Messer diz em delação que entregava dólares à família Marinho, diz revista

Operação entre doleiro e família dona da Rede Globo teria sido iniciada nos anos 90; valores oscilavam de US$ 50 mil a US$ 300 mil

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O doleiro Dario Messer declarou supostos serviços prestados à família Marinho, dona da Rede Globo, em delação homologada com o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, segundo informações divulgadas no site da revista Veja.

Messer diz ter realizado repasses de dólares em espécie para os Marinho em várias ocasiões, e as entregas eram feitas dentro da emissora, no bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. Um funcionário da equipe do doleiro enviada de duas a três vezes por mês quantias entre US$ 50 mil e US$ 300 mil, e quem recebia o dinheiro na Globo era um funcionário identificado como José Aleixo.

As autoridades que leram a delação dizem que Messer não apresenta provas das entregas de moedas, mas o doleiro sustenta que os destinatários seriam os irmãos Roberto Irineu (Presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo) e João Roberto Marinho (vice-presidente do Grupo Globo).

As operações financeiras entre Messer e os Marinho teriam começado por intermédio de Celso Barizon, suposto gerente da conta da família no banco Safra em Nova York. Segundo depoimento de Messer, os repasses teriam começado no começo da década de 90, quando trabalhava em sua operação no Rio de Janeiro.

 

Leia Também
Exclusivo: Messer retirou Paludo e os Marinho da sua delação
Messer delatou Januário Paludo, ex-integrante da Lava Jato em Curitiba
Delação de Dario Messer amplia as suspeitas sobre Lava Jato de Curitiba

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  mRNA, a tecnologia de ponta na corrida pela vacina contra covid-19

5 comentários

  1. Contra Lula os caras aceitam apenas a palavra do criminoso como prova. Contra os Marinho querem firma reconhecida em cartório comprovando a entrega. Só os idiotas de esquerda acreditam no sistema de justiçamento.

  2. Este deve ser apenas um dos motivos do “pacto satânico” entre a Globo, Moro e a Lava Jato. Obter proteção e vista grossa para os crimes cometidos.

  3. Pois é, a delação dele só vale para alguns, para outros não…….bom argumento para os advogados trabalharem, ou ele passava dava nota fiscal?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome