Sobre a crença bastarda dos amores, por Romério Rômulo

Me atraquem num porto de agonia / Onde eu caiba, ainda que pequeno.

Jean-Michel Basquiat

Sobre a crença bastarda dos amores

por Romério Rômulo

Sobre a crença bastarda dos amores
Pelos céus que arranjam o destino
Pelo corpo suave de menino
Que arranca os véus e os pudores.
2.
Pela vida criada de inopino
Me roubem a ciranda e o veneno
Me atraquem num porto de agonia
Onde eu caiba, ainda que pequeno.
3.
Sobre os modos da vida e sobre ti
Diga a todos e aos poucos que morri.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora