Polícia Federal faz maior apreensão de madeira ilegal da história

Quantidade de madeira obtida em ação realizada na divisa do Pará com Amazonas é suficiente para construir 2.620 casas populares

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Operação realizada pela Polícia Federal na divisa do Pará com o Amazonas acabou na maior apreensão de madeira extraída ilegalmente na história.

Ao todo, foram retidos 131,1 mil metros cúbicos de toras, ou um total de 43.700 toras, uma quantidade suficiente para a construção de 2.620 casas populares, em operação batizada de Handroanthus GLO – unindo o nome científico do ipê à sigla da Garantia da Lei e da Ordem, o marco legal que autoriza o emprego das Forças Armadas no combate a crimes ambientais na Amazônia.

A madeira está espalhada por diversos pátios ao longo dos rios Mamuru e Arapiuns, uma região de tamanho comparável a Sergipe – e os números são considerados conservadores pela PF. Será realizada uma perícia com a ajuda do Exército nos próximos dias, dentro do marco da Operação Verde Brasil 2.

A região onde a madeira foi apreendida conta com diversos planos de manejo florestal, com autorização concedida pela Secretaria de Meio Ambiente do Pará, mas até o momento nenhum madeireiro procurou a PF com documentação que comprove a legalidade da extração. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Novos métodos do desmatamento ilegal na Amazônia, pelos olhos de Sebastião Salgado
Ofensa sistemática ao meio ambiente como forma de degradação constitucional: a importância da ADPF nº 760, por Marcelo Neves
Varejistas e grupos de alimentos começam a boicotar a soja brasileira
Mineração na Amazônia chega a áreas de conservação
Senado vai debater desmatamento e aumento de queimadas na Amazônia, mas exclui Inpe da conversa

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora