Toffoli, de Lula a Gilmar Mendes

É curiosa – porém previsível – a transformação  pela qual passou o Ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal). Sua indicação para o STF foi uma demonstração cabal da falta de noção de Lula sobre a dimensão do cargo. Sem currículo, sem conhecimento, sem luz própria, a carreira de Toffoli se limitava a serviços prestados ao PT.

Como Ministro, não teria mais os laços com a rede protetora do partido ou com os referenciais do padrinho. Teria que se virar em outro ambiente, nos quais cada qual é cada qual, ele, sua obra e sua história. E em posição tremendamente desfavorável, em relação ao peso intelectual e à biografia de seus pares.

Seguiu então o caminho usual dos fracos. No melhor estilo República Velha, tratou de encontrar abrigo no colega que melhor encarnasse a figura do velho coronel político. Gilmar Mendes, claro.

Aos poucos foi se aproximando e se abrigando nas costas quentes de Gilmar com a mídia. Não apenas passou a ser poupado pela mídia como, quando tentou com Gilmar o “golpe paraguaio” – no julgamento da prestação de contas de Dilma Rousseff pelo TSE -, ganhou espaço nobre nas páginas da Veja e de O Globo. Merecido: entregou a Gilmar duas relatorias-chave na prestação de contas – a de Dilma e do PT – como se tivesse sido por sorteio, atropelando qualquer métrica de probabilidade.

Consolidado no novo habitat político, passou a emular os piores hábitos de seu novo padrinho, a arrogância incontida, a grosseria, a falta de limites, o uso da autoridade da forma mais arbitrária possível.

Leia também:  TJ tira caso Queiroz da primeira instância, mas mantém decisões do juiz Flávio Itabaiana

Seu carteiraço, ontem na Câmara, sobre um servidor da Receita que ousou defender o CPF como base do cadastro único – contra o título eleitoral –, a grosseria com que o tratou e a reclamação posterior ao Ministro da Fazenda Joaquim Levy,  é típica da pior tradição republicana.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

82 comentários

  1. Como dizem os ingleses…

    Esse cidadão mostrou agora suas verdadeiras cores. Um alpinista social. No meio jurídico, onde não tem credenciais acadêmicas para se comparar, teve que aderir à maioria – totalmente anti-PT, anti-Lula, anti-esquerda. Aliás, esse cara nunca me enganou.

  2. Perfil perfeito. De um homem

    Perfil perfeito. De um homem ordinário, de um qualquer um, tanto a gosto do FHC. E nem foi escolhido por ele..

  3. Texto irrepreensível.
    Se

    Texto irrepreensível.

    Se quisesse, Nassif poderia ir, por aí mesmo, neste

    caminho, até extripar-lhe o ventre e o que lhe resta

    de cérebro. Se é que, um dia, o teve.

  4. É verdade, Lula foi um

    É verdade, Lula foi um desastre nas indicações para o STF, vejam alguns dos ministros indicados por Lula.

    Dias Toffoli, despreparado e sem as mínimas qualificações para o cargo;  Barbosão, um desequilibrado; Eros Grau, uma nulidade tucana; Carlos Alberto Direito, quem?; Ayres Britto, um vestal.

  5. Realmente decepcionante.
    Realmente decepcionante. Toffoli é um sujeito que se rendeu aos holofotes de uma mídia golpista, seletiva, partidária, tucana, corrupta, sonegadora, mentirosa e manipuladora. Se rendeu aos cartéis da máfia midiática no intuito de atender ao desejo desta, que é eliminar governos trabalhistas de esquerda, progressistas e populares. Se rendeu a plutocracia que sempre comandou e comanda o Brasil e suas instituições como o poder judiciário. Não é atoa que o Brasil em 500 anos é conhecido como a república bananeira da corrupção e da sonegação. Lamentável. Espero que se liberte do deslumbre e dos presentes que a plutocracia usa para recrutar seus pau mandados. Exemplos são inúmeros, como os prêmios Innovare da Rede Globo, os prêmios do “faz diferença” , as capas amarelas de uma revista corrupta, imoral, partidária, bandida e etc… É necessário ter coragem para ser juiz nesse Brasil, poucos se salvam e por isso o Brasil é subdesenvolvido, atrasado, e o país mais desejado para os corruptos e sonegadores viverem em paz sem serem incomodados. O Brasil tem o judiciário mais corrupto do mundo, corrupto, seletivo , imoral. Quando quer mostrar serviço combate a corrupção de forma seletiva e joga pra galera, cede a pressões fabricadas pela mídia e por grupos manipulados nas ruas e por aí vai. É uma vergonha! E parece que quanto mais se tenta alertar, ajudar Toffoli , abrir seus olhos sobre a direção errada que tem tomado, mais ele da razão para aqueles que lhe desviam do caminho correto.

  6. Merecido

    ” entregou a Gilmar duas relatorias-chave na prestação de contas – a de Dilma e do PT – como se tivesse sido por sorteio, atropelando qualquer métrica de probabilidade.”

    “passou a emular os piores hábitos de seu novo padrinho, a arrogância incontida, a grosseria, a falta de limites, o uso da autoridade da forma mais arbitrária possível.”

    Imagino que a “grande mídia” dificilmente usaria os termos acima,  em quaisquer circunstância ,por se tratar de um ministro de tribunal superior. Se aprovado o “Direito de Resposta”, aí nem pensar.

  7. Que Toffoli acabou escolhendo

    Que Toffoli acabou escolhendo trilhar sua carreira pelo lado mais sujo da estrada, não há dúvida. E nem dúvida tanto de que o CPF já está cheio de fraudes quanto de que a biometria relacionada ao Título de Eleitor oferece mais segurança.

    Quanto a Lula tê-lo indicado… indicação é assim mesmo, se faz observando o passado mas sem saber do futuro. Se Toffoli prometia se tornar um jurista competente quando da indicação – e vai ver até era para o partido de Lula -, acabou sendo vítima da própria imaturidade.

  8. Os principais defeitos do PT

    Os principais defeitos do PT são a falta de quadros capacitados e a tendência suicida de acreditar em tipos como Barbosa, Toffoli e Jobim a quem recorreram por falta de nomes internos do Partido dos TRabalhadores ou simpatizantes dos seus projetos de governo. O resultado, como se viu foi terem contra si a ação de tais indivíduos, gerando situações nunca antes vistas em governos anteriores. Lamentavelmente Lula e Dilma, estão colhendo o que plantaram. Tentaram mostrar isenção nas suas indicações e receberam em troca uma severa condenação da mídia por estarem “aparelhando” as instituições e depois, com o posicionamento de seus escolhidos, claramente voltado para contrariar os interesses do governo, perderam o controle de organismos como em nenhuma ocasião do passado.

    • O PT não carece (ou não

      O PT não carece (ou não carecia) de “quadros capacitados”; há quadros qualificados, com e sem vinculação partidária, do campo progressista. O que ficou patente, em princípio, foi a pouca relevância dada pelo governo na nomeação de quadros da magistratura-mor. Não se supôs o que poderia advir do hermético poder judiciário, tampouco cogitou o partidarismo dos meritocratas do MP e da polícia judiciária. Daí, não atentou que estava colocando raposas no poleiro. Um outro aspecto, a síndrome de vira-lata que parece acometer governos petistas, em não poucos momentos: o desejo de serem aceitos por aqueles que os rejeitam. Contraditório afirmar que o governo quis mostrar isenção e “aparelhou” as instituições, aliás, aparelhamento é expressão cunhada à esquerda, mas quem a pratica, de fato, é a direita. Sempre foi assim. Enfim, a mídia majoritária condenaria este e qualquer outro governo que ousasse cuidar de cotas, de bolsa-família, de empregado doméstico; finge que o condena por seus vícios quando, na essência, é pela suas virtudes. Basta ver o caso EC e o arquivamento de uma investigação de crimes financeiros, do ano 2006, determinado em 2014 pelo GM – estivesse no rol de investigados o amigo do amigo do amigo do amigo de algum petista, o escarcéu seria descomunal.

  9.  
    Dias Tóffoli, ministro do

     

    Dias Tóffoli, ministro do STF, me agride com palavrões e baixarias

     

     

    11.08.2012 12:55

     

    Por jornalista Ricardo Noblat

     

    Há pouco, quando passava pelo portão da casa para pegar meu carro e vir embora, senti-me atraído por palavrões ditos pelo ministro em voz alta, quase aos berros.

    Voltei e fiquei num ponto do terraço da casa de onde dava para ouvir com clareza o que ele dizia.

    Tóffoli referia-se a mim.

    Reproduzo algumas coisas que ele disse (não necessariamente nessa ordem) e que guardei de memória:

    – Esse rapaz é um canalha, um filho da puta.

    Repetiu “filho da puta” pelo menos cinco vezes. E foi adiante:

    (…)

    FONTE: http://noblat.oglobo.globo.com/noticias/noticia/2012/08/dias-toffoli-ministro-do-stf-me-agride-com-palavroes-baixarias-459803.html

  10. Só o Lula pra colocar um

    Só o Lula pra colocar um advogadozinho de porta de cadeia no mais alto cargo do judiciário.

    A verdade é que o Lula, na sua visão de sindicalista, achava que o judiciário era uma entidade sem importância.

    Tai agora a Dima pagando o pato devido as bobagens do Lula.

     

  11. Toffoli eé nada mais nada

    Toffoli eé nada mais nada menos do que uma maria-vai-com-as-outras. O cara, sem brilho próprio,  procurou um lado para encostar e encontrou em Gilmar Mendes a figura perfeita, por duas razões: primeiro para se mostrar independente do PT e, segundo para aparecer na mídia. 

    Este cara é uma vergonha para o judiciário.

  12. Alguém pode explicar ?
    Como o

    Alguém pode explicar ?

    Como o cara repete em DOIS concursos pra ser juiz e é nomeado pro S T F ?

       Espero uma explicação razoável.—não basta escrever que é decisão do presidente da república.

              Cadê o NOTÁVEL SABER ?

    • Simples!!!

       

      Se sua percepção de notório saber se resume a quantas vezes o sujeito levou para passar num concuro para juiz, descupe-me, mas você esta no planeta errado. Isso não quer dizer nada!

      Ah, o cara não passou de primeira, então não sabe nada de direito não é isso?

      Vamos ver então, supondo que aquele jogador que mata a bola no peito tenha passado de primeira num concurso para juiz, é notório saber dizer que quem deve provar que é inocente é o réu????

      Ou então supondo aquela menininha cara de quietinha que também passa de primeira num concurso para juiza, é notório saber dizer que pode-se condenar alguém sem provas concretas mas apenas porque a literatura lhe permite???

      Ah!!!, Pergunte a alguém da OAB e a alguns minitros do Supremo por que suas filhas não estudam para passar num concurso para juiz ao invés de seus pais pressionarem para que elas já cheguem sentando na janela (parafraseando o filósofo Romário) sendo indicadas para Desembargadoras, etc e tal…. Dizem que uma delas é até estudiosa mas a outra, digamos assim, não muito assidua aos estudos, mas e daí né???? Deve ser o notável saber juridico dos pais, claro, o notório saber de como funciona o mundo real e o notório saber de quem conversar e pressionar!!!

  13. Erro primário de Lula

     

    Toffoli foi um erro primário de Lula. Nunca poderia ter sido indicado ao STF. Não há o notório saber jurídico que o cargo exige. O Senado deveria ter barrado essa indicação do Lula. 

    Lula  só acertou na indicação de Lewandowski. 

    • Erro primário de Lula

      Não sei como se deu as escolhas dos nomes indicados mas Toffoli e Barbosa pesaram demais ao contrário de Lewandowski, um grande acerto.

      Lula teve, como todos nós, erros de avaliação que certamente agora se lamenta. Foi mal aconselhado por ter escolhidos maus assessores.

      Dilma tambem teve os seus.

      Mas, tirante Toffoli, tentaram acertar.

       

  14. Lula errou em todas as suas

    Lula errou em todas as suas indicações sem excessão, nenhum se salva, nem esse que é, as vezes, festejado por aqui..

  15. só agora perceberam isso

    Ué , por quê estão reclamando só agora ?

    Quando da indicação do sujeito , todos diziam isso. Menos neste blog , nos quais os participantes se derramavam em elogios ao garoto humilde que conseguiu ascender à mas alta cúpula do judiciário – o abelhinha , como alguém chegou a lembrar de seu apelido de infância.

    Só agora que a criatura se voltou contra o criador é que perceberam isso ?

    Parece que o PT nasceu pra cuspir pra cima !

    • Fui profético.

      Resgatem os comentários do dia da sua noemação, encontrarão lá o comentário deste petista sem carteirinha, chamndo-o de fedelho.

      Desculpem a fata de modestia, mas fui profético.

      • Foi sim.  O maximo que alguem

        Foi sim.  O maximo que alguem disse aqui foi varios comentaristas na linha do “vamos esperar pra ver”, e o proprio Nassif, na mesma linha, e que nos lembrou que Toffuti tem um irmao com Down’s.

        FALTOU SERVICO DE INTELIGENCIA a Lula.  Nao ajuda que ele nao entendia bulhufas do assunto.  Como o (gasp!)  Anarquista disse ha pouco, o cara falhou em DOIS concursos pra juiz e ainda terminou no supreminho de merda do Brasil:  COMO UMA MERDA DESSAS ACONTECE?????  Barbosa falhou no PSICOTECNICO do Itamaraty e AINDA terminou no supreminho por indicacao de Lula.  Fux, um oportunista confesso, terminou nesse supreminho tambem!

        AONDE ESTA A ABIN, GENTE?  O QUE ELES FAZEM?  QUE ASSESSORIA MERDAL EH ESSA?????

    • Mentira pura.  Ninguem do

      Mentira pura.  Ninguem do blog falou ou sequer pensou isso, inclusive eu, que vi a burrada e o disse aqui.  Eu estava aqui e me lembro muito bem.  Voce nunca esteve aqui antes, NAO pense que vai jogar esse pulha pra cima de nos pois nao vai colar.

  16. A EBC diz que a briga foi com o deputado Julio Lopes, PP-RJ

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2015-10/toffoli-defende-projeto-do-registro-nacional-civil-contra-relator-na-camara

    Toffoli defende projeto do Registro Nacional Civil na Câmara.

     

     

    Carolina Gonçalves – Repórter da Agência Brasil 

    O Projeto de Lei (PL 1775/15) que cria o Registro Civil Nacional (RCN), foi motivo de divergência e discussões hoje (22) entre o relator, deputado Júlio Lopes (PP-RJ), e o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Antonio Dias Toffoli, convidado para falar sobre a proposta na comissão especial que analisa a matéria desde junho.

    Enquanto o ministro defendia o texto que o próprio TSE apresentou ao governo, Lopes insistia em defender a segurança do CPF já implantado em todo o país. O ministro lembrou que o Congresso Nacional é soberano na decisão sobre a proposta, “inclusive, para rejeitar este projeto. O que eu quis mostrar é que as discussões colocadas a respeito do uso do número do CPF não trazem segurança porque, no sistema de biometrização do Tribunal Superior Eleitoral, encontramos pessoas que tentaram se identificar como eleitor com identidades e CPFs falsos”.

    .

    Toffoli disse que a ideia apresentada ao governo, que encaminhou o projeto para análise do Congresso em maio, é evitar fraudes em sistemas do país, como os do Bolsa Família, Previdência Social e cadastro do Fundo de Garantia. “É um projeto que a justiça eleitoral está desenvolvendo para a garantia da segurança do voto e já está com orçamento e custos aprovados”, acrescentou o ministro.

    Lopes tentou convencer parlamentares da comissão mista a considerar outra situação: “O que estamos advogando é que nós não podemos abrir mão da cultura do brasileiro de que o número do CPF é seguro. Centenas de milhões de brasileiros usam o CPF para realizar débitos e créditos no Brasil e julgam que este número é seguro”.

    O relator do projeto lembrou que, desde os anos 1980, o Congresso tenta discutir uma identidade única no país e reconheceu a importância do sistema criado pelo TSE, afirmando que há interesse do parlamento em construir uma solução conjunta.

    A proposta do TSE prevê a criação de um documento de identificação com chip que vai unificar informações de vários cadastros do cidadão como identidade, CPF, título de eleitor e carteira de habilitação, além de registros de nascimento, casamento e óbito. O tribunal usaria a experiência com o Programa de Recadastramento Biométrico do Eleitor e o banco de dados da Justiça Eleitoral que administra dados de mais de 142 milhões de eleitores (24,5 milhões cadastrados biometricamente).

    “O documento encaminhado por eles [TSE] prevê gastos de R$ 2,360 bilhões. No nosso entendimento, esses gastos não são necessários porque a carteira que temos pode ser usada como identidade segura desde que tenhamos um órgão fazendo a certificação. Se introduzirmos um número novo, vamos criar um enorme custo para a sociedade brasileira, além destes R$ 2 bilhões”, criticou Lopes.

     

    Edição: Jorge Wamburg

     

  17. Só perde mesmo do hoje seu

    Só perde mesmo do hoje seu mentor político e intelectual Gilmar Mendes em termos da PIOR indicação para o STF. Só não supera seu hoje mestre porque é impossível ao menos se igualar a tal criatura. 

    Foi, talvez, o pior ato do Lula nos oito anos de governo. Devidamente corroborado pelo Senado Federal. 

    • ”’ Devidamente corroborado

      ”’ Devidamente corroborado pelo Senado Federal. ”

        E desde quando o senado impediu alguém indicado pelo governo ?

        O Senado é meramente protocolar.

      • O Senado  Federal tem a

        O Senado  Federal tem a prerrogativa de impedir.

        Se nunca o fez, torna-se tão responsável quanto o chefe do Poder Executivo pelas más indicações.

  18. Não coloquem a culpa dessa e

    Não coloquem a culpa dessa e de outras indicações nas costas do sapo barbudo. Acredito, sim, que ele tenha confiado nas indicações feitas pelo pessoal do seu grupo. Até o FRei Betto, se não me engano, andou patrocinando indicações.

  19. Rir dos petistas

    É por essa (indicação desse picareta Dias Toffoli) e por outras trapalhadas que adoro rir da cara dos petistas. Esses petistas é de dar pena. 

    • Depois de 2002…

      Depois de 2002, 2006, 2010 e 2014, quatro derrotas consecutivas e, o desespero que já vem tomando de conta da sua turma, por medo do Lula em 2018, você não deveria rir dos petistas, pois, seria mais sensato, da sua parte, se estivesse aos prantos! 

    • Francisco, que ele “vendeu” a alma…

      Francisco, que ele “vendeu” a alma tudo bem, mas, a biografia? Qual é mesmo a biografia, desse anódino?

  20. Não culpo o Lula por essas

    Não culpo o Lula por essas indicações que não deram certo.

    Acredito que pela origem humilde do Lula, e quis dá uma chance a um advogado sem luz, e sem pós graduação, e a um negro.

    Penso que o Lula quis se republicano e quebrar a regra de indicação ao STF com membros das elites tradicionais.

    Infelizmente não deu certo, mas se desse ?

    Pois é, é comum à qualquer ser humano não acertar sempre.

    • A cegueira provocada pelo

      A cegueira provocada pelo lulismo impressiona muito. Os níveis estratoféricos de abnegação em torno de uma pessoa de carne e osso considerado o Messias na terra, o salvador dos tempos, aquele que aplaca as dores gerais.

      Vocês não tem a maís pálida noção do que significa um mísero equívoco de um Presidente. Não tem.

      “Ah, ele errou. Paciência, né? Tão bonzinho gente. Acontece.”

      E pior do que isso, não conseguem avaliar, elaborar algum tipo de análise, refletir a respeito das ações. São cegos com força. 

      Deixa eu te falar uma coisa, meu amigo, ouça com atenção: o erro dele avacalha não é uma dúzia de caboclos, mas uma renca, multidões, centenas de milhares de pessoas.

      Por tudo isso, a maré virou. A época boa pra ser ufanista já era.

      Se além da cegueira contumaz restasse um pouco de juízo aprenderiam com o presente para não repetir erros lá na frente. Isso foi o que restou: aprendizagem.

      • E quanto ao FHC e sua grande

        E quanto ao FHC e sua grande indicação, Gilmar Mendes, o que você tem a dizer?

         

        Ao que tudo indica, o PT aprendeu que as indicações para o STF são coisas sérias, vide indicação do Fachin…

        Pode ser que daqui pra frente as coisas melhorem nesse quesito (supondo que o PT ganhe novamente em 2018, porque o PSDB já virou freguês né)…

        • Não gosto de comparar o FHC
          Não gosto de comparar o FHC com o Lula. Dá margem a enganos.

          O carro andou com o dobro da velocidade no governo petista, mas não significa que o desempenho foi bom. Ou seja, de 20km pulou para 40 km. O desempenho continuou baixo.

          E por maior que seja a raiva que tenho do tucano, ele deixou alguma coisa para o Lula. No caso, a LRF (sob pressão externa, é verdade) e o controle da inflação (iniciado com o Itamar).

          Finalmente, não tenho um pingo de esperança na solução de problemas graves feita por agremiacoes de “centro direita”. Entao, considerar ruim governantes desta linha é chover no molhado.

          Dito isso, o FHC foi só mais um dos muitos presidentes ineptos que tivemos.

          E essa história que tenho visto aqui de avaliar bem ações presidenciais orientadas pela malandragem das escolhas é ridiculamente obtusa.

          Um tal de André Araújo é o Nassif tem ido nessa linha sem ter noção da tremenda bobagem que estão divulgando como se fosse raciocínio sagaz.

      • Pois é Chico como são as

        Pois é Chico como são as coisas, digo o mesmo para você.

        Como pode alguém acreditar no PSDB, mesmo depois que tudo que fizeram, principalmente quem mora em SP.

        Responda aí Chico, que cegueira é essa ?

        Essa turma quebraram o país, doaram as nossas riquezas, e mesmo assim,por cegueira, pessoas como você,continuam acreditando no partido.

        Vejam SP depois de vinte anos de governo do PSDB, sem água, sem escola, um dos estados mais violento do país, corrupção, e agora a operação abafa do Alkimin.

        E você Chico ainda tem coragem de falar em cegueira ?

        E o que é pior, vocês acreditam mesmo e botam a mão no fogo, pois acreditam que são pessoas probas, honestas, acima de qualquer suspeitas tais como : Aécio, Serra, FHC,Alkim, Aloysio, Beto Richa, Alvaro Dias, o de Manaus, Arthur Vigilio … 

        E você ainda vem falar de cegueira ?

        Vai fazer cocô mole no mato e limpar com sipó mico para ver se arde !

        Sai fora !!!

        • Minha modesta opiniao,

          Minha midestissima opiniao, companheiro. Existe uma distância de 200 km entre o líder político e o primeiro cidadão que ele encontra. Agora, há uma tradição política conservadora forte em Sao Paulo e daí é naturalmente difícil sair peitando. E também já foi dito muitas vezes sobre a capital eleger candidatos de esquerda. Concordo plenamente que o Alkimin é muito fraco e mesmo assim estao os mesmos aí ha tanto tempo. E quanto a isso digo que o debate político eh muito rasteiro, o sistema deixa para o eleitor poucas chances de discernimento. Ele não tem consciência sobre o orçamento, a administraçãoo judiciario. Enfim, A consciência sobre o sistema é muito baixo. Os paulistas não deveriam ser culpados por isso, mas pela produção de um político ordinário e de outro apenas. FHC e Lula respectivamente.

      • +/- por aí Cavalo Manso.

        +/- por aí Cavalo Manso. Votar/apoiar “Deus” faz do homem um justo. Chamar “Deus” de velhaco faz do homem um golpista.

         

  21. Retrato

    Nassif, você conseguiu traçar um retrato fiel e profundo a ponto de atingir a alma deste entrante no Olimpo, lastreado apenas por pelo gosto pessoal de Lula.  Não poderia render mais do que se vê. Porta-se como seu novo padrinho, que por ironia da história chegou lá lastreado na preferência de FHC .A despeito de todas opiniões contrárias de juristas famosos, Este é o elemento desnorteia nosso senso de justiça, incensado pelo que temos de pior, nossa mídia monopolista.

  22. Porcentagem de erros…

    Realmente Lula errou em quase 100% de suas nomeações, indicações. tirando algumas excessões louváveis, como Lewandosky, errou em quase todos que nomeou, ou indicou. Lula foi um governante brilhante na arte de politica economica e politica social, mas não entendeu como funciona o jogo de poder, em nomeações, no Brasil.

    FHC, foi o oposto, péssimo governante em politica social, mas nunca errava ao nomear um aliado.FHC foi um Mestre supremo em estratégia, e nomeações. Geraldo Brindeiro, Gilmar Mendes, são dois nomeados que morriam pelo patrão.

    O que acontece, é que a esquerda não entendeu como funciona o jogo do poder, não entendeu como funciona a mentalidade da casa grande. Para a casa grnade, o que vale é vencer, e a qualquer custo. Não se pode facilitar com a casa grande um segundo sequer, qualquer brecha, qualquer vacilo é aproveitado imediatamente. A palavra “republicanismo”, quando usada para com a casa grande significa perder imediatamente para eles.

    A diferença de mundos é tão grande, que acredito que Lula nem imaginava isto. No mundo da casa grande, todo mundo é 100% Maquiavel. Para eles, a democracia só tem sentido, se puder ser utilizada a seu favor, senão eles passam por cima, sem compaixão.

    Governar, não é só ser um governante de bom coração, pois no meio de lobos famintos, ele não duraria muito.

    Lamentavel que para o Lula, não tivesse um assessor que lhe pudesse ensinar isto.

    • No mato sem cachorro…

      O Judiciário brasileiro… TODO ELE, incluindo as instituições de apoio como os cartórios – onde tudo começa – é o lugar onde o Brasil não muda um milímetro, desde que Tomé de Souza chegou à Baía de de Todos os Santos. Nada!

      Para um governo progressista conseguir bem se mover num ambiente pesado deste… é muito complicado! Os “dotores” da Lei não respeitam; apenas temem. E somente se teme aquele que está mais alto que nós. Como temer um advogado a um operário, sem qualificações intelectuais, sociais e financeiras que as suas? 

      Lula falhou justo onde não podia falhar, mas que não tinha como não falhar. Não existem advogados, juristas e muito menos juízes petistas ou mesmo democráticos. Todos professam a Casa Grande. TUDO!

      Tenho comigo uma cisma: quem matou Marcelo Deda Chagas foi Carlos Britto. Como? Britto vem uma família estabelecida na região do Baixo São Francisco sergipano na segunda metade do século XVII, a do capitão Sebastião de Brito de Castro, que ali sempre teve confusões de todo o tipo, especialmente relativo à invasão de terras, tanto das tribos da Ilha do Ouro como da Missão de Pacatuba, e até de outros particulares. O dito Sebastião ganhou do rei uma pequena capitania, desde que construísse uma vila, como mandavam os estatutos reais da época. Vinte anos depois, já com ele morto, os descendentes passaram a viver dependurados em promessas de realização da construção da tal vila, de ímpar importância estratégica ao reino de Portugal, e a mesma só veio a ser estabelecida depois de 1713, por iniciativa direta de Estado, com o nome de Vila Nova Real do Rio de São Francisco, atual Neópolis. Britto, contudo, é de Propriá, que até 1832 foi povoado do município de Neópolis.  Com o surgimento do PT, o jovem advogado Carlos Brito, antecipando-se ao que também faria Hélio Bicudo, em São Paulo, entrou para o PT, com claras intenções de ser dono; “por ordem nesse partido de trabalhadores rudes”. Só que, em Sergipe, tinha Marcelo Deda e em seguida Zé Eduardo, recém falecido, além de outros, e ele não armou. Mas Brito, num estado de pequenas oportunidades foi versátil em sua banca de advogado, tendo sido contratado pelo sindicato de funcionários públicos a que sou filiado, inclusive. Manteve-se próximo ao trabalhismo, pois. Não sei por que cargas d’água, no primeiro momento em que teve uma vaga no STF, lá vai Britto ocupá-la. Pus a mão na boca! Eu estive muito perto do sujeito quando da criação da Lei Orgânica de meu município, em 1989, e nunca senti nele aquela energia própria de quem em que se pode confiar. Além de dissabores na administrações dos contratos de defesa trabalhista; mas isso não vem ao caso. Britto foi uma clara indicação de Marcelo Deda Chagas, no seu modo pueril de ver o mundo. Era justo o cara que os Marinho e seus liderados esperavam pra começar a desconstrução de Lula e do petismo.

      O resto, é história mais que contada.

      Em tempo: juiz sem esquema nos velhos esquemas do Judiciário não existe. E, entre preservar os dedos entregando os anéis ou perder tudo, o mais consciente, probo e justo deles optam pela primeira opção.

      Ah, Marcelo Deda Chagas faleceu em dezembro de 2013 de um câncer no pâncreas; e Zé Eduardo Dutra também e câncer, no último dia 4 de outubro deste corrente ano de 2015. Doença onde o somático tem importância ímpar.

  23. A reunião foi tensa e Toffoli se irritou mesmo

    Um trecho:

    José Antonio Dias Toffoli telefonou ontem para Joaquim Levy para reclamar da presença de Carlos Roberto Occaso, subsecretário de Arrecadação da Receita, numa audiência na quinta-feira na Câmara, para debater a criação do Registro Civil Nacional (RCN).

     

    A audiência foi cheia de momentos tensos. Toffoli se irritou em alguns momentos, desagradando deputados. Um grupo se reuniu depois do encontro e já falam em minar o andamento do RCN na Câmara…

    Leia mais, no link

    http://www.ocabrestosemno.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4852:dias-toffoli-telefona-para-joaquim-levy-e-reclama-de-subsecretario-da-receita&catid=172:noticias

    • Link deixado por você é para blog de servidor da Receita Federal

       

      Antonio Francisco (Sábado, 24/10/2015 às 20:30),

      Fui no link que você indicou e lá vi que há link para o blog do Lauro Jardim para a matéria “Dias Toffoli telefona para Joaquim Levy e reclama de subsecretário da Receita” e que eu deixei indicada no comentário meu que está um pouco acima e que eu enviei domingo, 25/10/2015 às 17:25.

      Como eu disse, tanto no texto de Lauro Jardim, como aqui no texto de Luis Nassif há mais intriga do que preocupação em abordar com detalhamento a proposta contida no PL 1775/2015 que trata do Registro Civil Nacional (RCN) e que foi o motivo da celeuma e de certo modo com uma descortesia do ministro Toffoli com o representante da Receita Federal, Carlos Roberto Occaso. A observar que Agnelo Regis, dono do blog “O cabresto sem nó” não necessariamente encampou a intriga de Lauro Jardim. Ele apenas replicou o texto de Lauro Jardim por que ele é, ao que se depreende do que consta no blog dele, do quadro técnico da Receita Federal muito provavelmente como analista tributário.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 25/12/2015

      • Confie no Agnelo Regis, mas desconfie da origem do post dele

         

        Antonio Francisco (Sábado, 24/10/2015 às 20:30),

        Não tinha visto o comentário que você enviou sábado, 24/10/2015 às 17:13, aqui para este post em que você transcreve matéria publicada no site da EBC e que tivera como fonte reportagem da Agência Brasil feita por Carolina Gonçalves. O seu comentário é o último da primeira página deste post quando constam 73 comentários, mas pelos meus cálculos deveriam ser 76 ou 77 comentários, pois enviei uns três ou quatro comentários quando já havia 73 comentários.

        Com este meu comentário o seu comentário de sábado, 24/10/2015 às 17:13, vai para a segunda página. Será uma pena, pois o texto que você transcreveu valeria mesmo ser reproduzido junto ao texto de Luis Nassif. De todo modo ao ir para a segunda página, o seu comentário vai ficar junto a um comentário complementar enviado sábado, 24/10/2015 às 20:34, junto ao seu comentário de sábado, 24/10/2015 às 17:13, sendo que você intitulou esse comentário complementar assim:

        “A EBC não contou tudo. Houve mesmo tensões lá”.

        E lá você deixa o link para o blog de Agnelo Regis que você apresenta aqui neste comentário de sábado, 24/10/2015 às 20:30. O interessante é que você apresenta o texto de Agnelo Regis como mais esclarecedor do que o texto de Carolina Gonçalves. É mais esclarecedor em relação ao telefonema porque porque quando o texto de Carolina Gonçalves fora publicado ainda não havia o telefonema de Toffoli para Joaquim Levy. O Agnelo Regis parece-me de confiança, mas o texto em que ele dá destaque sobre a desavença entre o Toffoli e o funcionário da Receita Federal, Carlos Roberto Occaso, é uma reprodução de post do blog de Lauro Jardim.

        No meu comentário enviado domingo, 25/10/2015 às 17:25, eu deixo o link tanto para o post de Lauro Jardim como para essa reportagem de Carolina Gonçalves. É importante observar que o post de Lauro Jardim é de sábado, 24/10/2015 às 10:30, enquanto o texto de Carolina Gonçalves é do dia em que houve a presença de Toffoli na Comissão que discutia a PL 1775/2015, ou seja, na quinta-feira, 22/10/15 às 18p3 e atualizado ainda na quinta-feira, 22/10/15 às 18p2. O telefonema de Toffoli, que pode ter existido, deve ter ocorrido na sexta-feira, 23/10/2015. E pareceu-me mais um telefonema contra o Joaquim Levy do que contra o técnico. Toffoli deve ter entendido que em razão do custo, o Joaquim Levy estava colocando impedimento ao projeto e foi reclamar. O Tóffoli realmente faz grosseria com o Carlos Roberto Occaso conforme se pode ver em outra reportagem para o qual eu deixei um link no meu comentário para Luis Nassif enviado domingo, 25/10/2015 às 17:25. Trata-se de reportagem também publicada ainda na quinta-feira, 22/10/2015 às 18p4, portanto, antes do telefonema de Toffoli, e que saiu no site da Câmara e que se intitulava “Ministro Tóffoli: Justiça Eleitoral pode gerir Registro Civil Nacional com baixo custo” e o subtítulo “Parlamentares propõem juntar o número do CPF com a biometria da Justiça Eleitoral”.

        Chamo atenção para todos esses links e o conteúdo deles porque, embora haja certa empáfia como também certo autoritarismo por parte de Toffoli, principalmente na fala dele contra o técnico da Fazenda, Carlos Roberto Occaso, a discussão é sobre repartição de recursos, e Toffoli estava apenas defendendo o interesse do STF. A notícia sobre o telefonema muito provavelmente foi repassada pelo próprio Joaquim Levy de certo modo para reduzir o montante de recursos pretendidos pelo STE. E o Joaquim Levy deve ter repassado a notícia do telefonema para o Lauro Jardim e a partir dai houve uma montagem da notícia no blog de Lauro Jardim ao selecionar parte da intervenção do Ministro José Antonio Dias Toffoli no vídeo que lá é disponibilizado.

        Faço essas observações aqui junto do seu comentário porque me pareceu que você procurou esclarecer todo o imbróglio na medida em que ele rescendia um pouco de intriga. Só que você acabou sendo enganado por não ter bem atentado para qual tinha sido a fonte do post “Dias Toffoli telefona para Joaquim Levy e reclama de subsecretário da Receita” de sábado, 24/10/2015, publicado no blog “Cabresto sem Nó” de Agnelo Regis um analista tributário, técnico da Receita Federal. Se tivesse pesquisado um pouco mais veria que a fonte do texto de Agnelo Regis era uma fonte de intriga que tinha realmente a intenção de causar intriga.

        Clever Mendes de Oliveira

        BH, 26/10/2015

  24. O golpismo da justiça se

    O golpismo da justiça se parece com um direito igual a liberdade.

    Mas golpe é um ataque rápido que oculta a quebra do direito.

    Pronto, acabou. Todo mundo já sabe o mistério integrado.

  25. Esse destempero de Toffolli

    Esse destempero de Toffolli na Câmara e seu telefonema para Levy pode sugerir interesses escusos dele e de Gilmar Mendes – mudar o CPF para um outro numero fornecido pelo TSE? Que história mais sem graça – onde tem angu tem carne … cadê o delegado Paulo Lacerda?  

    • Há uma dúvida sobre este

      Há uma dúvida sobre este senhor: qual a relação dele com hotéis recentemente inaugurados na cidade de Marília, região de onde saiu para o Brasil?

    • Conheci um advogado que

      Conheci um advogado que defendia a tese de que a toga transforma o seu usuário. Dizia que aquele que a vestia  se sentia como se transformasse em super-homem e, em sua imaginação, ficava repetindo mentalmente: Sou um pássaro? Um avião? Não! Sou o super-homem! Quando retirava a capa, sentia-se como Charque Quente e se imaginava como um repórter a caminho de bater o ponto nas redações dos jornais.

      No calor do verão, alguns juízes dispensam os advogados de usarem terno quando o ar-condicionado se encontra quebrado ou inoperante. É uma atitude muito correta. Afinal, quem suporta o calor escaldante que faz nas comarcas do interior de São Paulo, na região de Ribeirão Preto, por exemplo. As salinhas de audiência se transformam em verdadeiras saunas. Há muitas formalidades que, a meu ver, são inteiramente dispensáveis.

  26. Concordo inteiramente,

    Concordo inteiramente, Tofolli foi como o Pinóquio no mundo grande e mau, carregado por aquela raposa oportunista. Gilmar parece que trabalha por expandir sua influência dentro do Tribunal, drenando o poder de colegas mais ingênuos, relaxados  e despreparados. E o Joaquim, muito embora tenha levado com ele aquele célebre bate papo, também era por ele controlado.

      • O Pt e o apreço pela forca

        MacCain, o seu comentário me fez rir e, ao mesmo tempo, me fez seguarar a respiraçao aqui. Concordo – oremos! Seria mesmo a desgraça total termos como ministro do STF um ex advogado de Daniel Dantas,este cidadao que dispensa apresentaçoes e que é um verdadeiro cancer para o Brasil. Voce nao está errado/a. Seria mesmo a esculhambaçao da esculhambaçao e o ápice da má escolha o zé ser do STF. Já basta a escolha desastrosa de Toffoli, uma bomba-humana que está no lugar errado, na hora errada e muitíssimo mal acompanhado. O PT é ingenuo, gosta de viver perigosamente ou sente atraçao pela corda no pescoço ou a forca?? Pra quê isso? Fica  a pergunta para o PT pensar, afinal, a noite é boa conselheira.

         

         

        • Cardozo STF

          Advogar é preceito dos advogados em exercício.

          Quando em exercício da advocacia, José Eduardo Cardozo advogou para Daniel Dantas – rico como ele só, sem dúvida escolheria algum BOM advogado, pra não dizer ótimo.

          Enquanto Ministro de Estado, Cardozo é bastante republicano. Pode até ter alguma carência administrativa, que não vou procurar…

          Para Ministro do STF, seria um ÓTIMO garantidor da Constituição e do Estado Democrático de Direito.

          Esta é a minha opinião.

  27. Bem feito!

    O PT não  olha pra dentro. Está cheio de gente capaz, mas favorece os bajulhadores, tipo esse cara!….

  28. NEM QUE FOSSE UMA ÚNICA INDICAÇÃO…

    Ingenuidade ou parvoíce em políticos com décadas de traquejo? Ainda há quem acredite que decisões políticas podem ser meras coincidências? E o que dizer da liberação dos transgênicos, da transposição sem revitalização, e Belo Monte, etc? …

  29. E por causa de um erra deste,

    E por causa de um erra deste, ter que aguentar um pavão deste, fazendo estragos por no mínimo mais 22 anos, se a PEC de Bengala na acabar. Se perdurar, 28. 

     

     

  30. Minha mãe sempre dizia “quem

    Minha mãe sempre dizia “quem nasceu pra vintém nunca chega a mil réis”,  esse não importa o cargo que exerssa, não importa o tanto que, com seu servilismo ganhe espaço na mídia, jamais será um MINISTRO DO SUPREMO, ele está ministro, quando se aposentar, pode até ser lembrado, mas como alguém que entrou  pela porta dos fundos, ou quem sabe, como alguém que nunca deveria ter estado lá, por total falta de méritos.

    • O bloguista da Folha é ave agourenta que só acerta nos truísmos

       

      Fábio Eugênio (domingo, 25/10/2015 às 12:11),

      O problema de um texto como este que você indicou de Josias de Souza é que ele não tem nada de oráculo ou pitonisa vaticinador de profecias que se realizam. Ele aparenta mais ser apenas ave agorenta, mas os agouros profetizando a morte de quem está vivo só se realizam quando da morte própria de mortais e assim para não o desqualificar mais diria que quando ele consegue informar algo de valor trata-se de truísmo o qual todos nós já sabemos.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 25/10/2015

  31. O texto não tem link, faz mais é intriga e é idiossincrático

     

    Luis Nassif,

    Você fez muito mal não ter deixado um link para a gente entender do que se trata.

    A sua opinião sobre o Toffoli é antiga e é sobre ela que você desenvolve o texto. As duas situações que originaram a sua crítica a Toffoli, qual seja a participação de Dias Toffoli na Comissão e o telefonema para Joaquim Levy para reclamar é que não ficou clara.

    Busquei os links. Encontrei este post no blog de Lauro Jardim no O Globo: “Dias Toffoli telefona para Joaquim Levy e reclama de subsecretário da Receita” de autoria de Guilherme Amado e publicado no sábado, 24/10/2015 às 10:30 e que pode ser visto no seguinte endereço:

    http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/dias-toffoli-telefona-para-joaquim-levy-e-reclama-de-subsecretario-da-receita.html

    No post “Dias Toffoli telefona para Joaquim Levy e reclama de subsecretário da Receita” há um vídeo que infelizmente é montado, mas ajuda a compreender a situação ao trazer duas falas de Dias Toffoli. Como o texto de Lauro Jardim trata de intriga para a chamado do título do post há somente o seguinte:

    “José Antonio Dias Toffoli telefonou ontem para Joaquim Levy para reclamar da presença de Carlos Roberto Occaso, subsecretário de Arrecadação da Receita, numa audiência na quinta-feira na Câmara, para debater a criação do Registro Civil Nacional (RCN)”.

    E no vídeo, em uma das duas falas do Dias Toffoli, há uma crítica ao que seria um projeto vindo da receita em contradição ao projeto que fora assinado pela presidenta da República e o presidente do TSE.

    Enfim na matéria de Lauro Jardim há intriga, mas se esclarece um pouco mais do que você, embora você diz a mesma coisa sobre o telefonema e a participação de Toffoli na comissão. O que há de diferente é a tentativa de diminuir Toffoli. De todo modo igualar seu texto a Lauro Jardim não o recomenda.

    O pior na história é que você quer fazer o STF maior do que ele é para tornar Toffoli ainda menor. O Toffoli talvez seja pequeno mas não é muito menor do que o STF e o tamanho do STF não é nenhum demérito para o judiciário brasileiro. Há muitos bons técnicos no STF que possibilitam ao STF exercer de modo pleno a incumbência que a ele é encarregada e o ministro José Antonio Dias Toffoli faz o papel que merece.

    Há uma certa idolatria ao STF em razão dos juristas que praticamente estavam concentrados no Distrito Federal quando o Distrito Federal era no Rio de Janeiro e o Rio de Janeiro era o centro comercial, financeiro e intelectual do Brasil. Com a ida do Distrito Federal para Brasília e o golpe de 64, o Rio de Janeiro perdeu a pompa jurídica e o STF nunca mais foi essa grandeza que tentam querer dar a ele. E não há nenhum mal que seja assim.

    A notícia de qualquer modo é intriga. Quem a repassou deveria ter a honestidade de a repassar ou na exata dimensão, isto é, qual foi a exata reclamação que Toffoli fez a Joaquim Levy ou informar a fonte. Como não se esclareceu nada disso o que resta é só intriga. De todo modo vou fazer mais pesquisa para ver a participação completa do ministro José Antonio Dias Toffoli na Comissão e qual foi a reclamação dele em relação a Carlos Roberto Occaso, subsecretário de Arrecadação da Receita.

    Há outro link em que a matéria não parece trazer intriga. O título é “Toffoli defende projeto do Registro Nacional Civil contra relator na Câmara” de quinta-feira, 22/10/15 às 18p3 e atualizado quinta-feira, 22/10/15 às 18p2, e de autoria de Carolina Gonçalves com edição de Jorge Wamburg, tendo como fonte a Agência Brasil. A reportagem saiu no site da Empresa Brasileira de Correios e pode ser vista no seguinte endereço:

    http://www.ebc.com.br/noticias/politica/2015/10/toffoli-defende-projeto-do-registro-nacional-civil-contra-relator-na

    Na reportagem podemos ler as duas seguintes falas de Toffoli. Primeiro a reportagem diz: “O ministro lembrou que o Congresso Nacional é soberano na decisão sobre a proposta, “inclusive, para rejeitar este projeto. O que eu quis mostrar é que as discussões colocadas a respeito do uso do número do CPF não trazem segurança porque, no sistema de biometrização do Tribunal Superior Eleitoral, encontramos pessoas que tentaram se identificar como eleitor com identidades e CPFs falsos””.

    E em seguida se transcreve a segunda frase de Toffoli:

    “É um projeto que a justiça eleitoral está desenvolvendo para a garantia da segurança do voto e já está com orçamento e custos aprovados”.

    E o que se pode ver é que a desavença foi com o relator do Projeto de Lei (PL 1775/15 que cria o Registro Civil Nacional (RCN)), o deputado Júlio Lopes do PP do Rio de Janeiro. Na reportagem há também duas falas de Júlio Lopes que bem esclarecem a origem da divergência:

    “O que estamos advogando é que nós não podemos abrir mão da cultura do brasileiro de que o número do CPF é seguro. Centenas de milhões de brasileiros usam o CPF para realizar débitos e créditos no Brasil e julgam que este número é seguro”.

    E no final é apresentada a seguinte crítica de Júlio Lopes:

    “O documento encaminhado por eles [TSE] prevê gastos de R$ 2,360 bilhões. No nosso entendimento, esses gastos não são necessários porque a carteira que temos pode ser usada como identidade segura, desde que tenhamos um órgão fazendo a certificação. Se introduzirmos um número novo, vamos criar um enorme custo para a sociedade brasileira, além destes R$ 2 bilhões”.

    No fundo, o Júlio Lopes tem bons argumentos, mas parece não compreender a dimensão do que poderia representar o projeto do TSE. Não ficou claro qual foi a participação do técnico da Receita Federal. Pode ter sido alguém enviado pelo Joaquim Levy para criticar os gastos do TSE.

    Finalmente encontrei um link em que mostra que realmente Toffoli foi grosseiro com o representante da Receita Federal. Trata de reportagem no site da Câmara dos Deputados e que pode ser vista no seguinte endereço:

    http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/DIREITO-E-JUSTICA/498698-MINISTRO-TOFFOLI-JUSTICA-ELEITORAL-PODE-GERIR-REGISTRO-CIVIL-NACIONAL-COM-BAIXO-CUSTO.html

    Na matéria de quinta-feira, 22/10/2015 às 18p4 e publicado no site da Câmara dos Deputados com o título “Ministro Tóffoli: Justiça Eleitoral pode gerir Registro Civil Nacional com baixo custo” e o subtítulo “Parlamentares propõem juntar o número do CPF com a biometria da Justiça Eleitoral” pode-se ver uma passagem de grosseria de Tóffoli com o técnico da receita Federal, o Subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal Carlos Roberto Occaso: Transcrevo a seguir a passagem em apreço:

    – – – – – – – – – – – – – – – –

    “Dias Tóffoli se irritou ao final da reunião ao ter que responder uma pergunta feita pelo subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal Carlos Roberto Occaso. Occaso participava como ouvinte da comissão e pediu a palavra para explicar que a Receita tem condições de administrar esse de banco de dados.

    Toffóli interrompeu o participante: “Você é contra um projeto proposto pela chefe do Poder Executivo? Eu vim para uma audiência pública debater somente com os parlamentares”, disse, contrariado”.

    – – – – – – – – – – – – – – – –

    A celeuma parece ter sua origem mais na carência de recursos. Em minha avaliação pareceu-me elevado o gasto com a biometria. A biometria pode dar margem a questionamento de constitucionalidade, mas, como disse o Toffoli, há seis ministros do STF no STE. Eu até penso em um trabalho mais arrojado que seria dar um número para a previdência quando a pessoa nascesse e junto ao número fizesse uma representação do DNA em leitura do sangue da criança. Para evitar questionamentos jurídicos, os dados do DNA poderiam ser resguardado de sigilo e apenas disponibilizados pela vontade do indivíduo que poderia inclusive vender os dados dele. Há interesse nesses dados pelas empresas de seguro de vida.

    Como a origem do problema é a falta de recurso, não vi interesse escuso no deputado Júlio Lopes que pareceu-me interessado em cortar custos. Creio que a biometria é importante para reduzir fraudes, mas o controle do número de identificação pelo TSE tem o inconveniente de a pessoa só ganhar o número depois de 16 anos. Já o CPF não tem a idade mínima. Creio, entretanto, que o número mais importante seria aquele vinculado ao nascimento e daí a minha proposta de se conceder um número e se fazer a biometria junto com os dados do DNA no nascimento.

    Os dois questionamentos que eu gostaria de enfatizar aqui seriam a falta de link e o fato de o conteúdo do texto estar muito atrelado a sua idiossincrasia contra Dias Toffoli. A falta de link não teria tanta importância dado que você contou todo a história e assim bastava confiar na sua palavra. O problema é que a sua opinião sobre Dias Toffoli é muito falha uma vez que sofre do efeito do Aforismo XLVI de Francis Bacon que o médico e filósofo Flávio Paranhos em boa hora nos lembrou no texto dele “Woody Allen e Heidegger: Morte aos monstros!”, publicado na Revista Bula e aqui no seu blog, por sugestão de Marco ST, foi transformado no post “Ética, Heiddeger e Woody Allen” de terça-feira, 04/02/2014 às 15:18, e que pode ser visto no seguinte endereço:

    http://jornalggn.com.br/noticia/etica-heiddeger-e-woody-allen

    Reproduzindo a primeira justificativa que Flávio Paranhos dera para o fato de ele não acreditar em Dylan, a filha de Mia Farrow e Woody Allen, que acusara Woody Allen de a ter molestado quando tinha apenas 7 anos. Assim Flávio Paranhos explica porque ele não acredita em Dylan:

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    “Porque eu não quero acreditar. É importante revelar de cara uma obviedade. Não sou isento. Ninguém é. Quem acha que é está mentindo para si mesmo. Woody Allen é o filósofo mais brilhante que já existiu. É um gênio. Se me dissessem que Beethoven era pedófilo, ou Kafka, Einstein, etc, eu teria enorme dificuldade em aceitar. Nunca é demais lembrar, portanto, meu aforismo preferido, o que mando marcar com ferro quente no lombo de meus alunos na PUC: “O intelecto humano, quando assente em uma convicção (ou por já bem aceita e acreditada ou porque o agrada), tudo arrasta para seu apoio e acordo. E ainda que em maior número, não observa a força das instâncias contrárias, despreza-as, ou, recorrendo a distinções, põe-nas de parte e rejeita, não sem grande e pernicioso prejuízo.” (Francis Bacon, Aforismo XLVI do “Novum Organum”)

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    E a sua idiossincrasia é contagiante, pois a maioria dos comentaristas dão suporte ao que você disse. E o que você diz é mais intriga ao se prender a pequenez de Toffoli, e ele com os auxiliares dele não é tão pequeno assim e mesmo que fosse, você traz esse detalhe como se a pequenez de Toffoli tivesse importância, e não discute a questão real, ou seja, o custo do projeto e se ele deve ser administrado pelo TSE.

    Volto à questão do link porque vejo esse problema ocorrendo com muita frequência aqui no blog. Parece que há um custo em razão desses links e assim eles são omitidos. Se for esse o caso, é bom deixar alguma advertência, pois eu, havendo disponibilidade de tempo, faço questão de deixar o maior número possível de links. Recentemente houve um post muito importante aqui no seu blog e que acabou tendo poucos comentários. Trata-se do post “Petrobras responde por maior queda do PIB, segundo Fazenda” de quinta-feira, 22/10/2015 às 15:42, trazendo reportagem de Wellton Máximo para o site da Agência Brasil, sobre a influência da Petrobras nos investimentos brasileiros. É um assunto que me chama bastante atenção, mas o que mais se destacava na reportagem era a ausência do link para o estudo da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda sobre os efeitos dos investimentos da Petrobras no PIB do país. O endereço do post “Petrobras responde por maior queda do PIB, segundo Fazenda” é:

    http://jornalggn.com.br/noticia/petrobras-responde-por-maior-queda-do-pib-segundo-fazenda

    Pretendo ir lá no post “Petrobras responde por maior queda do PIB, segundo Fazenda” para deixar um comentário exatamente para indicar os links que em meu entendimento faltam.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 25/10/2015

    • Houve tempo para mais bem detalhar a acusação a Toffoli

       

      Luis Nassif,

      Em meu comentário acima, eu esqueci de fazer a seguinte observação. A presença de Toffoli na Comissão que discute o registro civil único, foi na quinta-feira, dia 22/10/2015. Sendo seu post “Toffoli, de Lula a Gilmar Mendes” de sábado, 24/10/2015 às 19:23, ou até mais corretamente de sábado, 24/10/2015 às 14:42, você teve muito tempo para trazer a notícia de modo mais detalhado. Aproveitou o seu viés contra o Toffoli e descarregou o mesmo sentimento de desrespeito e desconsideração que trazem todos os seus posts em que o nome de Toffoli e o nome de Gilmar Mendes aparecem em dobradinha.

      Haveria fundamento na sua crítica se para depreciar o Toffoli você reconhecesse que o STF não é nenhum supremo tribunal de conhecimento jurídico. E desse como justificativa para essa sua argumentação o fato de que mesmo o decano, aliás contra quem pesa fortes acusações de quem o indicou, teve todas as suas teses jogadas no lixo quando no julgamento da Ação Penal 470. E no final do julgamento, os mais novos, em uma homenagem apenas a antiguidade e ao fato de ele se encontrar próximo da compulsória, deram uma oportunidade para ele defender uma boa tese. A bem da verdade nem deram, mas fabricaram ao emitir entendimento que era sabido que eles não comungavam.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 25/10/2015

    • Sábado, 24/10/2015 às 17:13, Antonio Francisco deu o link na EBC

       

      Luis Nassif,

      Deixei o link para a matéria “Toffoli defende projeto do Registro Nacional Civil contra relator na Câmara” de quinta-feira, 22/10/15 às 18p3 e atualizado quinta-feira, 22/10/15 às 18p2, e de autoria de Carolina Gonçalves com edição de Jorge Wamburg, tendo como fonte a Agência Brasil e que saiu no site da Empresa Brasileira de Correios e só agora lendo ou relendo os comentários percebi que Antonio Francisco, em comentário que ele enviou sábado, 24/10/2015 às 17:13, já houvera deixado o link para a matéria, embora com um endereço um pouco diferente ainda que fosse também no site da Empresa Brasileira de Correios. E ele fizera ainda mais pois transcrevera toda a reportagem de Carolina Gonçalves. Pena que por já se encontrar quase no final da primeira página, o comentário dele já deve ir para a segunda página.

      E nessa releitura, eu vejo também que ganhei uma estrela pelo meu comentário. Sempre considerei que essas notas que se recebem por comentários têm pouca relevância para quem escreve o comentário, pois a relevância depende de quem deu a nota. Uma estrela recebida de uma pessoa com determinada ideologia é diferente de uma estrela recebida de outra pessoa com ideologia oposta. Sabendo quem deu uma estrela para o meu comentário eu poderia ou desconfiar da correção ou desconfiar da incorreção do meu comentário. Infelizmente esse é um problema que ocorre em todos os blogs e só resta ao comentarista relevar essa informação pelo menos em relação ao próprio comentário. As notas (Ou estrelas) nos comentários dos outros deixa a gente satisfeito quando concordamos com a avaliação principalmente quando foi só um voto e ele é 5 ou 1, ou insatisfeito se a avaliação é contrária ao que pensamos. De todo modo, nessa época de delatores, bem faria o blog se conseguisse identificar quem desse as notas.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 25/10/2015

  32. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome