Salários eram recolhidos por coronel da reserva, diz ex-cunhada de Bolsonaro

Gravações de Andrea Siqueira Valle apontam participação de Guilherme dos Santos Hudson em esquema de ‘rachadinha’ de Flávio Bolsonaro

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Outro militar esteve envolvido no esquema de rachadinhas do antigo gabinete de Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro: o coronel da reserva do Exército Guilherme dos Santos Hudson, que era responsável pelo recolhimento dos salários. A afirmação é da ex-cunhada do presidente Jair Bolsonaro, Andrea Siqueira Valle.

Gravações de Andrea, que trabalhou como assessora de Flávio de 2008 a 2018, foram divulgadas em uma série de reportagens no portal UOL, e indicam que a maior parte do salário que recebia no gabinete do então deputado era recolhida por Hudson – que é tio de Andrea e Ana Cristina Valle, segunda esposa de Jair Bolsonaro e colega do presidente na Academia Militar das Agulhas Negras nos anos 1970.

“O tio Hudson também já tirou o corpo fora, porque quem pegava a bolada era ele. Quem me levava e buscava no banco era ele”, afirmou Andrea, ressaltando que ela ia com o tio ao banco para efetuar os saques bancários todos os meses. “Não é pouca coisa que eu sei não. É muita coisa que eu posso ferrar a vida do Flávio, ferrar a vida do Jair, posso ferrar a vida da Cristina. Entendeu? É por isso que eles têm medo aí e manda eu ficar quietinha. Não sei o que, tal. Entendeu? É esse negócio aí”.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador