O xadrez da aposta de Janot no fim da política

Há duas possibilidades no pedido de prisão de Renan Calheiros, José Sarney e Romero  Jucá pelo Procurador Geral da República Rodrigo Janot.

A primeira, é a de que os elementos de que dispõem são apenas as gravações divulgadas pela mídia. Nesse caso, seria blefe. A fala de Renan não é motivo sequer para a abertura de um inquérito, quanto mais um pedido de prisão.

Fosse apenas isso, as consequências seriam desastrosas para o PGR. Ele ficaria enfraquecido, contando apenas com o apoio das Organizações Globo. Formar-se-ia uma unanimidade contra o arbítrio, ficando mais fácil convencer o grande condutor Globo para a necessidade do pacto.

Seria um desastre tão grande para o PGR, que é quase impossível que ele tenha bancado essa aposta dispondo de apenas um par de três. Principalmente porque esse jogo não comporta blefe, devido à existência de uma instância superior, o Supremo, para analisar a extensão da jogada.

Portanto, é bastante provável que tenha muito mais munição armazenada.

A segunda evidência é o fato do Ministro Teori Zavascki ter passado os últimos dias consultando seus pares. Se as únicas razões fossem os áudios divulgados, não haveria a necessidade de longas consultas: o pedido seria liminarmente negado.

Partamos do pressuposto, portanto, que Janot tem muito mais cartas na manga do que os grampos divulgados.

Mesmo assim, o pedido de prisão é uma aposta monumental, pois destroça de vez o sistema político-partidário nacional.

O fator Teori

O Ministro Teori Zavascki tem sido uma unanimidade no STF, respeitado tanto pelos procuradores quanto pelos críticos da Lava Jato. Isso por ser discreto e previsível nos julgamentos – isto é, não propenso a inovações jurídicas permanentes, como seu colega Gilmar Mendes.

Até agora, cometeu uma inovação, uma invasão da atribuição não prevista constitucionalmente, que foi a prisão do ex-senador Delcídio do Amaral. Aberta a porta, cria-se o precedente para ousar novas prisões de políticos.

Por outro lado, abomina os vazamentos.

Janot é apontado como responsável por menos menos quatro vazamentos: a delação de Delcídio do Amaral, os inquéritos de Pedro Corrêa, da Peper e de Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez.

Foram quatro negociações dentro da PGR, sem nenhuma participação da Polícia Federal. E com apenas dois exemplares: um no cofre de Janot, outro nas mãos de Teori.

No episódio da Andrade Gutierrez, pessoas ligadas a Janot sugeriram que o vazamento poderia ser do gabinete de Teori. A prova seria a marca d’água do Supremo na cópia enviada para os jornais. Ora, se pegar qualquer documento do Supremo, ele é entregue com a marca d’água do Supremo. O episódio provocou mágoas em Teori.

Em outras ocasiões, sugeriu que os vazamentos tinham partido de advogados das partes. Não tinha nenhum sentido. Se um vazamento pode anular uma delação, qual a razão para o advogado jogar contra seu cliente? Em nenhum momento condenou expressamente os vazamentos.

A intenção dos vazamentos era óbvia. Na medida em que vaza, gera pressão em cima do delator. Não pode mais voltar atrás, porque sua delação tornou-se pública.

Aconteceu com Delcidio. Quando Teori negou 120 dias para Delcidio no Senado, ele percebeu que já estava perdido e quis recuar do acordo. O vazamento da delação impediu.

Os episódios não serão capazes de influenciar negativamente Teori. A consulta aos demais Ministros deveu-se aos impactos sobre a já precaríssima situação política brasileira.

Mesmo assim, a decisão é imprevisível.

Teori poderá simplesmente negar o pedido de prisão. Ou poderá encontrar um caminho alternativo. Qualquer que seja o caminho alternativo significará acolhimento das teses de Janot. Terminando ou não em prisão, o sistema político entra na pane final.

Esse fim está diretamente ligado à extraordinária mediocridade da nova equipe de governo, um grupo metido até o pescoço em operações suspeitas, avançando sobre todos os setores críticos com seus capitães do mato.

Desde os tempos de Costa e Silva, não tenho notícias de tanta mesquinharia,  prepotência e mediocridade instaladas no governo.

As represálias contra a presidente afastada, a extravagância de anunciar publicamente a proibição de qualquer publicidade de estatais a veículos de mídia não alinhados com o governo, os ataques aos grupos sociais, aos artistas, às minorias seriam uma arbitrariedade em qualquer circunstância. Partindo de um grupo que está prestes a ser denunciado como organização criminosa, é de uma atrevimento suicida.

Conseguirão colocar a favor da Lava Jato todos os setores críticos que temiam o excesso de poder dos procuradores e juízes mas que, gradativamente, verão  neles o único meio de impedir a prepotência desses coronéis provincianos aspirando o status de ditador.

As mesquinharias contra a presidente conseguiram algo que nem a própria Dilma imaginou ao longo de seu mandato: aproximá-la da população que a acolheu como solidariedade pelas arbitrariedades que vem sofrendo.

O grande comandante desse desastre político é o general Sérgio Etchegoyen, notável estrategista que Temer colocou no Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Como esperar que essa organização, com a sensibilidade de um macaco em loja de louças, conseguirá conduzir o país até 2018?

 O sistema político

Pode-se criticar a insensibilidade política de Janot, a severidade excessiva de Teori, a onipotência da Lava Jato.

Mas o fato é que o sistema político fez por merecer. Há décadas acumulavam-se abusos, corrupção desenfreada alimentada pelo financiamento privado de campanha e pelo presidencialismo de coalizão, e nada foi feito.

O próprio PT nasceu da exaustão da opinião pública com os abusos do sistema político tradicional. Acabou entrando no jogo, praticado a realpolitik e se estrepando.

Até agora a Lava Jato demonstrava um odioso viés partidário. Avançando sobre a cúpula do PMDB, se agir com a mesma eficácia contra o PSDB, ganha uma legitimidade que irá muito além da fome por carne fresca que alimenta o efeito manada dos que conseguem enxergar o país apenas da ótica penal.

O episódio estimulará um pacto entre o Senado, o STF (Supremo Tribunal Federal) e demais lideranças políticas, visando conter os estragos da Lava Jato. Com essa frente, é possível que a própria Organização Globo caia na real.

Com o pacto, haverá dois cenários possíveis:

Cenário 1 – a renovação política com a antecipação das eleições.

Monta-se o pacto que acabará desembocando na antecipação das eleições. O último representante da Nova república – que nasce com as diretas – é Lula. Dependendo do destino de Lula, haverá renovação completa na política.

Essa nova liderança será certamente um presidente de pulso, mas capaz de negociar, para restaurar a autoridade do Executivo dentro de uma nova ordem que supere o presidencialismo de coalizão, o excessivo poder das corporações públicas, a dependência excessiva dos coronéis regionais e o excesso de poder do Ministério Público e do Judiciário.

Ciro Gomes é o grande beneficiário dessa guerra contra o “centrão”, devido ao comportamento anterior de enfrentamento do grupo. Tem o pulso, mas não tem cintura.

Cenário 2 – o último vagido da república Velha.

Nesse caso o pacto tentaria anular gradativamente a Lava Jato poupando as velhas lideranças. Certamente o Ministro Gilmar Mendes está trabalhando incansavelmente com o interino Michel Temer na busca dessa saída.

Apenas adiará para 2018 o acerto de contas com as urnas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

156 comentários

  1. E se houver uma aliança mais profunda?

    Janot não me convence, mesmo agora.

    Pra mim está fechado com setores do PSDB e/ou estrangeiros.

    Se é um ou otro, um por causa de outro, já não sei, mas vejo um Jose Serra agradecido pelas ações de Janot.

     

    Como bem elucidado em outros artigos nesse site, são grupos distintos de agendas distintas. Mas a origem central do golpe vem de longe, não é agora que o tão bem-sucedido roteiro tenha ficado sem rumo.

     

     

     

     

    • Eleição interessa a setores estrangeiros.

      Há claros sinais de que os setores estrangeiros estão na realidade apoiando a solução “novas eleições” e apostando na vitória eleitoral do programa-que-nunca-ganhou e assim garantindo legitimidade política para sua execução contra um legislativo enfraquecido e desmoralizado.

      Deve-se lembrar que The Economist pediu por renuncia, depois por novas eleições. NYT idem. FT e WSJ também tem ido nessa direção.  No âmbito nacional, a folha tem ido nessa direção também.  E alguns expoentes dessa chamada terceira via, que, não surpreendente, prega uma “Nova Política”. 

      E a idéia de um PMDB neo-liberal implantando uma ponte para o futuro parece eles tão irreal quanto os discursos do ministro Barbosa.  

      Barbosa dizia tudo que o mercado queria ouvir.  Mas o mercado não ouvia, porque simplesmente não acreditava que ele era um deles.

      O PMDB também não é um deles.  O projeto do centrão é apenas um – o meu primeiro, e que se dane os ajustes q o mercado pede.  Essa semana no congresso ja demonstrou isso cabalmente.  

      Essa “nova política” implica eliminar não apenas o PT, mas toda liderança cleptocrata-patrimonial da antiga república, para o surgimento dessa nova classe política.

      Vai além da privatização.  É criar uma garantia de que o que aconteceu no setor eletrico (imposição de novos termos de concessão) jamais acontecerá novamente.

      E para isso, não apenas o PT deve pagar, mas toda a classe política.

      Para os interesses estrageiros, essa é uma lição institucional.  

      Aí me perguntam, falta combinar com os russos – o povo.

      Por isso a outra peça que falta do xadrez é a eliminação da única candidatura atualmente capaz de talvez vencer esse projeto – Lula.

      A uma semana atrás se dizia que haviam duas operações prontas na PF.   Uma com alvo a cúpula do PMDB.

      Outra cujo apelido interno se chamava “Barba”.  Qual seria o alvo dessa?

       

        • Ela mesma: M A R I N A !
          Além

          Ela mesma: M A R I N A !

          Além de vender tudo, entregar a fazenda pro Itaú, PIB negativo pra ela nem é problema!

          Significa diminuição da pegada de carbono do Brasil (!)

          • Nossa Senhora !!!
            Que opção

            Nossa Senhora !!!

            Que opção !

            Será que nosso carma coletivo é assim tão pessado?

            Esse desfecho é, como dizem os nordestinos, “além de queda, coice”.

      • Sobre os interesses estrangeiros:

        O Golpe, os fundos de investimento e a falência do capitalismo    

         

         ROMULUS    QUA, 08/06/2016 – 06:34

        Por Romulus

        Comentei em post da segunda-feira o sonho erótico de Paulo Leme, do Goldman Sachs:

        A perspectiva de privatização selvagem de ativos nacionais subavaliados e de desnacionalização de setores estratégicos como a engenharia e o etanol brasileiros.

        No mesmo dia assisti a uma reportagem muito oportuna no Jounal de 20h da France 2. Ela trata da divulgação de um estudo, conduzido por pesquisadores da prestigiosa Science Po, que analisa a remuneração recorde paga aos administradores dos fundos de investimento de Wall Street.

        208 anos

        O estudo revela, por exemplo, que o CEO mais bem pago da França, o brasileiro Carlos Ghosn, CEO da Renault, teria de trabalhar 208 anos (!) para igualar o que ganha o administrador de fundos mais bem pago de Wall Street – 1.5 bilhão de euros em apenas um ano!

        Como observa o pesquisador sênior do estudo, essa distorção representa em certa medida a falência do capitalismo. Isso porque é o dinheiro “gerado” em cima do dinheiro, em operações de pura especulação que nada produzem.

        LEIA MAIS »

         

      • Sobre tudo ou nada de Janot:

        “Cadeia no PMDB”: Janot se assustou com os hunos    

         ROMULUS    QUA, 08/06/2016 – 06:34

        Por Romulus

        O timing da investida de Janot contra o PMDB causa estranheza. O PGR não espera sequer a conclusão da votação do golpe no Senado para sacar suas armas de destruição em massa: pedir a prisão preventiva do Presidente do Senado – em pleno exercício e sem flagrante (!), do ex-Presidente da República e do líder do governo no Senado nas três últimas administrações (FHC, Lula e Dilma), também em exercício do mandato.

        Notemos, contudo, que PGR/MPF não deixam de investir concomitantemente contra Dilma, pois veem que ela vem crescendo na comparação com o golpe. Indicativos do duplo ataque? O vazamento da suposta delação de Marcelo Odebrecht envolvendo Dilma pessoalmente, o ridículo do cabeleireiro de Pasadena, etc.

        Ou seja, claramente a PGR não quer nem Temer nem Dilma e tenta inviabilizar a ambos. E para já!

        Por quê?

        Minha hipótese é que isso se deve à marcha dos bárbaros nesse menos de um mês (!) de golpe. Ações como a intervenção pesada e o desmonte até em instituições unânimes, como Conferencia Nacional de Educação, IPEA, CGU, EBC, etc., não deixaram dúvidas. Os procuradores já viram que não há – e não haverá – limite para os golpistas.

        Para eles não há impedimento constitucional, legal, moral e – sobretudo – institucional.

        LEIA MAIS »

    • Vejo o Joanet como Aliado
      Vejo o Joanet como Aliado TOTAL dos estrangeiros mais específico o Império Anglo Zionist…(Não é à toa que ele o PGR foi diversas vezes ao USA “trocar” informações sobre a Lava jato… Por isso acredito que O Caos TOTAL que irá imperar com a vontade do Joanet e favorecerá integralmente os interesses do Império…
      No cenário 2 vejo um embate mais complicado, pois no cenário 1 o Império iria predominar, mas o STF seria um aliado também…
      No cenário 2 já complica pois um “Acordão” só é possível com a Palavra final da Dilma e como as próprias gravações do machado mostraram “ELES” não aceitaríam em hipótese alguma negociar com Dilma, ou seja já aí existe um impasse que a meu ver é intransponível…outra coisa é que devemos somar o “Trato” que com certeza existe entre o DoS Departament of State USA e a Elite das forças armadas brasileiras…com certeza existe um plano de “emergência” que conta com uma intervenção militar que será apoiada pelo DoS …
      Outra coisa que vejo é que talvez tenha saído de controle a conspiração… E tudo isso já esteja refletindo as brigas das elites e INSTITUIÇÕES querendo ver quem ficará no comando primário do País…

        • Questão complicada essa da

          Questão complicada essa da conspiração sionista. Quem acredita nela por alguma razão não sabe se ela de fato existe. Mas, quem a rebate de pronto parece tb não saber se não existe. Para desinformados como eu fica difícil uma conclusão, embora pense que isso não tenha a  ver com anti semitismo,  com rejeição aos judeus, certo?

  2. Nassif, acredito que o seu

    Nassif, acredito que o seu cenário 1 seja o mais plausível, graças à infinita mediocridade da equipe do michel ‘treme’ (nunca imaginei que um sujeito nessa posição seria medíocre assim!!). O povo está cansando dessa história toda e a idéia de antecipar eleições tem grandes chances de ‘pegar’ junto à opinião pública nesse momento. Não adianta falarem que antecipar eleições seria golpe contra Dilma (votei nela), mas o sistema político brasileiro implodiu mesmo, a dita governabilidade deixou de existir. Além de antecipar eleições, a tão esperada reforma política tem que colar na ‘opinião pública’, do jeito que está não dá mais, está custando muito caro para nós. E logo após a reforma política, colocar nas ruas a tão esperada ‘reforma do judiciário’ porque também não dá mais o que vemos por aí. E quanto a globo, bem, é o tumor que precisamos extirpar do Brasil, para ontem!!!

  3. .

    Não sou estrategista para adentrar a fundo no tal “jogo político” brasileiro o qual não se sabe, verdadeiramente, quem manipula as peças desse xadrez, porém, diante do que aflora do interior de nossas instiutuições, nosso país torna-se totalmente desacreditado perante a comunidade internacional.

    (O poder absoluto do nosso país está sendo vendido em prol de “alguns trocados” que garantem a vida dos descendentes dos golpistas).

     

    • Penso ser o caos, o

      Penso ser o caos, o descrédito do país parte de plano do estrategista-mor externo, nunca mencionado em análises (receio do estigma: “adepto de teorias conspiratórias”). Observe-se que a bagunça interna pode ser ampla e irrestrita,  mas os negócios de interesse (ou como foi dito lá no Norte pelo tal Rapoza, o “negócio do século”) prosseguem com celeridade e sem transtornos, enquanto os agentes internos se engalfinham e o país vira motivo de chacota internacional, “recebendo” até medalha de ouro em corrupção,  uma absurda “premiação”, estupidamente festejada por aqui como se verdade fosse, como se fossemos a ovelha negra da comunidade internacional, também corrompida e criminosa até a medula. 

  4. Evidente que os pedidos de
    Evidente que os pedidos de prisão múltiplos do Janot são embasados por provas solidas. Mesmo com base solida a resistência dentro do stf será forte. Se pedisse a prisao baseado no conteúdo das gravações apenas o PGR quebraria a cara com toda certeza.

  5. estão implodindo a imagem do Brasil…

     e considerando o cuidado que a “empresa” contratada teve antes, durante e depois do golpe, sou levado a concluir que ninguém implode nada com tudo dentro estando dentro

    mas não sou contra

    quando se pega apenas um e descobre-se que até mesmo seus compromissos políticos normais ou de praxe são desonrosos, merecem

    não se iludam com espionagem em todos, bastou em apenas um que, por coincidência(?), está sendo protegido

    chegaram no nível mais baixo da política, até mesmo perante aos mais baixos conspiradores

     

  6. A vida inteira

    A gente passa a vida inteira sonhando com que uma bomba caia no Congresso e leve aquela cambada de lá que quando isso acontece a gente sente até medo. Já pararam para pensar que talvez Deus tenha ouvido nossas preces?

    Eu estava bem desconfiado de toda essa manobra de impeachment, que ela levaria PMDB e PSDB para o poder, nos desgraçando de vez. Agora já me surge uma pontinha de esperança de que algo de bom pode brotar daí, nem que seja uma limpeza nas velhas rapozas carcomidas que até então garantiam a perpetuacão do esquema.

     

    Não sei não, estou começando a ter esperança de que todo esse limão derramado aí pode resultar numa boa limonada.

  7. Mas a prisão do Delcidio foi

    Mas a prisão do Delcidio foi blefe, ele disse que ia falar com ministros do STF na gravação, com a faca no pescoço os ministros autorizaram a prisão e o Senado deu para tras. Parece ser mais uma manobra do Janot contando votos para dar certo o golpe do impeachment. Mas difícil saber como o Senado vai se comportar.

  8. O tal do povo

    Não acredita em mais nada.

    esses caras (políticos) não pousaram na terra ainda …nao frequentam os botecos da periferia das grandes metrópoles onde todos falam o que pensa sem cerimônias entre umas biritas é um churrasquinho  

    lá, nenhum político vale mais que um monte de merda. 

    Nao sei se isso é bom ou ruim …

    posso estar enganando mas, nas próximas eleições, acho que  teremos o maior índice de votos nulos como nunca se viu neste país.

    é minha pesquisa data falha pessoal. 

    E não faltará quem pregue o voto nulo com boas ou más intenções.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    • Prezado Gerson
      Bom dia 
      Voto

      Prezado Gerson

      Bom dia 

      Voto nulo ou branco  NÃO !!!

      Se não concorda com o processo eleitoral, não se deve comparecer.

      Me abstenho desde a primeira eleição do Lula.

      Abração.

  9. Na minha visão a saída seria

    Na minha visão a saída seria sim, o senado voltar atrás e devolver a Dilma o que é por direito, pois não poderia ser afastada dessa forma, se tem que haver um pacto, que ela faça. Mas seria uma atitude sensata e aos olhos do mundo significaria que retomamos o equilibrio político. Além do mais ela não merece defesa? Nem se defender ela term direito, depois de tudo que fizeram? O mundo está perplexo com a forma como foi feito o golpe, termina o mandato e em 2018 as eleições normalmente, Por que eleições diretas significaria o que? que não tivemos capacidade de fazermos uma avaliação e seguir o rumo certo, seria uma covardia com a nossa presidenta e ficariamos como se fosse uma fuga, correndo para não enfrentarmos o que tem de ser. A forma mais fácil para não enfrentarmos o problema.

  10. Com a mão Global

    A verdade é dura, escancaradamente a Globo-marinhos é a verdadeira cara da ditadura, o resto é figuração e xadrez no blog do Nassif.

    Que eleição geral, pacto, reforma política, do judiciário, que nada, chega de perder tempo e jogar o voto fora… vamos às ruas para poder eleger o Presidente da globo, que é o que interessa de fato, mesmo sem direito, pois a programação da globo-marinhos estende-se do Cosme Velho a Praça dos Três poderes.  

  11. Os ventos do Norte

    Sempre muitos detalhes e artimanhas a considerar. O que vai prevalecer é a vontade do Império, e para isso conta com o império midiático interno, a Globo.

  12. Aí está a prova da inépcia do judiciário…

    (…)

    “Esse fim está diretamente ligado à extraordinária mediocridade da nova equipe de governo, um grupo metido até o pescoço em operações suspeitas,….”

    (…)

     

    Em nenhum dos casos, dessa mediocridade metida até o pescoço em “operações suspeitas”, as causas mais ou menos sabidas das suspeições ocorre há menos de dez anos e muitas estão materializadas em denúncias e investigações nunca julgadas, como é o caso emblemático do GANGSTER Eduardo Cunha que figura em, nada menos que, 22 processos que se arrastam no judiciário desde os anos 90. Se fossem devidamente tratados os processos o país não seria esse paraiso terrestre para quadrilhas de toda a sorte.

     

    Aí está a prova da inépcia, ou opção preferencial pela criminalidade, do judiciário brasileiro.

     

    http://jornalggn.com.br/blog/as-acoes-que-correm-contra-eduardo-cunha

     

     

  13. “único meio de impedir a
    “único meio de impedir a prepotência desses coronéis provincianos aspirando o status de ditador.”
    O problema é que o stf, o mpu, a pf e a imprensa estão qualhados desses coronéis também. Acontece que não dá para dominar a cena mantendo gente tão desqualificada para manter uma aparência de “normalidade ” democrática. Se não houvesse sido tão escandaloso o início da dominação -com a transcendental assembléia de bandidos, cercada por instituições que não conseguiram se diferenciar dessa assembléia, lançaram o Brasil no descrédito absoluto-, tudo hoje estaria valendo até mesmo as desastradas ações do governo. O domínio da fazenda é o coração do golpe, o resto seria apenas o pitoresco de um país imaturo, de um povo que não sabe votar etc.
    As eleições diretas só servirão como tentativa de, mantendo o controle da ecomomia nas mãos “dos bons”, limpar a cara do golpe.

  14. Se isso tudo fosse real, as

    Se isso tudo fosse real, as raposas velhas da política já teriam se articulado contra Janot.

    Alguém imagina um Sarney parado recebendo golpes do adversário sem reagir?

    Isso é coisa do PT.

    Alguém imagina que se Sarney, Renan, Aécio quisessem, não colocariam sua tropa para buscar um errinho, alguma coisa que pudesse macular a imagem de Janot para desacreditá-lo perante a opinião pública? Um super salário por exemplo? Com certeza os vencimentos do Janot devem bater na casa dos R$100.000,00 se não for mais. Bastaria uma divulgação desse tipo nos facebooks da vida para se questionar a credibilidade do Procurador. Basta ver os “60,000 reais” de “comida” que a Dilma gastou no palácio por mês…

    Isso pe apenas a cortina de fumaça, o álibi necessário para prender o Lula perto da decisão final do impeachment.

    Alguém acha mesmo que Gilmar Mendes  aceitou dessa vez dar continuidade ao processo contra Aécio por que vai condená-lo? Ou porque pegou muito mal entre os coxinhas mandar parar as investigações 24hs depois de recebê-la.

    A ilusão de combate a corrupção deve ser mantida.

    Já está sendo chamadas manifestações dia 31/07 nas redes sociais. Daqui até lá vão acontecer “vazamentos” e “delações” em peso contra o PT, Lula e Dilma.

    Aí os dois serão presos, Temer fica até 2018. e quem se eleger fica com a terra arrasada que será o Brasil daqui pra frente.

     

  15. Não vejo possibilidade de
    Não vejo possibilidade de pactos:

    1- não há líderes

    2 – não há pontos comuns entre as propostas do neoliberalismo e o neodesenvolvimentismo

    3 – guerras fratricidas até dentro dos próprios partidos, a exemplo do ocorreu na escolha do candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo

    4 – disparidade de classes gerando antagonismos intransponíveis

    5 – fraqueza ética e moral de todas as instituições

    6 – a fragmentação líquida de Bauman que impede aglutinação

    7 – o imediatismo do pós modernismo como fator bloqueador de planejamentos

    8 – o individualismo exacerbado que provoca divisões intransponíveis inclusive dentro de microrganismos

    9 – ódio implantado entre os diversos setores

    10- a necessidade de sangue em sociedades vampirizadas e policialescas

    11- elementos chaves dentro das intituições como Serra, Aécio, Temer, Cunha, Janot, Gilmar Mendes, Merval, Ali Kamel que impossibilitam qualquer pacto

    12 – mídia formadora de opinião como Estadão, Veja e Globo que impedem tudo que possa ser democrático, pacificador e aglutinador desde a formação de líderes, passando pela independência das instituições até a liberdade sabia de intenções de pactos.

  16. Não dá para ficar discutindo

    Não dá para ficar discutindo pacto,novas eleições ou coisa que o valha sem que coloquemos,em primeiro lugar,a sociedade como fiadora e particípe deste processo.

    Sempre lembro aqui que todos os governantes,quer seja do executivo ou legislativo,são eleitos diretamente pelo voto livre e democrático,excetuado,logocamente,os togados de capa preta e alguns de camisa também preta.

    Assim,qualquer proposta que não altere profundamente a cultura popular,que demonstre claramente o poder do voto,que obrigue os eleitos a cumprirem o programa partidário e,sobretudo,a plataforma eleitoral,estará fadado ao fracasso e com novas crises,excetuadas,como sempre,fatores de liderança popular,como opresidente Lula.

    Também,o atual momento demonstra claramente a necessidade de um controle social sobre a mídia golpista e sobre o judiciário, de forma que democracia não seja uma palavra solta na boca de poucos.

  17. O meu medo é que esse

    O meu medo é que esse destroçamento desse sistema político – já totalmente esgarçado – gere uma terra arrasada em que aquele que sobreviver se mostre a pior opção, como aconteceu com a Itália com o Silvio Berlusconi [ uma mistura de temer, silvio santos, roberto marinho e que tais ]. Não me sai da cabeça a pesquisa que a Piaui mostra que 20 por cento de gente com dinheiro apoia Bolsonaro. É melhor eu ir me mudar pra fronteira do Uruguai pra fugir rapidinho se esse animal for eleito .

  18. “A prova seria a marca d’água

    “A prova seria a marca d’água do Supremo na cópia enviada para os jornais. Ora, se pegar qualquer documento do Supremo, ele é entregue com a marca d’água do Supremo. O episódio provocou mágoas em Teori.”

    Muito boa sua explanação, Nassif.

    Queria acrescentar que: marca d’água pode ser copiada e transferida para um software editor de textos e aí acrescenta-se o que quiser por cima. Ou seja, não é prova de coisa alguma.

    • O fato é o seguinte

      Se alguém tivesse interesse em saber quem vazou – até pra se inocentar – teriam invetigado a fundo.

      Não investigam porque todos vazam, quando lhes convém. Moro, Janot, Gilmar, PF, todo mundo vaza quando quer determinado efeito. Por isso não investigam, é o pacto dos vazadores pra manter tudo como está.

      • Dilma, durante todo seu

        Dilma, durante todo seu Governo nunca investigou nenhum vazamento, nunca se levantou contra isso.

        Sequer quando vazaram conversas ilegais, dela com Lula, Total absurdo.

        Só por esse fato ela já não merecia voltar. Ali, ela mostrou que não tem honra que o cargo exige. Se Temer é pior é outra coisa, mas ela também é péssima.

         

  19. Antecipação de eleições? (sempre por trás!)

    Dissecando o xadrez do Nassif:

    Os fatos: Numa situação como esta, somado ao tempo que Teori (…”últimos dias consultando os seus pares”) já tem aplicado à avaliação desse pedido, mostram que não se trata de apenas um blefe, mas que há cartas na manga.

    Mediocridade: A mediocridade da equipe de governo do Temer, começando por ele próprio, é gritante e não se sustenta nem para concluir este ano de 2016. Eu acho que cai antes das olimpíadas.

    Classe Política: Nos pedidos do Janot estão os políticos que atravessaram a espinha dorsal da classe política brasileira, nestes últimos 30 anos. Tucanos e Petistas transitaram alternando a cadeira presidencial, mas ainda dentro desta espinha dorsal, na qual agiram e aperfeiçoaram. Romper com esse grupo significaria a real renovação da política.

    Cenários? Volta-se neste post a pedir a antecipação de eleições, ou seja, legitimando o golpe contra Dilma. Nassif, ao colocar ao Ciro Gomes, ainda aposta em lideranças avulsas na forma de messias e não de movimento político de base.

    Eu acho que Dilma deve voltar e recuperar o seu mandato até 2018, para acabar de vez com estas aventuras de impeachment a toda hora, apenas para começar. Depois, fazer um governo de emergência e coalizão com forças progressistas focado principalmente na Redução do desemprego e numa reforma política radical e abrangente.

    • Nâo.
      Nem ele nem Ciro tem

      Nâo.

      Nem ele nem Ciro tem qualquer chance.

      A meu ver o candidato que desponta seria Marina, pela facilidade com que irão dominá-la.

      E com Serra e Alckmim correndo por fora. São esses 3 em disputa. Falta ainda entrar o candidato dos concurseiros, tipo um Janot, um Moro, um JB, sei lá….

       

  20. Resta saber se ainda

    Resta saber se ainda existirão eleições em 2018.

    Daqui a pouco a turba que tomou o poder de assalto instaura um parlamentarismo à brasileira e pronto: resolvido o “problema” acarretado pelo fato de o povo votar.

  21. Fim do sistema político brasileiro.

    O cavaleiro do apocalipse foi moro. O ato final foi instalar no governo uma quadrilha de reconhecimento mundial. O maestro foi janot. A inapetência do stf em disciplinar.desmandos jurídicos por 2 anos também mostra a fragilidade da instituição. De resto nossa economia travo. Nossas maiores empresas de construção estão desmontadas. Será que Teori concerta este quadro ?

  22. “Partamos do pressuposto,

    “Partamos do pressuposto, portanto, que Janot tem muito mais cartas na manga do que os grampos divulgados”:

    Partamos disso entao:  como Moro, Janot nunca revelaria o que esta protegendo -e Moro nao eh nem dissimulado a respeito de sua protecao aa rede golpe.

    Se eu tiver que advinhar, quem esta atraz desses pedidos de prisao eh a rede golpe.

  23. Está me causando estranheza a

    Está me causando estranheza a falta de revide do meio político contra o Judiciário. Tentando entender a mente desse povo, será que ainda não caiu a ficha que, nada tendo mais a perder (só falta a liberdade, POR ENQUANTO), a melhor estratégia é o contra-ataque, desestimulando o “inimigo” em seguir a cruzada? Material não falta, pois é evidente que os coroneis políticos conhecem fatos do judiciário e ministério público capazes de provocar grande estrago.    Seria um cenário ideal para o país, ainda que por vias transversas, os poderes da república, todos, sendo passado a limpo.

    • A Questão…

      A questão é saber quem vai publicar?

      A grosso da mídia está com o golpe e, enquanto a ditadura judicial atingir os inimigos, ela apoiará estas instituições e seus atos arbitrários.

      Para a mídia alternativa, o exemplo está dado com o Jornal Gazeta do Povo do Paraná, que publicou reportagens sobre o salário dos magistrados (dados disponíveis em sites de transparência) e estão respondendo a dezenas de ações, em difentes regiões do Estado. O exemplo foi dado e veio de cima. Portanto, rasgada a Constituição, vale o que vai pela cabeça da “otoridade”….

  24. Tudo acordado, mas insustentável…

    Nassif!

    Desse seu último post se depreende uma situação sombria e irrespirável que, obviamente acordada nos golpes baixos por seus autores, mostra-se contudo insustentável pela pressão crescente que vai produzindo até explodir/implodir

  25. Não é só o sistema político

    Não é só o sistema político que está podre, em minha visão, judiciário, MPs, PF e mídia devem passar por uma grande fachina.

    É obcena as regalias do poder judiciário e dos Mps no Brasil com 2 férias de 30 dias por ano (sem similar no mundo civilizado), salário que ultrapassa em muito o teto (que nunca foi respeitado), penduricalhos em forma de auxílios e abonos.

    A mídia também deve ser esquadrinhada, não é tolerável em pleno século XXI que meia dúzia de famílias exerça o poder muito superior ao próprio parlamento na política e na economia. 

    Não heverá sistema político estável se não for regulado o poder como um todo, o Brasil é um país autofágico cujas forças tem prazer em derrubar os adversários e levar junto toda a nação.

  26. Pergunta que não quer calar: 

    Pergunta que não quer calar:  existentes indícios fortíssimos, quase certos, de vazamento ilegal de informações pelo PGR , que estão esperando para provocarem seu afastamento e responsabilização criminal?  Esqueceram a teoria do domínio do fato?   O PGR goza de imunidade criminal?

  27. Vou repetir meu comentário de

    Vou repetir meu comentário de ontem.

    O País, só volta a normalidade economica e social com um executivo forte, seja qual for ele.

    E executivo forte significa maioria tranquila no congresso, e Poder sobre MPF  e PF, destituição do PGR, além do judiciário e globo baixarem a bola.

    Sem isso o País vai ficar patinando indefinidamente, não vamos crescer, vão aumentar as tensões sociais, as desigualdades e o País vai se esfacelando cada vez mais. Talvez viremos algo próximo de um Haiti.

    Como iremos conseguir esse executivo forte é que é a incógnita.

    Temer poderia tentar um movimento com o Senado para quebrar a PGR e ter essa supremacia. Mas parece que ele não tem força para isso.

    Sendo assim, restam a alternativa da ditadura, que só viria com o excessivo agravamento dessa crise.

    Ou de novas eleições, sejam este ano ou em 2018.

    Porém, novas eleições com as atuais regras de nada adiantará. Seria preciso mudança de regras, provavelmente com o voto vinculado, quem votar no executivo vota também no legislativo correspondente para garantir maioria ao Presidente eleito.

    É a saída que vejo.

    E não se enganem pessoal, nenhuma delas passa por Dilma.

    E Lula só teria chance de disputar novamente com o enquadramento da LJ, caso contrário ele é o próximo alvo.

  28. Considerando que as prisões ocorram

    Considerando que as prisões ocorram será um exemplo do Brasil ao mundo do que se é combater a corrupção, assim como a itália fez

    Mesmo que os Exmos. Srs. não sejam presos suas imagens, interna e externamente falando, assim como a do Temer, estão comprometidas, só restariam os votos para eles dos zumbis que assitem a rede Globo

    Janot no percurso de enquadrar o PT deu de encontro com a máfia brasiliana que manda no país há décadas, e deu no que deu, será a grande oportunidade de mudança, se grande parte da população apoiar todas as incursões da lava-jato, o que tem feito até agora

    O que me preocupa é o Congresso Nacional, essa lavanderia pública de dinheiro sujo, já desacatou os ministros do STF antes, quando não propôs o impeachmente do temer junto com o da Dilma, protela a saída e a cassação do Cunha da cãmara e o Renan tá aí até agora lindo, leve, solto e Presidente do Senado

    E o Temer pode decretar estado de sítio com o apoio desses marginais e fechar o STF…

    Esse abutres da pátria…

    Mas, se passarem as prisões será um exemplo aos juízes e promotores estaduais pra atuarem em seus Estados também, nas próximas incursões da lava-jato nos Estados e municípios da federação por conta da lista da Odebrecht

    Mas em se tratando do Brasil, só acredito vendo…

  29. Janot inicia uma guerra nuclear . Quer perder morre.

    Fazendo uma analogia um tanto quanto eloquente, acredito que Janot iniciou uma guerra onde não existe mais a probabilidade de um recuo ou de pactos. E o resultado pode ser catastrófico.

    O resultado final será terra arrasada para quem perder. O raciocínio a ser empregado é simples.
    Sem sabermos o que ele realmente possui em mãos, não dá para ter certeza do que vai acontecer , mas uma certeza fica. Fica evidente que a magnetude das bombas implantadas são altamente danosas ao ambiente, onde o detentor do detalonador é o STF, na figura de Teori.

    Se ele detonar, amparado por seus pares, a classe política entrará em um cenário de horror e salve-se quem puder. A tendência é que as resistências sejam pulverizadas em um congresso vazio e sem comando pois nada indica quem exista alguém apto a chamar a responsabilidade ou mesmo que tivesse, reuna condições para tal. Terra arrasada mesmo. Estarão todos em seus covis, aguardando o que vai acontecer, e tentando sobreviver.

    A PGR + mídia seriam neste momento o primeiro poder da república.

     

    Se Teori não autorizar , o provável cenário se inverte. Nas guerras , as nações se unem contra o inimigo comum, aí não tenho dúvidas que os políticos se unirão e aos poucos, iniciarão uma guerra químiza contra a PGR através de leis, conspirações e tudo mais que tiver disponível em seu arcenal. Não existirá recuo, nem tréguas e nem bom senso.

     

    A Aposta de Janot foi alta

  30. Janot inicia uma guerra nuclear . Quer perder morre.

    Fazendo uma analogia um tanto quanto eloquente, acredito que Janot iniciou uma guerra onde não existe mais a probabilidade de um recuo ou de pactos. E o resultado pode ser catastrófico.

    O resultado final será terra arrasada para quem perder. O raciocínio a ser empregado é simples.
    Sem sabermos o que ele realmente possui em mãos, não dá para ter certeza do que vai acontecer , mas uma certeza fica. Fica evidente que a magnetude das bombas implantadas são altamente danosas ao ambiente, onde o detentor do detalonador é o STF, na figura de Teori.

    Se ele detonar, amparado por seus pares, a classe política entrará em um cenário de horror e salve-se quem puder. A tendência é que as resistências sejam pulverizadas em um congresso vazio e sem comando pois nada indica quem exista alguém apto a chamar a responsabilidade ou mesmo que tivesse, reuna condições para tal. Terra arrasada mesmo. Estarão todos em seus covis, aguardando o que vai acontecer, e tentando sobreviver.

    A PGR + mídia seriam neste momento o primeiro poder da república.

     

    Se Teori não autorizar , o provável cenário se inverte. Nas guerras , as nações se unem contra o inimigo comum, aí não tenho dúvidas que os políticos se unirão e aos poucos, iniciarão uma guerra químiza contra a PGR através de leis, conspirações e tudo mais que tiver disponível em seu arcenal. Não existirá recuo, nem tréguas e nem bom senso.

     

    A Aposta de Janot foi alta

    • Terra arrasada.

      Terra arrasada interessa a alguém?

      Lembro que mesmo antes de terminar a guerra, muitos já começam a disputar os despojos…..

      Os interessados foram somente espectadores, sujaram as mãos ou manipularam prepostos?

      Na Geopolítica, quem teria interesse no Brasil atual, como terra arrasada?

      Os Bolivarianos?

  31. A nossa crise política é

    A nossa crise política é grande e alimentada por uma mídia golpista, incluindo aí a globo. Está sendo muito bom esses protestos contra aquela que ainda detem a hegemonia da comunicação, mas que vai cair em breve. A lava jato não pode ficar tendo como comandante o Moro e seus procuradores, pois, diante de tantos vazamentos seletivos e do circo da intimação coercitiva do Lula e da nota lida pelo ministro Celso Melo, sem sentido, pois tratava-se apenas de um desabafo de um ex-presidente. Não falou em público e todo mundo tem o direito de desabafá. A liberação dos áudios feita pelo Moro teve apoio de outras pessoas, e foi algo de alguém que agiu com raiva sabendo que estava fazendo a coisa errada. A globo como sempre teve acesso em primeiro lugar e o carnaval foi armado. Por isso tudo sabemos que a globo faz um grande mal ao Brasil. É ministro temendo por pressão, é ministro e juiz se deixando levar pela vaidade de ser notícia na globo. Gilmar Mendes, nem se fala, esse é totalmente parcial. O Janot ultimamente tem desejado muito a desejar com seus pareceres. O Temer que não é governo e sim um golpista apoiado pela grande mídia e por pessoas da índole do Eduardo Cunha.

    Temos bons políticos como Fernando Haddad, o senador Requião, o Ciro Gomes e também o ex-presidente Lula. Como o governador Brizola disse se a globo for a favor seja contra. Logo, a globo não gosta do Lula e nem da Dilma, portanto devemos gostar do Lula e da Dilma.

    O Brasil tem jeito, mas antes precisamos derrubar o golpe, restaurar a democracia mesmo contra a vontade da globo, de parte do judiciário, do congresso e da elite conservadora.

    Não podemos aceitar esse excesso de poder praticado por parte de juízes e procuradores, tudo em excesso e que não aceita críticas faz mal…

  32. Não consigo entender a

    Não consigo entender a postura de Ciro Gomes (que só  ganharia com o apoio do Lula). Não perde oportunidade de falar mal do Lula (ate´aí tudo bem) e nunca, nunca fala como deveria do Aecio Neves que além de campeão da corrupçao tem sido o grande culpado pela situação económica pela que o Brasil passa. Nunca diz nada do silêncio da Globo respeito a todas as falcatruas deste playboy que a história reconehcerá como uma das figuras mais abjectas e asquerosas da politica nacional. Em consequencia, por agora e considerando-me progressista, não votaria no Ciro.

  33. Não consigo entender a

    Não consigo entender a postura de Ciro Gomes (que só  ganharia com o apoio do Lula). Não perde oportunidade de falar mal do Lula (ate´aí tudo bem) e nunca, nunca fala como deveria do Aecio Neves que além de campeão da corrupçao tem sido o grande culpado pela situação económica pela que o Brasil passa. Nunca diz nada do silêncio da Globo respeito a todas as falcatruas deste playboy que a história reconehcerá como uma das figuras mais abjectas e asquerosas da politica nacional. Em consequencia, por agora e considerando-me progressista, não votaria no Ciro.

    • Ocator

      Eu concordo com vc que o Ciro não está usando uma boa tática, ao falar mal do Lula. Dessa forma, ele pode perder o cavalo incilhado, como diria o Brizola. Ele tem tudo para conquistar o voto dos nordestinos e mineiros, acredito tb dos nortistas. Mas ele não se toca que  Lula é adorado por lá. A Belomonte já está funcionando e logo, logo, espero, a água vai chegar ao nordeste, por obra de quem? Ou ele muda de tática, ou o Alckmin ganha fácil, pois está mais do que protegido por todos e acredito até pelo USA.

  34. golpistas são contra eleições

    Nassif,

                      concordo apenas com parte de sua anáise. Não acredito que os golpistas se contentarão em destruir o Brasil e sair de fininho, se perderem as eleições em 2018. Por isto, se eles continuarem no poder, pelo que fazem, serão ainda mais impopulares e não teremos eleições. 

                        Também penso que a maioria do judiciário e do Ministério Público está com o golpe. Por isto, só acredito em eleições em 2018 se Dilma reassumir, se o Senado barrar o golpe. Mas está difícil e a foto deprimente de Romário negociando seu voto em troca de Furnas, dá uma ideia do que se passa lá.

  35. Caro Nassif
    O dito vazamento

    Caro Nassif

    O dito vazamento seletivo da prisão desses canalhas, feito por um outro canalh, no caso, Janot, que saiu agredido por um canalha não dissimulado, Gilmar, é tudo fumaça para prenderem o Lula e darem o golpe final na Dilma.

    Moro está no meio dessa gandaia toda.

    O golpe se completa com a prisão do Lula, eles acham que acaba tudo por ai, os movimentos sociais responderão, e as FFAA entram com tudo, cai a Dilma, e Temer acha que governará em paz.

    Saudações

  36. O primeiro a sofrer as garras

    O primeiro a sofrer as garras e os dentes dos diabos poderosos foi o coitado do garçom. Se duvidar, as alegações feitas por ele ser petista de carteirinha, tenham sido apenas meias-verdades. Quem sabe Temer também não é racista? Pra quem é misógino, ser racista é apenas um detalhe.

    Sob qualquer chance de novas eleições, há outra chance grande: a de encarcerarem Lula antes.

    Quanto a Ciro, eu, que vinha mantendo a ideia de votar nele, fiquei decepcionada com a entrevista concedida a Mariana Godói. Ele deixou muito a desejar, não se referindo aos tucanos diretamente, e voltando a insinuar que Lula é ladrão, por ilações. Sobre Dilma, morde e assopra. Por fim, continua fazendo o jogo de um candidato, mesmo dizendo que não tem certeza, que ainda vai estudar, etc. 

  37. Os mais otimistas relutam em

    Os mais otimistas relutam em aceitar, mas o único caminho para melar o golpe é eleições para presidente já em outubro.

    Claro que eu adoraria ver Dilma voltar e colocar aquele seu espírito de administradora com pulso firme pra funcionar e começar a colocar a casa em ordem…

    Mas isso não vai acontecer!!

    É preciso cair na real!

    Mesmo que ela supere a batalha do impeachment, a guerra está declarada! É mídia, Judiciário e a maioria do Legislativo empenhados em não permitir que Dilma governe!

    O que será do Brasil até 2018? E ainda é possível os golpistas ganharem em 2018! Claro, eles teriam a máquina pública nas mãos durante dois anos.

    Já, se as eleições ocorressem agora em outubro, dificilmente um golpista ganharia.

    E, as esquerdas têm bons nomes para tentar barrar essa pilhagem que estão por fazer nos direitos trabalhistas e sociais da população mais vulnerável.

  38. Minha INTUIÇÃO me diz q tudo
    Minha INTUIÇÃO me diz q tudo isso tem a ver com aquela reunião entre Gilmar
    e Temer(só aposta)pq vejam q TEMER SEMPRE É POUPADO!
    O Judiciário está forte no momento e com oportunidade única de fazer uma
    faxina, pena q não é geral(poupam tucanos)
    OBS:Nassif o nome de Romero Jucá está trocado por Roberto nas primeiras frases
    do seu artigo

  39. 70 milhões é pouco?

    Se tiver provas, tinha que prender hoje…

    Não há lei ou tempo de vida pública que garanta o direito de roubar!

    Conheço o Sarney desde a ditadura, ele era da arena, o partido dos generais… 

    Se tiver que ficar preso EM CASA com tornozeleira, está bom!

    Fim da politica?

    Que nada…

    São MILHARES DE VEREADORES, DEPUTADOS ESTADUAIS…

    Grande maioria – não são bons, mas tem uma parcela com grande valor, melhores do que os que estão ai…

    Vão cair apenas os CACIQUES!

    Será uma RENOVAÇÃO FORÇADA, MAS APENAS RENOVAÇÃO!

    Todos eles foram contra a REFORMA POLITICA QUE A DILMA QUERIA EM 2013!

    Se tivesse tido a reforma politica, certamente estaríamos MAIS SEGUROS!

    Falta uma REFORMA POLITICA ANTES QUE O NOVO CICLO INICIE!

    Vai acabar a roubalheira?

    Não vai…

    Mas pelo menos nas esferas FEDERAIS a coisa vai ficar mais séria…

    Ai teremos que ter Lava-jatos para estados e municípios!

  40. A linha profética prescritora

    A linha profética prescritora de mudanças radicais não é boa. 

    É um pouco prepotente, na verdade.

    Há milhões de cálculos e até é possível ter alguma noção do contexto, mas daí a afirmações categóricas…

    .

    “Dependendo do destino do Lula haverá renovação completa na polítca”

    E, com todo respeito, a questão não é só a ousadia de afirmar em meio ao caos.

    Mas de ignorar o jogo social.

    Há rígidos condicionantes impostos por estrutura e instituições.

    Uma condução naturalizada – cultural – do modo de se fazer as coisas.

    O bastão do poder pode e continuará sendo – simplesmente – transferido para outros tão ineptos e deficientes quanto os atuais.

    Vimos tal acontecer no curso de nossa história – e de vários outros – inúmeras vezes.

    Espie a Primavera Árabe, por exemplo.

    .

    O conjunto de regras eleitorais e de representação continuam as mesmas.

    O amplo domínio e privilégio de restrito número de famílias sobre nós do sistema, igualmente o mesmo.

    Passados muitos anos de turbulência nem sequer demos fim à asquerosa presença de suplentes, homens sem votos.

    .

    O que TALVEZ mude um pouco o ritmo do sistema é – a partir destas eleições – o financiamento público de campanhas.

     

    • Ficam nessa estória de novas

      Ficam nessa estória de novas eleições este ano, mas isso não é viável, ainda mais com GM barrando tudo no TSE, além de Temer ser contra.

      As opções então até 2018 sobram, o fim da lava jato e do PGR com controle do executivo ou terra arrasada e eleições de um outsider tipo Marina ou alguem do judiciário em 2018, com apoio da globo, da banca, e dos eua.

  41. Só quero ressaltar o seguinte

    Essa estória de que a Dilma tem que concordar com novas eleições pra poder voltar é o cúmulo da sacanagem. PSDB/PMDB/Judiciário/Janot produziram esse golpe, pariram a instabilidade, e a Dilma é que tem que se sacrificar pra limpar a a merda que eles fizeram? Quem pariu o golpe que se vire com ele!

    • Alan, esse é um dado da

      Alan, esse é um dado da realidade e não do que gostaríamos que fosse.

      A meu ver, Dilma é carta fora do baralho por um motivo muito simples: quem deu guarida a esta estrutura – LJ e PGR – que está desestabilizando o Pais há mais de dois anos foi ela.

      Políticos não são burros. Ela deu guarida a estrutura que está acabando com o sistema político, jamais vão reconduzí-la ao cargo. A não ser que acham algo muito, mas muito cabeludo mesmo contra Temer, algo como estupro ou enriquecimento ilícito muito explícito, pior que o de Cunha. Sem isso ela não volta e não volta nunca mais. É carta fora do baralho total.

      O Nassif, define essa alternativa pois é a que sobre.

      Com Temer ficando ele não aceita novas eleições.

      Se caso Dilma voltar, se ela não aceitar novas eleições, não vai conseguir Governar por sua fraqueza já demonstrada e cairia por outra modo, seja TSE ou Golpe de mão mesmo.

      Caso a hipotese remotíssima de Dilma voltar então só sobraria a idela dela apoiar novas eleições.

       De maneira geral, a minha opinião é que o País só volta a normalidade com um executivo forte, o fim da lava jato e a destituição do PGR. Nâo vejo outra forma.

       

      • No bojo tem que haver a reforma política

        Se Dilma voltar e eu espero que ela volte, não poderá ser como era antes. Assim como ela colou a sua imagem com a normalidade democrática (por isso e só por isso conquistou apoio de parte da sociedade mais conscientizada) deverá corajosamente empunhar a bandeira da reforma política, que já deveria estar sendo costurada nas viagens que ela tem feito.

        Esqueçamos este congresso, nada passa por eles, a não ser o “toma lá dá cá” que Temer entende tão bem. Nunca farão a reforma, por isso urge a mobilização popular. Propostas devem ser amplamente discutidas e Dilma pode ser a porta voz disso, voltando ao poder ou não. É o tsunami das ruas que exigirá um congresso reformado para o povo, com tudo no bolo, fim de foro privilegiado para crimes comuns, etc. etc. A reforma tem que ser consensual entre as entidades de classe (juízes, OAB, etc), movimentos sociais, universidades, todos devem respaldar. Joguem este congresso aos tubarões da PGR/STF, a eles só resta dispender energia na própria defesa e que deixem o país em paz.

        A reformulação da Mídia, reordenação dos métodos anti-corrupção (que tem que existir sem a sombra do partidarismo!!), reforma do judiciário e reforma tributária virão na sequencia de um outro congresso mais limpo e legitimado. Não dá para fazer isso sem a sociedade engajada.

      • No bojo tem que haver a reforma política

        Se Dilma voltar e eu espero que ela volte, não poderá ser como era antes. Assim como ela colou a sua imagem com a normalidade democrática (por isso e só por isso conquistou apoio de parte da sociedade mais conscientizada) deverá corajosamente empunhar a bandeira da reforma política, que já deveria estar sendo costurada nas viagens que ela tem feito.

        Esqueçamos este congresso, nada passa por eles, a não ser o “toma lá dá cá” que Temer entende tão bem. Nunca farão a reforma, por isso urge a mobilização popular. Propostas devem ser amplamente discutidas e Dilma pode ser a porta voz disso, voltando ao poder ou não. É o tsunami das ruas que exigirá um congresso reformado para o povo, com tudo no bolo, fim de foro privilegiado para crimes comuns, etc. etc. A reforma tem que ser consensual entre as entidades de classe (juízes, OAB, etc), movimentos sociais, universidades, todos devem respaldar. Joguem este congresso aos tubarões da PGR/STF, a eles só resta dispender energia na própria defesa e que deixem o país em paz.

        A reformulação da Mídia, reordenação dos métodos anti-corrupção (que tem que existir sem a sombra do partidarismo!!), reforma do judiciário e reforma tributária virão na sequencia de um outro congresso mais limpo e legitimado. Não dá para fazer isso sem a sociedade engajada.

          • Não se esqueça do seguinte

            O “mundo ao nosso redor” inclui Cunha, Temer, Renan, Gilmar Mendes, Aécio, Serra…

            Você parece estar enxergando um “mundo em que vivemos” com de ruim só um lado, O PT, pelo comentário que fez falando em “petistas”. Senti o tom de voz mesmo pela leitura…

          • E você, como excelente

            E você, como excelente conhecedor do “mundo que nos cerca”, poderia nos brindar com uma sugestão factível sobre como convencer este congresso a fazer a reforma política, ou seja, convencê-los a trabalhar contra seus próprios interesses!?

            A realpolitik foi “so easy”, tão produtivo compor com os agiotas…  por que será que estamos nesta crise de representatividade (entre outras)? A revolução não é fácil nem simples. O mundo é a gente que faz, a não ser que você permita que outros façam por você.

          • E você, como excelente

            E você, como excelente conhecedor do “mundo que nos cerca”, poderia nos brindar com uma sugestão factível sobre como convencer este congresso a fazer a reforma política, ou seja, convencê-los a trabalhar contra seus próprios interesses!?

            A realpolitik foi “so easy”, tão produtivo compor com os agiotas…  por que será que estamos nesta crise de representatividade (entre outras)? A revolução não é fácil nem simples. O mundo é a gente que faz, a não ser que você permita que outros façam por você.

      • Concordo inteiramente, Daniel

        Os petistas que pedem a volta pura e simples da Dilma estão no mundo da lua, descolaram geral da realidade, vivem apenas (como parecem viver nos últimos anos) aferrados aos seus desejos e incapazes de reconhecer as externalidades a eles. É só dar um pouquinho de corda que eles voltam a delirar.

        Dilma não tem mais nenhuma condição de governar. Sua “astucia” política não é outra que a capacidade de seguir cegamente em direção ao abismo.

        E assim também é com Lula, que não se deu conta ainda que o lulismo se esgotou e que não tem mais nenhum espaço para ser revivido.

        O problema é que também não resta mais nada, absolutamente nada, na política. Não há nada para pôr no lugar do PT, e o PT já não representa mais nada. Qualquer pacto será apenas um pacto em torno de riscos iminentes e sobrevivências mínimas.

         

        • Concordo plenamente.Talvez

          Concordo plenamente.

          Talvez por tradições messiânicas, inclinação ao paternalismo, radicalismo ideológico, superficiliade de conhecimentos ou apego a chavões políticos de uma forma geral não escapamos de certos raciocínios levianos..

          Nesse sentido é fácil observar – hoje – esta lógica no Lulopetismo (lógica geral não exclusiva a este segmento).

          Sinal evidente da ilusão é notar considerações deveras recorrentes de VITIMISMO.

          Uma que chega a ser engraçada é justamente esta: “quem pariu o golpe que o embale”

          O PT e seus líderes – o Senhor Lula e a Senhora Dilma – não possuem um pingo de responsabilidade pelo atual estado das coisas. São vítimas de homens sórdidos. 

          O PMDB veio do planeta Marte, oito ministros do Supremo foram gerados espontaneanemte das profundezas do inferno, o tripé macroeconômico é uma lei natural imexível assim como o pagamento de 500 bilhões de reais/ano a famílias super abonadas, a criminalidade é culpa dos Estados, a imobilidade urbana é culpa dos municípios, a Reforma Tributária o Congresso não quis, a perda de dinamismo na industria é culpa dos Chinas…

          E a Globo domina a comunicação porque mexer com ela é assinar o atestado de morte.

          Aí você descobre que o melhor – para esta peculiar e inacreditável lógica petista… O melhor é não fazer nada.

          É apanhar calado, é cair sem dar um tiro, é ser um puta de um covarde. Deixar como está.

          Afinal, a culpa é de todos, menos de quem teve o IMENSO PODER das rédeas do governo durante uma década e meia.

          Valeu, PT.

          Obrigado!

        •  A única solução é um Governo

           A única solução é um Governo Forte, dando rumo ao País.

          Teríamos então as seguintes opções:

          a. Com Temer continuando e sufocando PGR e LJ e tendo o controle do congresso.

          b. Com Dilma retornando, sufocando a LJ e PGR e conseguinte maioria no congresso.

          c. Novas eleições com o eleito conseguindo esses feitos.

          d. Ditadura de força, pior que a de 64.

          A hipótese a talvez seja a menos dificil de ocorrer, mas ainda não é fácil devido principalmente ao não apoio da globo a essa iniciativa.

          A hipotese b tem chance quase nula, pela dificuldade de Dilma voltar e mesmo se voltar pela fraqueza dela.

          A hipotese c é dificil pois com GM no TSE ele vai tentar barrar qualquer coisa nesse sentido.

          A hipotese d é dificil pois não vemos nas forças armadas esse tipo de liderança capaz.

          De forma que penso que o País continuará com Temer, até 2018, mas nas mão da LJ e do PGR, com a economia esfacelando. Vão mesmo tentar fazer terra arrazada e acabar com o País. Temer tem que ter muita perícia para contornar a situação e deve buscar aliados no STF, na mídia e aonde mais precisar com vistas a melhorar a situação do Páis.

           

           

  42. a política do fim

    a crise atirou a política no revolto e incessante movimento multipolar. a incontrolável complexidade do curso dos fatos destroça as falsas dicotomias que interditavam o debate político: governismo x contra-governismo, lulismo x anti-lulismo, PT x PSDB. rompeu-se o paralisante paradigma do pensamento binário.

    enquanto um caleidoscópio de multifacetadas forças políticas lutam entre si para conquistar uma nova hegemonia, no deserto pátio dos milagres do lulismo os sinos já não conseguem repicar. desmascarou-se a lenda da inclusão social pelo consumo: o endividamento consumiu a renda das famílias, a economia derrete no fundo do poço e os lucros dos bancos se elevam em picos recordes.

    do pacto perverso entre o Bolsa Família e a Selic Banqueiro não nasceu a redenção dos miseráveis, mas uma monstruosa criatura  que nos encara fixamente nos olhos, sem que consigamos compreender exatamente o que vemos.

    já não mais funciona o velho truque da solução à la Brasil. daí o quase intransponível bloqueio em analisar uma crise que tornou obsoleto o modelo anterior de abordagem. desenvoltos da camisa de força do sectarismo a que estavam reduzidos, os personagens atuam agora num cenário turvo e movediço, exibem com toda a ênfase sua dubiedade e heterogeneidade.

    o jogo duplo impera soberano nas intenções dissimuladas. quem é quem? quem serve a quem? quem está no comando?

    .

  43. Inacreditável: como um

    Inacreditável: como um homenzinho pode ter individualmente tanto poder? Algum brasileiro outorgou este poder ao tal de janot? Se as coisas continuarem no rumo que vão, não só o grande ditador do MP chegará a todos os pólíticos como vai partir pra cima dos grupos de mídia porque não pode deixar que eles continuem com poder de interferir nos rumos da republica judiciária de bananas. Como foi durante a “revolução” de 64: os grupos de mídia que apoiaram o golpe também passaram a sofrer censura para não colocar os novos poderosos em risco. Sei lá…

  44. Renovação da política e funcionamento dos partidos

    Não acredito que a Lava Jato, por mais líderes importantes que consiga abater, vá renovar assim tanta coisa.

    Em Estados e Municípios há muitas lideranças políticas regionais que ascenderam valendo-se do mesmo instrumental dos caciques nacionais e que não tardarão a ocupar o espaço que ficará vazio.

    A Lava Jato elimina o efeito, tem efeito didático, mas para renovar é preciso agir também sobre as causas. E que causas seriam essas? Quem sou eu para responder a essa pergunta… Mas tenho uma pista sobre uma delas.

    Qual o motivo de existirem tantos partidos políticos? Talvez ter um partido seja um negócio dos mais interessantes. É preciso compreender e combater esse fenômeno, de modo que os partidos sirvam menos a interesses privados e mais aos dos segmentos da sociedade que formalmente se propõem a representar.

    Isso poderia contribuir a sanear um pouco a política. Sempre haverá interesses, é claro, mas de uns tempos para cá eles se tornaram tão dominantes que a própria governabilidade ficou comprometida. Chegamos ao ponto em que os poderes que deveriam comandar o país não conseguem fazê-lo.

    Dilma não estava conseguindo governar direito, Temer também não está, Dilma também não conseguirá caso retorne, e temo que o sucessor de um ou de outro, legitimado pelas urnas, não tarde a se ver em situação semelhante. O “pacto ” e as eleições por si mesmas podem abaixar um pouco as labaredas, mas não serão capazes de eliminar realmente o impasse.

  45. O grande erro do PGR é ferrar o PT e só depois do impeachment

    e numa ação sequêncial e  política ferrar o PMDB , e deixar o PSDB paulista e mineiro nadar de braçadas.

    A acusação contra Aécio é só pra constar! muuito fraquinha e omissa.

    Ninguém fala das dezenas de milhoes do bolso dos mineiros gastos fazendo e reformando aeroporto  nas terras da família .

    a cidade “turistica” de Montesuma não tem maternidade, pasmem…

    E as conexoes com os ndonos do helicóptero? cuja empresa prestou “serviços”  rurais de milhoes ao “governo Aécio?

    e

     

  46. A corrupção brasileira, que

    A corrupção brasileira, que tem variados formatos para atender as diversas demandas, até já foi comentado por aqui parecer um dos pilares da Nação. Só que aparenta não ser apenas um pilar como outro qualquer, talvez possa ser o mais robusto, construído por séculos com habilidades que superam as pirâmedes do Egito, erguidas aos reis, rainhas, príncipes, princesas, caciques, morubixabas, pagés,curandeiros mãos santas, mágicos, ilusionsitas e outras celebridades etc etc… Pirâmedes essas que fazem parte da história, da cultura e da economia do povo egipcio. A semelhança é tão grande, que para igualarmo-nos ao tão importante e significativo Egito, com o objetivo de engrandecer e deixar para sempre marcado na história esse grandioso Brazil, só falta-nos promover os embalsamamentos das nossas celebridades governamentais, começando pelos que já estão mortos mas acreditam piamente estarem vivos e agradando, mas na verdade apenas zumbitam pelas dependencias dos 3 poderes.   

  47.   “Avançando sobre a cúpula

      “Avançando sobre a cúpula do PMDB, se agir com a mesma eficácia contra o PSDB,”

      ZZZZZZZZZZZ… roooonc… ahn… ah, vai agir, sim. Claaaaaaro.

      Sem mudar NADA no sistema, apenas tirando o pessoal de cima agora, é o mesmo que ter uma infiltração na parede, enxugar o chão e achar que resolveu o problema.

      O fim da politica é isso aí que já temos nesse exato momento: as “ideias” do PSDB dominando o cenário, a gloriosa volta dos anos 90 e o “não há alternativa” ao entreguismo puro e simples, com luminares daquele partido servindo de corretores de imóveis públicos e despachantes dos capitais estrangeiros.

  48. a política do fim (2)

    entre as ruínas da estrutura de poder e os destroços do sistema político, o país está à deriva no vácuo de poder formado. neste mar de lama tóxica, as ondas de vazamentos dos grampos e das delações premiadas se sucedem, arremetendo-se incessantemente para destruir o Brasil tal como o conhecíamos até então.

    mas num cenário envolto por incerteza e indefinição, jamais se deve negar a flagrante evidência dos fatos:

    1. o golpimpeachment de Dilma é uma tentativa de pacto à la Brasil para dar uma solução para estancar a sangria da Lava Jato. conforme o vazamento das gravações de Sérgio Machado confirmam, Dilma sempre foi a pedra no meio do caminho do acordo de salvação nacional das elites;

    2. Eduardo Cunha tem envolvimentos demais para ser preso. é a caixa preta viva do comprometido sistema de poder exposto pela Lava Jato. sua delação premiada será a pedra lapidar das instituições brasileiras: Executivo, Legislativo e Judiciário enterrados na vala comum da lumpen burguesia brasileira;

    3. o pedido de prisão de Jucá, Cunha, Renan e Sarney, e a autorização das investigações sobre Aécio, Eduardo Paes e Clésio Andrade, encurralam cada vez mais uma casta política, inviabilizando sua renitência no auto-engano de alguma ponte de volta para o passado das coalizões alimentadas pelos velhos e conhecidos propinodutos;

    4. a parte central do núcleo do PSDB, a Opus Dei paulistana, se deleita em sua parva ilusão de que será poupada. apesar de ser a última na fila, ainda assim é certo que será comida melhor quem é comida por último;

    5.  na cena do crime do golpe, por toda parte se descobre o DNA da USA Inc. os EUA já não são um país, converteram-se em mera base territorial e foro jurídico dos interesses das mega corporações transnacionais. seu poder militar e meios de controle e vigilância são os fiadores  da segurança de um ambiente de negócios definido pelos acordos supra nacionais.

    .

  49. Na padaria

    Comentário de um amigo da padaria ontem enquanto o JN noticiava o pedido de prisão:

    ” Do jeito que vai acaba as eleições no Brasil porque não vamos mais ter em quem votar”

      • Pois é, quem são esses, qual
        Pois é, quem são esses, qual seu projeto, suas posições políticas, seus interesses, a quem se alinham, o que queriam de fato, por que essa estratégia? Desculpe, esse “radicalismo” inconsequente e violento sob pretexto de justicialismo é o outro lado da mesma moeda da Lava Jato, antidemocrática e nebulosa. Não é essa a solução pro problema, ao contrário, dificulta extremamente a adesão do povo que abomina, com razão, apelo ao uso inadequado, desproporcional e injustificável da violência. Argumentos e paciência pra discutir e dialogar, com assertividade e coragem de falar e enfrentar, sim, com a resistência firme, pacífica e organizada, nunca apelar pra violência gratuita, que só interessa a baderneiros irresponsáveis que servem a outros interesses que não o da democracia – quem ajudou a eleger a bancada mais reacionária e conservadora desde o retorno às eleições diretas? Com certeza quem pretendia confundir ocupação das ruas com desordem e niilismo. Não serão esses agora capangas da FIESP na Paulista?

  50. O Brasil é agora o país do

    O Brasil é agora o país do trambique explícito. Temer se reuniu na calada da noite de segunda feira com o presidente do partido da deputada Tia Eron, evidentemente para fazerem algum tipo de acordo, segundo Alessandro Molon. Com isso, uma indisposição súbita deve ter atacado a deputada, porque ela não compareceu à votação da comissão de ética que cassaria o mandato de Eduardo Cunha. Ressalte-se que ela votaria a favor da cassação de Cunha. Mas depois da reunião de Temer com o presidente de seu partido, não compareceu à votação. Então, quem foi votar pelo partido foi o suplente da Tia Eron, que é fã número um do Eduardo Cunha. O povo brasileiro não merecia tanta esculhambação. Ressalte-se que isto é apenas uma pequena amostra do império da falta de escrúpulos. Esse pessoal aí é capaz de tudo, tudo mesmo. O mundo inteiro está com dó do Brasil.

  51. a política do fim (3)

    6. o lulismo morreu. Dilma renasce. foi através do passo a passo dos sucessivos e deliberados erros do lulismo que mergulhamos na maior de todas as crises de nossa História. foi pela empedernida negativa de Dilma em referendar o acordo de cúpula que o golpimpeachment se tornou o último recurso. o cada vez menos improvável retorno de Dilma se dará num contexto em que nada mais será o mesmo: nem ela própria, nem cada um de nós e muito menos o Brasil;

    7. no vácuo de poder, o perigo não mora na radicalização, mas na ausência dela. é a radicalização do Povo sem Medo nas ruas a principal força de resistência ao golpe. os projetistas da arquitetura do caos se esqueceram de combinar com os russos, inclusive literalmente. guiados pelo marketing das pesquisas de opinião, davam como líquido e certo que o Brasil explodiria num quase uníssono foguetório, com a vitória do impeachment na votação na Câmara. mas o show de horrores daquela celebração de hipocrisia provocou na sociedade um choque de realidade;

    8. na República do Paraná, os cruzados de Curitiba permanecem em stand by, aguardando instruções. sempre marionetes, tropa de elite nunca serão. investem contra a liberdade de imprensa, num trailer do que seria sua almejada Ditadura do Judiciário: todo poder emana dos juízes e de sua conveniente interpretação das leis;

    9. nunca houve saída para esta crise. apenas portais de entrada. um conduz ao neo fascismo da Tirania Financeira globalizada, com seu permanente Estado de Exceção. o outro consiste na radicalização do compromisso com a Democracia e a refundação da República. o fim da política nos conduzirá a uma brutal opressão e espoliação. ou na política do fim de uma era tomaremos o rumo de um outro Brasil.

    .

     

      • É o ouro dos tolinhos! Vamos

        É o ouro dos tolinhos! Vamos supor que após 2 anos deste desgoverno de terra arrasada, sejam realizadas eleições gerais em 2018. De que adiantaria eleger um presidente e um congresso progressista? Como reconstruir um “haiti” brasileiro? Vai retomar o pré-sal dos gringos? Vai encarar uma invasão de tropas estrangeiras, por qualquer pretexto inventado? Nossos militares não agiram agora, em que só operam explicitamente forças internas, ou irão, quase que certamente, ficar quietinhos? Como um novo governo irá reconstruir os equipamentos de estado arrasados, com as empresas estrangeiras nos mal servindo e explorando nosso povo, como muitas já o fazem? Vamos voltar a importar petróleo, vendendo comida regulada pela bolsa de Chicago? Iremos importar tudo e exportar royalties e dividendos das companhias estrangeiras aqui instaladas? Acham que as reservas irão durar quanto tempo?

        Acho que a única saída é a volta de Dilma e a formação de um grande pacto nacional para a salvação do país! Se houverem eleições agora a grande chance é a aparição de um “salvador da pátria” que ai poderá fazer quaquer coisa com o mandato que lhe demos.

        ELEIÇÃO AGORA É TUDO O QUE O GOLPE POR TRÁS DO GOLPE QUER!!!

  52. No geral foi boa a analise do

    No geral foi boa a analise do jornalista Nassif ,mas ele falar de rigorismo excessivo do Juiz Teori não corresponde aos fatos.

    Enquanto o Juiz Sergio Moro já condenou dezenas de envolvidos no Petrolão,totalizando mais de 1000 anos de prisão, (aí sim , em alguns   casos com muito rigor )ouso perguntar ,quais os envolvidos no Petrolão que foram condenados no STF ?Por favor ,alguem pode dar um nome ,só um .

      • Sr. Helio,reflita sem

        Sr. Helio,reflita sem partidarismo.Se o que o senhor afirma fosse correto ,por que as sentenças não foram anuladas?

        O Sr não acha que alguns politicos com foro priviligiado ,como por exemplo o Sr Cunha e muitos outros não deveriam ja estar sendo julgados ?

        • Eu reflito sim sem

          Eu reflito sim sem partidarismo e o que mais encontro são provas de que Sérgio Moro atropela leis, forja situações e julga com partidarismo. Por que você não se pergunta o motivo da esposa de Eduardo Cunha não ter tido o mesmo tratamento que a esposa do Vaccari?

    • Ô Alucinado e quantos do PSDB

      Ô Alucinado e quantos do PSDB Moro condenou? só um nome vai?

      E aproveita para cobrá-lo sobre o mais mencionado na Lavajato o Aécio Neves!

      Aproveita tb para cobrá-lo sobre um processo sobre Cássio Cunha Lima adormecido em sua gaveta!

      Existe vontade e seletividade em condenar “os outros”e só pra lembrar,Pai de Moro é fundador do PSDB!!

  53. “Apenas adiará para 2018 o

    “Apenas adiará para 2018 o acerto de contas com as urnas.” 

    Esse “Apenas” desconsidera todas as nefastas consequências econômicas e sociais que o Brasil sofrerá se continarem os coronéis liberais no poder !!

    Privatizações generalizadas, Entrega do pré sal, privatização da saúde, cassação de direitos trabalhistas e civis, desigualdade aumentando a galope, etc, etc,etc. 

    O acerto de contas tem que ser agora !! Não podemos aceitar que esse governo ilegitimo implante medidas com as quais as urnas não concordam !!! 

    Esperar as eleições de 2018 com os golpistas no poder não é uma opção !!! 

     

  54. e por que as decisões demoram muito?

    porque a única coisa “pensante” que temos é a nossa história

    os brasileiros atuais, em sua maioria, são os únicos no planeta que não procuram ou não se interesssam em fazer a sua

    sem povo nas ruas não conseguiremos nada

    e se continuarem encarando tudo isso como coisa natural da nossa política, a história e até mesmo a literatura continuarão tomando o lugar das leis para perseguir e condenar os que se atrevem a se revoltar de verdade, como na França

    quem faz história é povo

  55. este xadrez está fraquinho.

    Gosto muito das analises do Nassif mas desta vez ele viajou na maiones. Dado comportamento partidário do STF e do judiciário em geral a chance de Lava Jato avançar sobre o PSDB é zero, eles podem até atacar um boi de piranha, tipo Aécio, mas não passa disso… A unica chance de sairmos deste lamaçal é a mobilização popular, mas isto só vai acontecer qdo a agua bater no pescoço deste pessoal que acredita que é classe mérdia 

  56. Caros comentaristas, lancei

    Caros comentaristas, lancei ontem e relanço hoje a ideia de formarmos um fundo de contribuição, do qual os comentaristas mais frequentes, como JB Costa, Assis, Gilson As, Alexandre Weber, Anarquista Lucida, e capitaneados pelo comentarista master, Motta Araujo seriam os investidores principais (traduzindo, a grosso modo seria uma vaquinha). O fundo a ser criado seria utilizado para o lançamento do Brasilianas.org como um canal no youtube, com estrutura igual à do programa da TV Brasil (creio que o GGN seja o proprietário do formato). Assim manteríamos o principal forum televisivo de debates políticos e macroeconomicos, inclusive com audiência potencial maior, e com certeza cotas de patrocínio serão vendidas. O que acham? Motta Araújo se habilita a gerir o fundo? 

  57. Proposta
    Propomos análise com mesmos fatos, porém conclusão diversa. Pensemos que o itinerário do PGR é oferecer não Sarney, Renan e Jucá. É sim oferecer à prisão a co creta cabeça e nuca do Eduardo Cunha ( concordemos, pouca coisa provoca tamanha unanimidade hoje como o fato possível desta prisão – da direita à esquerda ), como legítima prova de seu ’emblema funcional’, seu chamado múnus público: um atestado de sua respectiva idoneidade moral e sua imparcialidade e seu rigor prá lá de mal atualmente vistos… Prá que? Com vistas a fazer o que, isto fazendo de fato a seguir? Para prender, sem levantes ou comoção fora de controle, ao Lula. A imprensa ‘mainstream’ ( pig, para os íntimos ) trombeteará, louvando, seu rigor de homem público. E seu ‘ desassombro ‘ desassombrado e solícito, deste verdadeiro patrono dos direitos da cidadania, diante de nossa triste e violada nação. Inviabilizará o Temer retirando, com esta prisão o Al Capone (ops! ), Al Cunha e o jogará o Mordomo do Mal aos tubarões da Privataria do PSDB. Nisto até rolará um, concordamos, parlamentarismo ‘fake’. É possível. Pacto, com este nome e anuência das esquerdas, não há como rolar. O ensaio acima, o xadrez, descreve uma Constituinte, em toda sua acomodação de forças.Não um pacto…

  58. o lula sempre repetiu e

    o lula sempre repetiu e repete que sem a política a coisa só piora…

    os financeirizadores da economia assumem o poder,

    o obscurantismo  e os interesses entregustas e    espúrios de janots e seuis conluios judiciários e midiáticos

    acabam predominmando…

    de tão absurda a situação política, nãoo há imagem que

    conrtextualize e sintetize e simbolize o momento atual,    

    a    não ser esse  meu ponteiro do mouse que enlouqueceu

    e corre para cima e para baixo, pra todos os lados,

    menos para o lugar          em   que              quero ir…

     

     

    • Também concordo com esta

      Também concordo com esta análise. Toda a imensa crise político-institucional que presenciamos são os estertores do modelo político do toma-lá dá-cá, que está morrendo e querendo arrastar todo o país consigo. Instituições importantes que fazem parte deste mundo moribundo, como a adiposa rede Globo, gritam e agem levados pelo pavor de terem que morrer com ele. Dilma, ao voltar, (e o PT também, se quiser sobreviver) terá que partir com decisão para o aprofundamento do Projeto de Nação, a ser construído. Se acontecer, o país terá superado essas terríveis dores da emancipação e partirá para seu grande destino junto à Humanidade. Tudo fará sentido. A luta pela educação. Os esforços de defesa nacional independente. As tentativas de fazer parte do Conselho de Segurança da ONU. Tudo, enfim, que aponte para o futuro.

  59. Fim da política ?

    Não seria o fim de algo travestido de política que estamos vivendo e a reimplantação da verdadeira política ?

    Renan Calheiros é um político aceitável ? Como se explica um ser político que consegue vagar pelos governos de Collor, de FHC, de Lula e de Dilma sempre compatibilizando seus interesses pessoais com esses governos ?

    Não tenham dúvidas que se houvesse hoje nesse país um verdadeiro golpe de Estado, com uso de força bruta, o senhor Renan Calheiros encontraria no novo governo seu espaço.

    Está aí o Sr José Sarney. Que tipo de político é esse que vem da UDN, passa por todo o período mais negro da ditadura, trai os ditadores para encontrar seu espaço na República pós-ditadura e passa todos os governos até hoje ao sempre ao lado do poder ?

    Nem vou falar dessa figura repugnante de Romero Jucá. Sua ficha corrida dos últimos 30 anos foi postada aqui mesmo dia desses.

    Tirar esses caras da vida pública, escancarar suas atuações é apostar no fim da política ? Ou apostar no fim da política é permitir que esse quadro cada vez mais degradado chegue a um ponto onde apenas se encontre saída pela via do autoritarismo ? E vejam bem, como disse anteriormente, podem ter certeza que essas figuras abomináveis encontrariam seu espaço “político” neste novo governo autoritário.

    Ou seja, aí sim, seria o fim da política e a sobrevivência de renans, sarneys e jucás.

    Está aí escancarado nos áudios revelados recentemente. Esses caras negociavam entre si a entrega de Dilma em sacrifício para se manterem onde estão. 

    E não digo isso como forma de defender Dilma  ( não confundam Dilma com PT, porque são como água e óleo ) porque ela também merece o fim que está tendo. Teve todas as possibilidade de em 2013 ficar ao lado da sociedade civil mas preferiu sentar-se a mesa com os 27 governadores e mandar a seguinte mensagem ao povo : “Estamos unidos, vão encarar ?”

    Os levantes de 2013 eram claramente contra esse esgoto do sistema político e não contra o PT ou Dilma. Tanto é que em Brasília as manifestações marcharam contra o prédio do Congresso e não contra o Planalto.

     

     

    • 99% contigo neste pensar, Cidadão…

      também adorei junho/2013

      mas aí veio as necessidades mais urgentes, e todos se acomodaram contrários, principalmente os políticos que hoje estão sendo investigados

      mas tenho esperança ainda, pois quem um dia já foi árvore, nossos jovens, ainda têm tudo para ser floresta

    • Os tucanos dominam SP desde

      Os tucanos dominam SP desde Montoro, em 1983. Geraldo Alckmin é a pessoa com maior tempo de poder na história do estado, maior mesmo que Adhemar. Qual é a diferença entre ele, Jucá, Renan, Sarney ou Serra? Nenhuma. Você critica os três apenas por não serem paulistas. Simples assim. 

    • Os movimentos de 2013 tiveram

      Os movimentos de 2013 tiveram realmente muita gente de boa fé participante. Não foram apenas uma revolução colorida a mais, patrocinada por golpistas internacionais em aliança com setores de elite dos países alvo. 2013 não foi apenas uma forma de levar a classe média a canalizar para as ruas seu ódio pelos governos populares de inclusão social, e de fazer os chamados coxinhas perderem o medo das ruas. Este fator seria determinante para que depois multidões de pessoas de classe média fossem confundidas pela mídia com a população geral do país e dessem, a desfilarem pelas avenidas chiques das cidades, o aval psicológico ao golpe de estado. O mesmo aval que em 1964 foi dado pelas Marchas da Família (de classe média) com Deus pela Propriedade. Claro que 2013 não foi apenas isso. Mas foi essencialmente isso

      .

    • Difícil discordar de você só

      Difícil discordar de você só que há espaço para dúvidas: Como reimplantar uma verdadeira política e quem a definirá como verdadeira? Como alijar da vida pública essa escória que você cita ( e outros 300 e tantos)? E se por uma absurda hipótese todos se extinguissem, seus substitutos seriam “do bem”? Alguém duvida que se houver hoje uma eleição para o congresso a maioria dos citados seriam campeões de voto? No meu modesto entender, e ponha modesto nisso,  MT não terá condições de governar porque é essencialmente medíocre, nem vou entrar em assuntos lavajatíscos. E antecipação de eleições por si só nada mais é que golpe dourado. A não ser que venha acompanhada de uma reforma política que, entre inúmeros outros itens, acabe com os privilégios e a verdadeira vitaliciedade dos cargos legislativos dos oligarcas e assim transmitidos aos descendentes como se propriedade fosse. Como tudo isso no momento é utópico e, plagiando, Dilma é a pior opção, fora as outras.

  60. Devagar se vai ao longe
    Nassif, só não entendo como todos compram o argumento de que a Lava Jato quer, e pode ou deve, fazer uma “limpeza” na Política brasileira, e assumem de modo subliminar que havia ou há essa necessidade! Com esses métodos, qual a diferença?
    O problema é político e sua Arena legítima de solução é a política, que, numa democracia, precisa da participação popular.
    Suas opções parecem concordar com as políticas de gabinete, como se o povo também não tivesse que ser considerado. Voltamos às negociações precárias e com a democracia de concessões que gerou, com o fracasso das Diretas, esse monstro sanguessuga das instituições e de qualquer tentativa de democracia real, o presidencialismo de coalizão que você parece criticar mas endossa ao aceitar a tese de que apenas novas eleições, antes do fim da novela do golpe parlamentar, podem restaurar a pax tupiniquim! Atalhos fora da política – esta que inclui o respeito às eleições já realizadas dentro do calendário oficial e participação popular legítima e indispensável também fora dele -, em situações graves como a que vivemos, parecem dizer “o que não tem remédio, remediado está”, o que considero inadmissível.
    Gosto do Ciro mas ele não tem, neste momento, a meu ver, todas as condições para assumir uma presidência no caos político e social em que estamos.
    Nassif, por favor, sabe que a política não é fast food e não se constroem lideranças do dia pra noite – apenas golpistas e falsos salvadores da pátria, como a organização noticiosa que você menciona – com naturalidade assustadora, como detentora de poder como se legítima fosse – pretende com o vampiro de Curitiba, o do judiciário (desculpe, Dalton Trevisan).
    Por que tanta pressa? Deixemos os jogadores apostarem suas cartas, o país sobreviveu a uma ditadura, poderá sobreviver, sim, a esta crise que, se não tiver medo da democracia e do povo – que não significa, também, apelo à violência – pode ter resultados necessários para o amadurecimento do país, da política, da participação popular, das instituições públicas e setor privado. Que saibamos enfrentar com coragem nossa fragilidade para descobrir nossa força.

    Fico com Marcelo Yuka,
    “Minha alma (a paz que eu não quero)”
    https://youtu.be/vF1Ad3hrdzY

    A minha alma tá armada
    e apontada para a cara
    do sossego
    pois paz sem voz
    paz sem voz não é paz, é medo

    às vezes eu falo com a vida
    às vezes é ela quem diz
    qual a paz que eu não quero
    conservar
    para tentar ser feliz

    as grades do condomínio
    são pra trazer proteção
    mas também trazem a dúvida
    se é você que tá nessa prisão

    me abrace e me dê um beijo
    faça um filho comigo
    mas não me deixe sentar
    na poltrona no dia de domingo

    procurando novas drogas de aluguel
    nesse vídeo coagido
    é pela paz
    que eu não quero seguir
    admitindo

    é pela paz
    que eu não quero seguir
    admitindo

    Fonte: musica.com (com alterações, em 08/06/2016).

    Qualquer semelhança com o estado policialesco, com o tratamento dado ao povo e com as reações de violência ou passividade que se repetem sempre, será mera coincidência?
    Viva a cultura brasileira, que não se cala nem se deixa amedrontar!

  61. O xadrez começa a ter seus

    O xadrez começa a ter seus momentos FINAIS agora,nessa guerra apocaplítica entre Judiciário e Políticos,

    Dilma é só um detalhe,os políticos só se salvarão se unirem-se à Lula contra alguns do Judiciário e mídia!

    A renovação virá arrassadora já nestas eleições visto q PT,PSDB e agora PMDB estão CHAMUSCADOS!

    OBS:Globo é a FAÍSCA q põe fogo em tudo,DEVEM ESTAR ADORANDO A TERRA ARRASADA!!!!

  62. Outra vez venho dizer que a

    Outra vez venho dizer que a análise da conjuntura política, focando somente os aspectos internos, fogem da compreensão como um todo.

    É um erro persistente que os fatos vem demonstrando diariamente se garimparmos as informações.

    Aqui mesmo neste espaço, Nassif tratou de um assunto que faz parte dessa estratégia, quando trouxe um artigo, se não me engano sobre a teoria do choque utilizado por Washington na guerra do Iraque.

    O governo golpista do Temer estaria usando essa tática no desmonte dos 12 anos dos governos Lula/Dilma.

    Os fatos estão ai para ninguém duvidar.

    O que o Serra vem no Itamaraty é prova disso.

    Pedro Parente na Petrobras idem.

    A Shell abandonou todos o seus investimentos para concentrar-se apenas no Pré-sal e no golfo do México.

    É matéria de hoje.

    O desmonte do SUS para os planos de saúde estrangeiros virem para cá e fazerem a farra.

    Na educação não é nada diferente. E não será também diferente em qualquer outra área que o país ofereça grandes oportunidades de saques à nossa soberania.

    Tudo que foi dito está na última entrevista de Ciro Gomes à Mariana Godoy na Rede TV

    A melhor análise da conjuntura que eu li até agora foi feita por Rodrigo Viana no seu blog “Escrevinhador”, de onde destaco este trecho que para mim é a melhor percepção do que poderá vir.

    “O pedido de prisão da cúpula do PMDB é o desmoronamento da política como a conhecíamos desde 88. E o início de um ciclo em que esses 3 projetos acima descritos farão a disputa:

    agenda moralista de Janot/Lava-Jato (em parceria com a Globo);agenda de reformas da Nova Esquerda (com Lula/Dilma ou sem Lula/Dilma);agenda privatizante de Serra/PSDB e do “mercado” (também em parceria com a Globo

    Destaco que vale a pena ler essa matéria que foi publicada na Fórum e também no “Escrevinhador”.

     

    http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/palavra-minha/37997/

  63. LEGALIDADE VERSUS MANIPULAÇÃO

    Creio que o artigo acima sustenta tese correta ao afirmar que é necessário conhecer o conjunto das provas apresentadas pelo PGR para avaliar se os pedidos de prisão são justificáveis ou não.

    Na minha humilde opinião, meras declarações de intenção não são suficientes para constituir prova de obstrtução da justiça e, na hipótese de não existirem outras provas de que os acusados tenham de fato agido concretamente para prejudicar as investigações, seria mais adequado que o PGR tivesse pleiteado junto ao STF a quebra de sigilos e a autorização para escutas e monitoramento.

    Ademais, em qualquer hipótese urge pugnar pelo fim da impunidade no que tange aos vazamentos de informações que deveriam ser mantidas em sigilo, pois a divulgação precipitada e ilegal de iniciativas desta natureza prejudica não apenas direitos individuais e o devido processo legal, dado que a criminosa manipulação midiática objetiva fins políticos e prejudica a própria eficácia do feito com vistas à preservação das investigações.

  64. O cenário 2 é muito mais

    O cenário 2 é muito mais provável que o 1 por um simples fator que atende pelo nome de Gilmar Mendes. Ele, já disso inclusive o próprio Nassif, é que é o comandante desse STF, o único sujeito capaz de adotar posturas próprias de um embate político. E Gilmar Mendes em momento algum fez movimentos no sentido de favorecer o PGR ou a PF. Tudo que ele fez até o momento foi para beneficiar os tucanos. E como aos tucanos não interessa uma eleição agora, essa vai ser empurrada para 2018, se é que vai acontecer mesmo, seja na data ou com as mesmas regras atuais.

    Mas queria voltar em um ponto. No trecho logo abaixo, o Nassif sugere que Janot não só vazou o documento como intencionalmente o fez de maneira a incriminar Teori e de quebra o STF. Não é possível a esta altura do campeonato que Teori e o STF sejam tão aliados assim. Imagino que o próprio STF irá procurar disciplinar Janot num futuro próximo, mas não consigo ver ainda de que maneira.

    “No episódio da Andrade Gutierrez, pessoas ligadas a Janot sugeriram que o vazamento poderia ser do gabinete de Teori. A prova seria a marca d’água do Supremo na cópia enviada para os jornais. Ora, se pegar qualquer documento do Supremo, ele é entregue com a marca d’água do Supremo. O episódio provocou mágoas em Teori.”

  65. Cheque mate da urna eletrônica

    Então a solução nos dois cenários são as urnas… E esse será o cheque mate!

    Se Janot, Moro e a PF jamais teriam feito tudo isso sozinhos sem apoio americano – loucos para controlar o pre-sal, como este blog já demonstrou – como confiar em eleições com urnas eletrônicas que utilizam programas operacionais e computadores americanos???

    Se eles são capazes de grampear o que que quiserem, porque não podem grampear nossas urnas que eles mesmos nunca adotaram e já comprovaram que não são seguras…??????????

    A Diebold, que fabricou as urnas brasileiras por muitos anos, desistiu do negócio nos EUA para não ir à falência por causa do passivo judicial que acumulou lá nos EUA. Aqui nada aconteceu!

    http://www.votoseguro.org

    http://www.folhapolitica.org/2013/12/eua-multam-diebold-fabricante-das-urnas.html 

    • Exatamente

      Uma urna segura, com voto impresso para possibilitar a recontagem, tem que ser cobrada pela esquerda. 

      Sem isso, é só juntar com a midia + institutos de pesquisa manipulando as opiniões, que teremos a ditadura maquiada de democracia.

    • Exatamente

      Uma urna segura, com voto impresso para possibilitar a recontagem, tem que ser cobrada pela esquerda. 

      Sem isso, é só juntar com a midia + institutos de pesquisa manipulando as opiniões, que teremos a ditadura maquiada de democracia.

  66. Cenário 3

    A Lava-jato continuará avançando e não sobrará muitos políticos. 

    Em quem qualquer brasileiro põe a mão no fogo em relação à honestidade? 

    Em Dilma.

    Até os cochinhas reconhecem. Só não assumem isto. Tergiversam e dizem que ela é incompetente. Mas hoje, após a sociedade poder fazer comparações, Dilma se tornou o bastião da honestidade e da justiça.  

    Este é o cenário não contemplado e o mais provável. 

    Se a palavra de ordem é a tal da ‘corrupção’, que volte Dilma. E voltando, corrigirá seu rumo e passará a fazer o que deveria ter sido feito há tempos: aplicar uma política social mais contundente e uma política econômica desenvolvimentista. Chamar Requião e Ciro formando um pacto político e deixando a direita a mercê da Lava-jato.

    Não podemos esquecer que todos os 10 países mais ricos do mundo possuem dívidas públicas maiores que a do Brasil e, de quebra, temos a quarta maior reserva do mundo. Vamos abaixar os Juros e acabar com este joguinho de concessão pois os brasileiros não merecem esta desgraça que já se arrasta 500 anos. 

    Antecipação de eleições, repito, é golpe e não faz parte do vocabulário dos eleitores de Dilma – e nem do vocabbulário dela própria.

     

    • Duas etapas e uma finalidade

      Penso que as ações consequentes são as seguintes:

      (1) Retorno da Dilma e cadeia para os golpistas (Eduardo Cunha, Jucá, Temer, etc).

      (2) Dilma, por seu caráter de honestidade, torna-se fiadora de um pacto com as forças sociais, que signifique mudança fundamental, reconstruindo o Estado Democrático de Direito. Faz parte desse pacto a realização antecipada de eleições para todos os níveis.

      Fora dessa solução política, penso que a nação entrará em convulsão podendo chegar a uma guerra civil.

      • Ai voce acordou ?
        Quem vai

        Ai voce acordou ?

        Quem vai garantir isso ? Dilma, com sua fraqueza, leniencia  e falta de honra ? A mesma pessoa que nada fez quando teve conversas gravadas ilegamente ?
         

        Ah, vá, faça-me o favor né…pare de delirar.

      • Os golpistas têm ainda muitas

        Os golpistas têm ainda muitas cartas na manga. Vem por aí a pesquisa de um grande instituto que dá o Temer com 80% de aprovação.

      • Não há volta e a política que você quer mudar foi a certa

         

        Jandui Tupinambás (quarta-feira, 08/06/2016 às 13:43),

        Não creio que os brasileiros, na sua maioria, ou seja, mais de 50% consideram a presidenta Dilma Rousseff honesta. Aliás a pecha de desonesta e de incompetente foi urdida com tamanha maestria que até para aqueles que sabem que ela não é desonesta e não é incompetente ficou impossível contra argumentar. Até porque acusações de desonestidade e de incompetência são feitas principalmente de modo retórico quando não se tem provas e assim também não há como refutar a não ser com retórica. Quando se tem provas não se acusa um administrador público de desonesto, mas sim de corrupto, muito embora se costuma passar para o segundo nível de acusação também sem provas.

        O problema das acusações sem prova é mais o veículo em que elas são transmitidas. Na internet em um nicho que é frequentado pelos mesmos a acusação só atinge quem lê ou vê a notícia. Em outro meio que atinge milhões, o efeito é bem diferente.

        E sobre a honestidade da presidenta Dilma Rousseff, lembro aqui o comentário que enviei ontem, terça-feira, 07/06/2016 às 19:44, para JB Costa junto ao comentário dele de terça-feira, 07/06/2016 às 17:08, lá no post “Dilma rebate Cerveró e proibição de aviões da FAB” de terça-feira, 07/06/2016 às 15:49, aqui no blog de Luis Nassif contendo matéria do Jornal GGN e que pode ser visto no seguinte endereço:

        http://jornalggn.com.br/noticia/dilma-rebate-cervero-e-proibicao-de-avioes-da-fab

        Em meu comentário eu manifesto a minha surpresa com o fato de, apesar de toda a força da Operação Lava Jato, ela não conseguiu apurar nada da corrupção que teria havido nos Estados Unidos, o país onde existe a refinaria de Pasadena comprada pela Petrobras. E estou certo que a apuração apenas iria revelar que ou toda a operação pareceu como um bom negócio que em razão da queda do preço do petróleo acabou se tornando uma compra ruim ou houve de fato corrupção, mas nos dois casos, a Cláusula Marlim fora omitida exatamente porque se a então ministra de Minas e Energia e presidenta do Conselho de Administração da Petrobras viesse a tomar ciência da cláusula, ela impediria a realização da compra.

        O que eu disse acima não chega a ser uma discordância do que você diz. Há, entretanto, no meio do seu comentário um parágrafo do qual eu posso dizer que discordo. Trata-se do trecho transcrito a seguir.  Diz você lá:

         “Se a palavra de ordem é a tal da ‘corrupção’, que volte Dilma. E voltando, corrigirá seu rumo e passará a fazer o que deveria ter sido feito há tempos: aplicar uma política social mais contundente e uma política econômica desenvolvimentista. Chamar Requião e Ciro formando um pacto político e deixando a direita a mercê da Lava-jato.”

        A presidenta Dilma Rousseff não deverá voltar. O nosso Senado é majoritariamente da direita e a volta da presidenta Dilma Rousseff parece-me impossível. E se ela voltasse ela não poderia “aplicar uma política social mais contundente e uma política econômica desenvolvimentista”. Vai demorar para as pessoas compreenderem que a presidenta Dilma Rousseff fez o que era certo ter feito no período de 2011 a 2014, e ou foi a realidade econômica mundial que não permitiu que o que ela fez tivesse trazido melhores resultados, ou foi algo inusitado que ocorrera no terceiro trimestre de 2013 que produziu os maus resultados na economia.

        Faço referência ao terceiro trimestre de 2013 porque ali ocorrera uma forte reversão na tendência de crescimento da FBCF que se observava desde o quarto trimestre de 2012. A mudança inusitada na taxa de variação da FBCF, no terceiro trimestre de 2013, quando se compara um trimestre com o trimestre imediatamente anterior, tirou o país dos trilhos e inviabilizou todo o esforço de recuperação que havia sido minuciosamente e racionalmente planejado.

        É claro que algo de inusitado que ocorrera no terceiro trimestre de 2013 pode ser fruto de algum erro do primeiro governo da presidenta Dilma Rousseff e nesse caso ela não terá feito tudo certo no período de 2011 a 2014. Eu, entretanto, não avalio que o que ocorreu no terceiro trimestre de 2013 fora fruto de algum erro da política econômica ou do governo em geral da presidenta Dilma Rousseff.

        E o fato de sua proposta para se concretizar precisar de um pacto com Requião e com Ciro Gomes que não asseguram sequer dois votos no Congresso Nacional serve para mostrar o quanto é inviável a volta da presidenta Dilma Rousseff e serve também para mostrar que não há possibilidade para se aplicar uma política social ainda mais contundente do que ela vinha fazendo e nem uma política econômica desenvolvimentista que não aquela que podia surgir do esforço de corte de gastos em momento de elevação dos juros que ela adotou desde o final de 2014.

        A pretensão do governo com a política posta em prática a partir do final de 2014 seria que com a desvalorização do real haveria uma recuperação maior do setor exportador e do setor industrial que produzisse para consumo interno em substituição das importações. A desvalorização se fizera necessário pela forte queda dos preços das commodities em outubro de 2014. Só que a partir de junho de 2015 houve nova queda do preço das commodities que adiou a recuperação e a possibilidade do Banco Central iniciar ainda em 2015 a redução do juro, pois com queda do preço das commodities houve nova pressão para desvalorização do real. E o problema permaneceu com o aumento do juro pelo FED em dezembro de 2015 e a promessa de mais quatro aumentos em 2016, que causou um piripaque na economia mundial no primeiro trimestre de 2016, e que acabou repercutindo no próprio comportamento da economia americana.

        No início de 2016, as moedas dos países de periferia desvalorizaram e só mais à frente com a perspectiva de novos adiamentos da alta de juro pelo FED é que as moedas dos países de periferia voltaram a valorizar. Agora parece que tudo está mais favorável ao Brasil, pois a abertura de novas vagas de emprego nos Estados Unidos em maio foi bem baixa, o que adiou um até então bem provável aumento dos juros pelo FED agora em junho. Além disso o preço das commodities agrícolas voltaram a subir, o que melhora as nossas exportações.

        Nem tudo são flores, entretanto, pois o aumento das commodities pode pressionar o Banco Central Americano a aumentar o juro. Ainda assim a economia brasileira já dá sinais de recuperação.

        Clever Mendes de Oliveira

        BH, 08/06/2016

  67. Não sei que tipo de saída será proposta pelo PT e pela Dilma, ma

    Não sei que tipo de saída será proposta pelo PT e pela Dilma, mas uma coisa eu tenho certeza: o governo Temer não pode continuar em hipótese nenhuma. Os prejuízos causados por esse governo golpista serão irreversíveis. O desmanche de todas as conquistas sociais e econômicas é perfeitamente possível. Talvez a antecipação da eleição presidencial seja uma das poucas alternativas para evitar um mal maior.

  68. Há várias outras saídas para

    Há várias outras saídas para o impasse que se avizinha. O Gen do GSI pode tentar liderar um golpe militar, por exemplo, dizendo que, de dentro do governo, pode ver que não há outra solução.

    Pode ocorrer um acordo entre os radicais janoistas, sua madrinha Globo e a “velha política”, como quando entronizaram Sarney na cadeira do Tancredo.

    É remoto – porque o povão está convencido de que o governo deposto era ladrão e burro – mas pode ocorrer um levante popular, por causa da sensação de que foram roubados pelo golpe, que se consolidará quando medidas como alterações radicais na CLT e nos programas sociais forem implementadas.

    Política é essencialmente um processo dialético, e como tal, sujeita a desdobramentos absolutamente imprevisíveis. É com isto que os que não aceitamos o golpe contamos: que a dinâmica das forças envolvidas produza, ao fim e ao cabo, um resultado absolutamente diverso do que nossos oponentes pretendiam.

    • Pode ser que aconteça, embora

      Pode ser que aconteça, embora o que a História ensine é que geralmente quando o golpe não dá certo, se ele ainda conta com forças suficientes, parte para o radicalismo, como aconteceu com o AI-5. Só que não parece haver espaço para tal radicalismo. Este golpe é apoiado em fantasia. Todo o seu estofo não é verdadeiro, mas sim constituído de pura fantasia que para parecer verdadeira apela para o grito, sem argumento que não seja falacioso. O que o está a fazer balançar sem prumo são as manifestações diversas registradas por toda parte contra ele. E ele vai procurar combater estas manifestações não tentando fazer outras tantas, que isso ele não pode. Vai combater com fantasia. Com omissão midiática e falsos boletins de pesquisas de opinião, por exemplo. 

  69. Para restabelecer a

    Para restabelecer a Democracia – plutocracia em voga – e voltarmos a normalidade as autoridades do Judiciário, preocupadas com a Nação Brasileira poderiam agilizar: 01 – prisão imediata dos comprovadamente envolvidos em ilícitos e que manipulam nos bastidores; 02 – afastamento do Presidente do Senado (envolvidos não podem julgar em beneficio proprio); 03 – sequestro de todos os bens ilícitos dos envolvidos …(renda declarada e comprovada versus patrimonio é o que vale)..04 – denunciar todos os políticos  et catervas envolvidos com ilícitos…Um simples ladrão de galinha já estaria preso. A Justiça não pode se apequenar…

  70. O Brasil precisa de um RESET

    O Brasil precisa de um RESET geral.  Eleições gerais, reforma política, fim do monopólio da Globo, controle externo do Judiciário chantagista, reforma tributária visando atingir as 120 famílias que governam o Brasil.  RESET parcial não resolve. 

  71. Tempos dificeis, podem piorar

         Escrever nomes de pessoas na atual conjuntura é flertar com perigos futuros, portanto sem nomes, mas é bom saber que todos possuem seu “armarinho de esqueletos”, alguns seus, já outros guardados no mesmo “armarinho” , melhor dizendo, em sua canastra, podem ser de outra pessoa, até mais poderosa, os quais voce guarda apenas por cumplicidade.

          Hoje distancias são despreziveis, Kassel, Munique, Tournai e Moscou não encontram-se tão longe assim.

    • Há personagens ainda

      Há personagens ainda incólumes.

      Me pergunto por quanto tempo serão apenas pedras e não se tornarão vidraças.

      Quando algum esqueleto desses “incólumes” virão à tona por obra de alguém que está neste momento na berlinda?

  72. Eleições gerais é insubsistente, inconsistente e inconsequente

     

    Luis Nassif,

    O cenário 1 é impossível e representa um retrocesso para a esquerda. É impossível porque teria que passar pelo Senado e jamais dois terços dos senadores vão admitir perder o mandato. Sem o apoio de dois terços dos senadores não há possibilidade de uma Emenda Constitucional passar no Senado.

    E é um retrocesso porque apesar da divisão de força no parlamento brasileiro ser muito favorável à direita, ela conseguiu essa divisão de força favorável em um período em que a economia não ia tão mal como agora. E já é sabido que em tempos de crise quem cresce é a direita. Assim, eleição gerais agora é só para escorraçar a esquerda ainda mais do Congresso Nacional. Uma proposta assim só é razoável partindo do mais empedernido direitista.

    E a crença na renovação política brasileira a ser feita a toque de caixa é de uma total falta de senso de realidade. A esse respeito transcrevo abaixo o comentário muito bom de Flavio Patricio Doro enviado quarta-feira, 08/06/2016 às 09:25, e que ele intitulou “Renovação da política e funcionamento dos partidos”, e que se encontra no início da segunda página tendo este post 141 comentários. Disse ele lá:

    “Não acredito que a Lava Jato, por mais líderes importantes que consiga abater, vá renovar assim tanta coisa.

    Em Estados e Municípios há muitas lideranças políticas regionais que ascenderam valendo-se do mesmo instrumental dos caciques nacionais e que não tardarão a ocupar o espaço que ficará vazio.

    A Lava Jato elimina o efeito, tem efeito didático, mas para renovar é preciso agir também sobre as causas. E que causas seriam essas? Quem sou eu para responder a essa pergunta… Mas tenho uma pista sobre uma delas.

    Qual o motivo de existirem tantos partidos políticos? Talvez ter um partido seja um negócio dos mais interessantes. É preciso compreender e combater esse fenômeno, de modo que os partidos sirvam menos a interesses privados e mais aos dos segmentos da sociedade que formalmente se propõem a representar.

    Isso poderia contribuir a sanear um pouco a política. Sempre haverá interesses, é claro, mas de uns tempos para cá eles se tornaram tão dominantes que a própria governabilidade ficou comprometida. Chegamos ao ponto em que os poderes que deveriam comandar o país não conseguem fazê-lo.

    Dilma não estava conseguindo governar direito, Temer também não está, Dilma também não conseguirá caso retorne, e temo que o sucessor de um ou de outro, legitimado pelas urnas, não tarde a se ver em situação semelhante. O “pacto ” e as eleições por si mesmas podem abaixar um pouco as labaredas, mas não serão capazes de eliminar realmente o impasse.”

    E ainda que de uma maneira rococó ou rocambolesca o Chico Pedro em comentário de quarta-feira, 08/06/2016 às 09:15, aparentemente sem título mas que apareceu intitulado de “A linha profética prescritora”, e que se encontra entre os últimos da segunda página deste post também mostra a inviabilidade de se esperar que eleições gerais produza uma renovação de imediato. Disse o Chico Pedro lá:

    “A linha profética prescritora de mudanças radicais não é boa.

    É um pouco prepotente, na verdade.

    Há milhões de cálculos e até é possível ter alguma noção do contexto, mas daí a afirmações categóricas…

    “Dependendo do destino do Lula haverá renovação completa na política”

    E, com todo respeito, a questão não é só a ousadia de afirmar em meio ao caos.

    Mas de ignorar o jogo social.

    Há rígidos condicionantes impostos por estrutura e instituições.

    Uma condução naturalizada – cultural – do modo de se fazer as coisas.

    O bastão do poder pode e continuará sendo – simplesmente – transferido para outros tão ineptos e deficientes quanto os atuais.

    Vimos tal acontecer no curso de nossa história – e de vários outros – inúmeras vezes.

    Espie a Primavera Árabe, por exemplo.

    O conjunto de regras eleitorais e de representação continuam as mesmas.

    O amplo domínio e privilégio de restrito número de famílias sobre nós do sistema, igualmente o mesmo.

    Passados muitos anos de turbulência nem sequer demos fim à asquerosa presença de suplentes, homens sem votos.

    O que TALVEZ mude um pouco o ritmo do sistema é – a partir destas eleições – o financiamento público de campanhas”.

    Eu até pensei que o Chico Pedro como de hábito iria se insurgir contra o Lula, mas ele deu um viés mais substancioso ao comentário dele e acabou expressando o óbvio da natureza inconsistente e inconsequente da idéia de eleições gerais. E dado a percepção de que Lula está ficando cada vez mais carta fora do baralho e a esquerda já reconhece isso, o Chico Pedro parece que não quis gastar muito tempo com Lula. Tanto melhor, pois deu uma direção mais aproveitável ao comentário. Há ainda os cacoetes de chamar os políticos e dirigentes de ineptos e deficientes como se estivesse se eximindo de também o ser. Essas acusações genéricas só fazem sentido se são dirigidos a todos nós da espécie humana.

    O difícil de tudo isso é saber que a alternativa de Temer até 2018 é a única possível e ainda mais difícil é ter de reconhecer que para a esquerda uma nova oportunidade como o que ocorreu nos últimos 10 anos vai demorar mais de 20 anos para se repetir. E para mim o pior é ter de escutar as pessoas acusarem ora o primeiro governo da presidenta Dilma Rousseff ora o segundo governo de errado. E pior ainda é saber que é o discurso dos vencedores que prevalece.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 08/06/2016

  73. A Globo, mais uma vez comandando o espetáculo

    A bola tá quicando na grande área para a Globo marcar um gol de placa.

    Para isso basta que o Senado vote a cassação da Dilma. E, caso haja algum vacilo quanto a essa tomada de decisão basta a turma da Lava Jato largar mais uma bomba contra Lula, Dilma, PT e Cia. Lembrando que os fins justicam os meios. Desse modo, se retoma o “clamor das ruas”: ELES não podem voltar!!! E o Senado empurra a Dilma para o cadafalso.

    Caçando Dilma. Cassa-se a Lava Jato, Janot, PF e Cia.

    Como?

    Com Globo fazendo uma grande reportagem sobre os abusos da operação LJ.

    As ilegalidades, as arbitrariedades, cerceamento de defesa, grampos ilegais, suspensão do habeas corpus, quebra de sigilo, etc, etc. Entrevistas com Gilmar Mendes, Celso de Mello, Marco Aurélio, Grandes Juristas, etc, etc.

    Na sequência, reportagens da Folha de SP, da Veja, contra o “aparelho repressor do Estado”, a favor das liberdades do cidadão, da liberdade de expressão (contra as ações judiciais dos juízes e policiais federais) etc, etc. O MB, o Anta, etc, etc. Todos contra o Estado repressor e a favor das liberdades democráticas.

    As duas forças (Gov. Temer & Janot/LJ/PF/Moro) que disputam o comando do Golpe estão na mão da Venus Platinada*.

    Primeiro se enfraquece bem o Temer e seu Governo interino, depois se empossa um pato manco que doravante terá comer no cocho da Globo.

    Depois, na sequência, se o Temer não se comportar direito, ou se ele ficar pior que a encomenda, se encomenda no Congresso Nacional do Cunha uma emenda Constitucional para criar o “Semi Parlamentarismo”.

    Como diria o Garrincha, agora só falta combinar com os russos, ou melhor, com as ruas.

     

    *Ver a análise do Rodrigo Viana

  74. 54 milhões de votos

    Tudo fica complicado e incoerente para o stf, como a prisão do delcidio e a não ptisão do jucá, a partir de decisão política do stf, que nada sabe de política, se quizessem saber é só perguntar ao Lula, e não seguir o que constituição diz. Todas sabem que a Dilma não cometeu crime e clamorosamente tem 54 milhões de votos com ela. Se golpeada, 54 milhões de votos são lançado ao lixo. E se 54 milhões de votos são jogados no lixo… aconstituição perde seu valor e tudo mais é ilegal.

    Estas considerações complicadas, como gosta o nassif, se desprezam os 54 milhões de votos também nada dizem.

  75. A lição das presidenciais francesas de 2002

    Nassif,

     

    Você vem demonstrando apodítica e magistralmente as maiores possibilidades de acontecimento futuros. No que se refere ao tempo presente, creio que PT, PCdoB, PDT, PSOL e REDE (ao menos o grupo da REDE mais ligada à esquerda ou ao centro, o que inclui necessariamente Marina Silva) precisam se unir para conversar. Uma frente de esquerda deve necessariamente englobar PT e PCdoB. O PDT pode facilmente aderir à frente. Uma chapa em 2018 comandada por Ciro Gomes ou Cid Gomes é agradável ao PT e ao PCdoB. Seriam necessários, evidentemente, alguns ajustes. O do jogo de cintura de Ciro Gomes, como foi bem evocado, por exemplo. E Ciro teria que mostrar mais coerência tanto como filiado do PDT e adepto do trabalhismo como quanto “amigo” de Lula e de outros petistas (Ciro ultimamente diz para todos os lados que é “mui amigo” de Lula, p.ex., e logo a seguir solta os cachorros encima de Lula e do PT — mais parece amigo da onça!). Acho que Ciro pode se adequar. É nosso melhor nome para 2018. Para isso será importante um vice que o “enquadre”. Jacques Wagner? Haddad? Aldo Rabelo? Tarso Genro? Celso Amorim? Patrus Ananais? O próprio Lula? Ciro teve muito jogo de cintura na campanha de 1998 (no que me lembro, na época eu tinha entre 11 e 12 anos) e no período em que foi ministro da Integração Nacional (2003-2006). Penso que o maior problema de Ciro seja sua falta de motivação: ele decepcionou como deputado federal (2007-2011) e como um dos principais articuladores do PSB; ademais, foi medíocre como secretário estadual no final do governo estadual de Cid Gomes. Será que Ciro Gomes tem disposição e força de vontade para enfrentar uma campanha violenta e difícil que vai ser a campanha de 2018?

     

    Quanto ao PSOL. Mesmo o partido tendo renunciado a ser alternativa de poder, seus quadros são importantes e representam forças que compõe significativamente o campo progressista brasileiro. É preciso estabelecer pontos comuns com o PSOL, uma agenda progressista, que poderia também englobar eventualmente PCB e PCO.

     

    Quanto à REDE. A REDE não tem consistência ideológica. Parece ser um séquito que acredita no ambientalismo como política de salvação mundial no século XXI e enxerga em Marina Silva sua porta-voz perfeita e simbolicamente insuperável. Não obstante, repito, não há nenhuma clareza ideológica. Parte do partido tem visão liberal da economia e conservadora da política, embora permaneça razoavelmente progressista em alguns temas que tocam o direito das minorias e temas morais e religiosos. É a parte tucana da REDE que projeta na própria REDE um PSDB verde, um PPS sem Roberto Freire. Por outro lado, na mesma rede, há os egressos da esquerda, notadamente do PT, a começar pela própria Marina, que tem relação ambígua e, frequentemente, contraditória com o legado de Lula. Falta a esse grupo consistência. Não se sabe se se quer exatamente estabelecer um PT sem Lula, um PSOL verde. A própria Marina é fundamentalmente inconsistente. Parece ter se convertido ao liberalismo dos bancos e rentistas. Ultraprogressista em temas caros à esquerda pós-moderna, por assim dizer, e, ao mesmo tempo, refém de gente como Silas Malafaia. De toda maneira, mesmo sendo a REDE inconsistente, mesmo sendo Marina um grande mistério e provavelmente um grande vazio, são melhores opções tanto em 2016 como em 2018, do que o PSDB ou o PMDB e congêneres. 

     

    Por isso, parece-me que se as eleições forem em 2016, o único nome possível para se trabalhar seriamente é o de Lula. Mesmo assim, deve-se dialogar com Marina e REDE — eles não são necessariamente inimigdos, podem ser eventuais aliados.

     

    Se Dilma retornar, o jogo muda, e a esquerda pode se reconstruir e uma disputa democraticamente saudável de nomes aparecerão. E Lula não será o único. Para que o que vier a sobrar do governo Dilma vá até o fim, seria importante que Lula se concentrasse no seu governo como ministro, renunciando a qualquer possibilidade de ser o candidato à sucessão.

     

    Se Dilma não retornar, o PT precisa trabalhar urgentemente em sua reformulação e em um processo interno revisionista. Haddad é o nome ideal para comandar tal processo interno. Ele pode ser o candidato a presidente da República, mas seria melhor como presidente do PT. Eventualmente pode ser candidato a vice-presidente. Qualquer nome do PT (o próprio Lula, por que não?) pode ser candidato a vice. Nas circunstâncias atuais, Ciro Gomes seria o candidato ideal da esquerda em 2018 (tanto para uma possível e desejável vitória como no caso de uma desastrosa e pedagógica derrota).

     

    O que não pode acontecer é que tanto em eventuais eleições em 2016-2017 como nas eleições certas de 2018, uma divisão nas esquerdas. É preciso diálogo franco com PSOL e REDE. Marina, por exemplo, é um mal muito menor do que Serra e congêneres. É preciso evitar o risco de uma versão brasileiras das presidencias francesas de 2002, em que o favorito, o socialista Lionel Jospin não participou do segundo turno (por conta das divisões nas esquerdas) e o segundo turno foi entre Chirac e Le Pen (toda a esquerda teve que voltar em Chirac). Imaginem se tivermos que votar em um dos ministros do Temer ou em Alckmin ou em Aloysio Nunes ou em Anastasia para não votarmos em um pastor evangelical-pentecostal qualquer ou em um Bolsonaro?

     

  76. Parei por aqui

    “se agir com a mesma eficácia contra o PSDB”.
    O Bob Fernandes fala num vídeo que assistiu depoimento gravado do Cerveró…assim que ele toca na turma do PSDB a investigadora muda imediatamente o assunto…

  77. Não há solução para o

    Não há solução para o presidencialismo de coalizão. A sociedade já se manifestou duas vezes a favor do presidencialismo. Temos mais de 30 partidos. Em cada estado, as pessoas votam localmente, sem observar partidos e ideologias. O resultado é o que temos agora. Cabe ao presidente governar com o congresso que saiu das urnas. A solução seria um povo diferente do nosso. Acho que tem acadêmico na política. Devemos buscar uma solução que considere o que somos, e não o que deveríamos ser. 

  78. Cobra engolindo cobra

    Isto me lebra um filme chamado “Navio Fantasma”. Neste filme devido à ganância, uma equipe de resgate a um navio abandonado, foram matando uns aos outros, na esperança de ficar com o ouro. Mas o que eles não sabiam era que o capitão da equipe era um enviado do demônio, ele não morria, e tinha a missão de conseguir o maior número de mortes possíveis para levá-los todos para o inferno. O capitão ia tentando todos. Uns foram matando os outros, e no final o capitão iria matar o último que sobrava. Era um jogo no qual todos perdiam.

     

    No final, o MPF irá enfrentar o Congresso. O país é pequeno demais para os dois. Ambos são espertos demais para não terem percebido isto. E ambos tem razão. O MPF tem razão de investigar  Temer, Renan, e compania, pois realmente tem muito para ser investigado. E o congresso tem razão de cortar as asas do PGR, pois em país algum sério, a PF grampearia o presidente, destruiria empresas, geraria milhões de desempregados, derrubaria o PIB em quase 5%, e ficaria por isto mesmo. Qualquer governo do mundo já teria cotado as asas da Lava Jato. Sem este corte, de asas, o país jamais conseguirá voltar a crescer economicamente.

    Ambos correm contra o relógio, e quem sacar primeiro ganha a disputa.

    Qualquer um dos dois que ganhar será ótimo para o país.

     

     

     

  79. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome