Vítimas da TelexFree podem se cadastrar em site criado pelo FBI por ressarcimento

do Portal iG

FBI lança site para cadastrar vítima da Telexfree

Brasileiros podem preencher formulário e se beneficiar de eventual ressarcimento

O Federal Bureau of Investigations (FBI, a polícia federal americana) lançou nesta quinta-feira (22) um site para cadastrar vítimas da Telexfree, negócio acusado de ser uma pirâmide financeira bilionária.

Residentes no Brasil, onde o negócio atraiu 1 milhão de pessoas, também preencher oformulário, disponível em português.

Quem se cadastrar será atualizado sobre o andamento das investigações contra a Telexfree poderá ser beneficiado por um eventual ressarcimento que Justiça Federal americana obrigue a empresa a fazer, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Cerca de 1,4 mil pessoas já entraram em contato com o órgão desde 9 de maio, quando um dos donos da Telexfree foi preso.

Na ficha, os divulgadores, como são chamadas as pessoas que investiram na Telexfree, deverão informar quanto receberam da Telexfree e de que forma – se por transferência eletrônica ou cartão de crédito, por exemplo – e quantos pacotes de telefonia VoIP adquiriram. 

Cadastramento: divulgador terá de informar quanto investiu e recebeu da Telexfree

As pessoas que já se registraram no cadastramento aberto em abril pela Secretaria de Estado de Massachussetts – onde fica a sede da empresa – também devem preencher a ficha do FBI, segundo o Departamento de Estado americano.

No Brasil, o Ministério Público do Acre (MP-AC) tenta obrigar o braço da Telexfree no País a ressarcir os divulgadores. O processo foi iniciado há quase 11 meses mas ainda não foi julgado pela 2ª Vara Cível de Rio Branco. A empresa foi multada por atrasar o andamento da ação.

Empresa é pirâmide disfarçada de marekting multinível, dizem investigações

Apresentada como um negócio de venda de pacotes VoIP por meio de marketing multinível, a Telexfree é uma pirâmide financeira que arrecadou US$ 1,2 bilhão (cerca de R$ 2,7 bilhões) em todo o mundo, acusa a Securities and Exchange Comission (SEC, a Comissão de Valores Mobiliários americana).

Segundo a SEC, apenas 1% do faturamento da Telexfree veio da venda de VoIP. O restante era decorrente dos investimentos feitos pelos divulgadores para entrarem no negócio.

A Telexfree foi fundada nos EUA em 2002 por James Matthew Merrill, americano, e Carlos Nataniel Wanzeler, brasileiro. Merrill foi preso em 9 de maio. Wanzeler é considerado foragido pela polícia americana.

A reportagem ligou para a assessoria de imprensa da Telexfree nos EUA, mas não foi atendida.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. Eh, eh isso mesmo, gente. 

    Eh, eh isso mesmo, gente.  Corre todo mundo la pra se cadastrar em site de trairas em serie.

    So tem “beneficios” pra voces, viu?

    Corre la agora.

  2. Obrigação de reconhecer: não dá para comparar o tratamento

    É obrigação de qualquer pessoa lúcida e justa com os fatos reconhecer: não dá para comparar o tratamento dado ao caso Telexfree nos EUA e o que foi dado pelo Brasil. A diferença é gritante.

    Isso ajuda a entender por que os EUA estão tão na frente em muitos aspectos. Eles aplicam a lei e agem proativamente para ajudar as vítimas. Isso porque eles sabem que esses cadastramentos também servem de prova do golpe e ajudam a incriminar os responsáveis pela pirâmide financeira. É uma forma de colher provas, mantendo contato com as vítimas para futura coleta de depoimentos. Muita gente irá se cadastrar, sem dúvida.

    O tratamento dado ao caso pelas autoridades americanas é muito mais profissional e ético do que o que foi observado no Brasil. Reconhecer isso é uma obrigação.

    PS: Reconhecer isso nada tem a ver com complexo de vira-latas. É apenas reconhecer um fato verdadeiro.

    • “tratamento dado ao caso

      “tratamento dado ao caso pelas autoridades americanas é muito mais profissional e ético do que o que foi observado no Brasil”:

      Verdade, eu vi essa etica toda.  Estou vendo essa etica toda do FBI ha 5 anos.

      No minimo.  Enfiar essa etica toda no olho do cu eles ainda nao enfiaram.

  3. Ai, que vergonha!

    O esquema tucano embolsa bilhões na mamata dos trilhos, a polícia e a justiça daqui nunca soube, nunca viu. Só se soube graças à Justiça estrangeira (alemã, francesa e suíça, se não me engano). Como só se soube também, graças à Justiça alienígena que um procuradorzinho, rapaz distraído, tinha arquivado o processo no arquivo errado e esquecido o dito cujo por lá. A pirâmide agiu aqui como bem entendeu, a polícia e a justiça, em particular seu ministro, nunca tomaram conhecimento, não moveram palha. Quem se ferrou, vai ter de recorrer ao FBI. E ninguém cora, enrubesce, se atomata, se envergonha, se encabula, se encalista, se vexa, etc., etc., etc…

  4. Mais uma da série: “Que vergooonhaaa !!”

    Como que ninguem foi preso ainda nesse país ????  gente.. tem alguns milhares pra prender dessa pirâmide,,,

    Vi hoje que o pilantra Mór  Carlos Costa foi recebido com tapete vermelho no Acre ano passado ou retrasado, com direito a recepção na Assembléia Legislativa  e  apoio da Associação Comercial do Acre…
    meu deus…. que fiasco.. 
     

  5. Ministro da Justiça incompetente!!! Dilma, demita-o!!

    Que vergonha a falta de atuação desse Ministro (?) da Justiça!!!!

    República Dominicana já determinou a prisão dos cabeças do esquema na ilha.

    EUA já tem o Presidente da Telexfree e a mulher do Wanzeler atrás das grades.

    Uganda, sim, pasmem, UGANDA, já prendeu o cabeça do esquema no pais.

    E o Sr. José Eduardo Cardoso??? Tá fazendo o quê para prender essas quadrilhas???

    Até um dos sites americanos mais respeitados, que desmascara essas pirâmides financeiras e golpes do gênero, já está acusando as autoridades brasileiras de total incompetência ao não realizar as prisões!!!: Vejam:

    http://behindmlm.com/companies/telexfree/top-ugandan-telexfree-affiliate-arrested/#more-17808

    Até quando esse Ministro vai ficar se omitindo??????????????w

  6. Apareceu num site na net

    Apareceu num site na internet  a mensagem de um grupo que conseguiu falar off-line com um advogado americado e por uma hora o cara falou tudo – mas infelismente o link já foi retirado pena – segue algumas informações.

    Advogado, analisa o caso e diz que vai sobrar centavos para cada dólar, investido na Telexfree

       May 22, 2014, 1:07 amBrasil 

    Em um recente vídeo vazado na internet, 3 divulgadores fazem uma consulta a um advogado do caso e divulgaram publicamente na internet. Se o advogado concentiu que o áudio fosse fosse público, não ficou claro, mas certamente ele não sabia que a consulta seria pública.

    Por uma hora, os divulgadores, que incluia o número 6 na lista de credores, Marco Almeida, receberam notícias devastadoras, como por exemplo à mentira contada por Marco Almeida, de que a Telexfree havia ganhado em Nevada,  em uma disputa favorável a não ser considerada uma pirâmide financeira.

    De acordo com o advogado, divulgadores receberão centavos para cada dólar investido e pode demorar de 3 a 5 anos para receber o valor investido.

    Com relação aos cadastros feitos com endereços inconsistentes, como país e TaxId, estes serão certamente invalidados em uma ação conjunta.

    Assista o video no link a seguir http://www.youtube.com/watch?v=eM-bH4d2ZCQ

    • Mentira do advogado.  Pra

      Mentira do advogado.  Pra comeco de conversa, como ele saberia quanto dinheiro ja foi recuperado?  Pra segundar, ha uma bagunca tao grande entre os “divulgadores” pes de chinelo e os farsantes profissionais ao topo da piramide que ainda nao da pra saber quem eh quem nem na justica, mas mesmo sem ver o video tenho uma suspeita que os entrevistadores se afundam legalmente nele.

      Uma coisa eh certissima:  quem “investiu” muito vai receber menor porcentagem do dinheiro arrecadado.  Isso nao eh so questao de justica e de logica, mas tambem de decencia:  quem tem milhares de dolares pra “investir” em um escandalo recebeu dinheiro caido dos ceus?  Nao, foi do proprio esquema, o que quer dizer que eles estavam “divulgando” o golpe de piramide um pouco mais do que deviam, i.e., fazendo vitimas.  Ninguem no judiciario americano vai estar do lado deles.  O maior “conserto” possivel nesse caso eh devolver ao maior numero possivel de pessoas, comecando dos mais pobres, nao do alto da piramide.

      Entao eu nao tenho que ver esse video pra saber que o show do advogado eh estritamente intimidacao (esclarecidissima, diga se, e corretissima, eu falaria as mesmas coisas) aos “do alto da piramide”, que de fato -e com toda razao- nao vao ter grandes suportes no judiciario americano.

      Se eh que pode se dizer que existiu “investimento correto” em esquema de piramide (digamos, direto da conta do banco pra dentro do esquema) eles tem chance de uma devolucao maior, mas com dinheiro de dentro da piramide, indocumentado, ou sem origem…  nao vai dar outra:  eles vao perder feio mesmo –eh pra se esperar outra coisa?

  7. O irmão do cara é Presidente de um banco …….fala sério

    Olha só de onde vem a liberdade facilidades que os caras tinham com dinheiro das pessoas

     

    O irmão de James Merril é Presidente do banco Fidelity Bank de Worcester e é suspeito no caso Telexfree.

    O gabinete do secretário de Estado de Massachusetts (SEC) emitiu uma intimação para o irmão de James Merrill e co-fundador da Telexfree.

    John Merrill, é o Presidente do banco Fidelity Bank, e reuniu-se com a divisão de valores mobiliários esta próxima quinta-feira , de acordo com Brian McNiff , porta-voz de William Galvin.

    McNiff disse revela que John Merril, é suspeito de colocar milhões de dólares da Telexfree em contas do Fidelity Bank.

    Karen Schwartzman , porta-voz contratado pelo banco , confirmou que a empresa com sede em Marlborough tinha aberto contas lá, mas que elas foram fechadas meses depois. Ela disse que não daria mais detalhes sobre as contas , incluindo , quando foram abertas e fechadas , porque a Fidelity momento não tinha tido conhecimento de qualquer investigação do governo sobre Telexfree.

    “Não temos nenhuma razão para acreditar que o banco fez algo de errado “, disse Schwartzman . “Nós estamos cooperando totalmente com as autoridades policiais e tem sido desde o assunto surgiu pela primeira vez , e estamos totalmente transparente com nossos reguladores “.

    Ela acrescentou comitê de auditoria da Fidelity está a realizar uma investigação independente para ” garantir que nenhum manuseio inadequado de contas” ocorreu.

    James Merrill , que foi preso por agentes federais em 9 de maio e acusado de conspiração por cometer fraude eletrônica , está sendo mantido sob custódia após ter sido negada a fiança em uma audiência na Corte Distrital dos EUA em Worcester no início desta semana.

    Outro co-proprietário da Telexfree , Carlos Wanzeler , é considerado fugitivo e sabe-se que está no Brasil.

    fonte:
    metrowestdailynews
    http://www.metrowestdailynews.com/article/20140522/NEWS/1405286131 · Comentar

     

  8. cadastro

    la pagina do cadastro sempre dar erro pos na opção estado só tem os estados americanos não tem nenhuma opção dos estados brasileiros alguém ja conseguiu fazer esta cadastro?

    • pedrobarros, os americanos

      pedrobarros, os americanos tem que se preocupar apenas com os cidadãos americanos. Se o gverno brasileiro não faz o mesmo aqui a culpa não é deles.

    • Cadastros feitos por Brasileiros não naturalizados são ilegais

      Amigo pedrobarros

      O FBI está tentando descobrir quem foi lesado legalmente pela quadrilha

       

      quando os cadastros no Brasil foram bloqueados, a quadrilha já sabia, eles 

      mandavam que seus “divulgadores” espalhassem na internet uma forma ilegal

      de se cadastrarem e continuarem na piramide, o que levou muitas pessoas

      a fazerem isso (um novo esquema) que não dava garantias.

      Agora pra enrolar a justiça o lider do esquema divulgava na internet que não

      era a favor do novo esquema – mas na página de todos que divulgavam havia

      gravações de que era legal e que a “empresa” EUA pagava sem problemas.

       

      Nestes casos existe lei de evasão de divisas tanto aqui no Brasil quanto nos EUA

       

      Mas aqui no Brasil certamente não irá acontecer nada, pois várias vezes a PF foi avisada

      do esquema e não pode fazer nada.

       

      Agora nos EUA – todos os depósitos e cadastros efetuados ilegalmente terão a punição

      e serão cancelados.

       

      De acordo com o advogado, divulgadores receberão centavos para cada dólar investido e pode demorar de 3 a 5 anos para receber o valor investido.

      Com relação aos cadastros feitos com endereços inconsistentes, como país e TaxId, estes serão certamente invalidados em uma ação conjunta.

  9. Quem conhece o golpe do

    Quem conhece o golpe do bilhete premiado? É aquel golpe que um casal de certa idade,caipira,tenta vender pro sabido da ”cidade grande” por 10 por cento do prêmio.

                Geralmente é o casal ”caipira” que  é denunciado.E o comprador é inocente ao querer arrancar a grana dos velhinhos safados?

                   Na justiça brasileira é No código penal.Mas no código moral,eu não sei quem foi mais ambiciosos e pilantra.

                         Que se condene a Telexfree ,mas que não trate os ”compradores” como inocentes.

                       Foi a ganãncia deles  que tornou o golpe viável.

                               Típico caso que deveria haver condenação pra ambos.Maior pra UM ( cabeça) e menor pro outro(olho grande)

                     O ser humano JAMAIS desistirá de ganhar dinheiro fácil sem trabalhar.E faz qualquer coisa por esse objertivo.

                         É justo achar que ele é inocente na história.

                             A lei de Salomão prenderia os executores,mas não daria um centavo pros ”olhos grandões”

  10. Wanzeler tem 3 MILHÕES desviados em Cingapura….

    …..desviados da empresa e está usando para pagar suas despesas e com advogado de Celebridades …

     

    Leia abaixo  link ( traduzido )

    fonte : http://behindmlm.com/companies/telexfree/carlos-wanzeler-will-definitely-stay-in-brazil/

    Quando se tornou evidente que Carlos Wanzeler 1000 milhões dólares dólar Ponzi império estava prestes a desabar, ele instruiu sua esposa a mentir sobre seu paradeiro e chocou o seu plano de fuga.

    Consciente de que fugindo diretamente de os EUA provavelmente iria atrair a atenção das autoridades norte-americanas, Wanzeler optou por escapulir através da fronteira EUA-Canadá, na calada da noite. Ajudado por alguns de seus amigos mais próximos dos investidores Telexfree, então ele se escondeu por alguns dias, antes de fugir

    para o Brasil.

    No rescaldo da paralisação Telexfree Ponzi, parceira da Wanzeler em crime James Merrill e sua esposa, Katia Wanzeler, são ambos detidos após suas respectivas prisões.

    Merrill foi acusado de fraude eletrônica , ea esposa de Wanzeler está sendo realizada até que ela pode ser produzida em frente de um grande júri para depor.

    Enquanto eles se sentam em celas, Wanzeler é vivê-lo no Brasil. Ao invés de cooperar com as autoridades norte-americanas, com Telexfree e sua gestão afirmado repetidamente que iriam antes do desligamento do SEC, Wanzeler até à data tem se recusou a entregar algum do dinheiro reguladores dos EUA não ter congelado.

    Um ponto sensível em particular foi 3 milhões de dólares desviados para uma conta bancária, em Cingapura. Este é, presumivelmente, o que mais Wanzeler tinha escondido em todo o mundo e não queria voltar para aqueles que ele roubou de, agora está sendo usado para financiar a sua vida em fuga.

    Parte do dinheiro também está sendo usado para pagar um advogado celebridade no Brasil, que tem nos últimos dias tornou um porta-voz do fugitivo.

    Enquanto anteriormente a narrativa público empurrado por Telexfree e sua gestão foi um dos “co-operação completa com as autoridades norte-americanas”, agora que Wanzeler está sendo realizada responsável pela gestão de um império Ponzi $ 1 bilhão, isso tem mudado desde a

    (Vou) não deixar (Wanzeler) ir para um país que não respeita os direitos individuais, como (temos) visto quando eles prenderam sua esposa (Katia Wanzeler), (quando) nem sequer foi acusado de nada.

    Assim diz o advogado Antonio Carlos Castro celebridade , que recentemente foi retido pela Telexfree e Wanzeler no Brasil. Seja ou não Castro entende que a mulher de Wanzeler está detido para testemunhar ou não é clara.

    Independentemente disso, seus comentários vêm em forte contraste com os vídeos do YouTube de Carlos Costa do mês passado, no qual ele professos um desejo que “a justiça brasileira era mais parecido com o de os EUA”. Na época, Costa acredita reguladores dos EUA iria exonerar Telexfree seguinte respectivas investigações.

    A rapidez com que a música mudou, agora que a realidade da fraude Telexfree não pode mais ser ignorado.

    Em notícia relacionada, e de certa forma surpreendente, dada a relutância passado para conceder alívio em tais casos, um juiz no Espírito Santo ordenou a apreensão de bens de Carlos Costa e que da companhia de Carlos Wanzeler, Disk a Vontade.

    Juiz Ademar João Bermond ordenou a apreensão de dois carros de Carlos Costa, e os fundos detidos em contas bancárias pertencentes a um disco Vontade e VoxBras (outra empresa de fachada utilizada para favorecer a fraude do Telexfree no Brasil).

    Os carros são relatados para ter custado Costa de R $ 260.000 ($ 117.000 USD). Globo estão também relatar que os computadores da sede brasileiras da Telexfree também foram apreendidos.

    O dinheiro recuperado será inicialmente utilizado para pagar Eduardo Tosi Borges, que afirma ter investido em Telexfree 20 dias antes do sistema foi desligado.

    Borges investiu R $ 6000 (R $ 2700), que é voltar, junto com um adicional de R $ 12.000 (5.400 dólares USD) em “danos punitivos”.

    Para aqueles que querem saber como isso é possível quando uma liminar concedida no Acre tem efetivamente apreendidos todos e quaisquer recursos relacionados a Telexfree desde junho passado,

    Juiz Ademar João Bermond explicou que a ação civil no Acre, que congelou os ativos da empresa, em junho do ano passado, não impede que outros juízes para buscar a apreensão de outros bens para pagar os afetados (por Telexfree).

    Aparentemente, há mais 30 processos em andamento relativos a Telexfree perdas dos investidores, de modo que parece que pode haver mais ataques em uma data posterior.

    Enquanto as autoridades brasileiras continuam a arrastar os pés no sentido de levar os responsáveis ​​pelo maior esquema Ponzi MLM até agora para a justiça, pelo menos algumas das vítimas reaver o seu dinheiro é uma coisa.

    Com a abundância de evidências disponíveis, todos os detalhes de operações de negócios da Telexfree Ponzi revelado em documentos judiciais e prisões feitas em os EUA, por Carlos Costa e Carlos Wanzeler permanecer livre no Brasil é um mistério em curso.

     

  11. AS LIGAÇÕES PERIGOSA DOS LIDERES TELEXFREE

    VEJA COMO OS MESMOS CARAS ESTÃO EM TODAS , ABREM E BLOQUEIA , CORREM E PASSAM PRA OUTRAS :

     

     

    FONTE : http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2014/05/noticias/dinheiro/1487714-chefoes-de-piramides-como-a-telexfree-atuam-ha-muito-tempo.html

    24/05/2014 – 14h02 – Atualizado em 25/05/2014 – 15h03

    As pirâmides apresentam muitas “figurinhas repetidas” na liderança, que apostam na promessa do dinheiro fácil para atrair novos membros

     

    Chefões de pirâmides como a Telexfree atuam há muito tempo

    Na internet, todos os dias, surgem empreendimentos ditos “fantásticos”, mas que em pouco tempo quebram, causando prejuízo aos investidores. Suspeitas de aplicar o famoso, e nada novo, golpe da pirâmide, essas empresas têm algo mais em comum do que o simples fato de comercializar sonhos de prosperidade financeira. Os líderes desses “negócios” são uma espécie de figurinhas repetidas ao longo dos anos, sendo evidenciadas no período de ascensão da atividade e indo embora na decadência para um novo sistema empresarial que eles julgam ser ainda mais “inovador”.

    Esses chefões das empresas que se dizem de marketing multinível(MNM) acabam sempre mantendo algum tipo de relação. E assim como os donos das empresas acusadas de irregularidades, essas perigosas ligações são investigadas.
    Estima-se que existam no Brasil 220 pirâmides movimentando desde 2013 quase R$ 6 bilhões. A maioria é compartilhada por meios eletrônicos e já alcançou 2 milhões de pessoas.

    No país, o caso mais polêmico em análise é o da capixaba Ympactus Comercial, a Telexfree. Logo depois que a empresa de VoIP foi impedida de permanecer em atividade pela Justiça do Acre, parte dos líderes do negócio passou a recrutar moradores do país para redes do exterior, com contrato firmado direto com a Telexfree nos Estados Unidos.

    Para continuar no negócio, os divulgadores, como são chamados os afiliados da companhia, usaram endereços falsos e reinvestiram na corporação. Com o fechamento da empresa nos EUA, há um mês, essas pessoas podem nunca receber o dinheiro que aplicaram.

     Alguns ex-Telexfree, donos de miniescritórios de MMN, divulgam em suas páginas na internet oportunidades de seus “patrocinados” recuperarem o capital perdido, chamando-os para outros negócios, também investigados.

    Dias depois de a Telexfree pedir falência nos EUA e de ter as portas fechadas pelo FBI e pela Securities Exchange Commission (SEC), chefões ligados à companhia passaram a representar negócios que vão de palmito a aplicativos móveis.  Inocêncio Pereira Reis, o Pelé, conhecido por exibir uma Ferrari, junto com Flávio Arraz e Dilhermano Gonçalves, todos moradores da Grande Vitória, despediram-se em abril da Telexfree e são hoje da Interbbom.

    Pelé foi ligado à Disk a Vontade, uma empresa de VoIP e MMN que surgiu em 2005 e era gerenciada por Carlos Nataniel Wanzeler e Carlos Roberto Costa, atuais sócios da Telexfree.

    Costa e Rhalff Coutinho (ex-lider da Telexfree) participaram no início da década de outro negócio de MMN, chamado de Amigos da Prontotel. O resumo das atividades das pirâmides Open publication – Free publishing http://issuu.com/portalgazeta/docs/convert-jpg-to-pdf.net_2014-05-25_1?e=0/7996234 BBOM
    Após ficar quatro meses com as atividades congeladas pela Justiça, uma liminar tem garantido a BBom a permanência no mercado.

     Na época do bloqueio, a companhia foi acusada de ser pirâmide, de vender mais rastreadores do que tinha em estoque e de desviar dinheiro da empresa para contas em paraíso fiscal. Reformulada e agora com o nome de Interbbom, o grupo vende microfranquias de rastreamento, produtos de café, cosméticos e aplicativos. Os negócios não têm registro na Associação Brasileira de Franchising. A BBom é suspeita de continuar a pagar bonificações para quem recruta novos associados. A liminar garante à companhia o direito de apenas atuar com vendas diretas.

    Além do BBom, uma leva da Telexfree, como o ex-líder da empresa Fernando Augusto, migrou para a Luvre, que atua com MMN, vendendo investimentos no plantio de árvores e palmitos. Há oito anos a empresa foi acusada, no Brasil, pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), de emitir títulos coletivos sem licença. Ela foi proibida de continuar com a prática.

    Nos Estados Unidos, há duas semanas, a SEC fechou a empresa de aplicativos Wings. Entre os acusados por realizar uma pirâmide financeira está Sérgio Tanaka, anunciado como presidente do conselho da BBom. Na denúncia à Corte Federal em Massachusetts, também é citada uma empresa chamada Louvre. Há suspeita de que o negócio esteja correlacionado à Luvre brasileira. Os chefões                  Infográfico mostra ligações perigosas entre líderes e empresas de MMN 

  12. A GLOBO COMEÇA A BOMBARDEAR E MOSTRA A FACE DOS PIRAMIDEIROS

    Parece que a globo resolveu se mecher

    enfim libera seus jornais pra dar detalhes já investigado :

    ACREDITO QUE AGORA PRESSIONE AS AUTORIDADES A EFETUAREM PRISÕES

    só esperar, pra ver  veja matéria :

     

    Chefões de pirâmides financeiras podem responder por crime contra economia popular

     Fonte: A Gazeta – 26 de Maio de 2014  

    25/05/2014 – 10p3 – Atualizado em 25/05/2014 – 10p8

    A migração dos grandes líderes de uma empresa de marketing multinível para outras tem sido acompanhada

     

    Empresas que vendem produtos virtuais, como apps e moedas criptografadas, encabeçam a lista de companhias suspeitas de realizar atividades fraudulentas. Os chefões das ideias participaram de outros negócios e hoje dão cara em vídeos no Youtube e no Facebook às novas propostas.

    Foto: Divulgação

    “As pirâmides se disseminam pela web. As novas são menores, porém causam prejuízo. O país tem que punir os crimes eletrônicos”, pondera a promotora Alessandra Marques

    A migração dos grandes líderes de uma empresa de marketing multinível para outras tem sido acompanhada pela força-tarefa de promotores e procuradores que investigam as fraudes financeiras. Os chefões podem responder criminalmente pela participação nas empresas acusadas.

    A promotora de Justiça do Acre, responsável por processar a Telexfree, Alessandra Marques, explica que o Brasil precisa endurecer as regras para coibir as pirâmides financeiras que surgem por meios eletrônicos.

    “Nos anos 80 e 90, as pirâmides cresciam de outra forma. Mas hoje elas avançam rapidamente. Vivemos uma realidade diferente, onde milhões de pessoas são lesadas. Hoje, podemos acusar as pessoas envolvidas com os esquemas por crime contra a economia popular, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Mas não temos punição para crimes eletrônicos”, explica.

    No caso da Telexfree, a promotora explica que não há dúvidas de que seja pirâmide financeira. “Se todo mundo tentasse sacar o valor investido, a empresa não teria condições de arcar. O relatório da SEC afirma que a pirâmide se rompeu antes das acusações na Justiça”, acrescenta.

    LER TAMBÉM

    Chefões de pirâmides como a Telexfree atuam há muito tempo

    Nos Estados Unidos, no ano passado, a SEC fechou uma empresa de MMN, chamada Zeek Rewards. Pelo menos seis mil pessoas estão sendo processadas, junto com os criadores do esquema, pela participação na fraude.

    A procuradora da República em Goiás, Mariane de Mello, explica que o Ministério Público Federal está pedindo à Justiça para agilizar o processo contra a BBom e julgá-lo o mais rápido possível. “A empresa está funcionando com uma liminar que permite só as vendas diretas, mas não posso garantir que não está fazendo pirâmide”, diz.

    A GAZETA contou com a colaboração de um grupo de pessoas de diversos locais do Brasil e até que moram em outros países para garimpar na internet informações sobre os envolvidos nos esquemas. Os detetives de pirâmide estão preparando uma lista, com os principais líderes de MMN do país que será entregue à força-tarefa.

    Outro lado
    As pessoas e as empresas citadas na reportagem foram procuradas. No caso da Telexfree, o advogado dos empresários, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse, na última quarta-feira que seus clientes nunca promoveram pirâmide financeira.

    Por e-mail, a BBom disse que trabalha com venda direta, usando o marketing multinível, e que a migração de pessoas da Telexfree para BBom é uma decisão livre dos associados. A assessoria de imprensa do grupo disse que a reportagem está com informações deturpadas sobre a BBom e que, em nome da ética empresarial e jornalística, não se manifestará. As outras pessoas não foram encontradas. Conheça o troca-troca

    Clique na imagem para ampliá-la

     

  13. me ajudem pfv

    tinha um dinheiro guardado p terminar minha casa entrei nessa onda da telexfree depositei meu unico dinheirinho no valor de seis mil reais e no mes q fiz fechou, resumindo nunca recebi nadae ainda perdi tudo a obra ta paraa e eu moro de aluguel que por sinal e caricimo. O que faço me ajudem porrfavor

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome