O comércio mundial é da Ásia, por Luís Nassif

Entre 2016 e 2022, a China ganhou impressionantes 7,4 pontos de participação, contra 2,30% dos EUA e uma perda de 5,6 pontos da Alemanha

Vamos brincar um pouco com os dados da Organização Mundial do Comércio, tratados pelo GGN.

As estatísticas misturam países, blocos, continentes. Separando apenas os países, constata-se o seguintes:

  1. O Brasil ocupa o 23o lugar entre os maiores exportadores.
  2. A China lidera, com 23,76%, seguida pelos Estados Unidos, com 12,76%, e a Alemanha, com 4,45%.
  3. Mas entre 2016 e 2022, a China ganhou impressionantes 7,4 pontos de participação, contra 2,30% dos Estados Unidos e uma perda de 5,6 pontos da Alemanha – provavelmente reflexo do aumento do preço do gás com a guerra Rússia-Ucrânia.
  4. Entre 2016 e 2022, o Brasil aumentou sua participação em 1,5 ponto percentual.
  5. Dos 10 países com maior exportação, 6 são da Ásia
  6. Provavelmente devido à Alca, o México é o 8o maior exportador.

Luis Nassif

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. No entanto os EUA tem uma fábrica de dolares que lhes garante gastar por conta da impressão, real ou virtual. O problema para eles e para o mundo será quanto o sistema entrar na fase BANG BANG, ou seja: Quem sacar primeiro pode se dar bem, os demais correm o perigo de dormirem num colchão de dolares e acordarem falidos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador