A atuação predatória dos bancos sobre os endividados, por Luis Nassif

Agora, confira o custo do dinheiro, segundo levantamento do Banco Central brasileiro, dividido entre a menor e a maior taxa das instituições pesquisadas. De longe, os maiores custos são o cartão de crédito, e o cheque pré-datado.

A incrível leniência com as criptomoedas, por Luis Nassif

Qual o tratamento que se dá ao bitcoin? Moeda, definitivamente não é. Uma moeda tem que ter, necessariamente, um garantidor de última instância, um país, um banco central, uma fonte perene de receitas.

A celebração do capital financeiro inócuo, por Luis Nassif

Em geral, as variações do dólar e das ações refletem a liquidez do momento (ou seja, maior disponibilidade de recursos no mercado), movimentos externos, e eventualmente alguma medida interna de impacto. Mas refletem exclusivamente movimentos de curtíssimo prazo do mercado.

Serviços crescem em maio, mas está abaixo de 2019, por Luis Nassif

Vamos ao Raio X da Pesquisa Mensal de Serviços Os gráficos foram montados em cima do...

Os sonhos da direita liberal e a sucessão, por Luis Nassif

É uma declaração intencionalmente dúbia. Houve quem visse ameaças aos críticos, houve quem visse reafirmação da defesa das instituições contra “ataque leviano” - o que caberia a Bolsonaro.

China amplia a participação no comércio exterior brasileiro, por Luis Nassif

No acumulado de 12 meses, dos 20 produtos de maior peso da pauta de exportações brasileira, a China participou de 10: ficou entre os 3 primeiros em 7 produtos.

Retrato da queda da indústria em cinco anos, por Luis Nassif

Na relação das maiores altas, pontificam setores ligados à produção, como máquinas e equipamentos, equipamentos de transporte; nas maiores baixas, setores ligados ao consumo.

Indústria registra alta em 14 setores e queda em 10, por Luis Nassif

A indústria, como um todo, subiu 1,39%. A indústria extrativa teve um desempenho superior ao geral, de 1,99%, e a indústria de transformação levemente abaixo do geral, com 1,16%.

Aumenta o subemprego e o desalento no mercado de trabalho, por Luis Nassif

Dentro da Força de Trabalho, a população subocupada - que vive de bicos, trabalhando apenas parte do tempo - aumento em 4,6 milhões de pessoas.

Preços ao produtor seguem pressionados

Os dados de maio – divulgados nesta terça-feira – indicam um aumento de 1% no IPP da indústria, soma de uma queda de 0,43% nas Indústrias Extrativas e aumento de 1,11% na Indústria de Transformação.

Juros contra equilíbrio fiscal e, mesmo assim, atraem dólares, por Luis Nassif

Então qual a razão desse discurso reiterado dos economistas de mercado, esse fetiche em torno da Lei do Teto? Há um enorme déficit de informação no país, talvez o maior problema para sair desse pântano econômico e político.

Como a privatização da Eletrobras é o negócio do século, por Luis Nassif

Pela métrica de avaliação de eficiência do mercado - adotada pela mídia -, o gestor mais eficiente será aquele que cortar todos os investimentos, tratar de colocar a energia no mercado pelo mais alto valor, e reduzir todos os gastos em manutenção.

Para onde vão as exportações de cada estado, por Luis Nassif

A influência da Ásia (leia-se China) é massacrante. É o maior mercado não apenas para estados de produção agrícola como de estados industrializados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Para entender o sobe-e-desce do dólar, por Luis Nassif

Agora, há fatores adicionais, como as incertezas em relação ao comportamento do FED (o Banco Central norte-americano). É isso que leva à volatilidade do mercado. Imaginar que os operadores estejam pensando no futuro das contas externas, é dar uma racionalidade que não se aplica ao efeito-manada do mercado.

Eletrobras e crise hídrica, as 3 pragas do Egito a caminho, por Luis Nassif

O Congresso está prestes a avalizar uma das operações mais nefastas da história das políticas públicas brasileiras: a privatização da Eletrobras. Pior: na véspera da mais grave crise hídrica dos últimos 90 anos.
GGN