” dela?

          somos todos brasileiros. ninguém sabe se somos brancos, mulatos ou negros.

          só quem ainda se relaciona com a realidade através de estereótipos – ainda mais stalinistas – é que não vê nas fotos o que elas exibem (intencionalmente, esclareço) de mais importante: o predomínio de jovens e de mulheres.

          enquanto o stalismo sempre se especializou em assassinar a Revolução, mais do que nunca chegou a hora e a vez de  todxs aqueles que não cabem, nunca couberam, e jamais caberão, nos caixões dos modelos estereotipados.

          fiquem com seus estereótipos, com seu autoritarismo, com seu sectarismo, seu dogmatismo, seu centralismo, sua raiva, sua prepotência, seu sarcasmo, seu desespero, sua depressão. não precisamos de nada disto. ficaremos apenas com a vida. nos basta ela e nossa inesgotável vontade de viver.

          meus pêsames, por alguém tão inteligente se fazer tanto mal.

          .

          • Marielle me representa

            Confesso que, até o último momento, tive dúvida em quem votar para [email protected] Entre as possibiliddes estava Reimont, amigo querido no qual votei outras vezes, mas que sabia de antemão que seria reeleito. Acabei teclando 50777. Exatamente por sua significância (ao menos pra mim):- mulher negra “nascida, criada e ainda moradora da Maré”.

            Na foto abaixo: Reimont, Paulo (um grande amigo meu – petista) e Freixo.

            Já disse isso mais de uma vez. A militância petista da “vida real” está muito além desse sectarismo das muitas cabeças (?), bundas na cadeira e dedos no teclado cagando regras. É muito melhor que isso. 

            outros mundos são possíveis. 

          • outros mundos são possíveis

            ->militância petista da “vida real” está muito além desse sectarismo

            lógico! sem dúvida. foi essa cambada de stalinistas que destruíram o PT e nos jogaram nesse golpe. foi sempre assim na História. são os genocidas das oportunidades de mudança. os assassinos do movimento autônomo popular.

            salve Reimont! salve Suplicy! salve todos os que não se deixam encaixotar em estereótipos. e por isto continuam vivos. e lindos! como Marielle! diva! (fica com ciúme não, Vânia…) grande abraço.

            guerra de extermínio do lulismo contra o PT carioca: Lindbergh, Dilma, Garotinho e Crivella.

            .

            .

  9. Separados na maternidade

    “sua autocrítica se limita a reconhecer-se vítima de um “problema de comunicação”.

    de fato, um problema de comunicação consigo mesmo, demonstrado na absoluta negação de assumir seus erros; um problema de comunicação com a mídia golpista, como se esta fosse trair a plutocracia colonial e escravagista, da qual faz parte, para se abraçar com um projeto popular.

    foi quando abandonou as ruas, por acreditar não mais precisar caminhar por elas, que o PT passou a integrar o acervo do museu das grandes novidades da política brasileira.

    precocemente senil, o PT se recusa a rejuvenescer. um partido dirigido por anciões paulistanos, incapaz de compreender a falência do modelo unipolar, no qual já não cabe a complexidade do tecido social de uma humanidade hiper conectada.”

    E aí que PT e PSDB se equiparam em valores iguais de sinais trocados. Orbitam em torno da soma zero.

    Velhos e paulistas, para quem tudo se resolve com comunicação. Vide os marqueteiros presos e as verbas publicitárias astronômicas. Tornaram-se se reféns dos meios de comunicação, independentemente do tamanho delas.

    O marketing político é o instrumento pelo qual o capital submete a política.

    O PMDB é o zero que tudo iguala e anula.

    As bandeiras paulistas continuam preando os sertões.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome