Inauguramos, por fim, a “paranoiacracia”, por Jean Wyllys

Pra que provas quando o MPF pode apresentar um power point?

por Jean Wyllys

em seu Facebook

Dessa vez, o nível de arbitrariedade, irresponsabilidade e desprezo pelas garantias legais por parte dos membros do Ministério Público Federal que conduzem a operação Lava Jato bateu seu recorde. Ao apresentar suas “razões” para tentar incriminar Lula – proposta que ainda será avaliada em preliminares e no mérito por um juiz – o MPF do Paraná conseguiu transformar o que deveria ser uma denúncia séria e sustentada em provas num constrangedor comício político anti-Lula e antipetista, cuja estrela principal foi um tosco power point que, em minutos e acertadamente, virou alvo de chacota nas redes sociais. Apenas a Globo News e a home da Folha de São Paulo levaram aquele esquema de ensino fundamental a sério. Por que será?

Os digníssimos procuradores iniciaram o comício com uma frase que fez corar qualquer pessoa com conhecimento mínimo em Filosofia do Direito e Teoria da Justiça: não teremos provas, mas temos convicções! Repito: Não teremos provas, mas temos convicções. Ou seja, bastam as convicções dos procuradores para de se incriminar uma pessoa! Surreal! E surreal é a imprensa lhe dar microfones sem crítica. 
Como se não houvesse no Brasil um rito legal para ser seguido em casos de corrupção, uma “denúncia” é apresentada num evento claramente político transmitido ao vivo por televisão, assim como um lançamento da nova programação da Globo para potenciais anunciantes. Sem provas, nem argumentos objetivos, foram apresentados sucessivos desenhos e gráficos no modelo power point que “mostram” a misteriosa relação entre as “reações de Lula”, a “expressividade” e “Lula”, grande, no centro. Parece uma piada? E é uma piada: não há outra maneira de encarar aquilo. A falta de consistência na peça processual foi substituída por estratégias mais próprias de um aluno que não estudou para a prova… Aliás, a apresentação tem a cara de quem faz curso de Direito à base de apostila e slides! 

A “tese” apresentada como “notícia bomba” não traz nenhum fato novo e repete, em grande medida, a “teoria do domínio do fato”, antes utilizada no julgamento do “mensalão” (não, não estou me referindo à compra de parlamentares para garantir a reeleição de Fernando Henrique Cardoso; este “mensalão” nunca foi julgado nem chegou às manchetes dos jornais), ou seja, se Lula era o líder de um grupo político, conclui-se que sabia de todos os supostos crimes cometidos pelos membros do seu governo (dentro e fora dele); supõem um sequestro da consciência e da vontade dos subalternos por parte de Lula. 

Leia também:  Chaui: a democracia como luta por direitos, por César Locatelli

É a “paranoiacracia”! 

Vejam que não há muita diferença entre os surtos de Janaína Paschoal e as “convicções” dos procuradores do Paraná! Eles parecem a reencarnação das fanáticas de Salem.

No país que viu um governador (atual senador) construir aeroporto na fazenda do tio com dinheiro público e outro dançar em Paris de guardanapo na cabeça junto de empresários ligados a esquemas de corrupção, Lula é apresentado como “o maior dos corruptos” que, ao final da história, restaria com um simples apartamento mediano no Guarujá (no Guarujá!) e que, até agora, não está provado que seja mesmo dele. É uma situação tão ridícula (mas igualmente revoltante!) que só poderia mesmo acabar em memes nas redes sociais.

A duas semanas da eleição, parece no mínimo “oportuno” apresentar fatos que já eram de conhecimento das pessoas num grande show. É o MPF do Paraná buscando intervir no resultado das eleições municipais sem apresentar candidaturas claras!

Ora, há nessa ação dos procuradores da Lava Jato um desrespeito profundo das garantias jurídicas; e a imprensa embarca no desrespeito por razões político-partidárias, afamando concurseiros com salários astronômicos e pouco senso de justiça. Isso é intolerável! 

Se o procurador diz que não terá “provas cabais de que Lula é efetivo proprietário no papel do apartamento”, mas que tem “convicção”, eu posso afirmar que tenho a convicção de que os procuradores responsáveis pelo caso são uns burocratas classistas, com baixa compreensão da política e servidores indiretos dos corruptos e plutocratas do PSDB e do DEM. E aí?

Leia também:  Como Berkeley trataria as estatísticas sobre ganhos dos funcionários públicos, por L.D.

Convicção por convicção, eu fico com a minha!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

15 comentários

  1. O MPF perdeu a razão.

    Eu também estou convicta de que são uns malucos que pensam que estão passando o Brasil a limpo, marionetes do sistema e manipulados pelo proprio juiz Sérgio Moro e até pela PGR.

  2. Jean Wyllys, considere tb efeitos da sublimação de impulsos:

    Jean Wyllys, considere tb efeitos psíquicos da sublimação de impulsos naturais num contexto de fundamentalismo religioso.

    É pra chorar?

    Sim!

    Mas tb posso rir um pouco, pq nao?

    *

    >> Denúncia? Atentado ao pudor: ejaculação precoce de adolescente masturbador, por Romulus

     

    ROMULUS

     QUI, 15/09/2016 – 08:07

     ATUALIZADO EM 15/09/2016 – 09:36

    Denúncia de “corrupção” em Curitiba? Na verdade, atentado ao pudor: Brasil obrigado a assistir à ejaculação precoce de um adolescente afeito à masturbação

    Por Romulus

    – “Denúncia” em Curitiba foi, na verdade, um atentado ao pudor: Brasil foi obrigado a testemunhar a ejaculação precoce do adolescente. E num sexo solitário: era apenas masturbação do jovem.

    – O perfeito casamento entre ignorância, “limitação intelectual” e má-fé. E ainda: inglês “the book is on the table” + PowerPoint nível corrente chata de email + conhecimentos de Ciência Política, Geopolítica e Economia – e até de Lógica! – dignos de um secundarista de província.

    – Ultrajado? Dando nomes aos bois: saiba quem são “os culpados” por “isso tudo que está aí”.

    – E para fechar: Ciro d’Araújo, sem dó nem piedade, desnuda (!) o tal do adolescente afeito à masturbação. Ciro é fera: conta até por que Moro saiu correndo para devolver o passaporte da mulher do Cunha.

    LEIA MAIS »

    Vídeos

    Vídeos aleatórios de hoje: “Por que masturbação é pecado” (rs) e “Requiem” (pelo Brasil mesmo…) 

     

  3. Pornocracia

    A atitudes desses FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS, PAGOS COM O DINHEIRO DOS CONTRIBUÍNTES inauguraram a pornocracia isso sim. 

  4. Perfeito o Jean Wyllys. Eu

    Perfeito o Jean Wyllys. Eu também tenho uma convicção parecida com a dele. O problema que num estado de exceção existem convicções que são mais convicções do que as outras. 

  5. Parcialmente perfeito Jean

    Parcialmente perfeito Jean Willis, só faltou dizer que tenho convicção que esse país é mesmo uma república de acusadores sem prova do judiciário. Imagina se um cidadão comum fizesse isso contra qualquer pessoa que seja?

  6. Interessante que nos

    Interessante que nos comentários estes procuradores são tratados de afoitos, irresponsáveis e até partidários. Acredito que deveríamos partir para uma investigação  da honestidade destes advogados, promotores e juizes ( acho que seria importante um pedido de quebra do sigilo bancário e telefônico deles). Estão interessados por demais em apresentar denúncias contra uns. Neste mato tem cachorro.

  7. Jean

    Vc chegou lá ! graças ao seu talento e coragem, tornou-se um dos mais respeitados deputados de toda a câmara. Parabens !

     

                              

  8. Um país…
    Que conta com esse padrao de judiciario efetivamente nao passa de uma republiqueta de bananas.
    Que involuçao: de país do futuro a um país sem lei, justiça e voltado para incrementar a desigualdade social aumentado o fosso entre ricos e pobres, entrr aqueles que da casa grande e os da senzala.
    Esse promotor canalha escancarou o objetivo de uma elite retrogada e manipuladora.

  9. Teocracia

    Tendo em vista o mandato divino que este pequeníssimo torquemada diz ter recebido de um obscuro deus paranaense, estamos caminhando é para uma teocracia fundamentalista, onde os deslumbrados procurador mequetrefe e juiz de camisas negras, assessorados por marco feliciano e por eduardo cunha, irão determinar o que os professores poderão ou não dizer em sala de aula.

  10. bom, muito bom!

    JW tenho a convicção que escreveste um belo tenho texto.

    Tenho a convicção que estamos ferrados com esses procuradores mais o chefe deles mais o stf.

    Pobre país!!!

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome