Estados brasileiros seguem abaixo da meta de saneamento

Estudo mostra que, em pelo menos 17 deles, será necessário o triplo dos recursos empregados ao longo dos últimos anos

Foto: Reprodução/Rede Brasil Atual

Jornal GGN – Vinte e quatro das 27 unidades federativas do Brasil precisarão aumentar a média de investimentos realizados em saneamento para atingir as metas de universalização, que foram estabelecidas pelo novo marco regulatório.

Levantamento da consultoria GO Associados, e divulgado pelo jornal Folha de São Paulo, mostra que 17 deles precisaram de, no mínimo, o triplo da média de aportes registrados na média dos últimos anos.

O cenário é especialmente crítico em estados do Norte e Nordeste: no Amapá, por exemplo, o aporte teria de ser 18,43 vezes maior, passando de uma média anual de R$ 6 milhões para uma média anual de R$ 141 milhões. Já o Piauí teria que aumentar os investimentos em 16,36 vezes, passando de R$ 61 milhões para pouco mais de R$ 1 bilhão.

Ao todo, o setor vê a necessidade de investimentos de ao menos R$ 519 bilhões para universalizar os serviços, conforme relatório elaborado em 2019 pela consultoria KPMG e pela Abcon (Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto).

Considerando esse estudo, a consultoria estima que o segmento precisaria ao menos de aportes médios anuais de R$ 34,7 bilhões nos próximos 15 anos —em valores de hoje, R$ 520 bilhões no total.

 

 

Leia Também
Reintegração de posse retira ilegalmente famílias de seringal em Boca do Acre (AM)
Na pandemia, desemprego afeta mais os trabalhadores acima de 50 anos, mostra Caged
Governo faz alarde com verbas que destina à pandemia, mas não libera o gasto
Objetivos do Milênio: as cidades como centro das políticas públicas, por Luis Nassif

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Manchetes dos jornais dos EUA

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome